28.12.07

Passagem do Ano

O último dia do ano
não é o último dia do tempo.
Outros dias virão
e novas coxas e ventres te comunicarão o calor da vida.
Beijarás bocas, rasgarás papéis,
farás viagens e tantas celebrações
de aniversário, formatura, promoção, glória, doce morte
[com sinfonia e coral,
que o tempo ficará repleto e não ouvirás o clamor,
os irreparáveis uivos
do lobo, na solidão.

O último dia do tempo
não é o último dia de tudo.
Fica sempre uma franja de vida
onde se sentam dois homens.
Um homem e seu contrário,
uma mulher e seu pé,
um corpo e sua memória,
um olho e seu brilho,
uma voz e seu eco,
e quem sabe até se Deus...

Recebe com simplicidade este presente do acaso.
Mereceste viver mais um ano.
Desejarias viver sempre e esgotar a borra dos séculos.
Teu pai morreu, teu avô também.
Em ti mesmo muita coisa já expirou, outras espreitam
[a morte,
mas estás vivo. Ainda uma vez estás vivo,
e de copo na mão esperas amanhecer.

O recurso de se embriagar.
O recurso da dança e do grito,
o recurso da bola colorida,
o recurso de Kant e da poesia,
todos eles... e nenhum resolve.

Surge a manhã de um novo ano.

As coisas estão limpas, ordenadas.
O corpo gasto renova-se em espuma.
Todos os sentidos alerta funcionam.
A boca está comendo vida.
A boca está entupida de vida.
A vida escorre da boca,
lambuza as mãos, a calçada.
A vida é gorda, oleosa, mortal, sub-reptícia.

----------

Carlos Drummond de Andrade in Reunião, 8ª Edição, Rio de Janeiro, José Olympio, 1977 .

30 comentários:

Anônimo disse...

Caramba ! Como diz a Bia.
HNY,dude.
San Diego,Ca

Cris Moreno disse...

FELIZ 2008, JUCA !

Beijos, Cris.

Juvencio de Arruda disse...

Prá vcs também, caríssimos!

Bia disse...

Juca querido:

que lindo poema!

Uma oportunidade que você me deu para lembrar de agradecer o acaso de viver mais um ano. E de lembrar que a vida pode ser mais simples, ainda que escorregadia.

Beijão.

Juvencio de Arruda disse...

Pois é, queridona. Lembrei dele hoje.
Fizemos um lindo clip com ele em 1993, no Academia Amazonia, com direção de Ronaldo Salame (Imagens Produções - blog Pó de Vídeo), edição de Cassim Jordy ( Amazon Filmes), imagens de Octávio Cardoso ( o premiado fotógrafo, na época cinegrafista do projeto da UFPA) e locução de Walter Bandeira.
Um supertime.

E o Drummond dispensa palavras, não emoções.

Bjão.

verapaoloni disse...

Lindo!
Beijos, Juca pra ti e todas/todos comentaristas deste blogue.
Um ano novo inspirado e cheio de alegrias, saúde, emoções.
Vera

Anônimo disse...

UM POUCO SOBRE 2008


Já disse aqui que o governo Lula é esquizofrênico. De um lado, tem iniciativas extraordinárias, como o PAC. A principal virtude do PAC, já disse, é a de o Estado voltar a investir. E o investimento estatal é imprescindível, é quem puxa o investimento privado.

II
Veja os Estados Unidos, terra do liberalismo. A indústria armamentista é pesadamente subsididada pelo governo. Não só a indústria armamentista, mas tudo aquilo que é utilizado pelos soldados e pelas forças armadas. Há pesado investimento do governo, há pesados subsídios.

III
Mas a receita que pregam para nós, no terceiro mundo, é outra. O Estado tem que "economizar", ou seja, não pode investir em nada. Se o Estado não investe, a indústria não vai atrás. E o País fica paralisado, como ficou durante 20 anos.

IV
Esse discurso é cotidiano na mídia. A todo momento falam do "superávit" necessário, e a população acaba engolindo esse tipo de discurso. A idéia é engessar a economia, manter o País nesse atraso absurdo. E criticar "gastos" do governo.

V
O governo Lula é diferente nisso. É esquizofrênico. De um lado, tem programas extraordinários, como o PAC e o Bolsa Família. Já falei que o Bolsa Família custa 10 bilhões de reais ao ano, enquanto os juros da dívida interna custam 150 bilhões.

VI
Agora, nesse final de ano, o Banco Central já se movimenta. Já aponta alta da taxa de juros para o próximo ano. E tudo isso tendo como desculpa a quebra do mercado imobiliário nos Estados Unidos.

VII
E aí fica evidente a esquizofrenia governamental. Se houver aumento da taxa de juros, cai o crescimento econômico. Vale mais a pena aplicar em títulos do governo do que investir na produção. E a aumenta a dívida pública. Essa armadilha continua aí, e o Banco Central - do Meirelles, ex-deputado federal pelo PSDB - dá o tom.

VIII
A facada final em 2007 veio com o fim da CPMF. Foi um golpe pesado do PSDB, o País vai sentir suas conseqüências. A manobra de Fernando Henrique - contra Serra e Aécio - foi a de estrangular economicamente o governo, impedir investimentos. Em síntese, a idéia é "sangrar" Lula de maneira a chegar em 2010 com pouco apoio popular. De preferência, cercado de denúncias.

IX
Com a crise internacional da especulação do chamado mercado subprime, o Banco Central pretende aumentar a taxa de juros. De outro lado, o PSDB impediu o ingresso de cerca de 40 bilhões nos cofres da União, contra, inclusive, o interesse de Estados da federação governados pelo PSDB.

X
Essa é a armadilha montada para 2008. A união de tucanos e imprensa contra o governo Lula, a tentativa de empurrar o governo cada vez mais pelo caminho neoliberal. E aí haveria a necessidade de um movimento social organizado que fizesse pressão exatamente no caminho contrário: baixar as taxas de juros, priorizar o crescimento com distribuição de renda, aprofundar os programas sociais.

XI
Então, aí está o papel do movimento social para 2008: o papel de pressionar, de juntar sindicatos, associações, centrais sindicais, para fazer uma contrapressão ao que vem sendo feito pelos neoliberais. Ou seja, há muito trabalho pela frente para 2008. E trabalho de pressão, de crítica, nunca o apoio incondicional ao governo.

enviada por castagna maia - www.castagnamaia.blig.ig.com.br

Juvencio de Arruda disse...

Prá vc também, caríssima, em dobro.
Bjs

Bia disse...

Bom dia, querido:

que tal uma pauta para 2008 que comece com a possibilidade de eu poder assistir esse clip - que lamentavelmente não vi - e a "possibilidade" (remota???..rsrsrs...) de comermos as empadas???

Beijão

Juvencio de Arruda disse...

Bom dia, Bia querida
Vou gravar uma cópia em cd, encomendar as empadinhas e fazer a entrega formal...rs
Bjão

Walter Jr disse...

Juca,
“Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça...”
Mário Quintana
Feliz recomeço em 2008.

Walter Jr e Solange

Juvencio de Arruda disse...

Prá vc também, meu caro, e sua Solange. Saúde e boa sorte em 2008!

(demais a assinatura do casal...rs)

Anônimo disse...

Jucaríssimo.
Que em 2008, para lembrar o post, não haja pedra no meio do caminho.
Um Ano Novo iluminado para você, os seus, e todos os que por aqui passam todo santo dia.
Abraços.
Ronaldo Brasiliense

Juvencio de Arruda disse...

Olá, meu querido Brazuka on the beach...rs
Prá vc também, e prá essas duas companhias que estão com vc.
Beijos nos tres, boa esticada até o balneário mais internacional do Brasil, e aguardo sua volta para combinarmos o Carnaval.
Abraços

Francisco Rocha Junior disse...

Juca, um 2008 saudável, venturoso, produtivo e rico, em todos os sentidos, pra ti e família.
Abs.

Juvencio de Arruda disse...

Olá, meu nobre Francisco. Obrigadíssimo.
Tudo em dobro prá vc e os seus, e muito sucesso para todos nos.
Vamos ver se em 2008 a gente se vê.
Abração.

Lafayette disse...

Juvêncio, aquele que aprendi a gostar de ler em 2007, desejo-te um excelente 2008, na medida acima de seus desejos inclusive.

Juvencio de Arruda disse...

Aêêê...tava faltando entrar um sacana por aqui. Entrou..rs
Grande Lafa, prá vc e aos seus também, e que a gente se encontre em 2008.
Abs

Alcilene Cavalcante disse...

Feliz, abençoado e iluminado 2008 para vc e os seus.

Anônimo disse...

Juvêncio, um pouco mais de Drummond para você.

Esse é, de longe, o poema (chamado "Memória) que mais gosto dele. E gostaria de dividi-lo com você e os outros leitores fiéis deste espaço.

Um grande abraço e um ano muito, muito feliz. Um abração também para Marise, a quem conheci, neste 2007, num baby chá (só falta nós dois nos conhecermos pessoalmente).


"Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão"

PS: boto fé no Geraldo Araújo na Segurança. Na pior das hipóteses, os delegados vão tremer na base quando ouvirem aquele vozeirão dele (rsrsrsrsrsrs)

Dedé Mesquita

Anônimo disse...

Um belo e essencial poema de Drummond para repensar, em mais esta virada de calendário, o sentido da vida, o valor e o peso das contingências e o desafio das escolhas - mesmo que fortuitas e vãs na escala do cosmos. Contudo, como diz Pessoa:

Para tudo o que fazemos,
há uma razão singular:
é que não é o que queremos.
Faz-se porque vivemos,
e viver é não pensar.

Devolvo assim, caro amigo, à altura, o belo presente de fim de ano. Um excelente 2008 para ti e os teus.

Um anônimo que te admira.

Mari disse...

Belos e Felizes Dias de 2008 pra você Juca!

Bjs

Juvencio de Arruda disse...

Mary, um espetacular ano de 2008 prá vc e os seus.E que vc mantenha a pegada do mais delicado e sensível blog paroara.
Abs.

Juvencio de Arruda disse...

Grande Dedé! Obrigado e tudo de bom prá vc em 2008 também.
Marque o encontro! Vai ser um prazer.
Abs

Juvencio de Arruda disse...

Anônimo das 7:27, vc devolveu mesmo a altura.
Fazemos porque vivemos...
Tem muito do que move o Quinta Emenda nessa frase.
Abs pra vc e Feliz 2008.

Anônimo disse...

Juca,
Deus, família, saúde e amigos, nos próximos 366 dias.
Vic e toda a turma daqui

Juvencio de Arruda disse...

Ôpa, prá vcs também.
Tudo de bom em 2008.
Abs

edyrap.bel disse...

Vizinho, obrigado pela visita. Belo poema. De nos deixar calados, pensativos.
Ótimo 2008!

Carlos Guedes disse...

Juvêncio:
Grande 2008 para você. Continue com a mesma seriedade e profissionalismo, que o Estado do Pará continuará ganhando.
Carlos Guedes

Juvencio de Arruda disse...

Prá vc também, Carlos, e bem vindo ao blog. Sucesso nessa "panela de pressão" aí em BSB, que ganharemos todos.
Abs