28.8.06

Sai, Mas Não Entra

O dinheiro do contribuinte já vai sair dos cofres do estado, por força da correta decisão do juiz Marco Antonio Castelo Branco - aliás um magistrado que vai se notabilizando pelas sentenças corajosas que profere - no caso dos furtos praticados pela desembargadora aposentada Ana Teresa Murrieta.
O Estado, aqui a instituição, vai pagar os prejuízos.
Mas não vem obtendo sucesso em, pelo menos, trancafia-la na penitenciária: uma intolerável prescrição ronda o furto.
Veja mais em O Liberal on line, em notícia postada as 13:03

2 comentários:

Anônimo disse...

Mestre Juvêncio,

Ela manteve a alegação de "insanidade mental"? O TJE acatou essa alegação?

Nesse caso, serão mantidas ou anuladas as sentenças que ela proferiu no mesmo período?

Afinal, não tem sentido manter sentenças proferidas por uma juíza que -- segundo ela mesma afirma -- havia perdido o juízo quando as proferiu.

Juvencio de Arruda disse...

Mestre Anonimo,

1. Sim, sua defesa mantém a estratégia.

2.O TJE aceitou e novos exames deverão ser realizados.

3. Esse é o busílis, Mestre.
Se acatarem a tese da maluquice, o rombo nos cofres públicos será enooooorme.
Se a tese aceita for a da punga,a cana sairá mais barata.

Aguardemos.
Não vale o preço de uma cana.