19.1.08

Falantes e Calados

Foi intensa a repercussão, nos bastidores da política, da divulgação antecipada que a coluna do jornalista Hiroshi Bogéa deu no resultado da licitação 4-2007 da secretaria de Transportes do governo do Pará.
Antigamente, as premonições em concorrências públicas eram testadas através de pequenos anúncios, escondidos entre milhares de ofertas nos classificados dos jornalões. Agora não é preciso mais esconder tanto, tão claros os indícios de irregularidades: estampou-se numa coluna bisemanal no jornal de maior circulação do estado.
Um jornal, pontue-se, aliado ao governo.
Das sete empresas que compraram o edital, todas de médio e grande porte, apenas uma, ao final, apresentou-se no certame sob suspeita, o que intrigou o jornalista:

Algumas perguntinhas: numa disputa acirrada no mercado pela obtenção de obras de grande porte, como explicar a desistência de seis empresas na hora de definição do edital? Se tivessem a intenção prévia de não participar, por que então pagaram caução de garantia da proposta? Por que no edital de licitação existem cláusulas com exigências que somente a Delta apresentou em seu acervo aprovado pelo Crea? Há muitas, muitas perguntas a serem feitas. A coluna pode fazê-las em doses homeopáticas.

Terá muito trabalho a dra. Teresa Cordovil, Auditora Geral do Estado, com as diversas ocorrências deste naipe que se acumulam na fila, à espera da inevitável investigação.
Terá muito trabalho o chefe da Casa Civil, Charles Alcântara, para convencer a opinião pública a respeito de fatos que não vê , e pior, não assume que existem.
O blog deseja boa sorte aos dois. Vão precisar.
A situação, insisto, é grave.
Terá a mesma opinião o Procurador-Chefe do MPE ?

5 comentários:

Anônimo disse...

Juca,
A impressão que nos dá é que o desregramento é tanto, mas tanto, que nem se dão mais ao trabalho de disfarçar. Aquele dito - e velho -"jeitinho" está se acabando, meu amigo. É tudo às escâncaras. Ou como diz um colega nosso lá do jornal: "É tudo arreganhado, mano".
É mesmo.
[ ]s
PB.

Juvencio de Arruda disse...

rs..é verdade, mano.
Tá ficando feia a coisa.
E vem mais feiúra por aí.
Abs

Anônimo disse...

Custo a acreditar que uma empresa do porte da Estacon não estivesse capacitada para o certame.
É o "jogo do faz de conta" das licitações que traz junto o "jogo do toma lá, dá cá" - diga-se de passagem, não é de agora...
O que causa espécie, é que em 01 ano de governo, o PT já aprendeu tudo o que o PSDB levou 12 para chegar nesse nível. Não sei se por incopetência ou por ter menos apetite.

Juvencio de Arruda disse...

Diga-se de passagem.

Anônimo disse...

E aprendeu mesmo. Eu fico pasmo com tanta arrogância e demonstração de poder - em todos os sentidos, de companheiros que até bem pouco tempo tinham vidas simples e modestas, pois a maioria era professor de Universidade, assessores dos parlamentares do PT e funcionários públicos.