17.6.09

Justiça Concede HC ao Diretor do BASA

A recuperação de uma cirurgia na vesícula realizada há quinze dias motivou a concessão de um HC para o diretor do BASA preso ontem.
Veja mais detalhes no Portal ORM.

-----

A Operação Abate também agarrou Vitorino Luiz Domenech e Luiz Fernando Soares Pereira.
Vitorino é servidor de carreira da AGU (Advogado da União), é Diretor do Departamento de Gestão de Fundos de Investimento (DAS 5), unidade vinculada ao Ministério da Integração Nacional (pasta do peemedebista Geddel Vieira Lima). Ele já atuou na procuradoria do extinto DNER, atual DNIT, na época em que a pasta dos Transportes era área do deputado Eliseu Padilha (PMDB/RS).
Luiz Fernando é servidor de carreira da SUDAM (engenheiro agrônomo), está no Departamento de Gestão de Fundos de Investimento (é subordinado direto de Vitorino), ocupa o cargo de Coordenador Geral da Coordenação de Acompanhamento e Análise do Departamento (DAS 4).

8 comentários:

Prof. Alan disse...

Um Diretor do BASA, um DAS 4 e um DAS 5, Parente?

Rapaz, essa Operação Abate abateu mesmo, hein?

Como diria a pedaçuda Ivete Sangalo: "abalou, abalou, sacudiu, balançou...".

Anônimo disse...

Quantos doentes a esta hora estão apodrecendo em prisões e a justiçanão manda soltar este pessoal para fazerem tratamentos já que o Estado não cumpre com sua obrigação? Este senhor esta fora da prisão porque é influente e tem ou tinha poderes, inclusive financeiros. Me apontem algum influente ou rico que esteja na cadeia? Acho que nestes casos nem deveriam prender esta gente pois todos sabemos como termina esta historia. Estou sentindo um cheiro de impunidade neste caso. Até os outros Diretores do Basa publicaram nota oficial dizendo que este cidadão é quase um santo.

Anônimo disse...

Prezado Juvêncio,
Apesar de saber que é possível termos Advogados da União envolvidos em irregularidades, afinal não somos um grupo de santos, mas de seres humanos, o senhor Vitorino Luis Domenech (que não conheço) não é Advogado da União,fazendo parte do quadro suplementar da Advocacia-Geral da União. Deve ser Assistente Jurídico que não foi transposto para a carreira de Advogado da União quando da extinção daquela. Isso ocorreu quando ou o Assistente Jurídico não fez concurso ou quando ele, concursado, não fez concurso específico para Assistente Jurídico do Poder Executivo.
Abaixo, a situaçao funcional do servidor
VITORINO LUIS DOMENECH RODRIGUES - QUADRO SUPLEMENTAR - MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL

Um abraço.
Mauro O'de Almeida

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado pelas informações, caro Mauro. Com efeito, são as instituições maiores que os indivíduos, e seu interesse em assim manter a sua justifica o cuidado com o enquadramento funcional do citado.
Ontem vimos um procurador da República tendo sua carreira encerrada pelo CNMP.
Não sei se será o caso deste elemento, que ainda vai passar pelo crivo da Justiça.
Um abraço.

Anônimo disse...

Porque predem este pessoal que tem grana ou influente? Todos sabemos que só quem esta na cadeia é gente lisa. Os bons advogados estão ai para usarem as brechas da lei. Não seria melhor não prenderem estes endinheirados para que nos não ficassemos pensando que a lei foi feita para todos?

Alan Lemos disse...

"Não é verdade" que a polícia perde tempo prendendo gente que cumprimenta bandido ao invés de prender os próprios bandidos.

O engraçado é que as pessoas que aparecem aqui para criticar não mostram seus lindos rostinhos.

Juvencio de Arruda disse...

Alan, é o seguinte: vamos nos entender. O blog aceita comentários anônimos e isto está claro na caixinha de comentários.
Se vc tivesse feito seus comentários de forma anônima, seriam recebidos do mesmo jeito.
Quem entra no jogo recebe as regras, claras. Portanto, admita-os ou saia do jogo.
Ademais, relembro que o HC do diretor Augusto pondera suas questões de saúde, não o mérito das investigações que levaram a asua prisão.
Vamos debatendo passo a passo, a medida que os fato forem surgindo.
Conto com sua compreensão.

Anônimo disse...

Juvêncio,
Meu filho fez o mesmo tipo de cirurgia - retirada da vesícula por laparoscopia - há pouco tempo. Passou apenas 2 dias no hospital. O Augusto Barros foi solto para ir ao Porto Dias em regime de internamento QUINZE dias após a referida cirurgia. Só para não ficar detido. E ter maior liberdade de ação, se é que me entende.
Agora, pobre não pode pagar bons advogados e tudo o mais.
A verdade mesmo é o que se sabe: vivemos não em uma democracia, mas em uma sociedade desigual.