28.9.06

Carga Preciosa

R$ 500,00 a unidade.
É quanto vai pagar o azarado engenheiro flagrado ontem, no Aeroporto de Nova Déli, com uma carga muito especial: 80 ovos de tartaruga.
E o pior, vai pagar sem come-los.
Pra quem não sabe, 95% do ovo do quelônio é gema pura. Faz um mal danado à saúde, um bem enorme ao espírito e, às vezes, causa um grande prejuízo ao bolso.
Mas é o mais gostoso ovo que existe, principalmente se voce cozinha-lo por cinco minutos, partir a casca em seguida, amassar com o garfo a massa de gema, pingar duas gotas de azeite, adicionar uma colherinha de farinha de mandioca, e misturar bem.
Um patê dos deuses...

16 comentários:

Anônimo disse...

prezado,
realmente parece suculenta esta sua receita, mas com o espirito elevado me responda esta receita está aprovada pelo IBAMA?.
hehehehehe
perguntar não ofende
braz

Anônimo disse...

O que é isto, companheiro? Receita de patê dos deuses com ovos de quelônios? Que coisa mais anti-ecológica!!!
Grande abraço do.
Ronaldo Brasiliense.
PS: receba também a minha modesta solidariedade...
Ronaldo Brasiliense

Juvencio de Arruda disse...

Eheh...os adordores de quelonios não demorram a aparecer...rs.
Não Braz, o IBAMA com certeza não aprova, mas invoco o mais antigo direito que existe, o direito natural, para ter acesso aos bens que minha região produz...rs

Juvencio de Arruda disse...

Brazuka, é verdae, sei que minha postura é criticável do ponto de vista ecológico...mas quem não morre pela boca?
E tento compensar a minha falta de civilidade ambiental com minhas posturas (opa!) naquestão da madeira e da soja.
E obrigado por entrar na dividida, bem ao seu estilo.
E da próxima vez liguem, mesmo de madrugada..eheh.
Abração.

Luana Caldas disse...

Ai, essa receita de deu até fome agora.Mas coitada da mãe que perdeu seus fililhos, deve está arrasada...rsrsrsrs

Anônimo disse...

ei amigo,
sem remorsos, todos nós temos nossos desejos, tenho certeza que degustar eventualmente este manjar não irá afetar o eco-sistema,
o dificil nesta vida é conviver com animais racionais com carcteristicas carnivoras(politicos ou metidos a tal,)claro que ainda não sabem o que é politica ou convivencia social com o meio-ambiente (homem), acompanhei o dilema postado ontem, sem lhe conhecer mas lendo posturas de pessoas que conheço(orly,outros)estou com você.
abraços
bráz

Anônimo disse...

Nham, nham!!!
Pode ser anti-ecológico ( agora, com a pressão demográfica), mas que é bom, lá isso não se pode negar.

Miguel Oliveira disse...

Até parece que o Brasiliense não papa 100 ovos batidos com farinha de mandioca em sua aprazível mansão à beira do lago de Óbidos. Isso apenas em um 'breakfast'.
Mas sei que os ovos dos quelônios consumidos pelo amigo Ronaldinho são provenientes de criatórios autorizados pelo Ibama(kkkkkkkk...).
Por isso, Juca, não se sinta culpado diante das observações bem humoradas desses patrulheiros anárquico-ecológicos. Eles queriam estar no seu lugar.
Abraços,
Miguel Oliveira

Jubal Cabral Filho disse...

Sem injeva vou aproveitar (já que estou por aqui) a receita, caro Juca.
Nem me preocupei com o escrito daquele anônimo. Nem valia a pena.
Mas a cada vez que saborear um dos filhotes ainda na casca vou lembrar de você.
Pena que não posso me arriscar a levar alguns prá seu deleite.
Pena mesmo.
Abraços.

Juvencio de Arruda disse...

Valeu, Braz.Tartaruga para todos eles.Eheh

Anonimo das 11:33, é uma delícia mesmo, não se pode negar.

Miguel, é por isso queo Brazuka tá essa sapúde toda aí. Só quem come...rs

Luana, confesso que nãohavia pensado nisso...rs

Jubalino, tá bom...só quero ver se os portugueses descobrem esses seus hábitos alimentares...rsrsrs

Ale Carvalho disse...

querido Juca, tá vendo??? as pessoas adoram falar sobre comida, principalmente das comidas proibidas pelo Ibama, pelo médico e pelos paladares simplórios. Mas, eu que já comi tanto isso - cru, batido na cuia com farinha e sal - , não curto mais. Contento-me com apenas uma ou duas unidades, levemente cozidas a ponto de não me enjoarem com aquele cheiro que, sabe-se lá porque, tornou-se ruim com o passar dos anos. Agora, estou nessa com o Jubal, prefiro ainda mais as mães , pais, primos, tios... na casca, com farinha e pimenta. Especialmente amo o fígado , que é a parte mais saborosa e delicada do quelônio em questão... nham, nham...

Juvencio de Arruda disse...

Alê, queridíssima, esqueci o sal!
Ainda bem que voce trouxe...rs.
bjs

Alex Lacerda de Souza disse...

Incrivel como pessoas esclarecidas pregam, de público, um crime, ambiental, mas ainda assim crime. Mais impressionante ainda é que também queiram que o país mude, para melhor, com este tipo de postura. Para que o Brasil seja uma nação que respeita as leis e manda para a cadeia os corruptos, devemos também nós respeitá-las, sejam as ambientais, de trânsito ou qualquer outra, pois somente assim teremos moral para cobrar de outros o mesmo comportamento. Civilidade e cidadania se fazem com o respeito as leis, todas elas.
Alex Lacerda de Souza
Analista Ambiental Divisão de Fauna e Pesca - IBAMA Pará

Juvencio de Arruda disse...

Voce tem toda razão em seu comentário, Alex.
É para voce ver que o esclarecimento não é um conceito transversal, nem a lei está acima dos"mores" ou dos traços culturais de uma sociedade.Espero que as próximas gerações, criadas e desenvolvidas sob esta lei,possam ter um comportamento diferente do meu.
Aceite minhas desculpas e muito obrigado pela crítica correta, como sempre, aliás.

Alex Lacerda de Souza disse...

Desculpas aceitas, e agredeço a deferência no comentário, informando que continuo considerando o blogg da mais alta qualidade e competência na sua área, sendo fiel leitor seu.
Alex Lacerda de Souza.

Anônimo disse...

Só uma ressalva ao comentário corretíssimo do Alex Lacerda de Souza: não li nenhum comentário incentivando ou pregando o crime ambiental - que é indefensável. O que se fez foi comentar que, apesar de proibido o consumo, os quelônios e seus produtos são, sim, deliciosos. É bom o analista ambiental lembrar que, há não muitos anos, o consumo de quelônios era um hábito comum aqui na região Norte. Além disso é permitida a comercialização de quelônios criados em cativeiro.
O engenheiro flagrado com os ovos (de tartaruga, entenda-se)cometeu crime imperdoável. Comentar a delícia da iguaria não é crime.