31.1.08

Bote Grana Nisso

Nunca, na política paraoara, tantos grupos tiveram tanto dinheiro. As eleições de 2008 serão as mais caras da história.

9 comentários:

Cris Moreno disse...

Ôba! Será que vamos trabalhar, Juca? rsrsrs

Beijos.

Juvencio de Arruda disse...

Eu não, caríssima. Mas desejo boa sorte a quem vai.
Bjs

Cris Moreno disse...

Juca, nunca mais eu vi o Mero...

Beijos.

Bia disse...

Porém, Juca querido, ainda mais "em conta" que as de 2010.

Beijão.

Anônimo disse...

Juvêncio, no site do TSE tem a tabela dos recursos do Fundo Partidários, já repassados este ano para os partidos políticos em todo o País. O orçamento da União ainda não foi aprovado, mas o TSE deu um jeitinho de fazer o repasse baseando-se nos valores de 2007. É só conferir.

Um grande abraço.

Aline Brelaz

José Carlos Lima disse...

Tadinho deu. Como enfrentar essas feras, todas armadas até os dentes de verdinhas.

Satchel Paige disse...

A importância do post é inversamente proporcional ao real interesse dos que frequentam este excepcional blog.
Um "fenômeno" que tem sido percebido com maior ffreqüência a cada pleito é a compra de votos. É verdade que esse tipo de prática, nefasta para a democracia e cidadania, não é nenhuma novidade na política moderna.
O que chama a atenção é exatamente o nível e a vultuosa quantidade de dinheiro e benesses mobilizados.
Não se "ganha" mais o voto por meia dúzia de fotografias 3X4, uma rede ou até mesmo uma consulta médica.
Os cabos-eleitorais "convencem" o eleitor por 10,00, 20, 00 ou até 50,00 reais em troca do voto.
Imaginem, caros amigos, em um pleito acirrado (como o de Belém), onde a margem de eleitorado indeciso costuma ser relativamente pequena, segundo os institutos de sondagens eleitorais.
Vamos ter, sem dúvida, bons e honestos candidatos, mas os que detiverem o poder econômico ou a máquina do Estado ou do Município "trabalhando" a seu favor, certamente já estaram com, digamos, alguns milhões à frente.
Portanto, seria razoável que a Justiça Eleitoral cumprisse seu papel, que aliás, pouco tem cumprido, basta lembrar que por essas bandas de cá, não há, salvo engano, algum político cassado por abusar do dinheiro.
Parabéns pelo post.
Satchel Paige

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado, Page.
Pugna-se pelo financiamento público de campanhas na reforma politica. É um caminho.
Também não lembro de cassações por este motivo nessas bnadas, nem por outros, aliás, salvo a leva atual pela mudança de partidos.
Embora correta, não dá prá deixar de observar que às vezes a Justiça deixa passar um elefante, e pega um mosquito.
Abs

Val-André Mutran disse...

É o caminho e prego isso no desrto, oppsss... Você, o Giovanni e gente de bom senso também concorda.
Há de se quebrar com esse martírio.
Aliás!
Taí uma excelente enquete.
Pergunta às principais Bancadas do Pará (Senado, Câmara, Alepa e Câmara de Blm, Ananindeua, Santerém, Marabá e Castanhal):
Os senhores (as) são contra ou a favor do financiamento público de campanha?
Tem político que vai até adoecer para não responder.
Uma boa Quadra Momesca para todos os seus leitores.