28.9.06

Contra Pragas

“Malditos sejais ladrões, gatunos, pichelingues, unhantes, ratoneiros, trabuqueiros dos dinheiros públicos, dos quais agadanhais, expropriais cerca de 20% de todos os orçamentos, deixando viadutos no ar, pontes em nada, esgotos a céu aberto e crianças mortas de fome, mortas de tudo, enquanto trombeteais programas populistas inócuos.”
“Que a maldição de todas as pragas do Egito e do Deuteronômio vos impeça de comer o fruto de vossas fazendas escravistas, que não possais degustar o pão de vossos fornos nem o milho de vossos campos, e que vossas amantes rancorosas vos traiam e vos contaminem com as mais escabrosas doenças e repugnantes feridas!”

O texto acima, da lavra do cineasta Arnaldo Jabor, é a epígrafe da denúncia que o Ministério Público Federal - subscrita pelos procuradores da República Ubiratan Cazzeta, Felício Pontes Jr., Rodrigo Telles de Souza, e José Augusto Potiguar - oferece contra o ex senador Ademir Andrade (PSB-PA) e mais outros 30 nacionais, denunciados pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva e ativa, fraudes em licitações e estelionato, que teriam sido perpetrados na Companhia das Docas do Pará.
O principal acusado entrou com habeas corpus pedindo a retirada desta epígrafe da denúncia, informa o on line do Diário do Pará.

--------------------------------------------------------------------

Atualizada às 17:42.

Leia a notícia completa aqui, no site da Justiça Federal, onde há um link para a íntegra da denúncia.

9 comentários:

Passarim disse...

Juvêncio,

A praga serve não só aos larapios do Para, mas de modo geral aos que saqueiam os cobres nacionais a partir do planalto central e ainda buscam, não uma reeleição, uma prorrogação de mandatos para continuarem a rapinagem. Abs. Jarbas

Juvencio de Arruda disse...

A renovação da licença para o embuste, a pilhagem, a covardia, a sem vergonhice.
Mas a corja vai ralar nos próximnos anos.E nos tb.
Abs

Val-André Mutran disse...

Não entendi?
A epígrafe é um elogio.
Ladrão não merece citação, só cadeia...e que a Justiça trate essa gente como deve: Regime fechado e nada de regalias.

Juvencio de Arruda disse...

Ê, rapaz! Por onde voce anda?
Já viu o seu deputado na lista dos dez mais no blog do Barata?
Abs

Val-André Mutran disse...

Estou pelejando em Marabá e adjacências. Vou lá no Barata agora.
Abs

Yúdice Randol disse...

Falando novamente como operador do Direito, não sei se concordo com esses excessos estilísticos que o Ministério Público Federal tem usado muito recentemente. Temo que essa coisa midiática comprometa a seriedade e a serenidade que um acusador deve ter, sem perder o rigor da acusação.
Mas, embora não nutra grandes simpatias pelo Jabor, que o texto está excelente, está. E agora não mais juridicamente. Adorei. Tomara que a praga pegue!

Juvencio de Arruda disse...

Concordo com voce, embora não veja nenhum problema com os aspectos midiáticos da epígrafe.
Falo como operador da mídia.
(prá voce ver como são limitadas e frágeis nossas "operações", se solitárias, se não acompnhadas de outras ramos do conhecimento)
Quanto mais mídia em cima das operações do Direito, inclusive, melhor.
Acho que o temor do comprometimento do papel do acusador,ou da denúncia apresentada, não tem porque ficar fragilizada em sua seriedade com o uso da epígrafe
Tb não sou admirador do Jabor,mas o texto é ótimo.E tomara que a praga pegue sim, se já não pegou...eheh.

Val-André Mutran disse...

Mestre Juvêncio,
Como a pesquisa não está registrada, acredito que haja erros grassos.
É impossível Lira Maia obter o que os números apresentam por uma razão simples: Ele simplesmete não será votado numa das mais densas regiões eleitorais do Pará, aqui no sul/sudeste. Ningém conhece o candidato na região de Carajás.
Como alguns candidatos do PSDB citados na lista da suposta e não registrada pesquisa do Ibope, outros nomes também não terão mais do que entre três ou quatro mil votos em todo o Carajás (38 municípios).
Se seguirmos a lógica, apenas alguns medalhões obeterão expressiva votação por esta região.
O que desequilibra o embate é a região nordeste do Estado.
Os candidatos que não investiram na região, seja por falta de recurso, seja porque simplesmente não tem o que lá dizer ou apresentar, tembém estarão fora da lista que vai para a Câmara dos Deputados.
Abs

Juvencio de Arruda disse...

É, Val-André, pode ser, mas Lira Maia estaria muito bem no Oeste do Pará, o que poderia reequilibrar sua falta de votos aí no sul/sudeste.