28.3.07

Grita Geral

Nada menos que 16 entidades da sociedade santarena vão divulgar daqui a pouco um manifesto contra a inatividade do Hospital Regional daquela região, que completa hoje tres meses.
O protesto, que será veiculado em todas as rádios e tv's locais - inclusive a retransmissora local da Rede Globo - reúne desde a UNECOS, que congrega as associações comunitárias da Pérola, até os sindicatos patronais e conselhos profisionais.
Daí para a Justiça é um passo.
O passo que o governo do Pará hesita em dar.

6 comentários:

Anônimo disse...

Pois é, sobrou pra Ana Júlia resolver, e terá agora de resolver mesmo. O pepino foi deixado por Jatene. Detalhes estão no Blogue do Barata.

Anônimo disse...

Pelo menos é um protesto justo e pertinente. Já pensou se fosse em favor da Cargill?

Anônimo disse...

No blogue citado pelo anônimo de 7:44 PM estão outras mentiras. O hospital é administrado pela Sespa, a prefeita de Santarém mente ao dizer, se é verdade o que está escrito lá, que o governo não repassou a verba para a prefeitura administrar o hospital regional.
O que a governadora não deveria permitir é que um hospital que tem em equipamentos já pagos mais de 80 milhões de reais seja usado para disputas políticas, o que infelizmente está havendo, sob a omissão, inclusive, da prefeita de Santarém, Maria do Carmo Martins.

Anônimo disse...

O anonimo de 11:5 talvez desconheca uma palavrinha chamada "orcamento", que deve ser seguida por todo administrador publico. Na verdade o Blog do Barata (apesar de notoriamente ser critico do governo passado) trata, sim, com propriedade a questao: o Jatene preocupou-se, na verdade, com a obra de que da dividendos (de varias natureza ...). Se era tao facil fazer o hospital funcionar, por que nao o entregou funcionando ?

Augusto Nunes disse...

Juvêncio eu gostaria de fazer uma pergunta aos caros visitantes deste blog: Foi alocado recurso financeiro para os hospitais Regionais no teto financeiro do Estado do Pará?
Porque se não aumentaram o teto, meu amigo, estes hospitais, inclusive o metropolitano, irão fechar.

Detalhe: pela lei estes recursos devem ser remanejados do sistema complementar de saúde, ou seja, da iniciativa privada, pq o sistema público tem prioridade no recurso do Ministério da Saúde.

Agora Indaga-se: Será que vão conseguir. Há muitas instituições de saúde que investiram alto para atender esta demanda do SUS. Ninguém vai querer largar o osso.
Vem aí mais uma guerra política ou nossos administradores terão que usar e abusar da criatividade para capitar novos recursos.

Abraços.

Augusto

Anônimo disse...

Goste ou não o anônimo porta-voz do Beiçola, o hospital regional de Santarém só não entrou em funcionamento depois de inaugurado, dia 28 de dezaembro de 2006, por que o mandato do Jatene expirou.
Ele planejou, construiu, equipou e contratou o adminjstrador. Deixou dinheiro em caixa ( 800 mil) do hospital para o primeiro mês de funcionamento(parte administrativa), mas o governo ou su-goveno desse anônimo que está mais por fora do assunto do que umbigo de vedete, não repassa os recursos e nem permite que o hospital funcione.
Quanto a se basear em nota plantada no blogue de um desacreditado pena de aluguel dos Barbalho, acredite quem quiser sobre o que é publicado lá.
Fico com o Quinta, embora crítico, é respeitoso, e sobretudo, verdadeiro.