19.12.07

Acabou. Que Bom!

Se o poster morasse em Sobradinho, ia jantar hoje com o bispo dom Luiz Cappio.

6 comentários:

Anônimo disse...

Luluquefala:
Muito barulho por nada.

Anônimo disse...

AK DIZ
Um pessoal aí entrou em greve de fome e, depois de vários dias, ninguém estava debilitado.
O governador Hélio Gueiros disse:
- Claro, todas as noites rola um sopão de cabeça de gurijuba.
Acabou a greve.
Afonso Klautau

Anônimo disse...

O jejum de D. Cappio foi pra valer: perdeu 9 kilos e teve um desmaio. Se a causa era justa ou não, são outros quinhentos. Mas ele honrou sua missão de Bispo, ficando ao lado do povo pobre do sertão e não deveria ser alvo de piadinhas sem graça de mauricinhos e nem de velhotes senis.

Anônimo disse...

Dom Cappio perdeu mais que 9 quilos. Perdeu uma luta justa contra a "Zelite" que adora brincar de Deus e, em nome do Deus
Lucro para os beneficiários de sempre, leia-se empreiteiros gananciosos, políticos corruptos e técnicos despreparados e desonestos, pretende causar um crime ambiental contra o rio de maior importância para o Nordeste. Perdeu D. Cappio, perdemos nós, e, mais ainda, as futuras gerações que pagarão alto o preço do desvairio.

Juvencio de Arruda disse...

Ak, por engano perdi seu comentário sobre a greve do bispo e a fome do povo. Sorry.
Abs

Anônimo disse...

19/12/2007 20:00

A MORTE ANUNCIADA


O STF negou hoje a suspensão das obras no rio São Francisco, por maioria de votos. D. Luiz Cappio, bispo de Barra (BA), manterá a greve de fome.

II
Todos os especialistas em rios são CONTRA a obra. São dois os motivos principais: primeiro, o rio São Francisco está exausto, com vários trechos praticamente secos, quando antigamente eram navegáveis. O segundo motivo: mesmo assim, o volume de água é pífio. Ou seja, não resolve nada.

III
A obra tem um custo econômico extraordinário. Mas não traz benefícios proporcionais, justamente em virtude do pouco volume que será retirado. Pouco, mas para o rio faz falta.

IV
Essa discussão não foi bem feita. Não houve suficiente exposição do tema, suficiente espaço para os especialistas que são contra a obra.

V
Não bastasse a decisão do STF, o governo federal negou a proposta de suspensão da obra por 60 dias. Ou seja, o bispo foi condenado à morte, embora a justeza da causa que defende.

enviada por castagna maia- www.castagnamaia.blig.ig.com.br