28.4.06

Aculturação

Amarga mais uma derrota política o prefeito de Santarém Everaldinho Beiçola, segundo o Diário do Tapajós, edição regional do Diário do Pará no Oeste do estado.
O pastor evangélico (?!) indicado para a secretaria da Cultura do município, presidente local do PL, nem chegou a sentar na cadeira.
Percebendo a enorme rejeição que o cercava entre as entidades culturais, e preocupado com os salários da secretaria- muito menores que os de seu ministério na Igreja da Paz - já comunicou que não vai aceitar o cargo, negociado em troca do apoio de sua Igreja.
Entre o sagrado e o profano, vai mal a política petista em Santarém.

16 comentários:

Anônimo disse...

Business is business. Não foi você o marqueteiro do candidato derrotado por Maria do Carmo em Santarém? O nome é o mesmo e acho que te vi circulando por lá na época. Assim dá pra entender a sua raiva com respeito a família Martins e a atitude grosseira de tratar um deles por apelido que ressalta um defeito físico ou estético.
Espero que não esteja assistindo ao nascimento de um blogue marrom, com boas notícias postadas, mas comentário de qualidade ruim. Se for assim, avise, pois não perderei o meu tempo aqui.

milton toshiba disse...

Não é de se estranhar!bom feriado Juca.

Abçs

Juvencio de Arruda disse...

Fui eu sim quem trabalhou na campanha adversária da família Martins,Anonimo.
Não tenho raiva da família, senão aponto seus desaforos à sociedade santarena,que, ao que parece, não lhe interessam.
Não há defeito físico ou estético e sim moral, na atitude de não honrar compromissos assumios com fornecedores.
Lamento se a boa notícia e mal comentada. E se for um problema de leitura?
E voce está avisado que o blog é assim.
Portanto, faça o favor de não perder mais tempo por aqui.

Juvencio de Arruda disse...

Dom Milton,nada mais natural..eheh.E ótimo feriado prá voce também.

Anônimo disse...

Não te aborrece, nem te arvores em ser a palmatória dos teus amigos que, segundo tuas alegações, não foram pagos. Macaco velho no metiê das campanhas te acostumaste com atrazos e calotes sem abrir o bico, porque então agora de paladino pelos outros? Mas, o mundo dá voltas, e lembre-se que eu iniciei dizendo que negócio é negócio. Quem sabe um dia você não faça bons negócios com os Martins, ampliando tua participação no lucrativo mercado das campanhas políticas? E tudo ficará no dito pelo não dito... como recomenda o manual de boas maneiras dos marqueteiros mirins.
Quanto ao meu interesse por Santarém você tem razão; é menos pela cidade do que por fazer você dizer de público de onde vem essa tua ira não santa contra os Martins.
Procura a felicidade sem sacanear ninguém. Seria te pedir muito, escorpião?
Um bom feriado

Juvencio de Arruda disse...

Errou de novo,Anonimo.
Quem está aborrecido é voce...rs
Não dispenso os amigos quando estão errados e fico sim, ao lado deles, quando são sacaneados.
Também nâo levo em meu curriculum casos de trambiques.Deve ser porque sou um marketeiro mirin mesmo.
Aliás, fui.
O que me impedirá de "fazer negócios" com os Martins.
Pode faze-los,Anonimo.
Jamais descobrirás o porque da "ira não santa" contra teus amigos.Como no caso anterior, não é uma questão de estética.
É de ética mesmo.
Quanto à procura da felicidade, desista voce de procurar a sua.Eu já o fiz há trinta anos.
Mas, enfim, te revelastes mais um pouco ao blog.
Bom feriadão prá voce também,camaleão.

Anônimo disse...

Senhor Juvêncio
Infelizmente é comum no universo blogueiro esta mania de pessoas recalcadas postarem comentários agressivos em defesa do indefensável, como é o caso do advogado da família Martins neste seu post. Infelizmente ele não é capaz de separar as coisas, atribuindo suas críticas ao mero fato do senhor ter trabalhado em campanha de adversários da senhora Maria do Carmo. Ele não sabe o que é ser profissional, o que é ter opinião. É o tipo de pessoa que acha que tudo na vida é paixão, e quebra a cara. Minha solidariedade ao senhor e continue externando honestamente sua opinião, sem dar atenção aos recalcados.

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado por sua mensagem,Sr. Anonimo. Mas não se preocupe com isso.Em seis meses de blog é a primeira vez que acontece,e outras a seguirão.
É da vida, e da blogosfera.
Acontece que é difícil para os grandes mestres do marketing ,se conformar com a idéia que na vida nem tudo é business, ou nem sempre é business.
Mas os marketeiros mirins podem chegar a um momento,da vida e da profissão,onde escolhem seus clientes,ou se fazem o próprio.
Essa foi a minha escolha.
Também não podemos recusar a vibrante e aconselhativa defesa, dele e de qualquer pessoa ,atitudes ou instituições contestadas aqui no blog.
Ainda assim reitero meu muito obrigado por suas palavras.

Anônimo disse...

De anonymous para anonymous e a quem mais interessar:
Minha cara está inteira, e nem um pouco aborrecido estou. O que disse aqui é fato reconhecido pelo administrador do blogue, ou "poster" se preferires a anglofonia: ele atuou em campo político oposto ao de Maria do Carmo; foi parte envolvida diretamente numa campanha adversária cujos valores ele defende; é antipático ao partido e ao governo dela e se defende com as armas que pode quando o assunto é uma alegada falta de ética dos Martins. Enfim, nada do que diz é pessoal, apenas uma questão de negócios mal feitos, ainda que pelos amigos dele, de quem assume a defesa, o que é obviamente louvável NO MÈRITO, porque não também não os conheço.
Diz também que me revelei mais ao blogue, mas penso que é maior o desvelamento dele, e isto é bom para quem tanto preza a liberdade de expressão (quinta emenda)e a conduta ética entre homens de boa vontade.
Se procuro não ter traves nos olhos, é porque também não permito que fariseus as ponham, e tu deverias agir da mesma forma. Tudo em paz, camarada.

Juvencio de Arruda disse...

Siga em paz camarada.

Val-André Mutran disse...

Acabei de ler.
Essa é a blogosfera caros e caras leitores do Quinta.
Para quem procura acomodação intelectual e aceitação da falta de ética no comportamento de homens e mulheres públicos, há lugares bem mais amenos na internet para o sossêgo do incômodo da verdade.
- Avante Juvêncio.
Arrocha aí, que eu aperto aqui.
PS. No último domingo amigo Juvêncio, fui bombardeado por anônimos que me chamaram dentre outros adjetivos impublicáveis de ser um senhor de escravos só porque tenho o sobrenome que tenho, com ameaças e outras coisas mais.
Já tomei as medidas legais cabíveis e aguardo que os covardes revelem as identidades, por covardes que são.
O feriadão será de paz à todos.
Grande abraço.

Juvencio de Arruda disse...

Ahahah...Val-André, grande praça!
Estou de saco cheio de lugares amenos.Quero mais é apertar a cangalha. Inda bem que não enho sobrenome famoso, ao menos aqui nestas bandas.Mas vá falar em Arruda Câmara lá em Campina Grande.
Perto da parentada de lá o Vavá é coroinha de paróquia...rs.
Só tem um aqui,um incrível homonimo - Juvencio de Arruda Câmara - advogado.Mora em Capanema.
Dou um doce pra voce advinhar para quem ele trabalha...rsrsrs.
Mas o seu amigo aqui é da paz...rs
Grande abraço e obrigado pela força aí.
(Se puderes passa um fio.Tô indo lá pros teus lados neste final de semana)

Val-André Mutran disse...

Sou da paz também amigo.
Nunca tive um estilingue. Nem sei brigar com os punhos.
Minha arma é a caneta. A caneta da verdade.
Mas o homônimo de Capanema é um elogio não!?. Capanema é uma terra muito boa.
Ele é um advogado. Você um publicitário.
tudo no estudo é formação das ciências humanas.
Você é um homem de sorte, he,he.
Abraços

Anônimo disse...

Legal quem usa a caneta como arma e que, além de tudo, detém a verdade. É isso aí.

Anônimo disse...

Tem alguém com inveja por aí?
Esse Val-André falou a palavra "detém"?
Ou a inveja é que detém o Anonimo?

Juvencio de Arruda disse...

Estão encerrados os comentários referentes a este post.
Não são tolerados debates, entre comentaristas, que derivem para troca de impressões pouco lisonjeiras.