29.8.08

Bis?

A mais importante eleição do estado do Pará, pelo simbolismo que contém e cenários que desenha, é a mais silenciosa, a menos animada, a mais estranha. Essa percepção já faz parte do cotidiano dos eleitores de Ananindeua, segundo maior cólégio eleitoral do estado.
Lucia, secretária do poster e moradora do município, perguntou-me ontem se o tucano Manoel Pioneiro havia desistido da candidatura, tão peba que anda a campanha do candidato. Disse-me que é o comentário nas cercanias de sua casa, próxima ao 40 Horas.
Semana que passou, prefeito do interior e de legenda que não tem candidato majoritário na disputa do segundo maior colégio eleitoral do Pará, manifestou a mesma sensação.
Há indícios, na opinião do alcaide, de acordos por baixo dos panos, como nas eleições da mesma Ananin em 2004. Só que, desta vez, o populacho já percebeu.
Que azar, hein?

Edyr Augusto Lança em Sampa


Kaol

O marqueteiro João Santana deve vir à Nova Déli.
Calma, é só depois das eleições.
Vai dar uma lustrada, por asim dizer, na política e nas estratégias de comunicação do governo do Pará.

Vale Tudo

Os institutos de pesquisa estão precupados com as condições de campo de seus coletadores. Não são bandidos comuns que infernizam o trabalho da turma não. São meliantes vinculados à facções políticas que invadem hotel, roubam formulários, pressionam pesquisadores com ameaças.
A turma da pesquisa começa a trabalhar sem crachá.

Marca da Gestão

Tem irregularidades na nomeação e operacionalização do Conselho Curador do Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico de Nova Déli.

27.8.08

Dedicado

Para os amigos e colegas que estão envolvidos em campanhas, enfrentando os sonhos, a prepotência, a bipolaridade, a incerteza e a nudez de tantos que cruzam-lhes os caminhos nesses momentos, dedico uma reflexão de Montesquieu:

"É uma felicidade para os homens encontrarem-se numa situação em que, ao mesmo tempo em que suas paixões inspiram-lhes a idéia de serem maus, eles têm interesse em não sê-lo"

Subiu, Levou

Pesquisas internas das campanhas da capital já registraram o crescimento de uma das candidaturas. Os telespectadores podem registrar a subida observando as inserções políticas na tv.

Nas Ruas e Nos Autos

O ex senador Ademir Andrade (PSB) aparece sorridente nos adesivos de alguns carros na capital. Candidato à vereador, Ademir está enquadrado na categoria da ambição regressiva, segundo Samuels.
Na Polícia Federal o enquadramento do nacional foi outro.

Contos em 30'

O ilustrador e publicitário Sergio Bastos coloca no ar em setembro, na TV Cultura do Pará, mais uma projeto de animação. É a série Contos da Amazônia que mostra para as crianças, em episódios de 30 segundos, a importância da preservação da natureza.
O projeto tem o apoio cultural da Sol Informática.

25.8.08

E Aí ?

Mais dois estudantes foram baleados nas últimas 48 horas em Nova Déli - um deles morreu - na saída de colégios e cursinhos.
O poster continua esperando a boa vontade da direção do colégio Universo, que através de um de seus diretores, prof. Julio Reis, em contato telefônico no dia 8 de julho, prometeu um encaminhamento para a minha solicitação de convocar, tão logo o colégio retomasse suas atividades normais, uma reunião de pais de alunos da escola cujas imediações batem recordes de assaltos a mão armada na zona central da capital.
Júlio, as aulas recomeçaram.

Linha Direta

A partir dos programas políticos da próxima quarta feira, a mão do marketing começará a pesar em algumas cidades. Nova Déli estará entre elas.

------

Estréia

Pela primeira vez, nas pequenas cidades do interior, plano de governo tem vez na campanha eleitoral.

------

Recordar é Viver

O velho e bonito jingle petista "onde o PT governa dá certo" ainda tem presença garantida em programas de rádio de candidatos do partido pelo interior.

------

Santo Remédio

Sempre tem um pafúncio aprontando nos comícios. Neste final de semana o poster assitiu a ação de um deles, no interior, pertubando os candidatos. Trepado numa árvore, não parou de falar até que a segurança do comício tirou o jabuti lá de cima, e deu-lhe uma garrafa de 51.

------

Minhoca

É cada vez menor o peso, sobre a decisão de voto, do local de nascimento dos candidatos. A condição de candidato da terra já não representa um apêlo tão forte assim. No sudeste do Pará há cidades onde nenhum dos postulantes ao cargo é paroara.

21.8.08

Baixas

O jornalista Paulo Roberto Ferreira entrou de férias e não volta para a direção da TV Cultura, do governo do Pará. Junto com ele, está de saída a antropóloga Patrícia Guilhon, ex diretora de Cultura da Secult, que ocupava a assessoria de marketing da emissora.

Preview

Faltam editores de imagens em algumas campanhas do interior. Em outras, falta puxar as orelhas do editor. Ontem, logo na abertura do programa do recandidato petista em Parauapebas, vazou a voz do repórter orientando uma velhinha que pedia votos para Darci Lermen.

-----

Blackout

Em Canaã dos Carajás faltou luz na hora do programa eleitoral da tarde.

-----

Campeão de Audiência

É a primeira vez que tem horário eleitoral em Barcarena, só na rádio. Em compensação, graças a potência dos transmissores da geradora, a Rádio Metropolitana, os programas podem ser ouvidos em nada menos do que 65 municípios do Pará.

De Volta, De leve

Os compromissos da pós graduação continuam engarrafando a agenda do poster. Duas monografias ainda estão em finalização, para a sexta 28. As aulas recomeçaram, junto com duas rápidas consultorias em cidades do interior. Tudo isso vai manter o blog em ritmo lento durante a temporada eleitoral.
Mas vou tentar atualizar as postagens três vezes na semana.

------

Politique Obligé

Lula é Mário (PT) ou Priante (PMDB) ?
Os dois são recomendados - o PT foi à Justiça Eleitoral dizendo que a gravação é de 2006 - mas o blog desconfia que se o barbudinho votasse em Nova Déli cravaria o voto no 15.
Coisas da coalizão.

------

Caro, Mas Excelente

Um quiche de queijo, um salgado de ricota, um capuccino, um café com leite, uma água mineral, e lá se foram R$ 34,00 das carteiras de Claudio Puty, chefe da Casa Civil, e do poster, num agradável café no início da manhã de terça, 19, na ensolarada e ventilada calçada do Franz Café na Brás.
Detalhes da conversa? Ora, o encontro foi só um pretexto para repassar ao poster um exemplar do balanço de um ano e meio de governo Ana Julia, que saiu do forno.
Juro pra voces!

-----

Paródias

A decisão de marketeiros e candidatos de parodiar músicas de sucesso, adaptando-as para jingles de campanha, levou dois candidatos majoritários na mesma cidade a exibir nas ruas e rádios o mesmo tecnobrega.

-----

Caixa Baixa

Diminuiu o meio circulante nesta campanha eleitoral.

-----

Toma Lá, Dá Cá

A vinheta que intercala a fala dos dos proporcionais do PT em Nova Déli, com mais de 15 segundos, rouba um tempo precioso dos candidatos. Mas tenta reacender a chama da legenda.

6.8.08

Governo Garante Recursos ao Bettina

O Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS) , referência nas áreas de oftalmologia, otorrinolaringologia e de reabilitação de crianças com até 12 anos receberá R$ 1,5 milhão para manutenção do Programa de Residência Médica em Oftalmologia e Otorrinolaringologia do hospital e despesas de custeio até 14 de julho de 2009.
O investimento é fruto de um processo de negociação entre o governo do Pará e a UFPA.
Em outubro, o Bettina completa 15 anos de existência dedicados ao ensino, assistência e pesquisa como formação integral de graduação e pós-graduação de profissionais da área da saúde na região amazônica, em especial o Pará.

Com informações da Assessoria de Comunicação do HUBFS.

Samba Verde

Vai esverdear na sexta feira, a partir das 19:00 hs, a quadra da tradicional escola grená do bairro do Umarizal, o Quem São Eles, para o lançamento da candidatura à vereador de Zé Carlos Lima pelo PV.

Derramou

Juiz pulando muro pra fugir da turba enfurecida. Promotor público resgatado de helicóptero. Forum e delegacia de puliça incendiados. Saques e depredação. Cenas da paisagem de Vizeu, no nordeste do Pará, ontem.
“É lamentável o que aconteceu. Me senti uma autoridade impotente e tive que contemplar a destruição do fórum”, disse o juiz Cesar Augusto Rodrigues à reportagem do Diário do Pará.
Do lado da horda, a impotência frente às injustiças e a violência transbordou, e pode ter sido o combustível para as ações.
Como é tenue a linha d´água do cálice.

Dor da Perda

No Repórter Diário, edição de hoje da folha sobrancelhuda.

Foi efêmera a passagem do ex-chefe da Casa Civil Charles Alcântara pela blogosfera. Charles fez sua última postagem na segunda-feira passada.

Licitação Problema

No blog Pó de Vídeo, número 1 da publicidade paroara.

A licitação do Banco da Amazônia pode ser mais uma vez suspensa.
Ontem, na abertura dos envelopes de preços, se descobriu que uma das agências vencedoras da licitação errou na apresentação do orçamento, o que a desclassifica automaticamente. Os representantes das duas agências que haviam pontuado logo atrás dela, não estavam presentes à reunião de abertura do envelope, o que as desclassifica também. Assim a licitação termina com uma única agência classificada e habilitada para atender a conta total do Banco da Amazônia.
O problema é que o edital diz que serão escolhidas duas agências, com isso a comissão precisa decidir se fica só com uma agência mesmo, se faz uma nova licitação ou se reabilita uma das agências desclassificadas.
Dá pra acreditar?


------

A agência que teria errado na apresentação de um item da Proposta de Preços foi a OMG. Mas uma fonte consultada pelo blog garante que a ausência das outras duas classificadas na abertura do derradeiro envelope da concorrência, não as exclui do certame. São, pela ordem, a Mendes e a DoubleM.

Em Cima da Hora

Faltando 12 dias para a estréia do horário eleitoral gratuito, ainda estão sendo são montadas algumas equipes de marketing em grandes cidades do interior do Pará, e em pelo menos uma capital da região Norte.
Em outras cidades, as equipes contratadas ainda estão em fase de montagem de estratégias, espelhos de programas, desenho de vinhetas, e até na redação de planos de governo, que em alguns casos são peças meramente publicitárias.
Quem já está no batente mesmo, desde o início de julho, são cinegrafistas e produtores, acompanhando candidatos em suas andanças e visitas pelas ruas das cidades.

Rosca Sem Fim

Prossegue irretratável a sanha do narigudo colunista Alyrio Sabbá, de O Liberal, em defesa da péssima qualidade dos serviços de travessia para a ilha do Marajó. Na edição de hoje vale-se do suposto depoimento de um ex diretor da Arcon que elogia as banheiras fétidas, desconfortáveis e modorrentas que atuam na linha.
É compreensível. A Arcon, pela inércia e incompetência resultantes de sua captura pelos interesses dos empresários do setor, coonesta a porcaria dos serviços, caracterizando a conhecida situação onde o sujo fala do mal lavado.
Já o Seventy, também na edição de hoje, em recorrente salvatagem à coluna, anuncia a possibilidade da contratação, subsidiada pelo governo, de uma embarcação rápida e moderna para melhorar o transporte fluvial para o Marajó.
Fonte do blog na Arapariu, uma das concessionárias da linha do Camará, diz que está em fase final de construção um catamarã moderno e veloz, que entraria em operação até o final do ano.
A conferir.
O Sabbá, em destroços, é inconferível.

5.8.08

Ajustando o Foco

Da advogada Mary Cohen, coordenadora da Comissão de Direitos Humanos da OAB-PA, em comentário na caixinha do post Proibido Encontrar Provas, de hoje.

O Yúdice ( Randol, professor de Direito Penal, que também comentou naquela caixinha) tem razão, mas acho que o debate está meio fora de foco. Entendo, salvo melhor juízo, que os juízes e procuradores estão equivocados ao afirmarem que o projeto de lei vai estabelecer uma inviolabilidade absoluta dos escritórios de advocacia.
Primeiro, a inviolabilidade aos escritórios já está prevista na Constituição e no inciso II, artigo 7º, do Estatuto da Ordem.
O que o projeto faz é detalhar mais essa inviolabilidade. O projeto diz que se o advogado está envolvido em crime, pode sim ser alvo da busca e apreensão, pode-se, sim, quebrar a inviolabilidade por decisão judicial.
O projeto esclarece isso. O STF, por sua vez, já definiu em reiteradas vezes: não se pode invadir, espionar, tentar compreender ou saber a estratégia da defesa de uma pessoa, porque se anula todo esse processo. O que nós, advogados, não queremos é a invasão de escritório de advocacia para se buscar dados sobre o cliente, para se interferir em sua defesa. Tampouco criminalizar o advogado por estar defendendo este ou aquele cliente.
Acreditamos que, desde o fim da ditadura militar, não há mais espaço para espiões. Quer no movimento estudantil, quer na imprensa para que esta não seja livre, quer na Polícia Federal para criminalizar os movimentos sociais.
O que pretendem esses juízes e procuradores? A volta desse período com a diferença que naquela época era tudo clandestino e agora será legalizada?Que se espione a estratégia da defesa? Que quando o advogado estiver conversando com o cliente, que esteja lá o Ministério Público, o juiz e a polícia escutando o que o advogado está falando com o cliente?
Recentemente tivemos um caso de grampo na conversa do advogado com o preso e a condenação a prisão de outro advogado porque participou de uma negociação para desocupação do prédio do INCRA pelo MST.
O que se quer evitar, com esse projeto, é, primeiro, que não se tenha hábeas corpus para advogado que cometa crime se ele for o criminoso, mas também não pode, numa democracia, uma parte ficar escutando a outra, o advogado ser investigado porque está defendendo um cliente.
Não pode o cidadão ficar refém do estado-polícia, do estado-Ministério Público, quando eles abusam. Sabemos que há advogados corruptos, assim como há membros do ministério público e da magistratura envolvidos em corrupção, e nem por isso os advogados defendem o fim da vitaliciedade da magistratura ou a lei da mordaça para o MP.
Finalmente, que fique claro que as prerrogativas constitucionais são fundamentais, são antídotos para que o Brasil não volte ao estado policial que existiu no passado.

TRF1 Mantém "Feitor" Preso

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) acatou parecer da Procuradoria Regional da República da 1ª Região (PRR1) e manteve preso Valdir Leandro de Sá, acusado de empregar seis pessoas em condições análogas às de escravos. O crime ocorreu no município de Pacajá (PA), na Fazenda Amazonas (quilômetro 258 da rodovia Transamazônica). O dono da propriedade é José Carlos Gallet. Valdir é acusado de intermediar a contratação dos trabalhadores.

Fonte: Assessoria de Comunicação do MPF no Pará.

Merchandising x Luta

Do comentarista Satchel Paige, sobre o post Especialista, de domingo, que trata da invasão dos movimentos sociais no Congresso dos Jornalistas no final de semana que passou.

Pobre sindicato dos jornalistas (quais?).
Dos quase 150 inscritos no “6º Congresso Estadual dos Jornalistas”, não chegavam a 40 os “profissionais” inscritos, considerando ainda, que pelo menos 20 eram da diretoria anterior ou da que “tomava” posse.
Incrível, um sindicato com trajetória de resistência e luta que se confunde com as principais lutas desenvolvidas pelo povo brasileiro nas últimas quatro décadas realize um congresso que não inclue na “pauta” o principal evento político deste semestre que são as eleições municipais. O debate sempre é bem vindo e é um importante balizador para a formação de opinião e definidor de voto.
A categoria não merece essa ausência de vontade política e crítica das ditas diretorias do sindicato.Que sindicato é este que reúne a categoria (ou tenta reunir?) e não discute uma pauta salarial para “peitar” os barões da comunicação que “detonam” a categoria com absurdas “jornadas” de trabalho, que vão muito além do permitido em lei. Um dado absurdo que comprova isso foi a “unificação” das redações de “O Liberal” e “Amazônia Jornal” e que o “sindicato” nem sequer publicou uma única nota.
Talvez se publicasse ainda seria favorável a tal medida de “eficiência jornalística” das ORM’s.As diretorias (que “SAE” e a que “ENTRA”) falam em pagamento de mais de R$.100,000.00 (cem mil reais) em dívidas, mas não apresentaram durante o “Congresso” nenhum balanço de “receitas” e “dívidas”. Falar e chorar à mesa é fácil.
Boas atrizes e atores fazem muito bem esse papel.A principal atividade anual do sindicato continua sendo a “glamourosa” festa de final ano, que não tenho nada contra, mas é muito pouco para uma categoria que vê seus representantes muito bem obrigado (ou obrigada?), andando de braços dados com a poderosa AIMEX (Associação das Indústrias Exportadoras de Madeira do Estado do Pará) e com o Governo do Pará. Com o Senador Neri (PSOL) e o senador Mário Couto (PSDB). CVRD e Governo Federal... “parceiros” tão díspares quanto água e óleo.
Faltou, como nos bons e lutadores tempos, os parceiros históricos, como Sindicato dos Radialistas, ABRAÇO (Associação Brasileira de Rádios Comunitárias), os Centros Acadêmicos de Comunicação, como o CACO da UFPA, a ENECOS (Executiva Nacional de Estudantes de Comunicação), o DCE da UFPA, a combalida CUT (Central Única dos Trabalhadores). Faltou política, reflexão crítica, solidariedade.
Sobrou arrogância e Merchandising. Ah, sobre isso, tivemos “UM MOMENTO VALE” de 10 minutos durante os 2 dias de congresso!!!
Pra ser sincero, o grande fato político do “6º Congresso Estadual dos Jornalistas”, foi mesmo a manifestação do MST/Via Campesina, Fórum de Rádios Comunitárias e Estudantes universitários. O Alvo, todos perceberam, não eram o “Congresso” ou seus participantes, muito menos as agonizantes diretorias (a que saia e a que entreva), mas sim a Rede Globo.
É questionável o método e o local escolhido pelos “manifestantes”, mas é preciso analisar como esses movimentos têm sido criminalizados pela mídia e seus barões. Por madeireiros “organizados” na AIMEX (Associação das Indústrias Exportadoras de Madeira do Estado do Pará) e tantas outras “entidades” afins. Faltou habilidade política para as diretorias do sindicato. Faltou bom senso para os ocupantes.Mas o fato é o seguinte, depois da entrada em cena dos “manifestantes”, até cobertura jornalística o evento teve. Não faltaram rádios, emissoras de tv’s, jornais impressos e blogs nos corredores do Hangar.
Sabe, se eu fosse da nova direção do sindicato publicaria uma nota de agradecimento a esses que tachados de “invasores” acabaram chamando a atenção dessa mesma “nova direção”: Algo está errado e é preciso mudar.
Nós, Jornalistas, agradecemos!

Planos e Propostas

Por variadas razões - publicação em jornais e blogs, alterações de última hora, narigudices e outras - o Quinta Emenda vai se abster de publicar a agenda dos candidatos à prefeitura de Nova Déli.
Em seu lugar, vai encaminhar aos candidatos perguntas sobre planos de governo e propostas para a cidade, para que sejam apreciadas e discutidas pelos queridos leitores.
Tudo isto na segunda quinzena deste mês, depois que o poster retornar de um breve recesso de mais ou menos duas semanas, programado para cumprir os prazos de entrega das monografias da pós graduação.
O recesso deve começar na próxima sexta.

Proibido Encontrar Provas

Por Maurício Dias, na Carta Capital.

A ação dos advogados brasileiros no sentido de blindar os escritórios de advocacia contra as ações da Polícia Federal pode ser a semente de um novo privilégio a ser plantado na sociedade brasileira. Há uma reação ao projeto de lei que estende “o direito à inviolabilidade do escritório ou local de trabalho”.
Ela parte do princípio de que o destinatário da proteção constitucional, o direito de defesa, é o defendido e não o defensor. Mesmo assim, a Constituição permite busca e apreensão no domicílio do próprio investigado, embora ele seja considerado, constitucionalmente, um “asilo inviolável”. Ficaria estranho, assim, que a busca não pudesse ser feita no escritório do advogado cuja inviolabilidade consta do Estatuto da OAB, uma lei ordinária. Não passa sem ser notado que a proposta em pauta se refere ao “escritório” e, igualmente, ao “local de trabalho”.
Como todo advogado, pela natureza do que faz, usa a casa também como escritório, a proteção que se busca a deixaria inviolável por conseqüência.
Mas por que não se poder colher provas, judicialmente autorizadas, no escritório do advogado, nas redações ou na sacristia, ainda que o padre não seja obrigado a dizer o que veio a saber por força do seu ministério?
Se provas podem ser encontradas nos escritórios de advocacia, como já ocorreu, o que parece estar em discussão é a proibição de encontrar.

-----

É evidente a desfaçatez da categoria em avocar a incorporação de mais uma torpe prerrogativa, a reforçar ainda mais a República dos Advogados que pretendem instituir dentro do país. Magistrados e procuradores são contra a medida.

Brasil: País de Crises

Sob este título, por Lucio Flavio Pinto, no blog do Estado do Tapajós.

Juiz que fala publicamente sobre processos nos quais funciona se torna passível de suspeição. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, violou essa regra elementar do direito: criticou com dureza o comportamento do presidente do inquérito policial que, transformado em denúncia pelo Ministério Público e acolhido pelo julgador de primeira instância, estava pendente de sua deliberação.
Mas não ficou nisso: Gilmar Mendes ignorou as instâncias intermediárias do recurso e julgou o habeas corpus que lhe foi apresentado diretamente, em favor do banqueiro Daniel Dantas. Ao rechaçar a segunda ordem de prisão contra o complicado proprietário do banco Opportunity, enviou seu despacho para o Conselho Nacional de Justiça, do qual é presidente nato na condição de presidente do STF, numa pressão indireta – mas nada sutil e menos ainda aceitável – contra o juiz da instância inferior. O ministro teria o mesmo comportamento se quem estivesse em causa fosse um João da Silva?
Mendes e o juiz Fausto de Sanctis bateram boca fora dos autos, aos quais deviam se circunscrever suas manifestações sobre o rumoroso caso. O magistrado foi condescendente com os evidentes abusos de função do delegado Protógenes Queiroz, presidente do inquérito na PF de São Paulo. Ambos partilhavam o entendimento de que seus superiores iriam favorecer o rico personagem principal de uma trama que remonta a quatro anos e por isso deviam conduzir apurações independentes e excessivas.As escutas foram exageradas e descontroladas, das investigações participaram agentes não autorizados, como os da Abin, o órgão de inteligência que substituiu o nefando SNI, e o que devia ser uma apuração técnica (de grande envergadura dada a sofisticação dos muitos crimes financeiros e funcionais cometidos) se confundiu com um discurso político. Distorção, de resto, quase inevitável em função dos interesses políticos e pessoais envolvidos em toda a trama.
Por esses e muitos outros episódios, o “caso Daniel Dantas” é um retrato pungente e dramático de um amplo compartimento do poder no Brasil. O enredo não deixa dúvida: não há mocinhos na história. Mesmo os que se apresentam como paladinos da verdade, do direito e da justiça escondem suas verdadeiras identidades – ou sofrem de dupla personalidade, para não ir mais fundo na verificação da pluralidade das máscaras que usam.
Já os bandidos são muito mais perigosos do que aparentam suas faces, trabalhadas por uma espessa camada de glamour de marketing e relações públicas. Tudo à custa de muito dinheiro, dinheiro esse que jorra por dutos clandestinos, cravados sob o solo podre do país, incapaz de proporcionar a renda de que necessita sua população trabalhadora e legalista para ser feliz. Porque essas ervas daninhas e seus predadores se apoderam da riqueza natural com seus métodos de sedução e corrupção.Ao final da leitura de milhares de papéis, a sensação que fica é a de desamparo.
O Brasil continua sem dispor de uma espinha dorsal no setor público e nas instituições privadas capaz de bem defender os cidadãos com o uso da lei para combater os seus aproveitadores e manipuladores. Mesmo as fachadas mais imponentes não conseguem cumprir sua missão porque entre o texto das normas e sua aplicação há a interferência de compromissos com grupos e pessoas, com um projeto de poder que só se consolida porque favorece uma minoria e exclui a maioria. Estamos a contemplar a mais uma crise brasileira, não se sabe exatamente de se crescimento ou de necrose.

Resto de Jornalismo

A emporcalhada coluna de Alyrio Sabbá no Liberal ataca mais uma vez. Na edição de hoje Sabbá volta a avalizar o serviço de travessias para a ilha do Marajó, citando supostos elogios conferidos por um grupo de turistas, e arremata: "o resto é conversa fiada".
Não satisfeito, investe contra o trade da ilha, que luta por melhores condições na travessia.
Mente descaradamente o nacional, o rei da conversa fiada.

Café

Numa ofensiva de relações públicas, o líder do governo na Assembléia, Airton Faleiro, do PT, recebe jornalistas às 9:00 hs. para um café da manhã no salão VIP da Casa. Ao lado do líder, o chefe da Casa Civil, Claudio Puty.

Santo Ofício

Em ofício datado de 10 de julho, mas publicado somente ontem no Diário Oficial, o proselitismo do governo Ana Julia aparece mais uma vez. Endereçado ao secretário de Segurança, o delegado federal Geraldo Araújo, a governadora pede para a Polícia " formular um diagnóstico consistente a respeito das reais dificuldades daquele hospital ( Santa Casa) e apresentar soluções para o caso ", e que investigue os casos de óbidos ocorridos entre 2002 e 2006, especialmente nos últimos dois meses da gestão Jatene, quando teriam sido acontecido mortes na UTI neonatal na mesma proporção das verificadas sob seu governo.
Entre a herança e a lambança, caminha o governo Ana Julia.

-------

Uma análise do sub texto do ofício da governadora Ana Julia está aqui, por Oliver, no blog Flanar.

Vale Quer Alcoa

No Blogue do Colunão, de Walter Rodrigues.

Foi apenas especulativa e semi-informada a notícia do iMirante de que a Vale do Rio Doce teria comprado a Alumar, consórcio transnacional formado pela Alcoa (EUA), Billiton (Grã-Bretanha) e sócios menores, para produção de alumina (bauxita refinada) e lingotes de alumínio em São Luís do Maranhão. A Alumar desmente.
Na verdade, Vale e outras empresas, entre as quais a Billiton, vêm tentando comprar não a Alumar, mas a própria Alcoa, mediante oferta direta aos acionistas do gigante do alumínio. Mas a direção corporativa tem resistido ao assédio.

Horizonte paraense

“A empresa vem sendo alvo de ofertas hostis de compra feitas pela Companhia Vale do Rio Doce, sua sócia na MRN [Mineração Rio do Norte, produtora de bauxita em Oriximiná, no Pará), e por outras empresas mundiais”, informou recentemente Lúcio Flávio Pinto, no seu Jornal Pessoal. “A hostilidade se caracteriza pelo método de aquisição adotado, com oferta de compra apresentada aos acionistas através da Bolsa.”
Segundo o jornalista, a Alcoa articula a montagem de um grande projeto de alumínio acabado no Pará (mais avançado industrialmente que o da Alumar no Maranhão), justamente como parte de uma estratégia de crescimento e resistência aos que pretendem adquiri-la.Leia a íntegra do artigo do JornalPessoal.

4.8.08

A Gestão do Fundo

No blog do Alencar.

Se existe um Banco da Amazônia, por que a União autorizou o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES a adotar as providências necessárias ao estabelecimento e gestão do Fundo Amazônia, destinado a captar doações para investimentos não reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento e de promoção da conservação e do uso sustentável das florestas no bioma amazônico?

Na íntegra aqui.

Teia de Aranha

Enquanto a assessoria de site do TJE não largar a mania de perseguição que lhe aflige - ninguém pode criticar o TJ que é logo acusado de ignorância ou má fé -- vai continuar recebendo confetes e lantejoulas.
O tempo passou na janela e só Carolina não viu.

Ponto Final

Do auditor fiscal e ex chefe da Casa Civil do Governo do Pará, Charles Alcântara, em comentário na caixinha do post No Planalto, de sexta, 1 de agosto.

Recebo com serenidade as insinuações e especulações acerca do encerramento do meu blog, pois as causei.Sustento todas as minhas opiniões veiculadas no blog e as manterei no mesmo espaço, para consulta.
Não barganhei a minha decisão de encerrar o blog, o que significa dizer que não procede a versão de que, em compensação, o partido comprometeu-se a debater com o governo as questões levantadas por mim.
Acho até mesmo improvável que isto aconteça, dado o padrão de relacionamento entre governo e partido.Não postulo – e não exercerei - qualquer comissionado neste governo.Convenci-me - e é verdade que o companheiro João Batista influenciou – de que não poderia prosseguir pelas razões expostas na minha última postagem.
Não houve compensações, promessas, convites, ameaças...
Pelo contrário, apenas um fardo a carregar.

Tudo Azul

É de concórdia o clima das duas principas colunas dos jornais da capital com a governadora Ana Julia nas edições de hoje.

Só Quem Compra

No blog do colunista Décio Sá, do Sistema Mirante de Comunicação, de São Luís.

São fortes os comentários nos meios políticos e empresariais locais dando conta que a Vale teria comprado a Alcoa, que junto com a BHP Billinton e a Rio Tinto Alcan formam a Alumar. Instalada em São Luís em julho de 1984, a empresa é um dos maiores complexos de produção de alumínio primário e alumina do mundo.

Na íntegra aqui.

Sem Tugir Nem Mugir

Apanha que nem boi fujão o ex blogueiro Charles Alcântara, na caixinha de comentários do Post Derradeiro, quando encerrou seu polêmico e meteórico blog.

País do Futebol

A estrela sobe e a pedra rola

3.8.08

Negociando a Concessão

Pode estar mudando de mãos uma concessão de tv em Nova Déli, diz uma fonte do setor. O negócio envolve um político e uma construtora.

Intervalos de Confiança

A encomenda de um pequeno sindicato à um instituto de pesquisas desconhecido não necessáriamente gera resultados corretos.
Mesmo assim pode ser registrada no TRE, embora dificilmente alguém se dê ao trabalho de impugná-la.

Especialista

Não é verdade que Ulyses Manaças, coordenador estadual do MST, vai receber o título de Homem de Marketing do Ano da ADVB.

2.8.08

Verificando o Diário do Pará

Informações juradas de uma fonte do blog garantem que o Diário do Pará tem pouco mais de 30.000 exemplares de circulação líquida paga aos domingos e segundas. De terça à sabado, 20% a menos, em média.
Com todo o esforço de vendas, as assinaturas representam 10% das vendas do jornal.
Lucio Flavio Pinto se perguntava sobre esses números na semana que passou.
E O Liberal? Saberemos muito breve, pois a folha dos Maioranas está se refiliando ao IVC, o que deixará, pela primeira vez ao mesmo tempo, os dois maiores jornais da capital sob a verificação do instituto.
Quem sabe assim eles superam a fase dos agatanhos e exibição de presuntos, e correm atrás de melhorar o padrão editorial de suas publicações?

Sem Alterações

A Comissão de Licitação do Banco da Amazonia que examinou recursos e contra razões de três agências que participaram do certame da instituição achou por bem desconhecê-los, na presunção de que nada de novo foi incorporado ao processo, e manteve o resultado inicial.
Desta vez a Comissão tinha um membro da secretaria de Comunicação da Presidência da República.
O resultado já foi encaminhado ao presidente do banco, que deverá homologar o resultado.

IBOPE no Liberal

O Liberal vai publicar três pesquisas em Nova Déli, com o selo IBOPE/Rede Globo, como a emissora sempre faz em todas as capitais brasileiras.
A primeira sondagem estará nas páginas da edição do dia 16, ante véspera da estréia do horário eleitoral.

1.8.08

Mulher Comanda "Leão"

Segundo a Agência Estado, a nova secretária da Receita Federal, Lina Vieira, assume causando preocupações nas pequenas empresas, posto que foi adversária ferrenha da lei que criou o Simples.
Ainda de acordo com a AE, o UNAFISCO, o sindicato dos auditores da RF, saúda a posse de uma auditora de carreira no cargo, o que diminui o risco de politização do órgão.
Já as fontes planaltinas do blog dizem que a Corregedoria da Receita Federal não vai sentir saudades de Jorge Rachid.

-----

Atualizada às 6:23 do dia 2.

Estou tentando superar as dificuldades com as postagens.

Agressão Infantil

O cientista político e jornalista Leonardo Sakamoto tem razão.
A PEC 268/2001 que prevê a redução da idade mínima para o trabalho legal no país é uma aberração. Como quase tudo o que tem ou teve origem no decadente Partido Progessista.

Crimes de Tortura

Por Ricardo Noblat, em seu blog.

Alguma vez as Forças Armadas admitiram que a tortura a presos políticos foi adotada como política oficial de repressão durante os 21 anos de ditadura militar inaugurados no final de março de 1964?
Alguma vez os antigos chefes militares vieram a público defender a tortura ou os torturadores?
A resposta às duas perguntas é não.
A ditadura sempre negou que houvesse tortura nos porões dos quartéis ou nos aparelhos clandestinos montados para interrogar os que se rebelaram contra o regime.
Lembro-me que dom Hélder Câmara, na época arcebispo de Olinda e Recife, ganhou status de inimigo número 1 dos governos dos generais quando em maio de 1969, em um salão de conferências de Paris, denunciou a tortura a presos políticos no Brasil.
Por quase 10 anos, a censura proibiu a publicação de qualquer notícia a respeito dele. Afinal, onde já se viu difamar, caluniar e injuriar o regime do seu próprio país no exterior, atingindo-o com acusações tão graves e mentirosas?
Pois muito bem: se a tortura jamais foi praticada entre nós por decisão dos governos militares; se seus cabeças a abominavam como sempre disseram, por que não se pode julgar quem à revelia deles torturou e matou presos políticos entregues aos seus cuidados?
A ditadura argentina torturou e matou mais do que a brasileira? A chilena também? E daí?
Não importa se praticados pela esquerda ou direita, por fascistas, nazistas, comunistas ou capitalistas; não importa se muitos ou poucos - tortura, sequestro e morte por razões políticas são crimes contra a Humanidade. E como tal não prescrevem.
Para que jamais se repitam não podem e não devem prescrever.
Acusado pela morte de 8.000 homens muçulmanos em Srebrenica e pelas cerca de 12 mil mortes no cerco de 44 meses a Sarajevo na Guerra da Bósnia (1992-1995), o ex-líder sérvio Radovan Karadzic passou os últimos 12 anos foragido.
Foi preso na semana passada e será julgado pelo Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia.
Sadam Hussein, o ex-ditador do Iraque, responsável por massacres e um número incalculável de assassinatos, deveria ter sido preso e julgado por um tribunal internacional. Assim como o líder terrorista Bin Laden deve ser. Assim como Bush que continua matando iraquianos e afegãos inocentes.
Ou só existe terrorismo privado - de Estado, não?

No Planalto

Respirava o ar seco de Brasília, onde se encontrava ontem à noite quando publicou seu derradeiro post, o ex blogueiro Charles Alcântara.

Quem Disse Que Não Funciona?

No blog do Alaílson, que desce a ladeira no campeonato brasileiro.

A voz do povo

A ação civil pública por improbidade administrativa movida contra o prefeito de Alenquer, Cleóstenes Farias, foi induzida por denúncias feitas pela população ao email da ouvidoria do Ministério Público do Estado.

Agenda Amazônica

Tem atualização na página de Lucio Flavio Pinto na web.

Prêmios

Tem agência paroara na final do Prêmio Aberje 2008 de Comunicação Empresarial. Em quatro categorias. Numa delas com o programa de tv Sintonia, da Alcoa, produzido pela Amazon Filmes, veiculado em Santarém e região.

Merci

Com mais de 130% de crescimento em relação a julho de 2007, quando foram registradas pouco mais de 10.000 IP's únicos, o Quinta Emenda recebeu 24.678 em julho de 2008, o record do blog. Muitissimo obrigado pela audiência a todos que fazem o blog.
E vamos em frente.

Funtelpa Inaugura Novo Transmissor

No segundo dia do XXVII Encontro da Associação Brasileira de Emissoras Públicas Educativas e Culturais (Abepec), que está acontecendo na capital paroara, no Hangar, os dirigentes das principais emissoras públicas com atuação no Brasil deram o primeiro passo para a criação do Instituto das TV's Públicas do país, entidade que tem como objetivo gerar conteúdo que ajudará na organização das emissoras públicas e da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).
Hoje a Funtelpa inaugura seu novo transmissor para a Região Metropolitana de NovaDéli, com um show para convidados, no Hangar. O novo equipamento vai aumentar em mais de dez vezes o controle de manipulação, o que significa, na prática, melhor qualidade da transmissão, que chegará mais longe e com mais qualidade.
A mudança na recepção do sinal da TV Cultura será gradativa, já que a emissora optou por não retirar a programação do ar. Com isso, até o dia 15 de agosto todos os bairros de Nova Déli e Região Metropolitana estarão recebendo o novo sinal da TV Cultura do Pará.

Com informações da Ascom-Funtelpa

Apreensão em Parauapebas

Na caixinha do post que exibe a charge de Orlandeli, de ontem, o diretor presidente do Correio do Pará, Flávio Sacramento, denuncia e questiona os motivos a apreensão da edição do jornal pela juíza Eline Vieira, da 75ª Zona Eleitoral, que abrange os municípios de Parauapebas e Canaã dos Carajás.
Vale a pena ler a denúncia de Flávio, que buscou as informações sobre a impugnação da candidatura de Bel Mesquita (PMDB) à prefeitura do Pebas no site do TSE.
A mesma informação foi veiculada no Seventy, edição de ontem, e desmentida na edição de hoje.
Quem tabém ficou enrolado com a Justiça Eleitoral foi o prefeito Darcy Lermen (PT), que só encaminhou a ata da convenção no dia 5 de julho e teve sua candidatura impugnada pela mesma juíza.
Tem uma Zona Eleitoral trabalhosa a dra. Eline Vieira.

Em Casa

O companheiro de partido a que Charles Alcântara dedica parte da responsabilidade por convencê-lo a abandonar a blogosfera ( ver abaixo) é o presidente estadual do PT, João Batista, que lhe pediu para trazer os temas do blog para dentro do partido, reconhecendo que não o faziam.
Batista, inclusive, convidou Charles para fazer parte de um grupo de trabalho para levar as pautas do blog para a instância partidária.
Charles conseguiu seu intento.

Alcoa Frustra Convidados

Em Juruti Velho, representantes do Incra de Brasília e de Santarém, Ministério Público do Estado (MPE), Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), Iterpa, Associação das Comunidades da Região de Juruti Velho (Acorjuve) e moradores das comunidades próximas ficaram das 16h às 18h30, aguardando a chegada dos Diretores da Alcoa para uma reunião que havia sido convocada pela própria empresa. O atraso da empresa, que preferiu primeiro fazer uma visita à mina, causou desconforto e revolta nas pessoas presentes no local da reunião.
A comunidade decidiu não realizar a reunião por que, além de considerarem a atitude da empresa desrespeitosa, muitos estavam sem almoçar e iam enfrentar o Rio Amazonas com motores de rabeta à noite.
O encontro, convocado pela Alcoa, deveria servir para estabelecer um diálogo com a comunidade sobre o projeto de extração de bauxita na região, mas o pouco caso da empresa acabou revoltando os representantes das autoridades federais, estaduais, e a comunidade presentes.


Fonte: Assessoria de Comunicação do MPE.

01 de Agosto

Não há cadáveres na edição de hoje do caderno de Polícia de O Liberal. Há dois no caderno congênere do Diário do Pará.

Adeus, Charles

Acabou-se ontem o blog de Charles Alcântara.

Cadê Maria?

Voltou a faltar ao debate de ontem à noite- promovido pela TV Santarém (Band) - a prefeita Maria do Carmo, do PT.