28.7.07

Acabou-se

Do blogueiro José de Alencar, a notícia esperada que ninguém queria.

Lauande não está mais fisicamente entre nós.
Perdeu a batalha contra a morte, mas venceu a barbárie.
Seu martírio não será em vão. Onde ele agora está, a barbárie não o alcança.
Agora é dar força à família, respeitar o legado e continuar a sua luta pela democracia, pela paz, pela justiça, pela liberdade e por tudo que é belo neste mundo cercado de barbárie por todos os lados.

23 comentários:

Anônimo disse...

É, Juva. Este lugar não é para os bons. Pra nós que ficamos aqui, embasbacados com o desamor mundano e com a banalidade humana, não nos cabe questionar os desígnios de Deus. Somos pequenos demais para compreender a grandeza divina.
A duras penas vamos compreendendo que nada mais vale nesta vida do que o AMOR. O caro Eduardo Lauande, nosso Lau, foi um homem riquíssimo porque cativou muitos corações. Ele soube amar e ser amado como pouca gente consegue.
Na SEPOF, ele recebeu uma super despedida ao sair da Diretoria de Planejamento, em maio, por motivos de saúde. Na época, me chamou a atenção o tamanho do carinho q ele cativou nos colegas em apenas 5 meses de convivência. Ví uma galera disputando pra tirar fotos com o Lau, enquanto ele assistia a tudo sentado numa cadeira, com uma expressão mista de alegria e surpresa.
Sei que o Lau não é menos querido na sua família, entre os amigos, na UFPA ou entre o meio político. A sua despedida é dolorosa porque temos a certeza do amor que sentimos por ele.
Nós aqui, que tivemos o prazer de conviver com o Lau, choramos a partida dele porque somos tolos e egoístas, não o queríamos distante de nós. Mas sei que o dia de hoje será como aquele da saída dele da SEPOF: vai ser muito bem recebido para onde se dirige porque o céu está em festa!
Com profunda amizade,
Enize Vidigal

Juvencio de Arruda disse...

É molhado o abraço que te envio, Enise. E entendes porque.
Valeu o comentário.
Abs

Yúdice Andrade disse...

"Há momentos em que, qualquer que seja a posição do corpo, a alma está de joelhos." Não me recordo quem o disse. Não tenho mais a dizer.

crisblog disse...

Ai Juca...que sofrimento.

Que final de mês de julho trágico.

Juvencio de Arruda disse...

Eu imagino, Cris...conheço esse seu coraçãozinho coraçãozão.
Bjs

Juvencio de Arruda disse...

Yúdice, nem eu.

francisco rocha junior disse...

Estou em Salinas e acabo de receber a notícia sobre o Lauande de amigos comuns. Como certamente muitos daqui, não o conhecia pessoalmente, mas é como se assim fosse. Tínhamos um querido amigo em comum e desde antes da criação de seu blog já recebia seus textos por e-mail. Como disse o Yúdice em comentário que li aqui no Quinta, a notícia foi uma bofetada na minha cara, uma porrada pra calar a boca. Estou chocado. Paz à sua alma, que Deus console sua família e nos proteja desse mundo cão e dessa terra de ninguém.

Juvencio de Arruda disse...

Já estava com saudades de voce, Francisco, um dos nossos comentaristas cardeais.
Bom sabê-lo por aí, bem, e ligado...
Abs

Fábio disse...

É pela primeira vez que escrevo para este seu blog que acesso sempre, Juvencio. Porém eu tinha que descrever o que a minha família presenciou na noite da última quinta-feira, quando o Eduardo Lauande foi baleado em frente da casa da minha avó que também mora no conjunto mendara. A minha família ouviu os tiros e procurou se esconder em pânico, em uma cena que parecia acontecer no Rio de Janeiro. A minha tia, que era amiga dele da UFPa viu o corpo dele estendido no chão também.
Digo isso por que a Marambaia se tornou, como todos os cantos dessa cidade, uma terra sem lei. Somente nesta semana, eu fiquei sabendo de quatro assaltos com vítimas naquele bairro. Valha-nos quem, Juvêncio?

Fábio Nóvoa
Jornalista

Juvencio de Arruda disse...

Que pena que sua "estréia" aqui no Quinta seja motivada por tão arrasador acontecimento.
Que bom que sua chegada por aqui traga um testemunho (quase) ocular, jornalísticamente devastador.
Fábio, valha-nos...nos mesmos.
Bem vindo ao Quinta, apesar disso, e por tudo isso.
Que horror, hein?
Abs

Ivan Daniel disse...

Só tenho a dizer que é estranho demais os bons morrerem jovens...
Farei minhas orações.

Juvencio de Arruda disse...

Já já nasce uma nova luz, não é amigo Ivan?
E com ela, não mais conosco, quem sabe o sonho do mundo que quisemos, e não pudemos viver.
Abraço grande.

Anônimo disse...

O Estado, no Brasil (os três poderes corrompidos), perdeu a guerra. Triste país. Triste nação. Caminhamos para a vala da história, cavada pela corrupção, pela impunidade, pela omissão - tudo alimentado por uma imprensa safada (em nível local e nacional), que apenas alimentou, esses anos todos, tal estado de coisas. Tristes elites. Fim.

Anônimo disse...

Oremos, por Lauande e por todos nós.

Anônimo disse...

Mesmo sem conhecer, minha solidariedade à família e aos amigos. Este senhor é mais uma vítima inocente, não só da bandidagem mas, principalmente, da impunidade, da letargia das autoridades (?) e da ausência de leis draconianas para atirar essa corja no fundo do cárcere para sempre. E ainda é pouco, se é que me entendem.

Marcelo Medeiros disse...

Eu era leitor habitual do blog dele e apreciava a redação incisiva que traduzia sua inquietação com este nosso mundo-cão.
Se não era meu conhecido, tinha por ele a admiração por ser inteligente e ousado.
Agora morando em Sampa, fico triste pela continuidade deessa insegurança na nossa outrora pacata Belém.
Até quando, Juvêncio ?

Juvencio de Arruda disse...

Oi, Marcelo, quanto tempo!
Não sei responder à tua pergunta.
Pena, não é? A morte de Lauande, e a falta de respostas.
Boa sorte aí em Sampa, cidade onde morei quase 5 anos.
Abs

Yúdice Andrade disse...

Por favor, quem puder informar sobre o velório, avise. Gostaria de passar lá, mas não conheço a família e por isso não sei como obter a informação.

Val-André Mutran disse...

Resta-me guardar com muito carinho, um comentário que Lauande fez em meu blog e algumas trocas de e-mail.

Estou perplexo, chocado e revoltado.

Estou de luto.

JOSÉ DE ALENCAR disse...

Amigas e amigos.
Vamos homenagear o Lauande.
Ele está sendo velado na Capela de Santo Antônio de Lisboa, na Av. Conselheiro Furtado, próximo à Avenida Serzedelo Corrêa. O enterro será hoje, domingo, às 10:00 h, no Cemitério Max Domini I.
Lauande vive!
Viva Lauande!

Anônimo disse...

Estou de luto!
Um abraço forte Milene...

Clara

chicocavalcante disse...

Juvêncio,

não estava em Belém quando soube do falecimento do Lauande por um amigo comum. Fiquei paralisado, atônito. Uma tristeza incomum. A tragédia, por essa via, chegou a todos nós, invadiu a nossa casa e ceifou a vida de um irmão. A lição que fica é de que a barbárie vive nas sombras e nos assola; e é preciso combatê-la. Com vigor e inteligência, como Lauande viveu seus breves e radiantes 41 anos de vida.

Juvencio de Arruda disse...

Oi, Chico. Reagiste como todos nos, os (ainda) viventes "da roleta" que está a nossa cidade, o nosso país.
Coisa antiga, claro, que só piora um pouco a cada dia.
Mas vamos em frente,certo?
Valeu a visita.