28.7.07

Nota Embasada



Vai estar nos jornais de amanhã, mas se voce clikar em cima, vai ler em primeiríssima mão ( ui!, como diz o Ak ) o texto da nota, e perceber o tamanho da encrenca.

15 comentários:

Anônimo disse...

A licitação do Basa será, mais uma vez, empastelada. A primeira vez, há dois anos, foi empastelada porque uma agência que pertence a um parente do então assessor jurídico do Basa havia sido eliminada. Travou e acabou cancelada. Agora, esse disparate. Não existe "zebra" em licitação. Quando esse jabuti aparece em uma árvore, é porque alguém o colocou ali. Diante das gigantes do mercado, com seus portifólios cheios de prêmios (Mendes, Galvão, DC3, Vanguarda, CA, Verve), a Gama sagrar-se vencedora é um jaboti gigante colocado no topo de um arbusto. Joga a mancha da duspeita de ratoagem sobre o processo inteiro. A Abap tem mais é que impedir que essa patifaria vá adiante.

Juvencio de Arruda disse...

Huummm...quanta revolta.
Acalme-se e espere a decisão da justiça.
Enquanto isso tome um Dormonid, 10 mg...rs

Anônimo disse...

Juca, não sei quem é o anônimo acima, mas suspeito que seu sobrenome seja Mendes... hahahahahaha!

Anônimo disse...

Pior que não ganhar, é não saber perder.

Márcia Yamada

Juvencio de Arruda disse...

Não acredito, das 7:44.

Juvencio de Arruda disse...

Desculpe, das 7:44, mas não creio que Márcia Yamada assim se refira a ABAP.

Anônimo disse...

A ABAP tornou-se um reduto de recalcados que só serve para manter o status quo dessas agências que se estabeleceram através de contas públicas e não sabem trabalhar. Quando é a CA que ganha, tudo bem. Quando é a Mendes, tudo bem. Quando é a Double M, tudo bem. Quando é a Griffo, tudo bem. Quando é a Vanguarda, tudo bem. Quando é a DC3, tudo bem. Quando é a OMG (uma filial da Griffo que agora é filial da OMG), tudo bem. Mas quando é a Gama, não pode não.Por que? Por que essa reação raivosa? Ué, bando de manés, vão fazer o dever de casa!!!! Parabéns à Marcinha e ao Marcus Pereira. Agora esses aí vão ter que nos engolir!!!

Juvencio de Arruda disse...

Mas...será que vcs só sabem assinar comerciais?
Vcs tem meda de que, publicitários?
Da ABAP?
Do mercado, meninos?...rsrs.
Alguém aí acha que a conta do BASA, seja quem levar ou perder, vai mudar o status quo?
Mas o pranto é livre aqui no blog, onde todos estão ou chorando ou babando.
Continuem mostrando-se aos clientes, all of you...rsrs.

Anônimo disse...

Salve, salve Juve : eu por aqui novamente, só para lhe dizer que no Claudio Humberto de hj, uma notinha afirma que sobre esse anuncio da ABAP, um matutino não publicou, devido o grande Marcus Pereira, ser assim, assim, com o Dono..Será mesmo ? e eu pensando que o DP tinha se libertado dele, he he he ...Saudações, do Mediador de Emoção,

Anônimo disse...

O Diário,primeiro no Ibope, não publicou o anúncio da Abap. O choro ficou resumido ao Quinta e ao liberalzinho.

Anônimo disse...

Juca, é fácil entender todo esse ranger de dentes: só há três grandes grupos de contas aqui. 1. As contas públicas regionais (PMB (DC3), Alepa (Fax) e cidades de médio porte, como Parauapebas (?), Santarém (Vanguarda) e Marabá (OMG), e o grande Governo do Pará (?), que somadas chegam R$ 88 milhões; 2. As grandes contas de varejo (na ordem, Lider (Galvão/Mendes), Yamada (Borges, Gama, Castilho, Mercúrio), Formosa (Vanguarda) e Nazaré (Norte), que somadas chegam a R$ 42 milhões; 3. As contas públicas federais de base regional (Basa (12 milhoes) e Eletronorte(600 mil), que somadas chegam a R$ 12,6 milhões. Este é o mercado publicitário do Pará. Esqueça esse monte de empresazinhas que vc ve na TV ou nos jornais. Tem muita permuta aí, muita mídia grátis, muita amizade e pouco dinheiro. Nenhuma dessas pequenas contas, mesmo de escolas e faculdade, mantém uma agência. Assim, o resto é resto. Tem um grupo de agências "em disputa" pela "conta" da Vale do Rio Doce regional. Disputar essa conta é a prova de que o mercado está mal. A Vale faz um programete de um minuto por mês, investindo R$ 30 mil em produção e o equivalente a isso em exibição e patrocínios. Merreca. Esmola. Não dá pra pagar a conta da água, telefone, internet e luz elétrica de uma agência média. Então, a disputa do Basa é uma disputa que pode valer a vida de uma agência. Para a Mendes, perder o Basa significa perder sua maior conta (a segunda maior conta da agência é a do Magazan). A agência do baluarde da propaganda no período da ditadura recicla-se para parecer confiável ao governo vermelho de Ana Júlia, a quem Oswaldo Mendes execra. Aliás, dos petistas sempre disse que preferia os piolhos. Mas agora, os piolhos tem a grana que ele precisa para continuar onde sempre esteve. Esse ranger de dentes, Juca, é salutar. Mostra que tem gente aí que ainda consegue sentir algo. Nem que seja dor.

Glaucolino, um amigo.

Anônimo disse...

Juvêncio Arruda, quem acha que licitação de publicidade é o paraíso da análise fria da técnica, deve radicalizar o seu conselho, tomar seis caixas de Dormonid e ir ao encontro de Jesus. Licitação pública de publicidade é um outro nome que se dá para bandalheira. Alguém acha, sinceramente, que a Gama "ganhou" tecnicamente a conta do Basa? Veja o que aconteceu com a licitação da Alepa, uma conta pequena comparada com o Basa: houve arranjo e deu Fax (conforme todo mundo já afirmava) e Double M, ou seja, o grupo da governadora impôs a sua agência (é ocioso recontar aqui a historinha da transformação desses meninos Moreiras e Leais em petistas e da relação, hoje marital, entre a OMG tucana e a agência da construtora que ajudou a financiar a campanha da governadora). Alguém achou que poderia ser diferente? Havia, sim, propostas mais consistentes ali nos envelopes. Mas quem leu? No Sebrae, deu a agência que mantém um escritório privado em suas instalações para o uso exclusivo da esposa do presidente do capítulo regional do Sebrae. Alguém acha que houve escolha técnica? Alguém acha que a licitação para a escolha da agência do governo do Estado não sai por que? Por que a comunicação da governadora é boa? Não, é porque o arranjo para acomodar a Double M já se deu e isso adia sine die a renovação da conta, que tornou-se, por assim dizer, desimportante. Então, é melhor mudar de tema, porque eu, particularmente, cansei. Dessa lama fétida, eu cansei mesmo!

Osmar Freitas, jornaleiro.

Anônimo disse...

Huuu...até parece que levaram mesmo a conta...a licitação vai melar...até dentro do Banco as cabeças já começaram a rolar...quando que uma Gamma da vida que só existe por causa de um varejo ridículo trazido por uma das sócias vai ter condição de atender conta de verdade...lenda isso...e mané eu acho que é você, senhorita recém formada...bem que o Doda disse...bando de recém formados...aguardem e verão...vai melar bonitinho...das 16 agencias, 8 entraram hoje com recurso...só pra adiantar aqui pro blog...e não por dor de cotovelo...e SIM, pela GAMMA de trabalhos mixurucas que essas duas agenciazinhas apresentaram...sem falar na falta de planejamento de mídia, anuncios 2x10, 3 tipos de uma só peça (outdoors, na proposta estava claro: um modelo pra cada peça), preços de varejo na mídia...e por aí vai a falta de competencia das "vencedoras"...c3mentes...

Anônimo disse...

A peça foi feita na Mendes. Bom, é a história do feudo, quem está não quer sair. Acho que Belém cresceu, a Gamma e a própria sim são agencias novas, mostram trabalho - a primeira atendendo a Yamada e Oplima e a segunda a Big Ben. São ou não campanhas vitoriosas?
Bom, sobre nome em dias atuais deveria valer nada...

Anônimo disse...

Nesse caso da licitação do basa não é meda, Juca, é merda mesmo..