30.6.06

Acomodando Interesses

Mário Cardoso aceita sim, sair candidato ao senado. Paulo Rocha eleva as mãos aos céus.

3 comentários:

CJK disse...

Falando em acomodar interesses:
o deputado JB ficou até às 2:30 h na sede de seu partido recebendo os candidatos a deputado federal e estadual, bem como sua atual bancada legislativa, explicando o jogo que vai ser jogado daqui em diante. Retornou às 9:00 h para mais articulações.
Está tranquilo e muito confiante com sua candidatura a deputado federal, em especial após a divulgação das últimas pesquisas que mantém, até o momento, o presidente Lula à frente dos demais candidatos.
A mídia nacional já detectou o ressurgimento de JB como liderança política congressual, ouvido, respeitado e atendido pelo governo petista e pelos demais partidos no Congresso. Alguns (ou algumas) comentaristas políticos dos jornalões do Sul até se surpreenderam ao constatar o fato, que para nós, que somos um pouquinho mais experimentados nessas tricas e futricas planaltinas, não espanta nem um poukixo...
Apenas confirma nosso juízo que certos comentaristas pensam que por escreverem em determinados jornais detém o monopólio da verdade, quando sequer aprenderam que a realidade da prática política, já nos ensinava há séculos Maquiavel, nada tem a ver com a moral ou com nossos desejos, baseia-se esta apenas nas formas e modos de conquista e manutenção do Poder.

Anônimo disse...

Queiram os deuses que as formas de conquista e manutenção do poder da nossa elite ( argh!) política sejam desmontadas pela vontade do eleitorado. Claro que só apelando para todos os deuses e a Virgem de Nazaré.

Anônimo disse...

Fora Anhanga disse...
É claro que o Anhanga ainda é uma liderança no Estado e conduz com extrema capacidade o controle do partido. Todos o obedecem, de joelhos, sem direito a, sequer, um espirro. Se a imprensa do Sul Maravilha o está redescrubindo, não acho que deva ser festejado. É só ele colocar a cabeça de fora novamente que o pau vai cair pesado em cima dele. E aí, não tem jeito: o Anhanga vira tatu e se enfia no buraco, como fez nesses três anos.
Uma coisa, entretanto, essa eleição está comprovando: o Anhanga não é mais o "caboco" macho de outros tempos, destemido e pronto para enfrentar tudo e a todos. Foi assim, até, com o todo poderoso Toninho Malvadeza, o que lhe valeu por certo a presidência do Senado e , por fim, o mandato de Senador da República, culminando com a cena humilhante das algemas.
Se é verdade que as pesquisas indicam uma melhora na sua imagem, até por conta desses escandalos e mensalões , a ponto da rejeição ao seu nome está beirando a metade dos eleitores, mesmo assim, o Anahnga não tem coragem de arriscar um cargo majoritário. Assim, ficam órfãos os seus seguidores , reconhecidamente fiéis, que achavam que a hora tinha chegado para uma boquinha, mas que terão que esperar mais um pouco. Ou muito. Ou, talvez, torcer ardorosamente pelo primo do Anhanga. Ou por um segundo turno com a mulher da madeira. Ou, ou , ou .....