31.3.07

A Metralhadora Volta

O ex major PM Wolgrand, que se notabilizou no governo passado pelas acusações que fazia às maracutaias protagonizadas pelo comando da corporação, posteriormente transformadas em ações judiciais pelo MP, está voltando à fazer carga contra a nova cúpula da força.
O silêncio do governo nos casos que envolvem o chefe da Casa Militar e o comandante do batalhão de Santarém são péssimos sinais à tropa, pois não?

4 comentários:

Anônimo disse...

Dei carona a um sargento da PM, do
trevo de Mosqueiro a um ponto na estrada para Sálinas.O relato sobre a cupula da PM é constrangedor.
.Com

Juvencio de Arruda disse...

É .com, voce não é o único.Em outubro, fazendo o trecho parauapebas/Marabá de van, ouvi de um cabo um relato sobre assédio sexual que acabou em porrada.
Ele e um médico da força.
E veja as últimas notícias sobre a PM, que vem lá de Santarém, do Estado do Tapajós.



Depois da publicação pela coluna, do escândalo sexual-policial protagonizado pelo comandante da PM, ficou insustentável a permanência do coronel Porto no comando do 3º BPM, sediado em Santarém. *** Segundo informações extra-oficiais, Porto se encontra, em Belém, desde que eclodiu o escândalo dentro e fora do motel Taurus, fato que mobilizou quatro viaturas da PM para resgatar o oficial que corria risco de morte. *** Na capital, o coronel Porto já teria sido avisado que não retornaria mais ao posto de comando, lugar que seria ocupado pelo também coronel Costa Junior. Mas, no final desta semana, diversos políticos ligados ao PT começaram a fazer lobby para que Porto não seja exonerado do comando do 3º BPM. ***

Marcelo Medeiros disse...

Tao Brasil! Tão Pará!
Se quiserem mudanças, não é desse jeito.
Que você acha, Juvêncio?

Juvencio de Arruda disse...

Olá, Marcelo.Acho sim.As mudanças são mais fáceis no discurso. Mas acho que vale a pena insistir, cobrar, exigir. Tem valido a pena, até agora.
E voce disse bem: tão Brasil, pois é em todo opaís que a mudança teima em chegar.
Abs.