28.2.07

Vice Explosivo

Na Coluna do Estado, edição de hoje do Estado do Tapajós, desde cedo nas ruas da Pérola.

De Lúcio Flávio Pinto, jornalista santareno, e um dos principais articulistas de O Estado do Tapajós, sobre o vice-governador Odair Corrêa:
"O vice que não se conscientiza da sua posição acaba sendo como um barril de pólvora: dele pode explodir uma crise a qualquer momento. Não tendo sido eleito, sobe ao poder no vácuo do candidato efetivamente votado. Se recebe do titular uma missão adequada ao seu posto e a cumpre fiel e lealmente, ambos seguem num céu de brigadeiro - e o povo sai ganhando. Se fica sem função e começa a extrapolar, a colisão é destino quase inevitável. Vice não é governador. Parece que esse é o caso atual no Pará."

E o Estado arremata, em matéria de capa.

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sectam), negou ontem que tenha sustado a emissão de novas licenças ambientais ao projeto da Alcoa no município de Juruti. A informação havia sido dada pelo vice-governador Odair Corrêa na semana passada, durante reunião com políticos e empresários na Associação Comercial de Santarém (Aces).

-----------------------------------------------

Sobre a nota do Lucio, fonte do blog lembra que Odair recebeu a missão de tocar o Banco do Cidadão, já repassada a terceiros, aliás pessoas muito educadas, e que entraram macio na instituição.E assegura: é forte a sensação de desinteresse que ele mantém pela casa bancária.
Arrisca-se a ver governadora chama-lo, e sem meias palavras, dizer: "preste atenção no seu serviço".
Prá não entrar, mais rápido do que do que apostam seus adversários, na perigosa área do "folclore" que ronda o cargo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Acho que o Odair tá deslumbrado com o Cargo, as mordomias, etc...
O melhor mesmo era ele se dedicar ao Banco do Cidadão que foi a missão dada pela Governadora.
Se ele for inteligente e determinado vai fazer do Banco uma vitrine, podendo até centrar fogo na sua região , Santarém, e obter lucro político na classe mais baixa que é a que necessita do crédito facilitado.

francisco rocha junior disse...

É Juvêncio, o "folclórico" vice era apenas um fato pitoresco, quando a Ana Júlia não levava a sério sua possibilidade de vitória nas eleições de 2006. Falando francamente: se a AJ sentisse, desde o lançamento de sua candidatura, que teria efetiva possibilidade de vitória frente ao Almir Gabriel, seu vice seria o Odair Corrêa? Qual a legitimidade ou importância política do personagem? Não havia gente com mais força eleitoral ou peso partidário para formar a chapa?
Assim é que o nosso atual vice-governador passou a ser um fator de risco para a futura estabilidade do governo, quando o Sobrancelhudo entrou na parada; neste momento, AJ cacifou seu nome como seriíssima candidata ao cargo, como posteriormente se confirmou.
Mas será que ninguém cantou a pedra antes?

Anônimo disse...

8 x 23 disse ...

O vice deveria se espelhar na ex-vice, a Valéria Pires Franco, que tão bem se comportou no cargo. Seja quando representou o Estado, substituindo o titular. Ou na missão que lhe foi confiada na Secretaria Especial de Proteção Social, deixando seu nome registrado pelo bom trabalho realizado.Assim como no relacionamento com toda equipe de governo, funcionários, classe política e, principalmente, o grande público,que ela sempre fazia questão de receber pessoalmente.
Vamos dar um tempo ao vice da vez, pra ver mesmo se o "cargo" lhe subiu à cabeça. Uma coisa é certa: a governadora será, com certeza, a primeira a sentir. Ou para o bem, ou para o mal.