1.6.09

Narciso Apareceu!

Completamente possuída pela ira, a edição de hoje do IVCezal surpreende pela acidez com que trata a exclusão de Nova Déli das cidades sede da Copa de 2014. Entre os culpados - a governadora, o prefeito e o internacional Jader Barbalho - não incluiu seu obsequioso (mas não gracioso) silêncio pelas décadas que coonestou, até mediante fraudes, os governos que levaram e levam esta cidade e este estado à breca.
Longe de se preocupar com o que a cidade perdeu, o também internacional IVCezal fez as contas da baba que deixou de ganhar com os eventos da Copa. E se rasgou todo.
A população de Nova Déli reagiu ao que viu no espelho ontem. Viu, finalmente, a cidade em que vive e os políticos nos quais vota.
E chorou.

23 comentários:

Anônimo disse...

Já era esperado, somente sonhador ou idiota, estava acreditando, pois não temos força política, econômica e moral, e ainda a "comissão" era inexpressiva, sem qualquer articulação, talvez esse fator tenha ajudado, ainda mais , o Amazonas. Enfim perderiamos, porém, cooperamos com a nossa derrota.

Anônimo disse...

Mas não é a nossa Ana dos Kits a amiga intima do LULA? Que prestigio esta tem com o Presidente!
Como queriam que o Belém fosse uma das sede da Copa de 2014. Em vez de trabalharem pensavam que somente com o fuxico Belém seria escolhida. Quando em Janeiro o Jornalista Juca Kfuri disse que Belem estava fora em vez de se espertarem tentaram desacreditar esta informação. Ele estava certissimo.

Anônimo disse...

A governadora Ana Júlia perdeu a grande chance de dar a volta por cima, por conta do fracasso que é o seu governo, e assumir a dianteira na reeleição.
Sem obras e sem copa do mundo, como é que agora ela vai se apresentar ao eleitorado?
Nem dizer que é amiga do presidente Lula cola mais.

Anônimo disse...

Então tá. A Ana é a culpada. E os governos anteriores? E o Dudu? Todos eles são. Há muito tempo não temos governadores que prestem aqui. E prefeitos, raríssimos, como o Nélio Lobato (construtor) e o Edmilson (no social).

Anônimo disse...

Exato. A polulacao paraense -NÓS - precisa se olhar no espelho. É impressionante a capacidade que temos em culpar o outro. Vamos listar o que cada um de FAZ para ter uma cidade melhor. Eu comeco a lista por:
- VIVO DIZENDO QUE POLÍTICA NÃO SE DESCUTE

Rosinh@ disse...

O que pesou pra valer não foi a pressão de políticos e sim das todas poderosas Coca Cola (patrocinadora oficial da Copa) e Sony, ambas com sede em Manaus.

Anônimo disse...

A derrota sofrida por Belém é reflexo da política desastrosa que ao longo dos anos assola o Estado inteiro, políticos mal intencionados, mal articulados e sem projetos de governo (só de poder) é o que existe no Pará. O Pará é uma caricatura do Brasil, tudo de negativo em âmbito nacional é reproduzido aqui, corrupção, desvios, pedofilia, assassinatos no campo, criminalidade etc. A lista é longa.
Famílias dominam a política e os meios de comunicação, elegem e cassam políticos.
Mas ainda assim o povo, no fundo, tem orgulho da terra (de incríveis belezas) e de ser paraense.
Não é difícil apontar culpados, eu sou um deles, votei nas pessoas que estão aí e se não votei, deixei que fossem eleitas. Como?
Me omitindo.

Anônimo disse...

Por falar em inexprepressivos, cadê nossos poderosos(sic!)senadores. O lobby de Manaus estava inclusive no senado. Não são estes senhores que "lutam" pelo estado? Já que é para apontar culpados vamos fazer da maneira correta,não se esquecendo desses dois covardes e incompetentes que deixarama a Kátia Abreu falar mais grosso do que eles na tribuna. È no mínimo sintomático que o IVCezal os tenha "esquecido" ao apontar culpados. O Governo fez tudo que estava dentro de seu alcance, como por exemplo contratar uma das mais importantes empresas de consultoria da àrea a PriceWater House, mas como ficou evidente, os critérios não foram técnicos, mas políticos e mais do que Manaus, quem expos a inexpressividade política histórica do Pará no cenário nacional, foi o nordeste com 4 cidades escolhidas, sim , por quê se houvesse o mínimo de coerência , bom-senso e boa-fé nas análises feitas,estaríamos fazendo o seguinte questionamento: se é a Copa do meio-ambiente por que não 2cidades da Amazônia? E por que se incluiu Cuiabá ? Capital de um dos estados que descaradamente se lixa para qualquer política de proteção ambiental? Qualuqer análise que ignorar estas questões não merece ser levada a sério.

Prof. Alan disse...

Juvencio, Mano Velho, a pergunta que não quer calar é: será mesmo que a população acordou?

Ou será mais um episódio de revolta temporária?

A cidade não acordou quando o Falsário se apresentou com seu diploma falso de médico, não acordou com as mortes nos PSM´s, não acordou com a violência gritante, não acordou com o trânsito caótico, não acordou com o Hangar e suas patifarias, não acordou com os kits escolares da Donana...

Num país afogado em escolhas políticas equivocadas, porque seríamos diferentes?

Há o messianismo, que elege os Mãos-Santas da vida, como se fossem milagreiros. Há a insistência no errado, que reelege os Duciomares, os Renans. Há o culto ao "rouba mas faz", velho desde o Adhemar de Barros, mas atual com Malufs, por exemplo. E agora tem a novíssima vertente do caradurismo, novel mas já clássico: o "eu não sabia...".

Boa parte do povo, se tivesse chance, fazia o mesmo que os políticos: pesquisa feita pelo Instituto Análise mostrou que 45% do povo aceitaria passagens pagas com dinheiro público, para si e para amigos e parentes.

E ainda temos uma característica interessante, anotada pelo cientista político Tim Maia: o pobre brasileiro é de direita. Aliás, de direita é pouco, é reacionário mesmo. O pobre brasileiro acha que ter informação e participação política é coisa de comunista. Aliás, o povo brasileiro ainda acredita que existem comunistas e que eles comem criancinhas. A última campanha pra governador aqui no DF contou com esse argumento contra o Agnelo Queiroz...

O povo tem raiva de líder comunitário (mas adora beijar a mão de Sarneys e similares...), acha que direitos humanos é só pra bandido, aceita as mordomias e desvios de verbas como intrínsecas à vida pública...

Acho que a necessária comoção social, com seus benéficos efeitos saneadores, ainda está bem longe de chegar na cabeça dos paraenses.

Enfim, parente, como diria Luis Fernando Veríssimo, o problema é o povo.

Ou, como diria Brás Cubas, em suas Memórias Póstumas: "dessa terra e desse estrume é que nasceu essa flor..."

Anônimo disse...

"A população de Nova Déli reagiu ao que viu no espelho ontem. Viu, finalmente, a cidade em que vive e os políticos nos quais vota.
E chorou".

Como diria, o carioca: "demorô".

rsrsrsrs.

Anônimo disse...

A edição de hoje de O Liberal mostra que temos uma imprensa provinciana. Lamentável.

Anônimo disse...

Quando as incertezas superam a esperança é necessário uma correção nos rumos. É necessário ir para o meio do povo e apreender com ele.
Falta a essa parte da cá da Amazônia um líder de fato. Líder nascido e gestado pelo povo e que tenha em mente a importância de se afirmar a nossa cultura, que entenda a história de nossa terra, de nosso chão.
Para o resto do Brasil somos uma colônia e eles, até mesmo os da "esquerda" nos vêem assim.
É preciso potencializar nossa cultura. Entendê-la, pontencializá-la... É assim, que se constrói um povo soberano, feliz e entendedor de sua natureza e papel estratégico no desenvolvimento deste imenso Estado. Há conluiu das elites locais que são atrasadas em demazia.
Todos, agora, procuram explicações e sobretudo, culpados!

Anônimo disse...

o liberal so falta dizer que tbem é culpa do jader o desaparecimento do air bus da frança, ta virando um jornaleco mesmo de intrigas pessoais e nos leitores nao temos nada com isso. Editor deste jornal, pede pra c...e saí.

Anônimo disse...

A Fifa mente e é corrupta. É ingênuo pensar que só com o critério técnico Belém seria escolhida como sub-sede. Tem muito dinheiro em jogo e Manaus teve mais peso nesse quesito, apoiada por seus fortes patrocinadores. Belém é superior a Manaus e teria condições de sediar os jogos, mas o prestígio da capital amazonense foi maior, isto porque lá, em quase duas décadas, os governos investiram em infraestrutura. Aqui, ao contrário, os últimos governos foram omissos, negligentes, subservientes e não cuidaram da cidade como deveriam. Eu acredita que essa história pode mudar.

Anônimo disse...

Fala aí Juva,
Este i'mail recebi de uma amiga vou emviar como recebí mais poderia ser de qualquer município paraense.

Um dia, o Senhor chamou Noé que morava em SANTARÉM e ordenou-lhe:
- Dentro de 6 meses, farei chover ininterruptamente durante 40 dias e 40
noites, até que o Pará seja coberto pelas águas. Os maus serão destruídos,


mas quero salvar os justos e um casal de cada espécie animal.

Vai e constrói uma arca de madeira.


No tempo certo, os trovões deram o aviso e os relâmpagos cruzaram o céu.
Noé chorava, ajoelhado no quintal de sua casa,

quando ouviu a voz do Senhor soar furiosa, entre as nuvens:
- Onde está a arca, Noé?
- Perdoe-me, Senhor suplicou o homem.

Fiz o que pude, mas encontrei dificuldades imensas:

Primeiro tentei obter uma licença da Prefeitura ,

mas para isto, precisa ter prefeito, além das altas taxas para obter o
alvará,

me pediram ainda uma contribuição para a campanha para eleição do prefeito
do PT.

Precisando de dinheiro, fui aos bancos e não consegui
empréstimo, mesmo aceitando aquelas taxas de juros ...

O Corpo de Bombeiros
exigiu um sistema de prevenção de incêndio, mas consegui contornar,
subornando um funcionário.

Começaram então os problemas com o IBAMA e a
SEMA para a extração da madeira.

Eu disse que eram ordens SUAS, mas eles só queriam saber se eu tinha um
"Projeto de Reflorestamento " e um tal de

"Plano de Manejo ". Cujo quais levam aproximadamente de 02 a 03 anos para
ser aprovados.

Neste meio tempo ELES descobriram também uns casais de
animais guardados em meu quintal.

Além da pesada multa, o fiscal falou em "Prisão Inafiançável " e eu acabei
tendo que matar o fiscal, porque,

para este crime, a lei é mais branda.

Quando resolvi começar a obra, na raça,apareceu o CREA e me multou porque eu
não tinha um Engenheiro Florestal para retirada da madeira, e um Engenheiro
Naval
responsável pela construção.

Depois apareceu o Sindicato exigindo que eu contratasse seus marceneiros com
garantia de emprego por um ano.

Veio em seguida a Receita Federal , falando
em " sinais exteriores de riqueza " e também me multou.

Finalmente, quando a Secretaria de Municipal do Meio Ambiente pediu o "
Relatório de Impacto Ambiental " sobre a zona a ser inundada, mostrei o mapa
do Pará.

Aí, quiseram me internar num Hospital Psiquiátrico!

Sorte que o INSS em Santarém funciona precariamente e estava de greve...


Noé terminou o relato chorando, mas notou que o céu clareava perguntou:

- Senhor, então não irás mais destruir o Pará?


- Não! - respondeu a Voz entre as nuvens

- Pelo que ouvi de ti, Noé,
cheguei tarde!


A governadora do Pará já se encarregou de fazer isso!

Flávio Sacramento

Anônimo disse...

Quer dizer que para o pasquim dos mafiosos, a FIFA, essa vestal e a CBF de outro vestal, riscaram Belém por causa do Jader e da manicure da governadora? Que raciocínio imbecil. O que esses caras pensam que nós somos para sermos enrolados de maneira tão grotesca? O que conta para FIFA e CBF são "outros quinhentos", por exemplo, 10% de por fora sobre as construções do novo Vivaldão são melhores do que os do Mangueirão - mais de duas vezes mais. Sem contar a força dos patrocinadores da Fifa. Agora, o liberal vir com essa de moral pra cima dos leitores...! Quem fraudou a Sudam em icoaracy e no Amazonas não pode vir de moralismo.

Anônimo disse...

Mortes na Santa Casa impressionaram a Fifa? E as do PSM do "doutor' Dudu? Esse IVcezal é cínico.

Cássio disse...

Juca, por que a surpresa da linha editorial de hoje? O recado já havis sido dado no domingo. É parte do jogo, mano velho. O LIBERAL, os tucanos, o DEM e a dubiedade barbalhiana, somente expressam que em eleição, do pescoço pra baixo é canela. Cometemos erros, sim. Acreditamos na avaliação técnica da FIFA e regionalizamos por demais o grupo executivo. Agora, convenhamos, disputar com uma capital de forte apelo internacional? Na fala do próprio Blatter, ficou evidente a dúvida quanto à proposta de criar duas sub-sedes, porém o apelo e os interesses econômicos das multinacionais patrocinadoras da capital amazonense falou mais alto na decisão da FIFA. Como levar a sério, uma decisão vazada e reverberada desde janeiro pela imprensa, ou alguém acredita que Ancelmo Góes ou Juca (o outro) somente "deram um furo" ou opinaram no escuro? Olhemos no nosso espelho, sim, principalmente quando tecemos loas coloniais ao Centro-Sul, quando aceitamos passivamente que outros confundam Amazonas com Amazônia, quando aceitamos que o presidente de nossa federação de futebol se torne um "moleque de recados" ou "macaco de auditório" da CBF, quando aceitamos que dirigentes inescrupulosos e amadores levem nossos clubes à terceira, quarta e nenhuma divisão ou quando engolimos as carpideiras da mídia local. De fato, estamos todos nus.

Anônimo disse...

Aos que procuram defender o Governo de Estado (como o comentarista Cássio) e a Coordenadora do GT COPA Lucia Penedo, atacando o critério político da CBF-FIFA, acabam produzindo um tiro no pé da Governadora. Afinal, se o critério foi político, quem melhor para ganhar a disputa do que a governadora amiga e do mesmo partido do Presidente Lula? A não ser que o presidente (também) não acredite nela...

Anônimo disse...

Senhores, por que a Copa viria pra capital mais suja do país, pro estado mais violento da nação, de pior índice de saneamento básico e de educação, pras terras mais ridicularizadas pela mídia nacional, representada por políticos pedófilos e governada por dirigentes demagogos, populistas, incompetentes e ladrões? Como, me digam, como?!!!

Anônimo disse...

Oh, quanta gente tola... Por isso merecem os veículos de comunicação que tem....

Para quem não lembra, a FIFA foi acusada de desvio de dinheiro na Copa da Alemanha. Cartola é tudo igual, só muda de time. Querem saber de lucrar com o futebol e mais nada. Arte, desenvolvimento, paixão, tudo isso é balela, ou como já disseram antes de mim, ideologia, para mascarar a podridão do que praticam.

A decisão da FIFA não adotou critério técnicos ou políticos. O critério foi o 10%, afinal o projeto de Manaus previa gastos 6 vezes maiores do que os de Belém. Serão obras e mais obras, onde as empresas apaniguadas da FIFA poderão superfaturar as obras e pagar os adiposos cachês a Blatter, Teixeira e a corja de biltres que comanda o glorioso esporte bretão.

Me poupem...

Cássio disse...

Eu não disse em nenhum momento que o critério foi político. Fui mais longe. Se o anônimo acredita em curupira, vai continuar com essa história de "critério técnico da FIFA". No comentário, ficou evidente que também erramos, do ponto de vista de nosso quinhão. Agora, criar culpados e transformar isso em debate político é assaz cretinice. Uma pena é nossa imprensa cair nesse simplismo reducionista. De fato, um dos comentaristas tem razão: nossa imprensa é provinciana, até quando tenta ser universal. Perdemos para Manaus? Estávamos de fato em disputa com essa capital-irmã da miséria e do colonialismo? Vida que segue e ninguém vai morrer e deixar de governar por isso... Belém e o Pará são maiores. Mesmo com os papagaios de piratas do futebol local a afundar uma de nossas mais autênticas paixões: a rivalidade e sua poética... Enfrentar nossos graves problemas e desafios é o que interessa. Em 2014, estaremos em Fortaleza que além de bela, é nossa verdadeira co-irmã na luta e na adversidade, além de ter uma linda prefeita.

Anônimo disse...

Cássio, então foi você que acreditou em curupira, pois disse “acreditamos na avaliaçao técnica da FIFA” (leia com atenção seu comentário anterior). Quanto à exploração política do resultado das sedes, quem tomou esse caminho foi o próprio governo, como fazem todos os governos, e como não deveria fazer este governo da Ana Júlia, por se dizer de esquerda. Além do mais, sabe-se que a escolha de Belém não seria a redenção para as nossas misérias (intelectual, política, econômica e cultural – esta última refletida por exemplo por tantos fogos estourados e por carreatas que se formam nas ruas de Belém após a conquistas de títulos estaduais por clubes como o flamengo ou corinthians). Esse detalhe à parte, diga-se que é público, notório que uma cidade como Belém, com melhor infra-estrutura e maior tradição futebolística, deveria vencer Manaus na disputa. Se isso não ocorreu, não há dúvida que representou uma derrota político-administrativa para a governadora, que é do mesmo partido e se diz amiga do presidente da república mais popular da história do Brasil. É difícil entender isso Cássio, ou você realmente acredita em curupira?