30.8.06

O Debate em São Paulo

Deixei Nova Déli num onibus das 17:30 da segunda, destino Paragominas, sudeste paraense.
Por volta das 20:00 percebi que o transito pesado e a chuva que se anunciava atrasariam a chegada. Perderia metade do debate.
Fissurado, desci no meio do caminho, São Miguel do Guamá, e procurei uma pousada, apelido interiorano dos motéis. O debate em primeiro lugar.
Ligo a televisão e...surpresa! O sinal da Band vinha de uma parabólica...em toda a cidade.
Assiti ao debate de São Paulo.
Um arrasador Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) dominou o debate. Mostrou aos adversários, menos Serra que escafedeu-se, os percentuais de repasses à São Paulo nos governos FHC e Lula.
Rigorosamente iguais.
De nada valeu o preparado Mercadante (PT), que sabia de cor os valores, físicos e financeiros, que o governo petista de Brasília despejou sobre o estado.
Quércia estava patético. Caiu em todas as armadilhas preparadas pelos outros candidatos.
Um melancólico fim de carreira.
Os outros, desculpem, meros figurantes.
Merecem registro a educação do candidato do PSB e a histeria, quase feminina, de Carlos Apolinário, do PDT.
Segurança foi o tema dominante.E foi visível que lá o tema ganha propostas muito mais elaboradas e sofisticadas que aqui.
Jatene e Santino deveriam pedir a fita, e assistir.

6 comentários:

Anônimo disse...

O problema de SP não está exatamente no quanto o FHC e o Lula investiram, mas, exatamente, no óbvio do governo do Estado de São Paulo nos últimos dez anos não ter priorizado a área de segurança. Todos sabemos que o estado de São Paulo tem poder financeiro suficiente para desenvolver projetos sem que para isso precise da ajuda sine qua non do governo federal. Ao que parece tal fato é comum a outras administrações tucanas longevas.

Anônimo disse...

Esse negócio de segurança pública está cada vez mais complicado aqui no Pará. Domingo bem em frente ao meu prédio, aqui na Doca, um rapaz foi executado na frente de dezenas de pessoas. E a nossa PM só apareceu por lá pra ver o corpo. E olhe que aconteceu bem no centro da cidade. Imagine o que acontece nos bairros mais distantes.
Mesmo em final de governo, bem que o nosso queridíssimo governador poderia fazer um esforço concentrado e colocar a nossa PM nas ruas de forma ostensiva.
Está mais do que na hora do estado acordar pra este grande problema que tira a paz das nossas famílias.

Anônimo disse...

Mas minha senhora. O nosso "queridíssimo" governador e seu secretário de segurança acham que tudo isso é só uma "sensação" sua.

Copulatum et Malum Remuneratum disse...

Deixando um pouco de lado essa seriedade toda... será que essa histeria, quase feminina, como bem enfatizou o post, tem algo a ver com a legenda? É que por aqui, alguns candidatos da mesma legenda tb andam tão "histéricos"... com todo respeito, como diz o post.

Anônimo disse...

Sim, copulatum. O problema é a histeria virar coletiva. hehe...bzrl

Anônimo disse...

O Almir, Jatene e o Santini já tiveram sua vez, já eram!