28.2.06

Memória

São todas de arquivo as fotos em ângulo aberto do carnaval de Nova Déli em 2006, que tanto deixou feliz o prefeito, segundo a coluna de Bernardino Santos, em O Liberal de ontem.
Um carnaval que vai para o arquivo.

7 comentários:

Anônimo disse...

A quem deseja enganar o alcáide?
Permita-me Juca utilizar o espaço do seu blog, para recomendar ao alcáide, que leia com muita atenção a reportagem inserida no liberal de hoje, no Cartaz, onde a pesquisadora Rachel Valença fala sobre o carnaval nas Escolas de Samba.
Sr. alcáide preste muita atenção quando a pesquisadora fala sobre a noção de liberdade e a percepção de que discordar não é crime.
Em tempo. Crime é mentir para a opinião pública, induzi-la a erro, gastar o dinheiro do contribuinte para corroborar seus mais inconfessáveis desejos ditatoriais, etc.
A propósito sr alcáide. Quando o sr era reprimido pela mão pesada da ditadura, como todo cidadão, em época não muito distante, nós nas Escolas de Samba, já praticáva-mos a Democracia, inclusive com enredos críticos para a época.
Viu sr. alcaide, como o sr. não sabe da missa um terço?

Marcelo Medeiros disse...

Uma coisa eu louvo no nosso prefeito: não gastar nosso dinheiro com subsídios a escolas de samba.
E digo o por que!
Sou do tempo em que praticamente só tinhamos como escola de samba o Boemios da Campina nos anos 60 e o nosso carnaval era fabuloso,
Subvenção? Nem se falava nisso.
O que os nossos carnavalescos precisam fazer é promover eventos que possam gerar recursos financeiros que garantam os encargos do carnaval.
O resto é filosofar no nada.

Juvencio de Arruda disse...

Anonimo,o melhor que as escolas de Nova Déli podem fazer é esquecer o prefeito e cuidarem de organizar a sua liga.Desse mato não sairá cachorro, só mordidas.
E uma boa maneira de fazer isso é resgatar esse papel desempenhado pela cultura nos tempos da ditadura.
Esquecçam Dudu.Pelo menos até as eleições,de 2006 e 2008.

Marcelo Medeiros disse...

Bravo, Juvêncio, bravo mesmo !
No more comments !

Juvencio de Arruda disse...

Marcelo, concordo com voce com relação a manutenção das subvenções, ao moldes do que vinha sendo feito.Fiz inimizades no mundo do samba ao concordar com a posição do prefeito,dois meses atrás, quando começou a querela, justamente por causa dessa questão da grana.
Mas, ao contrário de voce,o resto é que importa.E muito.
Se voce é do tempo do Boêmios - e eu tb - deve lembrar que a cultura do carnaval não pode ser interrompida por atos de voluntarismo localizados.Não dou dinheiro e pronto.Talvez voce não saiba de detalhes do que a prefeitura tentou fazer com o carnaval, criando tacacazeiras em lugar de baianas, eliminando os mestres salas e porta bandeiras e uma série de desatinos dessa ordem.
Uma coisa é o patenalismo.Não há mais lugar.
Outra coisa, bem mais sério, é impingir mudanças ridículas, partindo de pessoas que não tem a menor competencia, preparo,atitude e seriedade para faze-las.
Essa estória ainda vai longe,pois vem de longe,desde as tentativas de Paulo Chaves, por questões menores da política,em desmantelar o desole, dividindo as escolas em dois grupos, levando um desfile para Anannindeua, apoiado pelo prefeito da época,o mineiro Manoel Pioneiro.Aguarde e vará.

Direito & Esquerdo disse...

Amigo Juca,

Peço licença para meter minha colher nesta polêmica.
Penso também que o modelo da subvenção pela subvenção está ultrapassado.
Agora o que não pode é impor mudanças estruturais há cerca de 45 dias do "possível" desfile.
Ademais, na mesma linha, não posso concordar com a "suruba cultural" criada pela FUMBEL e o senhor Heitor Pinheiro.
A cultura popular deve ser irrestritamente preservada e louvada, agora, cada macaco no seu galho.
Carimbó, Lundun, pássaros merecem o apoio da municipalidade, na sua devida época e não em detrimento da cultura do samba.
O tiro saiu pela culatra, porque o nosso gestor acabou sendo obrigado a desembolsar mais recursos públicos do que se mantivesse a essência do modelo anterior.
Aproveito para deixar uma proposta para o carnaval 2007: reunir com as partes envolvidas e, em consenso, formatar uma nova forma para 2007, com coragem e olhando nos olhos dos dirigentes das escolas de samba, objetivando reverter o fracasso deste carnaval.
Sds
Bruno

Juvencio de Arruda disse...

Tá feita a proposta.Agora quanto ao carnaval 2007 ter custado mais caro que o previsto para uma situação normal,é preciso ter números.
Voce tem ou precisaremos esparar pele prestação de contas?
Abs