29.1.07

Chegado

Tem tudo prá chegar na Justiça, ainda nesta semana, mais uma ação contra o prefeito desastre de Brasí...oops, Nova Déli. É que passando por cima de uma lei municipal, o nacional retirou, através de portaria, a produtividade dos auditores fiscais da prefeitura.
Impressiona a proficiência do elemento de se meter em casos judiciais.
Mas o cerco se fecha...ah, fecha!

17 comentários:

Anônimo disse...

Estou explodindo de rir. Kakakakakakaka. Dudu tirou a produtividade dos auditores fiscais da SEFIN? KAKAKAKAKAKAKAKAKA. Bem feito. Eles constituiam uma verdadeira quinta coluna dentro da SEFIN durante os governos do Edmilson e fizeram campanha pesada para eleger o Duciomar Costa. KAKAKAKAKAKAKAKAKAKA.

Anônimo disse...

Se merecem.

francisco rocha junior disse...

Mais uma morte na conta da PMB, e também rescaldo da "sensação de insegurança" do governo passado: a do médico assassinado por meliantes no domingo pela manhã, em pleno Umarizal.
A nova Secretária de Segurança Pública precisa tomar uma medida de impacto sobre o assunto, já que a prefeitura não faz nada. A corda está cada dia mais apertada no pescoço do contribuinte. O medo de sair de casa está cadia dia maior.

Anônimo disse...

8 x 23 disse ...

Meu caro Francisco Rocha, a PMB já é culpada de muita coisa ruim que está contecendo na cidade. Mas não me parece justo colocar a lamentável morte do médico na costas do Dudu. Apesar de ser um caso complexo,que deve contar com a participação de todas as instituições da Federação, penso que o Estado ainda é o maior responsável pela segurança pública. Se antes culpavam a tal "sensação de insegurança", o que está contecendo, então, agora?

francisco rocha junior disse...

Do ponto de vista estritamente legal (ou constitucional, para ser mais exato), você tem razão, CJK. Mas o município tem responsabilidade também, por integrar o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP). Na municipalização dos serviços essenciais ao cidadão - da qual a saúde é a face mais visível e comentada - certamente se insere a segurança. É impossível, no meu entender, dissociar a insegurança efetiva dos munícipes da responsabilidade dos gestores municipais. Ao menos, as políticas sociais de governos passados, como a bolsa-escola instituída pelo ex-prefeito Edmilson Rodrigues, representavam tentativas de solução do problema dos menores infratores de Belém. O ponto de contato com o triste fato do médico assassinado? A polícia suspeita da participação de um menor de 16 anos no crime. E o que fez a atual gestão a respeito? Acabou com a bolsa-escola.
Em relação à política de segurança do governo Ana Júlia, ainda é evidentemente cedo para dizer qualquer coisa; só estranho não se ouvir falar mais nas operações feitas nas 2 primeiras semanas da nova administração, em bairros da periferia da cidade. Por que não lhes dar seqüência?

francisco rocha junior disse...

Perdoe-me, 8x23... confundi os comentaristas...

oliver disse...

Violência e criminalidade não são resolvidas apenas com polícia, bala, cassetete e presídio. É necessário a concorrência de programas sociais que permitam aos miseráveis e pobres romperem a cadeia geracional da pobreza, que os deixa fragilizado diante aos apelos da criminalidade.
Acabar com programas sociais de reconhecida importância no Governo Edmilson foi um erro de um estúpido. Ao proceder assim o Sr. Duciomar entrou em colisão com o que se recomenda em termos de políticas sociais no Brasil e no mundo, e assinou sua co-responsabilidade na onda de violência e crime que assola Belém.

Anônimo disse...

8 x 23 disse ...

Sem dúvida de que a pobreza entre tantos males, acaba por contribuir, também, para o aumento da criminalidade, da violência. E as políticas sociais devem, portanto, partir de todos: governos federal, estadual e municipal, iniciativa privada e entidades. Agora, dizer que com os programas sociais, como a Bolsa escola, do professor Edmilson acabaram, ou mesmo reduziram tanto a pobreza a ponto de não se ter violência naquela época, sinceramente, acho um pouco demais. Mas respeito a opinião dos nobres comentaristas.

Anônimo disse...

Claro que oftalmodudu tem culpa! Não diretamente, mas por ser co-responsável por uma política desastrosa que está afundando a cidade de Belém. Ou será que ideologicamente esse aspirante de prefeito não participa de acordos concentradores de riqueza?! Ou será que ele abdicou do apoio incondicional dos senhores do poder local, os mesmos que jogam milhões de almas no fosso da miséria?! Todos eles, agora aparecem sob os holofotes da opinião pública, distribuíndo piedades e prometendo migalhas de seus fartos banquetes. O que falta para o povo de Belém é incorporar o espirito Cabano e jogar essa camarilha no limbo da história.

Anônimo disse...

O anônimo da 8:40 está faltando com a verdade, pois o que existiu na gestão Edmilson Rodrigues foi um diretoria arrogante e truculenta (Sr. Marcos Damasceno) que também foi alvo de ação judicial por parte da associação que congrega tais auditores.
Auditores não aliviem, seja com quem for, petista ou médicos fajutos, lutem por seus direitos.
Categoria unida, categoria forte.

Anônimo disse...

Não conhecia o blog. Gostei muito. Sobre esse tópico é interessante colocar que o modelo atual de condução das políticas públicas adotadas pela PMB, pelo Estado e também pelo Governo federal já se esgotou. Pelo menos pra quem vive no terceiro setor. Mesmo cedo, mas que no segundo caso, pelas alianças e acordos que já devem ter sido firmados, indica que não haverá mudanças sensíveis. Cito como exemplo o corte das cotas dos negros na universidade estadual as perspectivas para o campo também não são animadoras. A nível Federal o discurso do bobo da corte numa festa composta por banqueiros, latifundiários, agronegócios e outros socialites indicando a social democracia como alternativa. Quem diria hein! Estamos enveredando para a convulsão social. Já se foi o tempo de cestas básicas, bonés, kits, batons e outras porcarias que aos olhos do povo pareciam como tábua da salvação em época de campanha eleitoral, práticas essas que só transformaram o povo em um bando de incrédulos e oportunistas comprometendo até mesmo a educação familiar. A verdadeira mudança só ocorrerá quando os políticos entenderem que foram eleitos não pra serem os chefes da população e viverem enfiados em gabinetes, empregando seus pares. Mas sim, pra governar atribuindo à população o papel de protagonista, participando também nas decisões que visem as melhorias das cidades humanizando-as e tornando um espaço de todos onde com toda certeza, índices de violência, trabalho escravo, abuso sexual contra jovens e adolescentes, violência contra a mulher e homossexuais, preconceito racial e outras mazelas deverão ser reduzidos acentuadamente. Voltarei a freqüentar o blog.

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado pela visita e elogios.Bem vindo ao blog,Anonimo.
E acho que voce está coberto de razão quando afirma que caminhamos para uma convulsão social.E a passos largos,decididos,norteados para este fim.
A únicareversão possível é a emrrgencia deumanova e muito diferente geração de políticos, para varrer a canalhada que está volita por aí.
Mas isto, creio, não é provável.
Apareça.

oliver disse...

18 x 23: Só um reparo. Nem eu, nem o Francisco afirmamos que os programas sociais de Edmilson Rodrigues acabaram com a pobreza. Seria uma maluquice nossa afirmar tal coisa.

Anônimo disse...

É um caso sério. Vai minguar o salário, vai aumentar o bafo na proporção da propina! Quando a polícia enquadrar uns seis acaba na hora a patriotada.

francisco rocha junior disse...

Oliver, obrigado pelo oportuno esclarecimento sobre nosso meu ponto de vista, que se assemelha. Acho só que o 8x23 já sabia disso, como a boa retórica que ele mostra possuir.

Anônimo disse...

A busca pelo direito deve ser buscada até as últimas consequências, como dizia Rudolph Von Iering.
Assim, se direitos estão sendo subtraidos pelo ilustre prefeito de Brasília, Sr. Dudu, sem dúvida, todos acionar a PMB na justiça.
Quanto as propinas, penso que aqueles que se aventurarem por este lado sujo, merecem sofrer as sanções cabíveis.
O que não se pode é generalizar, porque dentre os Auditores Fiscais, a grande maioria é séria.

Anônimo disse...

Como diz o Barata... com o benefício da dúvida.