4.3.08

A Gravação é Falsa

Em nota enviada ao blog o deputado Luis Cunha nega as acusações de falsidade ideológica veiculadas pelo Diário do Pará, edição de domingo.

4 comentários:

Franssinete Florenzano disse...

Juca, você lembra do caso da Escola Base? A Rede Globo e os jornalões do País enxovalharam a reputação dos donos da escola, condenaram-nos à execração pública, sem ouvi-los antes, sem a mínima chance de defesa. A escola fechou, eles foram banidos do convívio social, adoeceram e até morreram. E depois ficou provado que eles nada tinham cometido de ilícito. No Brasil, é preceito constitucional que ninguém pode ser considerado culpado antes do processo legal, com direito a ampla defesa e contraditório. Entretanto, a exemplo de tantos outros, ninguém zela pela sua aplicação. Depois que o injustamente ofendido corra para processar quem o difamou, pedindo indenização por danos morais e condenação por denunciação caluniosa. Mas o mal já estará feito. E nada poderá repará-lo. O deputado Luis Cunha hoje foi às lágrimas na tribuna da Alepa, ao sustentar sua inocência com base em provas incontestáveis, não porque seja fraco, mas porque é honesto, nunca teve uma só nódoa em sua vida pessoal e política, e olha que já está no quinto mandato, foi secretário municipal, secretário de Estado e presidente de órgão público estadual. Quem é bandido até ri de falsas acusações, está acostumado com a torpeza, mas um cidadão que se porta corretamente sente-se ferido no âmago, no que tem de mais precioso, que é a sua honra, o seu caráter, a decência que tenta transmitir aos filhos. Hoje, restou provado que não existe documento forjado, ou com data falsificada, nem acordos para troca de favores. E sim que o nome de Luis Cunha foi usado inescrupulosamente para atender interesses pessoais e a politicalha. Todos os deputados, de todos os partidos, manifestaram-se oficialmente durante a sessão, dando testemunho acerca da lisura do comportamento de Luis Cunha, e cercaram-no em plenário, abraçando-o. Até a deputada Simone Morgado, que é sua adversária política em Bragança e Augusto Corrêa, fez questão de levantar-se para abraçar Luis Cunha no meio do plenário, hipotecando-lhe solidariedade, num gesto muito significativo de respeito. E o TRE - onde tentaram emplacar uma gravação truncada, com montagem, além de ilícita - encaminhou pedido de providências ao Ministério Público em Viseu, que deverá abrir contra o vereador Paulo Barros, que difamou o deputado, investigação e o processo criminal, além do eleitoral. Mais: o vereador Paulo Barros já foi denunciado por Luis Cunha perante o Conselho de Ética do PDT, já perdeu a função de presidente municipal do partido em Viseu e, uma vez expulso, ficará inelegível e ainda poderá ser preso, além de outras cominações legais, porque deverá ser quebrado o seu sigilo bancário para identificar a origem dos depósitos que vem recebendo, esclarecendo-se de vez a questão. Agora é acompanhar o processo.

Anônimo disse...

Me engana que gosto muito.
Nunca vi alguém dizer que as afirmações que lhe são imputadas são verdadeiras. Sempre negam. Pita negou; Maluf negou, o juiz Nicolau negou. Esparamos o que do NOBRE deputado? É esperar pra ver os resultados.

Juvencio de Arruda disse...

Franssinete, eu lembro do caso sim.
Aguardaremos as investigações.
Abs

Anônimo disse...

Se esse Paulo sair do PDT te garanto que ele n�o fica sem partido. Ele cai no colo do PMDB.Li o di�rio e nele o dilogo mostra frase dita por Luis Cunha
"Nos na AL temos um coleguimos muito grande" . O Texto acima que defende Lu�s Cunha prova bem isso. A fit� que � prova � clara mais tem colega que nega. �h! casa das conveni�ncias.