27.1.08

Os Royates Não Valem

R$ 460 milhões.
Este é o valor, segundo o blog do Hiroshi, da causa que a prefeitura de Parauapebas, sudeste do Pará, ganhou na contenda judicial com a Vale em razão de royaltes pagos a menor.
Uma banca do Paraná levou a melhor em cima dos advogados da floresta, o competente escritório Silveira, Athias & Associados, que não convenceu a Justiça da correção dos procedimentos da Vale no cálculo dos recursos devidos ao município.
Querela semelhante, por algo em torno de 20% da causa de Parauapebas, envolve a prefeitura de Oriximiná e a Mineração Rio do Norte, onde a Vale é acionista.
Não parece razoável que a contabilidade de uma empresa do tamanho da Vale apresente tal performance.
Na esteira dos cálculos, Parauapebas também questiona na justiça valores supostamente repassadas a maior para a vizinha Marabá.
Vem confusão, das grandes, pela frente.

6 comentários:

Val-André Mutran disse...

Essa querela se arrasta há anos.

É causa perdida para a Vale.

Queda nas ações.

Confira.

CJK disse...

A Vale vai comprar a Xstrata e se tornar a maior mineradora do mundo. Ela aguenta esse tranco, rsrsrs.
Juvêncio, questão similar envolve o Prefeitura de Tucuruí com relação aos royalties repassados pela Eletronorte. Não sei (ok, talvez saiba) porque os prefeitos que tem passado pelo município preferem deixar prá lá, em vez de buscar logo o caminho judicial.

Juvencio de Arruda disse...

rsrs..são longos e tortuosos os caminho que vem...ao Senhor!
Quanto ao tranco, fichinha.
Mas que é sacanagem, é.
Da grossa.

polis disse...

Os trabalhos tanto de PArauepabas quanto de ouriximiná forma realizados com a assessoria da empresa Polis Consultoria Ltda, contratada è época pela então prefeita Bel Mesquita e o prefeito de oriximiná, Luiz Gonzaga.

Juvencio de Arruda disse...

OLá, Pólis.

Vi algo parecido com vc, embora na língua portuguesa, nos blogs do Jeso e Hiroshi. Mesmpo assim, brigado pela visita, e bem vindo ao blog.
Diga-nos, por favor:

1. O que "deu na cabeça" da Vale prá não recolher esses impostos?

2. O que está por trás da decisão de Darci em retirar a consutoria meses antes da decisão judicial?

3. A que vc atribui a indolência dos alguns prefeitos que não se habilitam ao ressarcimento?

4. Por que até agora, quatro dias depois da notícia vir a público, a Vale, que tem 417.895 funcionários na área da Comunicação em Nova Déli e Parauapebas, não disse palavra ao distinto público?

Apareça sempre, Polis.
Da próxima vez, se puder, traga a Urbis

Anônimo disse...

Prezado Val,
Esse Wellington da Polis pelo que pude ler era procurador do Munic~ipio de Parauapebas, cmo entao eles contrataram o escritõrio de advocacia dele para realizar os servicos. Porque durante seis anos nao conseguiram peitar a vale e resolver isto: Nao conheco pessoalmente o prefeito de paraopebas, mas que ele e bem articulado isso me parece certo