28.3.07

Ao Trabalho, Pedetistas.

O pedetistas juram de pés juntos que não.
Mas a frustação da sigla é grande com a troca, no apagar das luzes, do ministério que será ocupado pelo partido, que justifica o apagão pela relutância em fazer reformas na previdência.
É que, previdentes, já tinham acertado toda a distribuição dos cargos do ministério.
Entende-se, subliminarmente, que o PDT não concordará com reformas na legislação trabalhista.

4 comentários:

Anônimo disse...

Será que o deputado Giovanni Queiroz, presidente estadual do PDT, vai indicar o pecuarista Luciano Guedes para a Delegacia Federal do Trabalho no Pará?
Comentava-se muito, nas últimas semanas, que Guedes, homem da mais alta confiança de Queiroz, assumiria a Gerência Estadual do INSS, caso o PDT ficasse com o Ministério da Previdência.
Na Delegacia do Trabalho, o homem ficaria numa posição um tanto incômoda: teria que fiscalizar as dezenas de denúncias de trabalho escravo nas fazendas dos seus colegas fazendeiros.

Juvencio de Arruda disse...

Seu comentário tangencia a impertinência.E só foi positivamente moderado na perpsectiva de "colegas" enqunto membros da categoria dos pecuaristas da região, onde há, de fato, várias ocorrências dessa gravíssima e odiosa modalidade de crime.
Seria até interessante se Giovani obtivesse sua nomeação, e por a prova a capacidade de um líder pecuarista daquela região em enfrentar os péssimos elementos da categoria.

Anônimo disse...

Bom notado. Sim, o PDT é um partido Jurássico, fora da realidade - e o Lula percebeu isso a tempo. Há de ter a reforma trabalhista, sim, no Brasil. O peso dos impostos é aviltante e emperra a economia e o crescimento dos empregos. Fora os jurássicos!

Anônimo disse...

Luluquefala comenta:
O problema da troca de última hora, não foi o partido e sim o seu presidente que seria o ministro. Um jurássico da melhor qualidade.
Tenho certeza de que se o indicado fosse o deputado Giovanni Queiroz, ele já estaria empossado.