28.11.06

Dando as Contas

A Coordenadoria de Controle Interno do TRE estaria assando a batata de 18 dos 59 parlamentares paroaras eleitos em 1 de Outubro, conta uma fonte do blog.
Motivo: contas imprestáveis.
O Pleno vai dar a palavra final, se bem que em 12 casos, diz a fonte, a prestação de contas é tecnicamente indefensável, pois teriam recebido valores de fonte vedada.

7 comentários:

Anônimo disse...

Caro Juvêncio
Estou na lista desses parlamentares que receberam recursos de fontes vedadas. E o pior é que a culpa é exclusivamente minha e de mais ninguém.
Dizem que errar uma vez não é burrice mas duas já é um grande sintoma.
Não é a primeira vez que esse tipo de problema acontece nas minhas pretações de conta.
Nas eleições de 1998, salvo engano, recebi uma doação de R$5.000,000(cinco mil reais) de um grande amigo meu, Cleomar Moura. Só que o cheque emitido para a doação era do seu Cartório de registro de Imóveis, que era e continua vedado para doações de campanha.Na época apresentei uma declaração enviada pelo doador demonstrando e comprovando com uma série de documentos que todas as suas contas pessoais eram pagas com aquela conta bancária emitente do cheque doador para a minha campanha, e que portanto era uma doação pessoal e não do cartório.
Nessa campanha, foi literalmente igual. Daí a minha revolta comigo mesmo.
Do mesmo jeito, pedi ao companheiro de partido, ex governador e proprietário das Lojas A VISTÃO e RÁDIO MARAJOARA, Carlos Santos uma ajuda financeira para a minha campanha. Lembro que quando tratei do assunto pelo telefone, ele me pediu que mandasse alguém no seu escritório na Rádio Marajoara e que faria a doação em espécie. Pedi a ele que fizesse a doação em cheque, até porque não sabia o valor e pensei comigo mesmo, se fosse em espécie não seria um valor considerável, afinal ninguém anda com muito dinheiro no bolso. No mesmo dia mandei uma pessoa buscar a doação. Na volta, a pessoa me ligou e me passou o valor da doação, já que a campanha estava naqueles dias de muitos compromissos. Pra minha surpresa, e que o Carlos não leia o seu Blog, a doação era de R$ 1.000,000 ( Hum mil reais ). Confesso que pensei em até ligar pra ele e tentar melhorar a doação. Graças a Deus não fiz esse pedido e logo vc vai saber porque.Pelo telefone, autorizei o depósito na minha conta de campanha. Só que o cheque emitido era da Rádio Marajoara, que é uma concessionária pública, portanto uma empresa vedada para fazer doações de campanha eleitoral. Quando recebi o pedido de diligência do TRE, na mesma hora liguei para o Carlos Santos. Imediatamente ele fez uma declaração pessoal de que a doação era dele e não da Rádio Marajoara como estava na prestação de contas e no recibo eleitoral, inclusive anexando comprovantes de sua declaração. Mas só existe uma verdade,e é a de que realmente o cheque de Hum mil reais depositado na minha conta de campanha era da Rádio Marajoara.
Fiz a defesa técnica nessa direção. Aproveitei para anexar a defesa feita por meu advogado pela tese da insignificância do valor recebido (R$1.000,00) já que o total de doações da minha campanha foi de R$794.326,36, e esse valor recebido não mudaria nunca o resultado final da minha eleição.
Esta foi a mesma tese usada pelo presidente Lula na campanha de 2002,quando também recebeu doações de fontes vedadas.
Faço questão de deixar registrado na pessoa do Dr. Marcos Leão e toda a sua equipe, a seriedade,competência, o zêlo e a atenção da Coordenação de controle interno do TRE, mesmo que as minhas contas sejam rejeitadas. Logo eu que durante toda a campanha eleitoral talvez tenha sido o candidato mais chato, pois ligava quase toda semana para pedir orientações para a CCI.
Só me resta esperar o resultado da análise de toda a documentação e aguardar o julgamento no nosso TRE.
Faço questão de dar esses esclarecimentos ao Quinta e todos os seus leitores.
Um abraço,
Vic Pires Franco
Deputado Federal

Juvencio de Arruda disse...

Mais uma vez, e sempre, obrigado por suas informações.
Háoutros parlamentares de peso namlista, como o Sobrancelhudo,o senador Elefante,e o tucano (ainda?) André Dias, entre outros menos votados.
Tomara que o radialista Carlos Santos não leia mesmo o blog,pois vou perguntar-lhe como justificou a Assembléia Legislativa o apoio financeiro concedido à porcaria de baderna que ele comanda na TV RBA aos sábados, pela manhã.
E vamos aguardar, com a serenidade que o senhor aponta acima, o julgamento das contas pelo Pleno do TRE.
Um abraço, deputado.

Anônimo disse...

Eu não gosto desse Cara, mas justiça seja feita, é corajoso e como diz a nota, transparente. Valeu Deputado, espero que os outros sigam seu exemplo e venha a publico explicar, bem explicadinho.

Anônimo disse...

Obrigado anônimo das 18:56.
Tomara que com o tempo vc passe a gostar cada vez mais um pouquinho desse seu deputado aqui. Pois mesmo não tendo votado em mim com certeza, continuarei trabalhando nesse meu próximo mandato, o quarto, como deputado federal lá em Brasília, representando o nosso Pará com muito orgulho.
Como disse na minha resposta, vou esperar com serenidade o julgamento das minhas contas pelo nosso TRE. Se Deus quiser vai dar tudo certo.
Um abraço,
Vic

Anônimo disse...

Juca, queremos ver as outras explicações dos nossos digníssimos deputados eleitos com suas contas rejeitadas.Um por um.
Ou vamos ter que aguardar o noticiário dos jornais ou o julgamento do TRE?
Pelo menos o Vic nos deu uma satisfação.
Agora, que esse Carlos Santos é um pão duro, ah isso ele é. Mil reais?

Anônimo disse...

A VEJA desta semana mostra, na página 43, o que é uma prestação de contas realmente imprestável. Trata-se do companheiro Babá, que pegou um ita no norte para se tornar candidato derrotado a deputado federal no Rio de Janeiro. Ele afirma que gastou recursos próprios de 126 mil reais na campanha, embora seu patrimônio total declarado à Justiça Eleitoral seja de apenas 60 mil reais! O Babá é puro caixa 2!!!

Anônimo disse...

Que tristeza!!! O Babá que implica até com brig de galo também é um neopetista Caixolorum Segundum