20.9.06

De Fora

Alertado por comentarista do blog, o poster registra, na denúncia do MPF no caso CDP, a ausencia do nome do jornalista Aldenor Jr, ex chefe de gabinete de Edmil50n na Prefeitura de Nova Déli e, na época, da CDP.

8 comentários:

Anônimo disse...

Eu estava aguardando que você fizesse o registro do fato, ignorado pelo jornalismo fiteiro da terra.

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado pelo alerta.
Desde quinta da semana passada longe de Nova Déli admito que o blog fica prejudicado, longe das fontes e, não raro, longe dos jornais.
Aí entram os comentaristas...

Fátima Gonçalves disse...

Se compararmos a lista dos que foram algemas e presos, teve mais gente que não saiu na relação final. Isso significa que eles são inocentes, apesar terem enfrentado esse vexame?

Anônimo disse...

Na lista dos que foram presos e algemados tem mais nomes de pessoas que não foram citadas no final. Isso significa que essas pessoas são inocentes? Se são inocentes, passaram por um grande vexame.

Fátima

Anônimo disse...

Nem "espirito de corpo" tem os jornalistas da terra.
Vale é o "espírito de porco"!

Anônimo disse...

A denúncia feita no dia 15/09 pelo MPF se restringe apenas aos crimes cometidos no que se refere a licitação de obras de engenharia. Os outros presos, inclusive Aldenor Jr., que não foram citados nesta denúncia t~em seus nomes relacionados aos crimes de faturamento na CDP. Provavelmente pode ser feita outra denúncia relacionado aos crimes de faturamento aqui na CDP.

Anônimo disse...

É precipitado comemorar a ausência deste ou daquele nome. Trata-se da primeira denúncia de pelo menos quatro que serão feitas ao todo. Na denúncia relacionado aos crimes de faturamento na CDP certamente aparecerão nomes que não constam nessa primeira lista. Barba de molho é um santo remédio.

Anônimo disse...

Mal informados ou mal intencionados comentarista das 13:59 e 16:55h. A verdade é que o MPF não apresentou denúncia contra o Aldenor Jr no caso CDP. Mas denuciou vários envolvidos filiados aos PSB e PT, entre eles Ademir Andrade e o petista Nelson Simas, este último preso com $300.000,00. O que lembra o mais novo escândalo petista " Dossiê Tabajara".
Esses petistas são mesmo incorrigíveis!