25.9.07

Nery: Porque Não Fui a Pagrisa

Nota Pública do senador José Nery (PSOL-PA) distribuída à imprensa no final da tarde de ontem.

É grave o risco de retrocesso na luta pela erradicação do trabalho escravo no Brasil. Instalou-se uma crise institucional de grande extensão e profundidade, na última sexta-feira, 21, quando foi anunciada a suspensão das atividades do Grupo Especial de Fiscalização Móvel do Ministério do Trabalho e Emprego, como reação às despropositadas ameaças às atividades dos fiscais desferidas por senadores integrantes de uma Comissão Externa do Senado que visitou na semana passada as instalações da Pará Pastoril e Agrícola S.A (Pagrisa), em Ulianópolis, no Pará. Nesta fazenda, localizada a cerca de 450 km de Belém, foram libertados, no final de junho, 1064 trabalhadores em condições análogas à escravidão, resultante de fiscalização consistente e respaldada na legislação em vigor, cuja seriedade pode ser comprovada pelo Ministério Público Federal que, há poucos dias, ajuizou ação penal por trabalho escravo contra os proprietários da empresa, tendo por base as evidências recolhidas pelos fiscais federais.

Na contramão do esforço nacional contra o trabalho escravo, infelizmente, a Comissão Externa do Senado optou por uma postura de alinhamento incondicional aos interesses da empresa denunciada, sem que houvesse o menor senso de equilíbrio e pluralidade que um caso desta complexidade exigia. Foi com consternação, por exemplo, que assisti a maioria dos integrantes da Comissão recusar a inclusão na referida visita de representantes do Grupo Móvel, do Ministério Público do Trabalho e da Comissão Nacional Para a Erradicação do Trabalho Escravo (CONATRAE). Recusada essa preliminar básica, julguei que não estavam dadas as mínimas condições para que pudesse me integrar aos trabalhos da Comissão, posto que se orquestrava um palco para a desqualificação e enfraquecimento das ações desenvolvidas no âmbito da Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério do Trabalho, tão competentemente coordenada pela secretária Ruth Vilela.

Diante do referido impasse, na condição de presidente da Subcomissão Temporária de Combate ao Trabalho Escravo da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal, convocarei, para esta semana, reunião desse colegiado em caráter de emergência, para debater e deliberar um conjunto de medidas que contribua para o imediato restabelecimento das ações de combate ao trabalho escravo no país. Da mesma forma, entrarei em contato com o ministro Paulo Vanuchi, da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, solicitando que seja convocada, no prazo mais curto possível, uma reunião da Comissão Nacional Para a Erradicação do Trabalho Escravo – CONATRAE, a fim de adotar providências para garantir as condições de segurança e de respaldo institucional às atividades realizadas pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel.

8 comentários:

Anônimo disse...

Parabés senador, pela postura correta e isenta.
Enquanto isso, o "Flexa" humm, se junta à escória.
Que coisa feia.

Anônimo disse...

O senador Flexa é representante do "status quo", para ele a exploração, a submissão, a exclusão, a expoliação, a enganação e tudo o mais que sempre moldou esse Brasil injusto socialmente, é o devido, é o adequado, é por onde chegaremos ao paraiso!
O duro desse caminho é a dor, quanta dor!

Alex Lacerda de Souza disse...

O Senador José Nery é atualmente o melhor representante do Estado no congresso, e reafirma a excelente surpresa que tem sido para mim e muitos outros desde a sua posse, com a postura comedida e séria que tem assumido, aumentando a sensação de que estamos, quanto ao resto, muito mal representados.

Blog do JPaixão disse...

Pelo menos neste caso em especial tivemos a grata supresa com um suplente de senador(a) que assumiu o madato para qual não foi votado o. Enquanto os outros...há, tape as narinas e esperem concluir os mandatos dos outros..

Anônimo disse...

NESTE EXATO MOMENTO ESTOU ASSISTINDO O PRONUNCIAMENTO DO SENADOR-SEM-VOTO NERY SEM COMPLICAR E NÃO CONSEGUIR EXPLICAR DE FATO PORQUE SE RECUSOU A IR À PAGRISA.

O SENADOR FLEXA DISSE TÊ-LO CONVIDADO, NERY CONFIRMA QUE FOI, MAS DÁ 3 VERSÕES CONTRADITÓRIAS PARA TER SE AUSENTADO A TÃO IMPORTANTE DILIGÊNCIA.

NERY, PELO QUE VEJO, É UM PETISTA EM VESTE DE PSOL.

Juvencio de Arruda disse...

Das 8:47.

1. Não vi as afirmações acima nas notas taquigráficas da sessão do senado.

2. Tire as algemas do seu senador antes de atacar o senador Nery.

3. Não retorne a comentar nete blog com caixa alta.

Anônimo disse...

O senadoe Nery é a materialização do ditado "atirei no que vi mas acertei no que não vi". Com sua conduta exemplar no Congresso Nacional, é merecedor do meu voto com certeza.
Parabéns Senador pela atuação.

Anônimo disse...

Ora, anônimo das 8:47,

O senador Nery apenas se recusou em participar de uma farsa.

Se você ainda não entendeu, talvez seja o único.