26.2.06

Comigo Não, Violão

São estapafúrdias as estórias protagonizadas pelo governador do Paraná, Roberto Requião, do PMDB, em suas relações com a imprensa local.
Caso de polícia e justiça.
Numa das canalhices de Requião contadas no link acima, ele chega ao ponto de torcer o dedo de um repórter.
ACM é outro político que registra casos como esse.
Aqui no Pará, atualmente, não tenho conhecimento de malinagens desse jaez.
Há outras.
Mas não custava uma reação mais surpreendente
Tirassem uma graça dessas com este poster, qualquer governador, senador,mandador...recebia, na hora, uma sonora bofetada.
No meio da lata.
Nem que depois os gentilezas da vida me cobrissem de porrada.

4 comentários:

milton toshiba disse...

Também tenho sangue quente Juca, mas vc não conhece minha esposa que só assiste TV Câmara e Senado.....ela fica gritando em trente a TV, heheh

citadinokane disse...

Como não quero que o meu amigo seja jogado ao chão e crivado de balas pelos "seguranças" dos poderosos; vou tomar uma atitude drástica, irei até a feirinha do Ver-o-Peso e encomendar uma garrafada de brochante do "bão"... A "porrada" que dói nesses caras, é aquela que vc digita com as pontas dos dedos...
Um abraço Juca,
Pedro Nelito

Juvencio de Arruda disse...

Milton, olha a coincidência!
Aqui em casa é a mesma balada...rs.
Mas o jornal eu só libero depois que leio o primeiro caderno.Ele.
E assim sucessivamente...rs

Juvencio de Arruda disse...

Grande Pedro. Obrigado pelo receituário, mas se eu tomar essa garrafada brochante ...aí acaba de vez...rs
Não se preocupe com os poderosos.
Eu só publico o que sai na mídia, já reparou? E o que cobro já está na "reta" das autoridades.
Mas eu pensei que voce estava no carnaval do Sal?