31.7.07

Only For Women

Não é verdade que o Sobrancelhudo veste Prada.

-----

Çairé Aparelhado

Já começou a contenda pela organização e financiamento que todos os anos antecede a bela festa mocoronga. Este ano tem novos interesses na parada. Para dois bôtos, o Tucuxi e o Cor de Rosa, tres pretendentes ao comando da festa podem aparecer.

-----

Priiii!

O blog do Alaílson confirma a nota de ontem do Seventy. Tem mais gente do finado Priante derrapando, desta feita no DETRAN.
É que eles não atenderam ao silvo Pare!

-----

600 %

O Diário abre manchete: a Policia Civil vai investigar a construção da Estação das Docas. Na mira, o ex governador Almir Gabriel, o ex secretário de Cultura, Oscar Nie..oops, Paulo Chaves, e o ex presidente da CDP, Carlos Acatauassú.
Suspeita de superfaturamento. Certeza de confusão.

-----

Pegou no Empurrão

Nunca o MPE paroara trabalhou tanto.

-----

Bis

Não há nada de nôvo na entrevista da governadora Ana Julia ao G1. Os mesmos vacilos continuam merecendo as mesmas respostas, não existem outras.
E para acabar com o chororô pós publicação, o blog acha que a gov poderia pedir as perguntas por escrito, e deste jeito respondê-las. Assim acaba também o nhenhenhen das patrulhas, de todos os lados.

-----

Hora Extra

Trabalha com muito afinco a COMUS da prefeitura de Nova Déli.
E ainda conta com a boa vontade dos jornalões.
Mas enxugam gêlo. O caso é perdido.

-----

Pera Lá!

O ministro Jobim já pegou uma meia trava pela frente. O brigadeiro da Infraero caiu. Mas a diretoria da ANAC fica até 2011...na cabeceira da pista.

-----

Uns e Outros

O blog registrou com simpatia a nota do governo do Pará pela morte de Eduardo Lauande. Mas a UFPA ficou devendo nessa.

-----

Antes da Praia

Parece que o Cansei ficou na arrebentação.
Rede Globo e Band recusaram-se a dar gratuidade aos vt's da campanha. Entenderam que ela não se enquadrava nos parâmetros de ações sociais, de filantropia e de cidadania necessários para tal.

-----

Tucano Cassado

Foi o governador Cássio Cunha Lima, na Paraíba. Excedeu-se nas eleições...eheh. Segundo o MPE, Cunha Lima mandou distribuir 35 mil cheques de R$ 150 e R$ 200 durante a campanha eleitoral do ano passado, caracterizando abuso do poder econômico.
Vai ver que ele não conversou com os advogados de Jatene, que seguraram a onda até o fim.

-----

Sangue no Jeová

Uma juíza, em Salvador, mandou o hospital bombear sangue nos canos de um testemunha recalcitrante. O mesmo artigo da Constituição, o quinto, que garante o direito à liberdade de crença, garante que ninguém pode ser privado de direitos.
Coitado. Se morre, vai pecador. Se sobrevive, vira penitente.

-----

Rasgando a Fantasia

O blog começa a desconfiar, pela deselegância da grande maioria dos comentários nos posts que tratam da licitação das agências do BASA, que quase todos perderam alguma coisa no imbroglio.
Mas o mercado ganhou, ao conhecer melhor quem quer ou quis tomar conta de suas contas.

-----

Às Férias (Parte 3)

Quem parte, leva
Saudade de alguém...


( Quinta ou sexta modero os comentários, e volto na segunda, 6 )

30.7.07

Dois Lados

Voce Cansou?
Então leia aqui uma opinião de quem não cansou.

3162

Não, não é o milhar do bicho - Leão, por sinal - que saiu agora, na extração da Paratodos das 15:00 horas.
Nem o número de nenhum vôo cancelado da TAM.
É só o número de faltas não justificadas dos deputados no Congresso Nacional entre 2003 e 2007. E o número pode subir nesta legislatura.
São os bichos voadores dos recursos públicos.
Leia mais aqui.

Lugar Certo

A governadora Ana Julia escolheu sua passagem por Santarém, no final de semana, para anunciar o bilhão que vai entrar para obras em grandes cidades paroaras, na Pérola inclusive.
Não foi à toa que estava ao lado da subprefeita Maria "Databrain" do Carmo.
É que precisadinha Maria está, de um calorzinho.

-----

E foi no calorzinho maravilhoso de Alter do Chão que a gov passou o final de semana, sossegada que ninguém é de ferro.

Que Poço!

Nem só de belas calipígias sobrevive O Liberal.
A matéria de capa do caderno Esportes da edição de hoje mata as saudades dos textos de um camisa 10 do jornalismo paroara, Paulo Silber, editor-executivo do jornalão.

Bola Rolando!

A blogosfera apronta mais uma: o blog do Lauande voltou ao batente!

É Êle!

O blog cometeu um erro no post A Pedra No Caminho, de ontem.
Não é a deputada estadual Bernadete ten Caten (PT) que se movimenta para ser a candidata petista a prefeitura de Marabá no ano que vem, mas seu marido, Luis Carlos Pies, atual secretário-adjunto da secretaria de Planejamento do Pará, onde é um dos responsáveis pela implementação do PTP, o Planejamento Territorial Participativo.
Filósofo, pedagogo e advogado, tem larga experiência como professor e educador propular, e trabalhou por longos anos na Fase e na CPT, no Sudeste do Pará.
Tem experiência na política também.
Foi candidato a prefeito de Marabá em 1996; candidato a vice-prefeito do mesmo município em 1988 e 2004; candidato a deputado estadual em 1998; e eleito vereador de Marabá para o mandato de 2001 a 2004.
Luis Carlos é um dos fundadores e dirigente do PT em Marabá, além de ter integrado a direção estadual da legenda.

----

No resto, o post anterior está de pé.

Lula Cá

Lula vem a Nova Déli na próxima quinta-feira, 02, para anunciar um investimento de R$ 1 bilhão em obras de saneamento e habitação.
Os recursos vão para Marabá, Santarém, Castanhal e Região Metropolitana de Nova Déli. Serão R$ 630 milhões em habitação e R$ 340 milhões em saneamento.
Ao lado de Lula vem a ministra Dilma Roussef.

Sinal Vermelho

A vinda da ministra Dilma está deixando o prefeito Duciomar Costa se pelando de meda.
É que ele levou uma senhora chamada, na segunda que passou, na frente de todo o alto escalão do ministério, e dos prefeitos paroaras.
A bronca teve um motivo preciso: o irresponsável abandono das obras de macrodrenagem na bacia do Tucunduba, com desperdício de recursos e de investimentos anteriores.
Ao final da bronca a ministra, com sua habitual ironia, perguntou ao vergonhoso elemento se ele topava mesmo passar a obra do Tucunduba para a gestão do governo estadual.
O falso médico balançou a cabeçorra afirmativamente e, com um fio de voz, disse que sim.
Ana Julia quer aproveitar a obra e revitalizar o bairro da Terra Firme, que abrigará a Esplanada do Fórum Social Mundial, em 2009.

-----

É cada vez mais indisfarçável o contrangimento que causa a presença deste prefeito de Nova Déli nos eventos que envolvem autoridades regionais e nacionais.
Isto é um péssimo sinal.

Histórias de Quadrilhas

Uma interesante história de chantagem contra a família Sarney, postada aqui, no blog do jornalista Walter Rodrigues, mas pinçada da mais nova edição do Jornal Pessoal, de Lucio Flavio Pinto, conta mais uma página da conturbada história de crimes do nacional Paulo Castelo Branco, condenado duas vezes pela Justiça Federal por extorsão.
Castelo é o mais importante assessor de Duciomar Costa, o alcaide tristemente famoso pelo exercício ilegal da medicina - escapou da cadeia graças ao odioso princípio da prescrição - e alvo de vários processos, atualmente, pelo Ministério Público Federal por improbidade.
Ducimar apareceu ontem, em O Liberal, praticando seu esporte predileto: o ilusionismo.
Tentou faturar em cima do Forum Social.
Não colou.

Brasômbia

Autoridades da segurança no estado, em off, admitem que a situação continua crítica. E nem poderiam dizer o contrário.
Com toda a melhoria no nível da atual gestão da segurança pública - que não anda em salão de beleza, enrolada em graves denúncias de improbidade, nem passeando com lulus - o setor vai continuar sendo um foco de tensão para o governo.
O blog acha que não demora muito essa conta vai começar a bater na porta da governadora.
Ela que não se prepare...

Pernada

Pode ter chegado até o Pará a área de atuação de um famoso golpista maranhense.
É o que informa o blog maranhense de Décio Sá, citando a coluna de Elio Gaspari, publicada em O Liberal
Quem teria caído no conto do vigarista por aqui foi a Castilho Propaganda. Prejú de R$ 15 mil.

29.7.07

Até 2008

Ainda no campeonato paroara este blog se pronunciou a respeito da performance da diretoria do Paysandu. Levantava a hipótese de que a torcida, pelo andar da carruagem, ainda iria sentir saudades do ex presidente, o notório Artur Tourinho.
Com a desclassificação logo na primeira fase da terceirona, começa a saudade, que pode até não ir tão longe. Afinal, Papão que é bom, só no ano que vem.
Mas deve ser por isso, também, que as contas do nacional na presidencia do clube poderão, enfim, ao que se comenta, ser investigadas pela diretoria atual.
Tempo não lhe faltará.

Dilemas do PTP

É ilustrativa das limitações em que está prisioneira a sociedade paroara - e dos riscos que correm os responsáveis pelo PTP em coonestá-la - o resultado das demandas apresentadas pelas lideranças comunitárias de Salvaterra.
Segundo despacho da Agência Pará, entre 12 propostas iniciais elaboradas pelos grupos de trabalho, o asfaltamento e a ampliação de ruas vicinais na sede e nas vilas do município foram as mais votadas, com 76 votos representados.
130 cidadãos estavam presentes na reunião.

-----

Salvaterra é um município que não possui coleta regular de lixo fora da sede. Não existe saneamento, esgotamento sanitário. Animais são criados soltos pelas ruas do interior, com base no entendimento de que "de dia tome conta de sua plantação, e de noite de sua criação".
Registra casos de leishmaniose e filariose - na sede e nas vilas - além de malária e dengue, endêmicas na área.
O transporte intramunicipal é caótico. Os concessionários de serviços prestam atendimento deficiente, sem sanções por parte da prefeitura.
Não raro as crianças que moram fora da sede deixam de ir a escola por causa do transporte.
O poder público municipal, em algumas vilas, não tem um agente ou representante.
O resultado? Os bares dominam o cenário, submetendo as comunidades a longas jornadas de poluição sonora.
Os serviços de comunicação e energia elétrica são deficientes.
Equivocaram-se as lideranças ao dizer que a população sofre com a falta de asfalto. As vias empiçarradas, salvo nos momentos de pico de invernos muito rigorosos, atendem a demanda de tráfego e o escoamento da produção.
A construção da ponte sobre o rio Paracauari, largo e profundo, e sem rebatimentos socio economicos até no longo prazo, é uma viagem de ácido. A do Camará, não.
Espera-se que o governo do estado não escolha o caminho mais curto, embora o asfalto seja mais barato, e concentre-se na discussão e atendimento aos valores mais elementares a cidadania: as prioridades menos votadas.
Declarando que "a comunidade sabe o que quer", o coordenador do PTP na região bem que poderia fazer uma reflexão - longe de preconceitos e do clima agradávelmente cálido das assembléias - ponderando a historicidade de práticas que levam as comunidades à inversão de suas prioridades.
Sim, o resultado pode trazer alguns solavancos ao processo, mas solidifica a construção de uma relação dialógica com as comunidades, e valoriza a respeitável metodologia escolhida para discutir as suas demandas.

Piada Nova



No blog do Noblat, a propósito desta declaração do presidente, que segue fazendo graça.

ACP e a Divisão do Pará: Gol Contra

Quase deu prá ouvir aqui em Nova Déli as risadas do deputado federal Giovani Queiroz (PDT-PA) com as asneiras proferidas na entrevista do presidente da Associação Comercial do Pará, Altair Vieira, publicada na edição de hoje de O Liberal.
Ao investir contra o caráter supostamente forâneo do movimento - equivocada estratégia mesmo se fosse verdadeira a afirmação - Altair incorre no mesmo erro da segregação e preconceito que marca algumas posições em defesa do esquartejamento do estado.
Ou Altair desconhece, por exemplo, que seu maior companheiro de comércio na região - e associado da ACP - o empresário Leonildo Borges Rocha ( Grupo Leolar) é paraense e o maior incentivador privado da causa separatista?
Aliás, a reação das seccionais interioranas da centenária corporação foram enfáticas em descrendenciar as posturas da matriz, o que revela, entre outros fatores, a ausência de uma costura política mínima, tão necessária ao momento.
Desconhece ainda a estratificação demográfica da região, onde a sensação de paraensismo tem sido diluída há pelo menos duas décadas.
Não são os indicadores economicos e sociais atuais, ou suas séries históricas , o mais inteligente e defensável argumento a se apoiar na defesa da integridade do território paraense.
São os desenhos e cenários do futuro, com base nas tendências atuais, acrescidas da percepção da incorporação cada vez maior e mais rápida da economia regional à economia mundial, e a valorização da diversidade ambiental e cultural enquanto fatores que contrarrestam a entropia ( viu, Parsifal? ) os caminhos privilegiados para sanear o debate.
Não é possível admitir que a ACP se manifeste com tamanho amadorismo na questão.
Ponto para os esquartejadores, infelizmente.

Esfregando na Cara

Lauande era baixinho, mas brabo. Falava alto. Quando encontrava um amigo, num supermercado por exemplo, gritava logo "Ei Fulano!"
Certa vez um irmão dele andou levando uns sopapos da Brigada Cabana - uma falange de cunho fascistóide que medrava naquela época - na saída de uma daquelas assembléias/catarse dos velhos ( e saudosos, né pessoal?) tempos do PT.
Lauande descobriu que por trás das cortinas estava o ex secretário de Educação de Edmilson na prefeitura de Nova Déli, o nacional Luís Araújo, mais conhecido como Canetão.
Pouco tempo depois encontraram-se no hall de um hotel em Abaetetuba, Lauande acompanhado de um primo apelidado de Pezão.
O falecido deu-lhe um tapa nas costas, naquele limite entre o cumprimento e a porrada. Medroso conhecido, Canetão tentou minimizar, ao que Lauande, por duas ou tres vezes, esfregou-lhe a mão espalmada na cara, ainda naquele meio termo, e disse-lhe o diabo.
O dono do hotel ainda tentou sair de trás do balcão, a exigir respeito no ambiente, mas Pezão, até então quieto no canto, adiantou-se e avisou: "Não se meta".
E o cara voltou, convencido.
Canetão, trêmulo, ouviu calado a dura de Lauande.
E nunca mais frescou com ninguém da família.

----

Canetão foi visto diversas vezes em meio aos dejetos que ocuparam a UFPA no mes passado. O nacional, que - pasmem! - foi presidente do INEP no início do governo Lula, é um dos símbolos de parte dos problemas que Edmilson vai enfrentar na campanha, principalmente se tentar voltar em companhia de gente como a assoreada Neide Solimões e outros afluentes mais rasos ainda.

-----

Pessoal, o corpo de Eduardo André Risuenho Lauande está sendo velado, neste momento, na Capela de Santo Antonio de Lisboa, em Batista Campos, ( entrada pela Av. Conselheiro Furtado) de onde sairá ás 10:00 para o Cemitério Max Domini.

A Pedra do Caminho

O pessoal da deputada estadual Bernadete ten Caten (PT), primeira colocada na legenda com mais de 36 mil sufrágios, trabalha incessantemente na estratégia de sua candidatura para a prefeitura de Marabá no ano que vem.
Não tem acordo possível com o deputado federal Asdrúbal Bentes (PMDB) - seu de rancho na bem sucedida dobradinha em 2006 - em que pese o som cada vez mais abafado do trombone nefasto do Sobrancelhudo; não tão nem aí pro preferido do prefeito Tião Miranda, que corre o risco de amadurecer no cacho , tais as copas em que se fecha; e acham que os outros pretendentes não são páreo para Bernadete.
Preocupação dos vermelhinhos? Ah...tem uma sim.
Chama-se João Salame, deputado pelo PPS e minhoca, ou seja, filho da terra.

----

Mas falta combinar essa parada com o cuore da coalizão: a governadora Ana Julia e o nacional Jader Barbalho.
Marabá é absolutamente estratégica prá sobrevivencia do nefasto, que vai desprender todo seu estoque de enxofre para garantir essa vitória.

Tragédia Anunciada

Do Estadão.

A história é a de uma reunião de emergência ocorrida em 28 de dezembro. Motivada pela série de incidentes com aviões no maior aeroporto brasileiro, ao longo do ano, dela participaram representantes do Cenipa, Anac, Infraero e ainda das companhias aéreas. O militar relatou ter dito então: “Tudo leva a crer que teremos um acidente em Congonhas.”

Leia o atestado de sem vergonhice do governo aqui.

Justiça? Deixa Prá Lá...

No Seventy, edição de ontem de O Liberal.

Poluição

O veraneio está chegando ao fim e nesses 30 dias as barracas que promovem shows com bandas na Praia do Atalaia ignoraram solenemente liminar da Justiça Federal que proíbe a cobrança de entrada de veranistas. A prefeitura tampouco coibiu.

Parolagem

No caderno Cidades da edição de hoje da folha sobrancelhuda, a manchete:

Vereadores querem semestre mais produtivo.

A gente quer que o semestre tenha vereadores mais produtivos.
Mas não tem muita esperança não.

28.7.07

Para Onde Ir?

Acabo de dar uma olhada nos jornais de amanhã. Quase vomitei.
Fazia tempo não via tanta exibição explícita de ignorância, patifarias, jabaculês, achaques e outros delitos mais.
Contra o consumidor, contra o leitor, contra a cidadania.
Parafraseando Stanislaw Ponte Preta, chegaram ao limite da ignorância, e não obstante, prosseguiram.
Da desastrosa entrevista de Altair Vieira, presidente da Associação Comercial do Pará, passando pela punição do CONAR à usina de fraudes que é este covil chamado O Liberal, terminando com o cinismo da entrevista de Duciomar Costa, onde a editora vislumbra uma Nova Déli "nos trinques" para o Forum Mundial.
Um desfile de circo dos horrores do medievo, se apresentando para a cidade.
Amanhã tem peia em todos eles.
Boa noite.

Luz, Quero Luz...

Mas...eu ouvi o miado de um gatinho, ou foi impressão?

Nota Embasada



Vai estar nos jornais de amanhã, mas se voce clikar em cima, vai ler em primeiríssima mão ( ui!, como diz o Ak ) o texto da nota, e perceber o tamanho da encrenca.

Acabou-se

Do blogueiro José de Alencar, a notícia esperada que ninguém queria.

Lauande não está mais fisicamente entre nós.
Perdeu a batalha contra a morte, mas venceu a barbárie.
Seu martírio não será em vão. Onde ele agora está, a barbárie não o alcança.
Agora é dar força à família, respeitar o legado e continuar a sua luta pela democracia, pela paz, pela justiça, pela liberdade e por tudo que é belo neste mundo cercado de barbárie por todos os lados.

Num Minuto Eu Te Falo

Juca,
num dia desses,num bar da cidade,encontrei o Edmilson e obviamente que trocamos algumas figurinhas sobre eleição.
Ele me disse com todas as letras que não é ingênuo a ponto de acreditar que conseguiria se reeleger (sic) num partido como o Psol,que tem apenas 1 minuto de televisão e rádio.Deixo pra vc a análise das palavras do Ed


Este comentário anônimo, postado ontem na caixinha do lapadão Revirando o Lixo, se verdadeiro, pode ter sido uma boutade de Edmilson, um recôndito desejo do anônimo em vê-lo voltando ao seu aconchego petista, ou, no limite, uma declaração sincera do professor, arquiteto, ex deputado mordedor de dedos, e ex prefeito de Nova Déli.
Pessoalmente fico com a primeira hipótese.
Decerto há um pêso relevante, na definição das chances eleitorais, no tamanho do tempo de mídia eletrônica numa campanha majoritária, e só nela.
Mas uma campanha não se resume a isto, prova-o o desempenho de Ademir "CDP" Andrade - um minuto e meio no horário eleitoral - nas eleições de 2002 ao governo do Pará, quando só foi ultrapassado por Maria "Databrain" do Carmo na reta final do primeiro turno.
Num espaço municipal, onde eleitor e candidato estão muito mais próximos, cresce o pêso relativo de outras variáveis como 1) o poder de mobilização ( o PSOL tem ), 2) o recall do candidato ( Ed lidera as pesquisas) , 3) a avaliação de quem o sucedeu ( Duciomar tem 70% de reprovação), 4) a densidade de outras candidaturas que disputam a mesma faixa politica ( até o momento o Airbus petista não apresenta uma candidatura naturalmente densa, e o PMDB e o PSDB estão em frangalhos), 5) a conformação inicial da disputa ( já com indicações de polarização com Valéria Pires Franco ), 6) o potencial de alianças da legenda ( um grande obstáculo ao PSOL), 7) la plata ( outra bronca para o PSOL) e, por fim, a 8) a criatividade da campanha ( sempre um desafio) e 9) a performance nos debates eleitorais ( onde Ed nada deve a ninguém)
Acho difícil, no panorama atual, que ele fique fora do segundo turno, considerando a combinação das vantagens e desvantagens de sua candidatura.
Aí, mermão, numa eleição plebiscitária, os dois candidatos terão o mesmo tempo de mídia eletrônica e, de novo, a combinação das variáveis acima.
Quando, e se, ele chegar lá, a gente volta a especular.

Zé Finí

Na avaliação de experiente raposa da política paroara, a carreira do ex deputado José Priante (PMDB-PA) sofreu sério revés com a vassourada ocorrida nos arraiais na Sespa.
Considerado o operador número 1 do Sobrancelhudo, desde o ano passado as diferenças na esfera política vinham se acentuando.
Passada a sofreguidão a que se entregou após as eleições, quando espalhava constantes boatos sobre supostas nomeações - de ministro dos Transportes à presidente da Funasa, qualquer paixão lhe divertiria - Plutão, seu codinome aqui no Quinta, entra em eclipse da cena polítca nacional e regional.
A raposa observa que ele ainda poderá disputar, com chances de sucesso, um mandato de vereador na Câmara de Nova Déli no ano que vem, de onde poderá continuar no varejo da política municipal.
No atacado, só a noite e nada mais, como escreveu Edgar Alan Poe em O Côrvo.

Relações e Discrepâncias

Sobre o imbroglio da licitação da conta publicitária do BASA escreve Doda Vilhena, publicitário parorara que mora em São Paulo.


Todo mundo sabe que licitações como essa envolvem decisões baseadas majoritariamente em relações pessoais e políticas, sejam elas de natureza nobre ou espúria. Quem disser o contrário é ingênuo ou hipócrita. Atitude correta? Provavelmente não, ainda mais porque envolve dinheiro público, mas atire a primeira pedra o dono de agência local que nunca tenha se beneficiado de esquema semelhante ou que não sonhe em ter o sogro com poder de decisão em um processo do tipo.
Durante sete anos, trabalhei em algumas das maiores agências da cidade e convivi de perto com dezenas de profissionais que atuavam em outras das mais conhecidas. Posso afirmar que nenhum lugar me respeitou tanto como profissional e em nenhum outro vi tanto zelo pelos clientes como na Mendes.



E Marcel Chaves.


O maior questionamento não é quem ganhou, e sim das notas tão desproporcionais com o portfolio das agências, história e, claro, material apresentado. Licitação da Petrobras (cancelada), Banco do Brasil, Caixa e outras tiveram e/ou têm questionamentos. Isso não acontece só aqui. Quem perdeu não foi só a Mendes foi o mercado, na concorrência do Banco 3 agências "possiveis" de classificação 2 são do estado e uma do Amazonas, das 13 DESCLASSIFICADAS 11 SÃO DO ESTADO, diferentemente das outras concorrências isso não acontece, a disputa é pau-a-pau, acirrada. Entre os trablhos apresentados na concorrência não existem um abismo tão grande entre os primeiros e os 13 DESCLASSIFICADOS

Voce pode ler a íntegra dos comentários na caixinha do post "Agências" do Basa, postado na quinta, 26.

Tom Maior

Música paraense, da MPB ao heavy, é a praia do mais novo blog paroara, do Edvaldo Souza.
É o www.musicaparaense.blogspot.com , que divulga a produção das liras paroaras ou aqui radicadas.
Delícia de blog. Vá lá!

27.7.07

Porque Amanhã é Sábado

Amanhã tem um post analisando o futuro ( é, ainda tem ) do ex deputado José Priante; as chances eleitorais de Edmilson Rodrigues "versus" seu pequeno tempo de tv - preocupação de um anônimo levantada em comentário aqui no blog; uma dica de blog sobre música paroara, e opiniões interessantes sobre a licitação do BASA pinçadas e comentadas por gente do ramo.
Além do que ocorrer, é claro.
Agora vou tomar um goró para estabilizar minha Pressão Arterial Média, ou o que o valha.

Lauande Resiste

Melhora da pressão arterial (utilizando menores doses de drogas vasoativas) mas ainda com muito desconforto respiratório, necessitando de curare (bloqueador neuromuscular utilizado para paralisar a musculatura respiratória) para se manter estável no respirador.
Pela manhã, necessitava de 50 ml/h de noradrenalina para manter boa Pressão Arterial Média (PAM).
No momento, utiliza apenas 15 ml/h.
Ainda grave, a despeito da pequena tendência de estabilização.


-----

Informações das 18:30 horas, repassadas ao blog por e.mail, de um médico irmão que acompanha o caso de perto.

Madura

A diretoria da Anac subiu no telhado.

Tristeza

É gravíssimo o estado de saúde do blogueiro, sociólogo e professor da UFPA Eduardo Lauande, 41, baleado na porta de sua casa ao proteger a esposa de um assalto, no final da manhã.
Um único tiro atingiu-lhe o úmero e daí, numa incrível trajetória, perfurou um dos pulmões, os intestinos grosso e delgado, o pâncreas, e um rim.
Submetido a uma nefrectomia no Hospital Metropolitano, Lauande está em estado de choque, com severas restrições hemodinâmicas e respiratórias.
As próximas 72 horas serão decisivas.
Lauande foi diretor de Planejamento da Sepof até a saída de Carlos Guedes, em junho passado.

-----

Não tenho palavras para expressar minha dor diante de tão arrasadora notícia.

-----

Atualizada às 15:30.

Eduardo Lauande trabalhou na implementação do PTP em sua primeira e decisiva fase. Acompanhou as reuniões nas principais cidades do estado nos meses de março e abril.
Na reunião de Castanhal sentiu-se mal e foi levado ao hospital daquela cidade com a pressão fora de controle. Após algumas horas, retornou a Nova Déli. Ao final da noite, voltou a ser internado, quando foi diagnosticada uma séria arritmia cardíaca, obrigando-o a se afastar de funções antes da saída de Carlos Guedes.
Lauande é filiado ao PPS. Militante do antigo PCB, Eduardo é Mestre em Sociologia pela UFPA.

-----

Atualizada às 17:50.

Lauande deu entrada no HM no final da madrugada. Resiste há mais de 12 horas, e já recebeu 6 bolsas de sangue.

Fôlego

A viagem da governadora Ana Julia ao Oeste paroara pegou de surpresa, por assim dizer, a turma de lá. Além da pauta conhecida - o Congresso da Cidade, em Santarém, e o encontro do PTP em Almeirim - tem gente que acha que ela foi dar uma olhada na situação do Hospital Regional e nos problemas dele advindos.
Tem outros que acham que ela quis dar um tempo nas pressões da capital.
E há os que apostam que ela vai aproveitar o último finde das férias e dar uma esticada até Juruti, prá sacudir o esqueleto, de leve, claro, no Festival das Tribos, a maravilhosa festa da cidade.
Nada nada ela aproveita o clima mais ameno que começa a balizar a relação da Alcoa com as comunidades de Juruti Velho, e conversa com o prefeito petista e movimentos sociais da cidade limítrofe das terras paroaras.

O Ronco da Cuíca

Com base na assessoria jurídica da advogada Helena Zóia, considerada a maior autoridade brasileira no contencioso da propaganda, 13 agências paraenses vão entrar na Justiça contra o BASA por causa da licitação que as desclassificou do processo.
Nos jornais de domingo a ABAP, capítulo do Pará, vai publicar uma nota se posicionando com veemência sobre o imbroglio.

Educação que Vale

É a Galvão a vencedora do certame que escolheu a agência que atenderá a Vale do Rio Doce. As empresas que participaram do processo foram comunicadas ontem à noite, através de um gentilíssimo e.mail.
A fonte é de uma agência perdedora.

Revirando o Lixo

O MP estadual entrou no caso das dispensas de licitação da Sespa em Santarém.
Deverá seguir-lhe os passos o MPF.

------

Aqui se Faz, Aqui se Paga

O Diário do Pará nada fala sobre o caso da vassourada na Sespa na edição de hoje. Nem ele, nem seus satélites. Contenta-se em anunciar a demissão da comissão de licitação tucana que ainda restava por lá.

-----

Intestina

O novo ministro da Defesa entrou falando grosso. Tarso Genro mandou a PF prá cima da Anac. Dilma olha preocupada.

-----

Réquiem

Foi enterrada ontem a estrutura administrativa do governo anterior. Acabaram as secretarias especiais.

-----

Cartão Amarelo

Não é verdade que a governadora Ana Julia puxou as orelhas de Everaldinho Beiçola ontem em Santarém. O malandro certificado anda quietinho nos últimos dias, depois da revelação de suas bicicletas na Pérola.
Outras virão.

-----

Homo

A drag Isabelita dos Patins exibe-se na Pérola amanhã.
O blogueiro Jeso Carneiro reservou mesa de pista. O pastor deputado Martinho Carmona (PMDB), em vilegiatura européia bancada pelo rebanho, vai perder essa.

-----

Sua Alteza

Chora, Halmélio, chora.

-----

Prensa

A OAB vai lançar campanha nacional contra a corrupção. Cansei, é o mote.
Os ladrões estão descansados.

-----

Tabuleiro Santareno

Pode ser definitivo o rompimento do PPS santareno com a troupe de Maria "Databrain" do Carmo. Lira Maia (DEM) adorou.

-----

Nóia

Corre solta a pegação de grana da PM na bocarra de cocaína da Riachuelo com Primeiro de Março.

-----

Conta

A OMG vai assumir a conta da prefeitura petista de Parauapebas.

-----

Moita

Alguém viu Edmilson Rodrigues por aê?

-----

Intenção de Voto

Tem novas rodadas de pesquisa a caminho, nesta virada de mês. Em Nova Déli, Santarém e Marabá.

-----

Colunão

Blog danado de bom em São Luis do Maranhão. É do jornalista paroara Walter Rodrigues, há mais de 30 anos radicado na terra de Bandeira Tribuzi.

26.7.07

O Planeta é Vermelho

Estava dirigindo uma campanha em Santarém em 2000, quando dei um pulinho em Nova Déli, poucos dias antes da campanha de televisão começar, para rever a família, buscar as vinhetas, acertar os últimos detalhes da equipe de pós produção - que foi realizada na capital - e aproveitei para fazer uma visita na produtora do Afonso Klautau, com quem trabalhei entre 1988 e 2004, nos mais diversos formatos e periodos.
Cheguei justo no dia em que estavam sendo apresentadas as primeiras peças da campanha de Zenaldo Coutinho para a prefeitura, baseadas no azul do partido e da estrela da bandeira do Pará.
Quando ouvi o jingle, meus dentes caíram.
O estribilho, que parodiava uma canção de Wilson Simonal do início dos anos 70, dizia:

Vesti Azul,
papapapa,
Minha sorte então mudou,
papapapa...


O clip era um barato, direção do craque André Genú, com esmerada produção de elenco do ator Claudio Barros e Samia Gabriel...mas não botei fé naquela inspiração, digamos, cromática. E a sorte, sabe-se, não mudou.
O case me veio a memória há pouco, lendo um post do blog do Jeso que comenta o nome dado ao novo helicóptero do Corpo de Bombeiros, o Estrela Vermelha.
O post é dez e a incorporação do equipamento idem.
Mas a propaganda do governo atual, essa coitada, continua devendo um rayto de sol, a grande estrela
Com todo o respeito às outras, é claro.

Conflito

O blog acaba de conversar, pelo fio, com dois pêsos pesados da propaganda paroara. Inconformados com o resultado da licitação do BASA, asseguram que várias agências deverão contestar na Justiça o resultado do certame.
Dizem que a planilha das notas atribuídas é indefensável, notadamente nos quesitos conceito, portfólio, plano de mídia, e capacidade de atendimento.
E que o clima esteve, digamos, tórrido , na divulgação e assinatura dos resultados.
A conferir.

------

Atualizada às 18:42.

O blog Pó de Vídeo, numa pegada interessante, confirma o post acima, e quantifica as futuras demandantes contra o BASA. Passa lá!

Polêmica Instalada

Fervem os comentários do post "Agências" do BASA, de hoje.

A Pátria de Salto ...Alto

Fala por mim o blog do Nobat.

O extraordinário, o fascinante, o encantador do futebol feminimo não é o fato de um esporte tradicionalmente masculino ser praticado por mulheres. Não.
É a qualidade do futebol exibido pelas meninas - bonito e ofensivo, agressivamente ofensivo. Um futebol, portanto, quase sempre de muitos gols.
Outra coisa: é um futebol sem violência. E jogado até o último minuto do segundo tempo. Sem enrolação. Sem truques. Sem manhas.
Essas meninas que lotaram hoje o Maracanã e que estão sendo aplaudidas de pé carecem do mínimo de apoio para jogar o que jogam.
São profissionais da paixão pela bola, como Marta, a melhor do mundo.
É a pátria de merecido salto alto.

A Luta Continua

Começou e está em pleno curso uma nova temporada de caça entre os Maiorana e os Barbalho, que dividem – e disputam – o controle das comunicações no Pará. Desta vez, a declaração de guerra partiu do grupo Liberal. Uma sucessão de matérias foi desencadeada a partir do dia 16, quando o jornal O Liberal noticiou, com grande destaque, a proposição de uma ação civil pública em Brasília. O Ministério Público do Distrito Federal requereu a extinção da concessão feita à TV RBA e a realização de uma nova concorrência para o canal 13 de televisão. Alegou que a transferência da concessão para o Sistema Clube do Pará de Comunicação, como forma de contornar o impedimento à renovação, por causa dos débitos da RBA junto ao governo federal, violava os princípios da legalidade, da moralidade e da impessoalidade.

Assim começa o artigo Caça ao Poder, na mais nova edição do Jornal Pessoal, já disponível nas bancas de Nova Déli, e na edição online do Estado do Tapajós.

Os Bastidores da Vassourada na Sespa

O carro som que alardeava o "Dr. Priante Convida" - que percorreu alguns bairros da cdade no início deste mes - estourou a cabeça da militância petitista na área da saúde e foi a gota d'água de um processo que vinha desde o início do governo.
Viram, no convite, a derradeira cartada do ex deputado para a prefeitura de Nova Déli no ano que vem.
Alijados da participação na Sespa - que junto com o setor da educação formava o núcleo histórico da bandeira vermelha - os petistas foram auxiliados pelo irreversível e cada vez mais notório desgaste do ex deputado Priante junto ao Sobrancelhudo.
Preocupada com as peripécias que vinham ocorrendo na secretaria, Ana Julia e Jader já conversavam há algum tempo sobre a vassourada na Sespa. Daí a discrição com que a folha sobrancelhuda tem tratado a questão.

------

Os fatos podem indicar uma correção de rumos na coalizão, excluindo Priante da mesa de negociações.
A reacomodação pode atingir, entre outros, o ex deputado José Soares da presidência da COHAB.

------

A fonte petista da versão acima acrescenta que estaria sacramentada a aliança entre jaderistas e petistas para a prefeitura da capital em 2008.

------

O psicólogo Paulo de Tarso já volteia pela Sespa, devendo ser nomeado secretário-adjunto o mais breve possível.
Paulo, que conheço ( embora não encontre) há muitos anos, é uma pessoa afável, decente, um técnico muito competente, e um homem do diálogo.
Tem tudo para desentubar a secretaria.

"Agências" do BASA

Comentarista anõnimo do blog envia a pontuação das propostas técnicas supostamente obtida pelas agências que disputaram a licitação da conta publicitária do BASA, um naco de R$ 14 milhões. Ei-la:

1. Gamma – 83
2. SIM – 81
3. Oana – 72
4. DMD – 69
5. DoubleM/OMG – 68
6. CA – 66
7. Griffo – 60
8. DC3 – 58
9. Galvão – 58
10. Sotaque Brasil – 49
11. Castilho – 48
12. FAX – 44
13. Verve – 43
14. Mendes – 40
15. Vanguarda – 36
16. Dahás - 15

Incompetência e/ou Improbidade

Vinha me perguntando ontem a tarde, na volta do Marajó, o porquê da demissão coletiva da diretoria sobrancelhuda da secretaria de Saúde do Pará.
A rigor, fora da politicagem, só há duas razões para exonerar alguém de um cargo de confiança: incompetência ou improbidade. E pensava: será que desta vez, ao contrário da demissão do chefe da Casa Militar, o governo vai se dignar a dizer aos cidadãos porque demitiu um membro do alto escalão do governo?
Ao chegar em casa e abrir o blog, liberando os comentários, verifiquei que alguns comentaristas do Quinta faziam a mesma indagação.
Ao ler a edição de ontem, 25, de O Liberal, e o ressuscitado blog do Mauro Neto pensou este poster que as dúvidas estavam dirimidas. Era improbidade.
Mas, ao final da noite, a Agência Pará divulgou uma nota da Sespa contestando a folha nariguda e o blog do filho da dona Maria Emília.
Então foi incompetência.
E aí, por oposição, a demissão do coronel Coêlho foi por improbidade.

------

O blog, com todo o respeito, acha as notas da Agência Pará, nos dois lamentáveis episódios, tão verdadeiras quanto outra nota, esta de R$ 3,00.
Acha ainda que o motivo alegado para as dispensas de licitação dos serviços do HR do Oeste, depois de seis meses de encolhe espicha, não tem a mais remota possibilidade de convencer seu Ningas.
E espera que o MPE, como está fazendo em relação aos anos dourados, investigue a parada.

Tacacá do Azar

Tem pouco tucupi e muita goma no Tacacá da Sorte, a jogatina da Loteria Estadual do Pará. É esse o entendimento do MPF, que tenta brecar os sorteios, e sua transmissão pela TV Sobrancelhuda, canal 13, que novamente entra na alça de mira dos procuradores da República.
Mas o contrato supostamente irregular vem do governo Jatene, e o Tacacá não é 0 primeiro. Em 2004 o Carimbó da Sorte também foi objeto de ação semelhante do MPF.
A troca do ritmo pela iguaria não convenceu o MPF e lá vem peia.

Inquérito na Santa Casa

Vergonhosa. É esta a avaliação do juiz Lucio Guerreiro, que responde pela 15a Vara Cível da capital, sobre a atitude da Santa Casa de Misericórdia do Pará no caso da menina Vitória.
Num caso correlato, o secretário de Saúde de Marabá foi preso na semana que passou, e imediatamente solto por um desembargador.
Uma pena.

Os Vivos

O Ministro da Defesa caiu ontem. Aguarda-se agora a queda do presidente da Infraero, do presidente da Anac, e do presidente da TAM, este último pela família controladora da voadora safardana.
Ou seja, cai toda a tripulação do vôo 3054.
Só que calmamente, bem devagar.

24.7.07

Eu Não Sou o Maior

Depois de ano e meio de muita peia - do IVC e do IBOPE - quebrou-se a cacunda de O Liberal.
O maior jornal do norte e nordeste, seu narigudo, ridículo e ultradesmentido slogan anterior, foi substituído pelo o melhor jornal do norte e nordeste.
Na subjetividade, esconde-se a propaganda do infausto grupo.

Quem Tem...

...tem medo, de vaia.

Saneamento na Sáude

São insistentes os rumores de uma demissão em massa da cúpula da secretaria de Saúde do Pará, inclusive do secretário-adjunto, Paulo Priante, irmão do ex deputado José Priante (PMDB-PA), o avalista da tchurma.
Nos bastidores comenta-se que teria sido identificada a digital petista no levantamento das informações que teriam derrubado os sobrancelhudos da Sespa.
As fontes dão conta que, por enquanto,permanece o secretário Halmélio Sobral.
Mas podem chamá-lo de Elisabeth II.

Beiçola Certificado

É grande a repercussão, em Santarém, do flagra no prefeito da cidade, Everaldo Beiçola Martins nas gravações telefonicas da Operação Rêmora, desfechada em novembro do ano passado pela Polícia Federal
A matéria, publicada no Estado do Tapajós, e postada na caixinha de comentários do post Labioso ( do dia 19)) exibe a tentativa do nacional em arrancar uma certidão de regularidade de uma empresa que devia ao fisco do município dirigido por sua irmã, Maria "Databrain" do Carmo.
Um escãndalo!
De qualquer modo, o episódio serve, ao menos para duas coisas.
Comprova que Beiçola, entusiasta número 1 do mala Zé Dirceu no Pará,é um belo exemplo daquela esquerda que se degenera, e endireita ao assumir o estado.
E certifica, por assim dizer, uma velha pegada do blog: o nacional adora aplicar beiços.

------

Louve-se a resistência da secretária de Finanças em recusar-se a participar da patifaria.

------

Quase uma semana após a revelação do escândalo, a prefeitura municipal não se manifestou sobre o episódio. Um vergonhoso mas previsível silêncio.

-----

Ontem o nacional entrou na Justiça Federal com uma ação para ter acesso ao conteúdo das gravações.
Deve ser porque não se lembra do que disse. Deve ser sim.

Vôo 3054

Tragédias Aéras de Marília.

Tesoura

A coluna Painel, da Folha de SP republicada no caderno Brasil Hoje do Diário do Pará foi, digamos, aliviada, no dia 18, quarta que passou.
Tinha o deputado federal Vic Pires Franco (DEM-PA) pelo meio...do caminho do Sobrancelhudo.
Informada, a Folha pediu explicações ao jornal.

19.7.07

Pinça na Sobrancelha

O Jornal Liberal 2a edição, ontem, pintou e bordou em cima da ação do MPF que cerca a televisão sobrancelhuda. Na melhor edição das campanhas políticas, a TV Liberal exibiu a manobra do governo federal para renovar a concessão da retransmissora do canal 13, a Band regional.
Na urdidura denunciada pelo MPF se distanciaram dos cofres públicos mais de R$ 80 milhões de reais.
Recursos suficientes para investir, durante 8 anos, no saneamento de uma cidade como Marabá, segundo cálculos do deputado estadual João Salame (PPS) em comentário ao blog no post Ana Julia Diz Não a Carajás, de ontem.
Mas ninguém vai falar nada sobre o caso na progressista cidade do sul do Pará, entretidos que estão com a divisão do estado, alguns, e com a linda festa do Maraluar, outros.

------

O poster, ao assistir a matéria, quase morreu de saudades dos tempos de campanhas políticas, quando sapecava o Bóris em cima da malandragem. O russo é um programa de efeitos que multiplicava algumas vezes - só com os recursos de computação em áudio e vídeo - o impacto das acusações de improbidade aos adversários eleitorais.
Mas a aposentadoria voluntária deste poster, nesta área, é irreversível.
Fica a lembrança, babante, do prazer em tratar um nacional pelo que realmente ele é, em horário nobre, em cadeia estadual de rádio e tv.

------

O Maraluar deste ano vai render homenagens aos cabarés da cidade, como o da Teresona, no bairro da Santa Rosa, inesquecível objeto de desejo na juventude da atual geração dos capitães da cidade.

Banco Imobiliário

A crise ainda não bateu de vez pros lados dos Maioranas.
Ainda tem algum gás por lá.
O suficiente para arrematar um excelente imóvel em leilão de banco estatal, na Av. Pedro Miranda, eixo central do bairro da Pedreira, onde funcionava um dos supermercados da rede Ki-Preço.
Mas há problemas para a efetivação do negócio.
É que o arrematante insiste em trocar o valor do imóvel - que bonitinho! - em serviços, a boa e velha permuta.
É coisa de mais ou menos meio milhão de reais.
O banco reluta.

Férias do Senhor

Uma viagem espetacular, conquistada graças a boa vontade dos fiéis, leva hoje uma comitiva de duas dezenas de quadrangulares ao Oriente Médio - Jerusalém, para ser mais preciso. Vão delegações de todo o país.
O sanguessuga Josué Bengtson, o deputado Martinho Carmona (PMDB), o Pr. Walmir, supervisor de Icoaraci, e outros nomes agraciados pela bem sucedida campanha de arrrecadação, são alguns dos felizardos daqui do Pará.
Depois de alguns dias na Terra Santa o quadrado se desfaz.
Cada casal pega seu rumo.
Walmir, por exemplo, vai para a Itália.
Muito bom gosto.

Labioso

Tem notícia ruim circulando em Santarém logo mais, quando o dia amanhecer.
Pegaram neguinho.
A parada vai ser contada pelo Estado do Tapajós.

18.7.07

Nota Boa, Bola Boa

Sabe aquele time de futebol de Barcarena, o Alunort Rain Forest, que todo ano vai prá Noruega, participar do maior torneio de futebol infanto-juvenil do mundo?
Pois é, amanhã ele faz seu último coletivo, um jogo treino contra o time sub-17 da Tuna, às 9 da manhã no estádio Francisco Vasques.
Euzinho aqui, mal informado, sempre me perguntava porque esse time nunca trouxe um título, afinal somos o país do futebol.
Na realidade o time já viaja vitorioso, pois o critério da seleção do projeto Bola Prá Frente, Educação prá Gente é o rendimento escolar, a intimidade com o esporte do futuro desses meninos: o conhecimento.
No final da semana eles viajam de novo, com uma novidade na bagagem: um blog vai contar cada jogada dos meninos. Acesse e acompanhe.
Boa sorte, meninos.

Pouso Forçado

Não é verdade que tem problemas no reverso a aeronave de prefixo PT-JB.

Caverna

A mais nova bisca senatorial, Gim Argello (PTB-DF), suplente e cúmplice do gatuno Joaquim Roriz, encorpa o formidável índice da casa: um em cada seis senadores brasileiros responde processo no agradável STF.
O PSOL já está pisando no rabo dêle.

Sempre Lá

Os leitores paroaras da mais nova edição da revista jurídica Consulex, ao lerem a reportagem sobre o apagão aéreo, encontraram - veja só! - Wally ,na foto do saguão do aeroporto de Brasília que ilustrava a matéria.
Wally, claro, era o prefeito de Nova Déli, que abusa do direito de ir e vir...à capital federal. Com o seu dinheiro.

17.7.07

MPF Cerca Sobrancelhudo

O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) propôs ontem, 16 de julho, ação civil pública, com pedido de liminar, para anular a transferência de concessão de outorga entre as emissoras de TV Rede Brasil Amazônia de Televisão (RBA) e Sistema Clube do Pará de Comunicação, ambas do deputado federal Jader Barbalho (PMDB/PA). Segundo o MPF, a concessão da RBA deveria ter sido extinta e um novo processo licitatório realizado.

De acordo com a Constituição, os atos de concessão e renovação de outorga para exploração de serviços de radiodifusão devem ser aprovados pelo poder Executivo e pelo Congresso Nacional. Mas no caso da RBA, a apreciação do pedido de renovação de concessão da RBA pelo Congresso foi impedida por uma manobra política do governo, que solicitou a devolução de 225 processos que tramitavam na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados ao Ministério das Comunicações, em junho do ano passado.

Segundo o procurador da República Rômulo Moreira Conrado, o pedido de renovação de concessão da RBA seria negado na Comissão de Ciência e Tecnologia porque a emissora estava em débito com o fisco federal. Com a devolução do processo ao Ministério das Comunicações, contudo, a emissora aderiu temporariamente ao regime de parcelamento de dívidas do governo federal e teve a concessão de outorga transferida ao Sistema Clube do Pará, cujos sócios são exatamente os mesmos da RBA.

Para o procurador, a transação violou os princípios da legalidade, da moralidade e da impessoalidade, uma vez que “o Sistema Clube do Pará de Comunicação foi aquinhoado, em razão de favorecimento político, com uma concessão de serviço público sem ter participado de qualquer processo licitatório, concessão essa que deveria ter sido extinta”.

Na ação, o procurador pede a anulação do ato que resultou na transferência da concessão da Rede Brasil Amazônia de Televisão em benefício do Sistema Clube do Pará de Comunicação, bem como a a não-renovação da outorga em benefício da RBA e a realização de um novo processo licitatório para a concessão.

A ação tramita na 1ª Vara da Justiça Federal em Brasília. O número para consulta processual é 2007.34.00.025695-0.


Fonte: Assessoria de Comunicação/Procuradoria da República no Distrito Federal

Câmbio Forçado

O governo vai proibir o cultivo de cana de açúcar na Amazonia e no Pantanal.
A Pagrisa vai fazer as malas. Ou mudar de ramo.

Múúúú

Hoje foi a vez do Conselho Nacional de Desenvolvimento Social vaiar Lula.
Os discursos do empresário e ex assessor de Lula, Oded Grajew ( Instituto Ethos ) e do cardeal D. Luciano Almeida ( CNBB ), anunciam um perigo a vista: pode prosperar a sensação de contemporização, do presidente, em relação a corrupção, no governo e nas legendas aliadas.

-------

Atualizada às 21:37.

O blog errou. É Dom Luis Demetrio Valentini, e não Dom Luciano Almeida, como tentou ressuscitar, sem sucesso, o Quinta.
Obrigado, Brasiliense...rs

O Mágico

O inferno, leia-se O Liberal, vai desabar amanhã em cima da cartola onde se escondia o chefe da Casa Militar do governo do Pará, coronel PM Henrique Coelho.
Quem afirma é o ( cada vez melhor) blog do Alaílson Muniz, correspondente da folha nariguda em Santarém, e flamenguista de terceira categoria.
As denúncias foram publicadas pela primeira vez no início de fevereiro na coluna de Hiroshi Bogea, no Diário do Pará. Em meados de março o jornal marabaense Correio do Tocantins e o Liberal trouxeram matérias sobre o caso, que foram reverberadas em vários posts aqui no Quinta, que desde aquela época pedia, digamos, as suas orelhas.

Uma Piscina em Brasília

Voando Baixo!

De novo o Castagna, com equilíbrio e elegância.

AS VAIAS

E o Lula foi vaiado em pleno Maracanã. Citei o Nassif no bloco abaixo, e foi ele quem lembrou Nelson Rodrigues: "O Maracanã vaia até minuto de silêncio".
No fundo, espero que a vaia tenha um conteúdo pedagógico. O Presidente da República tende a ficar isolado em uma redoma, vendo apenas os números bonitos que a assessoria traz. A agenda é controlada, o contato é reduzido.
Então, no fundo, não gostei da vaia. Acho chato vaiar o Presidente na frente de estrangeiros. Mas tomara que seja pedagógica. E tomara que Lula tenha se lembrado, na hora, dos aeronautas.

Start

É possível que o IDESP volte a funcionar em dois ou tres meses.
A previsão é do secretário de Integração Regional, André Farias, na reunião de ontem na ACP.

Lixeiras

Do blog do Castagna Maia.

Já postei no blog do Luís Nassif, cuja leitura diária recomendo. E aproveito para postar também aqui.
Não há ano em que não apareça no jornal denúncia sobre terceirização de lixo. Normalmente acusações de propinagem, suborno, e por aí afora, sempre envolvendo financiamento de campanhas. Isso quando não aparece assassinato. Em tudo que é lugar dá problema.
Pois bem: segue minha sugestão aos parlamentares.
Entendo que deve ser feita emenda constitucional proibindo a terceirização da coleta de lixo em cidades acima de 50.000 habitantes, por exemplo. Que seja da própria prefeitura, empresa pública municipal. Seria poupado dinheiro com essa propinagem impressionante que é divulgada.
Vamos ver se algum parlamentar lê e, principalmente, acolhe a idéia....

Coêlho Cai da Cartola

No blog do Jeso, agorinha.

Troca de guarda

Mudança de comando, devidamente lavrada pela governadora Ana Júlia Carepa (PT), na Casa Militar da Governadoria do Estado.
Sai o coronel PM Henrique Araújo e entra o tenente-coronel Raimundo Pantoja Júnior

Pagrisa na Ribalta

No blog do Noblat.

Políticos contra operações que reprimem exploração

De O Globo, hoje:


"Um grupo de políticos e empresários do Pará está pressionando o Ministério do Trabalho para rever a autuação da empresa Pará Pastoril e Agrícola (Pagrisa), acusada de expor funcionários à condição análoga ao trabalho escravo. A operação do Grupo Móvel de Fiscalização, que há duas semanas libertou 1.108 funcionários da fazenda, foi a maior realizada até hoje pelos auditores. Numa reunião tensa e constrangedora, ocorrida na última quinta-feira, no gabinete do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, parlamentares paraenses acusaram o governo de ter exorbitado na ação.
Na comitiva, estava o deputado Paulo Rocha (PT-PA), um dos autores da proposta de expropriação das terras onde são flagrados casos de trabalho escravo, que tramita na Câmara. Ele é o coordenador da bancada do Pará no Congresso Nacional. A Pagrisa é a maior produtora de açúcar e álcool do estado e fica em Ulianópolis, a 450 quilômetros de Belém."

Ana Julia Diz Não à Carajás

Um princípio de pânico tomou conta dos arraiais separatistas nos últimos dias. Depois das ameaças de violência aos "de fora da região", e substituição da bandeira do Pará nos ( prédios) próprios municipais da região - ainda não desmentidas cabalmente, o que onera o lombo das lideranças do movimento, comprometendo-as diretamente com a desordem e desclassificando o próprio movimento - ontem foi a vez de sentirem o peso do governo do estado na questão.
Em reunião na Associação Comercial do Pará, o secretário de Integração Regional, André Farias, disse, com todas as letras: a governadora é contra a divisão, e o vice governador (o transeunte Odair Correa), não está autorizado, enquanto tal, a trabalhar pela divisão.
André apresentou a estratégia do governo para enfrentar os desníveis intra regionais, e disse que a bancada do PT vai se reunir nos próximos dias para se posicionar sobre a questão.

Vaca no Brejo

Tem os dois pés no recesso o mandato do senador Renan Calheiros, do PMDB alagoano, mais um presidente a avacalhar a história do Senado brasileiro.
O outro voce já sabe quem foi, não é?

16.7.07

Senta Aí

Não é verdade que a SESPA estaria planejando a distribuição gratuita e generalizada de Pondera no sul do Pará.

Ouro de Tolo

Amiga do blog, filha da terra há décadas morando longe de Nova Déli, conta sua decepção com a nova administração do São José Liberto, um dos mais relevantes equipamentos de turismo e cultura da cidade, e pólo de comercialização do setor joalheiro do estado.
Além da retirada dos painéis de informações da Capela, emocionantes segundo ela, as jóias apresentadas atualmente estão perdendo o conteúdo regional, o traço amazônico, diferencial do pólo.
"O que está lá agora, Juca, não cairia bem nem no mostruário da Romanell", avalia a fonte.

As ONG's e a Amazônia

De Lucio Flávio Pinto, na mais nova edição do Jornal Pessoal, e nas bancas de Santarém e região pelas páginas do Estado do Tapajós.


De 276 mil organizações não-governamentais que atuam no Brasil, 100 mil estão na Amazônia. Muitas delas têm interesses ocultos sobre a região, relacionados ao tráfico de drogas e de armas, lavagem de dinheiro, espionagem e biopirataria.

O general Maynard Marques Santa Rosa, secretário de Política, Estratégia e Assuntos Internacionais do Ministério da Defesa, que apresentou esses dados à Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara, disse ter-se baseado nos arquivos dos serviços de inteligência das Forças Armadas. As informações, portanto, são oficiais, e têm sido repassadas aos órgãos policiais, responsáveis pela repressão aos atos ilícitos. Não provocaram efeitos práticos aparentes.

A questão é séria, mas precisa ser analisada com inteligência e realismo. Embora a estatística dificilmente possa ser considerada confiável, admita-se que haja realmente 276 mil ONGs no Brasil, número que também aparecia no cadastro da Associação Brasileira de Organizações Não-Governamentais em 2002. A relação da Abong indica ainda que 29 mil dessas entidades recebiam recursos governamentais. A Polícia Federal e o Ministério da Defesa acrescentam que apenas 320 ONGs com atuação na Amazônia estão cadastradas junto ao governo brasileiro.

A conclusão imediata desses números é óbvia: o governo precisa montar um cadastro amplo e seguro das ONGs para poder discernir quem é quem num universo tão rarefeito e desigual, ao mesmo tempo em que poder controlar o uso de dinheiro público por essas organizações. Já está suficientemente provado que muitas ONGs não passam de fachada e biombo para a realização de interesse escusos ou ilegais, embora também se saiba que parcela significativa (se não predominante) delas não tem qualquer vida real.

O que não pode, porém, é o governo tatear às escuras nesse setor, nem se deixar levar por meras teorias conspirativas. O cadastro é fundamental. Estabelecida a norma e adotados os mecanismos necessários, a partir de certo prazo só poderiam continuar a funcionar no Brasil ONGs cadastradas num determinado escaninho da administração pública, que poderia ser o Ministério da Ciência e da Tecnologia, num departamento especializado para tratar com essas instituições. As ONGs que não se legalizassem seriam extintas e, caso funcionassem, fechadas. O cadastro seria um instrumento de informação a serviço do controle legal.

A repressão ou a punição, quando necessárias, seriam executadas na forma da lei. O único ilícito que ainda depende de regulamentação é a biopirataria. Infelizmente, esse trabalho fundamental tarda. Enquanto isso, o país vai perdendo material genético e verdadeiros cientistas são confundidos com contrabandistas.

Quanto aos demais crimes, todos estão perfeitamente capitulados. Se graves informações de que o governo dispõe não o levam a agir, a inércia ou omissão não resultam do vácuo legal, mas da ineficiência ou conivência da máquina pública. A ação excessiva e equivocada, por sua vez, é conseqüência de uma concepção distorcida e preconceituosa da Amazônia e do seu significado para a ciência, vista sempre pela ótica de teorias geopolíticas anti-conspirativas (e, por derivação ou mimetismo, também conspirativas).

Alegar que o governo nada poder fazer em função do artigo 5º, inciso XVII, da constituição federal, que considera plena a liberdade de associação, é sofismar: a liberdade só é reconhecida para fins lícitos. As ONGs são livres para atuar no Brasil se cumprirem as leis. Nada justifica reforma constitucional para restringi-las se tais restrições já existem na lei maior do país e há legislação comum a respeito. Se ela é inócua ou insuficiente, que os legisladores e os homens públicos providenciem a cobertura, sem precisar de restrições indevidas à liberdade de ação.

O problema é que a Amazônia, mesmo envolvendo dimensões de segurança nacional e de criminalidade, é, sobretudo, uma questão de conhecimento. Para responder aos seus desafios, teoria conspirativa, geopolítica e viés policial, mais do que insuficientes, são desaconselhados ou descabidos.

É impossível a vigilância e o controle absolutos sobre uma região tão vasta, se estendendo por dois terços ou quase metade do território nacional (conforme se considera a Amazônia Legal ou a Amazônia Clássica). Nela, atividades ilícitas sempre ocorrerão. O que se deve - e se pode - esperar é que esses ilícitos sejam de curta duração e não se tornem impunes. São essas as duas marcas da soberania nacional sobre o espaço amazônico.

Mas o exercício da vontade resulta do saber, que só existe com ciência, tecnologia e educação, como impulsionadores diretos, e condições de vida, como a moldura elucidativa, a pré-condição básica. Ao invés de ser confinada a arquivos secretos e drenar seu conteúdo para a sociedade em conta-gotas, usando de acordo com determinadas circunstâncias e interesses, a informação sobre a Amazônia tem que ser escancarada, debatida ao ar livre, levada ao aprofundamento em todos os ambientes, discutida com o propósito de disseminá-la enquanto é testada. Não pode haver segredos científicos em relação à Amazônia. Ao menos não da parte do agente público, seja ele servidor do governo ou qualquer personagem interessado na sorte da região.

O domínio efetivo sobre a Amazônia, independentemente de nela atuarem ou não as ONGs ou de fazerem ou não o que dizem, só será possível pelo país (e também pelos amazônidas) se, ao invés de continuarem a manifestar suspeitas apenas superficiais ou suscitar teorias sem pernas, eles chamarem à fala os temas e as pessoas da região, esclarecendo o que fazem e o que pretendem dela extrair através do critério da verdade, que é o da demonstração.

A Amazônia só será uma questão nacional para valer - e para valer certo, positivamente - se nela a prioridade for substituir a escuridão e a névoa dos preconceitos e suposições pela luz do conhecimento, a arma mais eficaz de que dispõe a humanidade para vencer desafios. Se não houver esse compromisso, caminharemos em círculos ou seguindo pistas falsas, ainda que pareçam conduzir a monstros hostis.

Do lado de fora o que não falta é cobiça e apetite sobre a Amazônia. Esse é um dado concreto, que pode ser ou não lesivo e mesmo letal. O outro dado, o que falta, é o interno: o verdadeiro conhecimento dos brasileiros e dos amazônidas sobre a Amazônia; que não virá do nada, nem da eterna desconfiança, incapaz de dar o passo necessário ao esclarecimento. O que temos hoje na região, em matéria de ciência e tecnologia, de conhecimento e revelação, é um pouco mais do que o nada diante da enormidade da tarefa que a Amazônia nos impõe.

A Transparência Avança

No blog do Alencar.

Você já ouviu falar no GRI? E na CVRD? E em trabalho forçado?


Trabalho forçado é o termo técnico para designar aquilo que a imprensa chama de trabalho escravo.
CVRD é a mineradora que explora a província mineral de Carajás, aqui no Estado do Pará, também conhecida como Vale do Rio Doce ou simplesmente Vale. Apesar da notoriedade, não é muito conhecida no Estado. Ou pelo menos não é conhecida na medida necessária. Só os leitores do Jornal Pessoal, do Lúcio Flávio Pinto, ficam sabendo um pouco mais sobre ela. A maioria conhece o supéfluo - mostrado pela própria em todas as mídias - e ignora o essencial.
GRI é a sigla do Global Reporting Initiative, uma ampla rede multistakeholder composta por milhares de especialistas de dezenas de países em todo o mundo. Eles participam dos grupos de trabalho e órgãos de governança da GRI, usam as Diretrizes da GRI em seus relatórios, acessam informações em relatórios baseados na GRI ou contribuem para o desenvolvimento da Estrutura de Relatórios de outras formas, tanto formal como informalmente. A GRI é um núcleo oficial de colaboração do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Encontre outros participantes da rede GRI ou entre em contato com aqueles que formam o seu grupo de stakeholders.
A CVRD se prepara para elaborar seu Relatório de Sustentabilidade conforme as diretrizes do GRI, divulgadas no Brasil pelo Instituto Ethos. Não vai ser tarefa fácil para uma empresa do seu tamanho. Mas é uma tarefa necessária, pois essa é atualmente uma exigência do mercado global onde ela é um grande player.
Desse relatório constarão Indicadores de Desempenho Referentes a Direitos Humanos e nesse grupo são classificados como essenciais aspectos relacionados ao TRABALHO FORÇADO OU ANÁLOGO AO ESCRAVO, (código HR7) e nele constarão operações identificadas como de risco significativo de ocorrência de trabalho forçado ou análogo ao escravo e as medidas tomadas para contribuir para a erradicação do trabalho forçado ou análogo ao escravo.
Essa não é uma boa notícia para fornecedores de bens e serviços ou compradores de minérios da Vale que vez por outra são pilhados nessa baixa prática.
Saia justa vai ser tratar dos indicadores de desempenho relativos à sociedade [que] enfocam os impactos que as organizações geram nas comunidades em que operam e a divulgação de como os riscos resultantes de suas interações com outras instituições sociais são geridos e mediados. É que nessa parte do relatório buscam-se em especial informações sobre os riscos associados a suborno e corrupção, influência indevida na elaboração de políticas públicas e práticas de monopólio.
Quando sair esse relatório ele deveria ser leitura obrigatória de governantes e dirigentes do Estado do Pará e de seus Municípios.
E não seria má idéia adaptar as diretrizes do GRI para redigir a Mensagem anual do Poder Executivo à Egrégia Assembléia Legislativa do Estado do Pará.
Pelo menos assim o Estado e a Vale teriam um documento com estrutura metodológica comum para estabelecer um diálogo em outros termos que não os atuais.

15.7.07

Os Meios e os Fins

Do blog do Noblat.


Não faz muito, cientistas conseguiram aumentar a velocidade da luz, que é de 300 mil quilômetros por segundo. Um feixe de luz produzido em laboratório atravessou uma câmara cheia de gás césio com tanta rapidez que chegou ao outro lado antes de ter saído, ou saíu antes de ter entrado! Foi outra certeza científica irrefutável - a da velocidade da luz num vácuo como a máxima velocidade possível e uma das constantes invariáveis na Natureza - refutada. A explicação dos cientistas é que um pulso de luz é formado por ondas e os átomos do gás césio resfriado, usado na câmara, ampliaram a frequência das ondas mais do que qualquer outro meio de propagação conhecido, e mais até do que o vácuo, teria conseguido.


Um experimento parecido poderia ser feito no Brasil substituindo-se feixes de luz por escândalos e medindo a sua duração, segundo o meio que atravessam. Aqui há escândalos que terminam antes de começar, ou então começam e, misteriosamente, desaparecem no caminho. Outros perduram, crescem, vão, voltam e exigem explicação. A diferença entre um fenomeno e outro é a natureza do meio. Num caso, em vez de conduzir o fato ao seu desfecho natural, o meio o absorve, desvia, engaveta ou mata. Foi o que aconteceu com frequência num passado recente, em que o equivalente ao gás césio resfriado era um conluio de interesses arraigados, conivências tácitas, polícia omissa e imprensa amiga que não deixou nenhum escândalo chegar ao outro lado, ao esclarecimento e à consequência, ou sequer aparecer. No outro caso, o meio de propagação é um gás de interesses contrariados, conveniências tácitas, polícia ativa e uma imprensa não tão amiga que faz os escândalos aparecerem.


Mas como tanto os escândalos abafados do passado quanto os gritantes de hoje têm um destino comum, não dão em nada, a analogia talvez esteja errada. O que prejudica a passagem do fato para o efeito e do crime para o castigo não é o meio de propagação, é o vácuo moral em que nos acostumamos a viver, com tanta impunidade acumulada e tão cinicamente defendida. Teríamos chegado a um ponto em que investigação completa e punição certa de qualquer caso escandaloso pareceria uma coisa até meio, sei lá, anti-natural .

14.7.07

Frente Fria

A subprefeita de Santarém, Maria "Databrain" do Carmo, desembarcou ontem em Salinas, para minitemporada de férias.

------

Bandidos Fardados

Bate duro - e justo - na PM paroara o Diário do Pará.

------

Cala a Boca

Bate duro - e justo - no Sobrancelhudo o jornalista Lucio Flavio Pinto na mais nova edição do Jornal Pessoal.

-----

Proposta

O blog aprova a divisão do Pará. Em 143 estados, prá ver se acomoda tanto interesse, e dilui tanta ganância.

----

Sacanagem

Foi a reação do presidente Lula ao classificar as vaias recebidas ontem na abertura do PAN. Baseado no custo dos ingressos, R$ 250, seus aliados descredenciam a vaia da classe média alta.
Transversal à renda é Duciomar "Databrain" Costa, vaiado até na Terra Firme.

-----

Datajulia

Fonte do governo petista da Pérola conta que a governadora teria uma pesquisa que aponta Lira Maia sete pontos na frente de Maria do Carmo.

-----

Viva o Couto

Passa um Kaol em sua lataria o senador Mário Couto (PSDB-PA), ao enfrentar, ao lado da excelente lataria de Jefferson Peres (PDT-AM) a indicação de mais uma mala peemedebista para o DNIT.

----

Confronto Anunciado

A chefe nacional dos auditores do Ministério do Trabalho enfrentou a embaixada da Pagrisa na reunião de quinta a tarde em Brasíla, no gabinete do ministro Carlos Luppi (PDT). E sustentou a correção da fiscalização.
A empresa promete até acionar o governo, por danos morais.

----

Bro(n)ca Nova

Os plantadores de abacaxi de Salvaterra, costa leste da ilha do Marajó, deram de cara com uma nova praga na cultura da região. Quebra estimada em 25% da safra do melhor abacaxi do globo.

----

Todos os Santos

Só assim prá segurar o Fogão, senão...

13.7.07

Uma Dúvida Fácil de Resolver

Sobre o affair Pagrisa, opina Elias Tavares, leitor do blog.

Seria um bom começo se a Pagrisa demonstrasse que:

a - assina a CTPS de todos os seus empregados;

b - paga uma remuneração igual ou superior ao mínimo permitido em lei;

c - não realiza "descontos" ilegais sobre essa remuneração;

d - obedece a legislação em vigor sobre Saúde Ocupacional, aí incluído o fornecimento de roupas profissionais e EPIs, quando devido;

e - paga os adicionais legais referentes a trabalho extraordinário, trabalho perigoso, trabalho insalubre, etc;

f - recolhe todos os encargos previdenciários e trabalhistas incidentes sobre a folha de pagamento.

Se a Pagrisa expuser publicamente documentos que comprovem o cumprimento das 6 condições acima, vou começar a duvidar da acusação de que ela pratica trabalho escravo.

Enquanto não expuser -- ou se os documentos apresentados demonstrarem que as 6 condições são cumpridas apenas para uma pequena parcela dos empregados -- continuarei acreditando que as acusações são procedentes.

Os Separatistas Alopram

Organizadores do movimento pela criação do Estado de Carajás podem mudar de estratégia na condução do processo caso percebam que o governo do Estado colocou a estrutura administrativa em Brasília para trabalhar contra a aprovação do plebiscito. Será liberada a radicalização em todos os municípios do Sul e Sudeste com efeitos perigosos, principalmente para quem não reside na região.
Essa postura de radicalização foi sempre combatida em todos as instâncias. No final da tarde de ontem, todavia, decidiu-se pela disscussão do tema depois de informações dando conta de que Ana Júlia teria optado em enfrentar o movimento com todas as armas disponíveis.



Só falta parecer de suas assessorias jurídica para a maioria das 38 câmaras municipais trocar a bandeira do Pará pela bandeira do proposto Estado do Carajás. Depois vem o hino a ser entoado em todos os rincões. Nesse crescente, o movimento quer separar o joio do trigo. Quem for contra, será visto como inimigo da região.


Olha, sem meias palavras: as ameaças embutidas no blog do Hiroshi nos posts Rumos dos Ventos e Trocando Pavilhão, acima transcritos, merecem atenção.
Um pouco mais do que tem sido dada, conforme opinou este blog sobre a inércia e a demora da secretaria de Integração do Pará, entrando em cena a reboque da Associação Comercial do Pará.
A tropa da PM que está em Marabá desocupando fazendas deveria estacionar na área, a espera dos desocupados que estão, como se vê, fora de si.

Defeito de Fábrica

Não é verdade que o TRE vai fazer um recall para os eleitores do Sobrancelhudo.

------

Gol Contra

É revoltante o cinismo do dono da voadora Gol, Nenê Constantino, ao tentar justificar a parada em que foi apanhado junto com o ex senador larápio Joaquim Roriz (PMDB-DF). O MP investiga a farsa.

------

Asfalto a Metro

Em qualquer lugar civilizado a unidade que mede a área asfaltada é o kilometro. Subvertê-la foi a única alternativa que sobrou para a indecente propaganda da administração de Duciomar "Databrain" Costa, que mede seu catchup em metros quadrados, para impressionar os incautos.

------

Sem Limites

A larva Calheiros aprontou de novo ontem, protelando a reunião da Mesa Diretora do Senado, ganhando mais tempo para enxovalhar a Casa e vomitar em cima da opinião pública. É preocupante a escalada de patifarias do já mal cheiroso cadáver que insiste em fingir que preside a Casa.
Tá faltando um par de algemas nessa coleção de deboches, típica de marginais.


------

Extrapolou

Olha, esse caso da Pagrisa está ficando melindroso. Ou a empresa comprova que a fiscalização do MT mentiu, forjou provas, e induziu os trabalhadores contra a empresa - e aí tem que ir prá cima dos fiscais - ou terá que responder pelas acusações.
O blog não compreeende porque os fiscais não se posicionam fora da fiscalização, deixando a opinião pública a mercê de uma só voz sobre o caso, a da Pagrisa.
A estratégia do desmentido continuado que se observa nas repetitivas notas à imprensa - como no caso da Imerys, onde restou provado o descaso da empresa com as autuações e alertas da Sectam, tanto que só voltou a operar porque se comprometeu a construir novas bacias de contenção - evidencia um quê de cinismo que deve chamar atenção não mais só da Sectam ou do MT, mas da Polícia e da Justiça.
O blog vai insistir neste caso: ou a fiscalização ou a empresa será desmoralizada, pois um dos lados mente, descaradamente.


-------

Cocô Beach

Atalaia, a mais famosa praia oceânica paroara, teve seus banheiros e fossas de suas barracas interditadas ontem por uma liminar da Justiça Federal. A medida também impõe restrições a shows e eventos sem a necessária infraestrutura. Pena que a medida não se estende a alguns sonoros frequentadores da praia, notórios coliformes fecais.

------

Reeleição da Gente

Fonte de responsa na politica mocoronga diz para o blog que não procedem as notícias do convite peemedebista ao advogado Helenilson Pontes para disputar, pela legenda, a prefeitura da Pérola no ano que vem. E arremata: Antonio Rocha já teria decidido apoiar a reeleição de Maria "Databrain" do Carmo se o vice for...seu filho!


------

De Volta

Recrudescem os assaltos aos ônibus na PA-150. Todo cuidado é pouco.

------

Dupla Dinâmica

É péssima a imagem do suplente do senador tucano paroara eleito em 2006, em Imperatriz e em Marabá, circuito do falastrão Demétrius Ribeiro.
A do titular nem é preciso comentar: sua fama o precede.
Outra coincidência une a dupla: Mário negociou com ferro quando presidia o Arco Íris, a escola de samba. O suplente até hoje faz o mesmo.
Junto com Duciomar Costa, Mário e Demetrius formam um passivo político tucano que, na opinião do blog, vai demorar muito para ser, digamos, depreciado, na cabeça e no coração da população paroara.

------

Garotinhos Inelegíveis

Por 5 x 1 o TRE-RJ fulminou a carreira da dupla de meliantes evangélicos Anthony e Rosinha Garotinho - ambos do PMDB, é claro - que não atazanarão a vida dos cariocas por tres anos.

------

Movimentos

De leve, a folha sobrancelhuda cutuca Ana Julia.
De leve, a folha nariguda acaricia Ana Julia.
Muito interessante.

------

Argh!...volto para as férias.

12.7.07

"Sensação de Corrupção"

Não traz nenhuma novidade, ao menos para os bem informados, o estudo do Bird que atesta o aumento da corrupção no Brasil.
E a reação da CGU lembra muito, mas demais mesmo, a tese do ex governador Almir Gabriel sobre a sensação de insegurança, estapafúrdia tentativa de amenizar os efeitos, na opinião pública, da crise da segurança no governo tucano.

Reação

Uma delegação de empresários paroaras - à frente os presidentes da Fiepa, Faepa,e Confederação Nacional da Pesca - vai se encontrar hoje à tarde com o ministro do Trabalho, Carlos Luppi.
A pauta da reunião é o caso Pagrisa. A empresa foi autuada pelo ministério sob acusação de trabalho degradante, o que motivou a demissão de mais de 1000 trabalhadores.
A embaixada, que acompanha o titular da Pagrisa, Marco Antonio Zancaner, deverá contar com a presença de parlamentares da bancada paroara e vai levar vídeos, documentos e depoimentos que contestam as acusações dos auditores que realizaram a fiscalização.

Pompéia

Vive seus últimos dias o verme Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado.

-------

Madureira Chorou

Conta o blog do Jeso que o secretário de Saúde do Pará, Halmélio Sobral, caiu em prantos ontem, em Santarém, ao abrir as portas do laboratório do HR do Oeste.
Mas porque tanta emoção já?

------

Databusiness

Basta depositar R$ 180 mil na conta certa e qualquer prefeito safadinho pode receber duas pesquisas de opinião a la carte, publicadas em revista de circulação nacional.
O recibo? No problem. Pode sair até como venda de livros.
Bem feito! Quem não trabalha direito e na hora certa, tem que recorrer a expedientes desse nível, expondo suas nádegas à execração pública.
Que coisa!

------

Mão na Rede

Nem os velhos tempos de volei salvaram da degola o médico Jorge Alberto Ohana, o Bilú, da direção da Santa Casa. Depois de meses se segurando no pincel, e sempre prestando contas ao dindinho Sobrancelhudo, Bilú dá lugar ao colega santareno Anselmo Bentes.

-----

Vendendo Oportunidades

Ana Julia faz São Paulo na semana que vem. Tem palestra agendada na ADVB nacional.

-----

Cruzamento

E o Cavalo de Ferro ( Imperatriz) montou na Eguinha Pocotó ( Paysandu)

-----

Mala Direta

O cartão de um certo dr. Priante acompanhava os kits distribuídos pela secretaria de Saúde do Pará no bairro do Jurunas, na semana que passou.
Mas não se sabe qual é a sua (dele) especialidade.

------

Datapioneiro

Começam a vazar a primeiras notícias da pesquisa feita pelo deputado tucano Manoel Pioneiro em Ananindeua. Feliz da vida com os resultados, ele bem que poderia contratar um instituto nacional, por módicos R$ 35 mil, para dar credibilidade aos resultados que correm à boca pequena, praticamente 2 x 1 em cima do Sobrancelhudinho.

------

Clube

Não é verdade que Jader e Renan estariam fundando a Associação dos Ex Presidentes Escorraçados do Senado.

------

Número 1

É o mais jovem, o mais inexperiente, seu partido é o caçula no Senado.
Mas o senador José Nery (PSOL) é o mais destacado membro da bancada paroara na Câmara Alta. E o único que tem enfrentado a larva Renan Calheiros.
Coisa de quem não tem o rabicó preso.

------

Lista Suja
No blog do Alencar.

Saiu uma nova lista suja, rol de empresas que dedicam-se a atividades econômicas e, sempre que podem, dão-se a baixas práticas nas relações de trabalho.
O Pará é, mais uma vez, campeoníssimo. As empresas vencedoras são do setor primário da economia (agropecuária).

Parece ruim, e é mesmo.

10.7.07

Férias Para Que Te Quero

Olá pessoal!
De férias por aí, o poster está anotando os fatos relevantes da saison para comentar na volta, no primeiro dia de agosto.

-------

Quem terá sido o brain que tirou do colete a pesquisa Databrain que colocou o jabuti em cima da árvore lá em Santarém? Pensam que é a primeira vez que Maria apronta com pesquisas de opinião? Negatof.
Na volta o blog conta tudo.

-------

Houve excesso na fiscalização do Ministério Público do Trabalho na fazenda Pagrisa, em Ulianópolis? Ou a moda agora é chorar pelos empregos, como se a sua garantia naquelas condições justificasse o desrespeito à lei?

-------

O Sobrancelhudo se move para as eleições municipais de 2008, com a inteligência de sempre. Em Santarém, anuncia-se o convite ao tributarista Helenílson Pontes (PPS) pela legenda vermelha de bolinhas pretas, turbinando sua candidatura à prefeitura da Pérola.

-------

Sabe aquele deputado que se elegeu prometendo fazer onda em Brasília? Pois bem, a novidade agora é que Brasília vai começar a fazer onda em cima dele.

-------

Não é verdade que Remo e Paysandu irão para a quarta divisão, onde já estão seus diretores.

-------

Uma barcaça demitiu 32 professores de uma facúl particular em Nova Déli. Teve neguinho que saiu chutando porta.
E o setor deverá conhecer fusões em breve, bem como o lançamento de ações nas bolsas de valores.

------

Fonte do blog abrigada no TCM acha que o caso das mini centrais hidrelétricas de Santarém, contruídas sem licitação, vai pegar prá cima da subprefeita Maria do Carmo. Acha também que a próxima vaga de ministro no TCE - a vez é dos procuradores junto ao Tribunal - pode ter o mesmo encaminhamento ocorrido na vaga do TCM: uma solução Lavareda, por assim dizer.

-------

O PSDB teria batido o martelo na segunda,2.
Pioneiro será candidato em Ananindeua.

-------

Um advogado bocudo quase deixou em maus lençóis um membro do TRE paroara nas escutas telefônicas da Operação Rêmora.

-------

O novo titular do comando de ataque do Fogão é André Lima.
Anotem este nome.

-------

O poster não é chegado ao éter, mas quem já ouviu garante que não muda tão cedo da 105,5. Vem a ser a Rádio Unama FM.

-------

Tem agência nova ganhando a licitação da prefeitura de Parauapebas. E agência antiga quase virando escritório de advocacia.

-------

E o Renan, hein? Foi ouvir os conselhos do Sobrancelhudo e se deu mal. Sangra copiosamente, para gáudio e júbilo da nação.

-------

Hoje é o Dia Mundial da Pizza.
Dia de dar um pulinho na Xícara da Silva, e pedir uma de tomate seco, rúcula e muzzarela de búfala. Estonteante, como as frequentadoras da casa.

-------

Os cães continuam ladrando. E o Quinta mordendo.

-------

Até a volta!

3.7.07

Eles Já Sabem

"Quanto às denúncias com que pretendem atingir a minha imagem, refuto-as com veemência por improcedentes e esclareço que já são objeto de análise pelos órgãos competentes.

As palavras são do senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO) e o negrito é do blog. Em outras palavras ele diz:

"Já sou ladrão conhecido na Justiça Federal e no MPF."

Os Saqueadores do Brasil

Por renúncia ou cassação, a saída do tetragovernador do Distrito Federal (DF), Joaquim Roriz, do Senado da República é apenas uma questão de tempo - em Brasília não há viva alma que aposte na salvação do seu mandato.
Nem por isso se torna supérfluo conhecer as minúcias do escândalo que lhe será fatal. Se não para completar o retrato de um exemplar da mais perfeita encarnação do coronelismo político brasileiro, que converteu o território que sedia a capital da República e o seu inchado entorno em feudo pessoal, ao menos para agregar ainda outra modalidade de malfeitorias à vasta coleção do gênero, da lavra dos corsários impropriamente chamados homens públicos deste saqueado País.



Trecho do editorial de hoje do Estadão sobre o larápio Joaquim Roriz. Um resumo do último assalto conhecido do senador peemedebista pode ser lido aqui.

Caminho Certo

Até da oposição o blog ouviu elogios ao manual de comunicação lançado pela Coordenadoria de Comunicação Social do governo do Pará.

Umas Rapidinhas

A Bosta e a Merda

É indecente o silêncio da principal coluna do Diário do Pará, edição de hoje, a respeito da escandalosa omissão de socorro ao segurança morto ontem num posto de saúde da prefeitura de Nova Déli.
Já O Liberal brinda seus leitores ao dedicar o mesmo espaço - e até mais destaque - aos protestos de meia centena dos dejetos da UFPA na frente do Teatro da Paz, na cerimonia do cinquentenário da UFPA
Todos os dias as duas pocilgas disputam o primeiro lugar no quesito sem vergonhice explícita. Empatam, é claro.

----------

Conselho de Marginais

Mais um senador, Leomar Quintanilha, do Partido dos Maiores Degenerados do Brasil, o PMDB, cumpriu o papel de calhorda e enviou o processo do marginal Renan Calheiros de volta à Mesa do Senado, onde lhe espera outra cambada de biltres.

----------

Régua

Foi aprovadíssima, por onde andou este poster durante o final de semana, a medida da governadora Ana Julia em vestir o pijama na coronelada.

Heranças

Demorou-se em Nova Déli, coisa de tres semanas atrás, um cidadão registrado nos assentos do Instituto Félix Pacheco, cujo nome o blog não conseguiu apurar.
O carioca, um dos muitos funcionários da Rede Globo que tem andado por Nova Déli nos últimos tempos, vem a ser uma espécie de auditor técnico da Rede Globo e, segundo se comenta nos corredores da afiliada local, só se desloca da sede da empresa em casos graves.
O auditor teria detectado um deficit, nas estruturas técnica e operacional da TV Liberal, que demandaria investimentos na ordem de 5 milhões, de dólares.
Aí o pau cantou no centro, lá por trás do Bosque, pois o pacurú que é bom prá investir, necas. Foi um Deus nos acuda!
Jatinho no hangar, sem o convênio Funtelpa, pouca mídia do governo ( o maior anunciante do estado), jornais vendendo cada vez menos, e zero de Y.Yamada ( o maior anunciante do setor privado), fica difícil.
Muito difícil.

-------------


O Instituto Félix Pacheco é o órgão da Polícia carioca responsável pelos registros civis e criminais daquele estado.
Era de lá a carteira de identidade de meu saudoso pai, David, um paraibano de Campina Grande enviado à força para o Colégio Militar de Recife em 1936, aos 15 anos.
A proficiência nas mesas de sinuca e na porrada, levou meu avô a tomar a dura decisão: enfiaram o velho num trem, donde viu pela última vez a cidade natal.
No ano seguinte fugiu para o Rio de Janeiro, onde morou na Lapa e ganhava a vida como funcionário civil do Ministério da Guerra. Foi bi campeão de remo pelo Vasco da Gama, seu time do coração, num quatro com patrão.
Em 1943 chegou em Nova Déli, a convite de um irmão mais velho, que o esperava no Banco da Borracha, atual BASA. Morava num sobradinho na Félix Rocque, atrás da Sé.
Seus grandes amigos - era de poucos - foram Adib Nasser ( Higson, Co.), Rui Borborema ( Laboratório Borborema) e José Oliva ( Armazéns Oliva).
Este último, comerciante das primeiras portas da João Alfredo, era namorado de uma prima de minha mãe, e igualmente enjoado numa briga.
Inda lembro das festas de aniversário da filha única do tio José, em meados dos anos 60, quando ele fechava o quarteirão da Benjamim Constant entre Nazaré e Bráz, para incríveis festas de São João. Numa das esquinas, um fusquinha preto e branco da Polícia guardava a festa.
Foi lá que vi pela primeira vez o desembargador Milton Nobre, que namorava uma sobrinha do meu tio, Olga, mais tarde sua mulher, de quem recordo a beleza e a ternura do olhar.
Naquela época, Sua Excelência cultivava vistosa cabeleira, pela qual nutre, dizem os que tem a honra de privar de sua amizade, imorredoura saudade.
Menos um pouco do que tenho pelo Seu David, fulminado por um infarto em 1989. Ainda vestia manequim 42, com a blusa prá dentro da calça, e casado pela segunda vez com um linda mulher, tres anos mais jovem que seu único varão, que passou batido no invejável currículo do pai, embora a mais de vinte anos descole alguns trocados com a voz, ou escrevendo linhas mal traçadas como essas.
O paraíba era um craque nas duas coisas.
Heranças - essas heranças - que bom quando as temos.
E sabemos o que fazer com elas.

2.7.07

UFPA, 50 Anos

No site da UFPA.

Hoje, dia 02 de julho, acontece no Teatro da Paz a solenidade de comemoração dos 50 anos da Universidade Federal do Pará (UFPA). A data marca a assinatura do decreto-lei nº 3.191, assinado em 1957, pelo então Presidente da República Juscelino Kubitschek de Oliveira.
Durante a cerimônia, ex-reitores, membros do Conselho Universitário, autoridades públicas, educacionais e representantes da sociedade civil receberão medalhas alusivas ao cinqüentenário da Universidade. As medalhas foram produzidas com materiais provenientes da região, como o alumínio e a cerâmica.

Histórico - A criação da UFPA reuniu as sete faculdades existentes em Belém: Medicina, Direito, Farmácia, Engenharia, Odontologia, Filosofia, Ciências e Letras e Ciências Econômicas, Contábeis e Atuariais. Os trabalhos voltados à construção da Universidade começaram em 1952, quando um projeto de lei, de autoria do deputado Epílogo de Campos, foi apresentado à Câmara Federal. O projeto arrastou-se durante cinco anos nas diferentes comissões daquela Casa, até que o deputado João Lameira Bittencourt elaborou um substitutivo, aprovado logo em seguida.

O trabalho de implantação da universidade foi delegado ao Profº Dr. Mário Braga Henriques, nomeado primeiro reitor, por meio do decreto presidencial datado de 19 de novembro de 1957. No dia 15 de março de 1958, o Teatro da Paz foi palco da solenidade de instalação da Universidade, presidida por Kubitschek, que veio a Belém especialmente para participar da cerimônia.
Conheça mais sobre a história da UFPA e a programação de eventos alusiva ao cinqüentenário no site dos 50 anos, http://www.ufpa50anos.ufpa.br


-----------

Boas férias prá quem sai, muita paz prá quem fica.
E até dia 1º de agosto.

Excesso de Contingente

Será que não sobrava coronel e faltava massa encefálica na PM paroara?

1.7.07

Eu COMUS, Tu Comes...

O jabá correu solto na mídia deste final de semana.
Festa nas pocilgas...rs

Mistura Fina

Maquiavel, apesar de ser um homem comum, apresentava uma face controversa e pouco ortodoxa. Via o cristianismo como um danoso instrumento de controle social, pois deixava as pessoas mais interessadas em uma hipotética vida após a morte do que na própria realidade. Freqüentava bordéis, tabernas sombrias e festas devassas (foi até acusado de sodomia). Misturava-se com atores e prostitutas com a mesma facilidade com que convivia com reis e pontífices, sem esconder sua preferência pelos primeiros.

Leia mais aqui.

Sina

Passou um pouco do primeiro quinto do campeonato brasileiro, e existe um favorito.
Ele tem o maior ataque, a terceira defesa menos vazada, o vice artilheiro, um ótimo banco, e o melhor futebol do Brasil na atualidade, sem chôro.
Por tudo isso é o lider disparado do campeonato, cinco pontos a frente do segundo, em 8 das 38 rodadas.
Ontem, inaugurando seu novo e belíssimo estádio, bandeiras alvi azuis tremulavam no meio da torcida do Botafogo.
Bonita visão.

-------

Enquanto isso, tem gente nas lanternas dos campeonatos, da primeira e segunda divisão.
Que maçada!

Cai a Quadrilha Roriz

É infame o teor da gravação telefonica revelada no blog do Noblat, que escancara de vez o ladrão Joaquim Roriz, senador pelo PMDB-DF.
Um escárnio o non sense do assessor do senador ao dizer que não havia cofre prá tanto dinheiro. Roubado na sombra das asas da Gol, com a proteção de desembargadores do DF.
Uma quadrilha completa.


Sabe quem recebeu no dia 13 de março último a bolada de R$ 2,2 milhões dada ao senador Joaquim Roriz (PMDB-DF) um dia antes pelo empresário Nenê Constantino, dono da GOL?

Foi Valério Neves Campos, ex-chefe do Gabinete Civil dos dois últimos governos de Roriz no Distrito Federal (1999-2006). Valério é o principal assessor de Roriz no Senado.

Sabe onde Valério recebeu a bolada? Na sede de uma empresa transportadora de lixo que funciona no Setor de Indústria e Abastecimento de Brasília.

O Ministério Público do Distrito Federal tem a gravação de uma conversa por telefone entre Valério e Tarcísio Franklin Moura, presidente do Banco Regional de Brasília (BRB) nos últimos oito anos. Os dois acertam a entrega do dinheiro a Valério na sede da empresa de lixo.

Essa conversa se deu no dia 13 de março último - algumas horas depois de outras duas travadas por Roriz e Tarcísio e também grampeadas pela Polícia Civil, que apurava desvio de recursos públicos do BRB.

Na primeira das três conversas, Tarcísio diz a Roriz que havia sido sacado no BRB o cheque de R$ 2,2 milhões. E informa que o dinheiro seria remetido para a casa de Roriz.

- Desse jeito, não - respondeu Roriz.

E segue o diálogo:

Roriz – Não tem um cofre, tesouraria?

Tarcísio – Saiu da tesouraria [do banco] tem que entregar para alguém.

Roriz – Não tem um cofre, não?

Tarcísio – Mas pra isso tudo não tem, não. (Risos)

Roriz – Então vamos esperar, ver o que faz.

Tarcísio – Tá.

Roriz – Eu não sei, eu não sei como é que faz... Assim eu não gostaria, não.

Tarcísio – Não?

Roriz – O dinheiro é de muita gente.

Tarcísio – Ahã. Pois é. O problema é que tinha que centralizar num lugar e fazer [refere-se a fazer a partilha].

Na segunda conversa, Roriz e Tarcísio combinam ratear o dinheiro no escritório de Nenê.

Tarcísio – Oi, senador.

Roriz – Oi.

Tarcísio – Posso sugerir um negócio?

Roriz – Pode.

Tarcísio – Por que a gente não leva lá para o escritório do Nenê (refere-se a Nenê Constantino, dono da Gol)?

Roriz – Era pra isso mesmo.

Tarcísio – E de lá sai cada um com o seu.

Roriz – Era para ser isso mesmo, mesmo porque lá não tem dúvida mesmo.

De última hora, mudou a combinação. É disso o que trata a gravação da conversa entre Valério e Tarcísio. Por ora, seu conteúdo é mantido em segredo.

No discurso que leu no Senado na última quinta-feira, Roriz repetiu a história de que pedira a Nenê R$ 300 mil emprestados para comprar uma bezerra - na verdade o embrião de uma.

Em um trecho do discurso que preferiu ignorar, Roriz dizia que no dia 13 de março tinha dinheiro, sim, na conta de sua empresa agropecuária chamada Palmas, mas que não o sacou para evitar que ela se descapitalizasse.

Quer dizer: achou melhor se endividar. É, faz todo o sentido...

O que Roriz não disse no discurso, não disse até agora por meio de porta-vozes, e dificilmente dirá algum dia foi como devolveu a Nenê o troco dos R$ 2,2 milhões - certamente o maior troco conhecido da História.

Foi ele, Roriz, que devolveu o troco?

Foi Valério, que recebeu o dinheiro transportado em carro-forte para a sede da empresa de lixo?

Foi Tarcísio, que sacou no BRB o cheque destinado originalmente a ser sacado no Banco do Brasil?

O troco foi devolvido em dinheiro vivo? Ou virou um novo cheque - nesse caso, assinado por quem?

Onde Nenê estava quando recebeu o troco? Recebeu-o no mesmo dia em que o cheque foi sacado ou em outro dia?

Nenê está mudo. Na quinta-feira 21 de junho, ele disse à revista ÉPOCA que não emprestara dinheiro a Roriz. Na sexta-feira disse à VEJA que emprestara, sim, mas que desconhecia o tal cheque de R$ 2,3 milhões. E que não tinha sequer conta no BRB. No sábado, confirmou a vários jornais a versão de Roriz.

Na semana passada, Nenê recusou-se a responder a perguntas sobre o caso que lhe foram encaminhadas por escrito pelo jornal O Estado de S. Paulo e a VEJA.

O cheque de R$ 2,2 milhões de fato existe. Foi recebido por Nenê. E foi parar nas mãos de Roriz. O dinheiro seria repartido com "muita gente", segundo Roriz.

A VEJA deste fim de semana revela que parte do dinheiro foi usado para pagar suborno a dois desembargadores do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. Com o voto deles, Roriz livrou-se de um processo que poderia ter custado sua diplomação como senador.

Roriz está convencido de que foi Gim Argelo, seu suplente, quem revelou à VEJA o suborno dos dois desembargadores. Argelo passou mal e se internou ontem no Hospital Brasília.


---------------

É com essa corja de ladrões que Lula vai atravessar o segundo mandato.
Feia a coisa...