26.11.07

Punição

A vice presidente nacional do Democratas, Valéria Pires Franco, em nota no site nacional do partido, manifesta-se em relação ao caso de Abaetetuba.

22 comentários:

Anônimo disse...

Bem, ao que parece, a Sra. Valéria mudou muito a sua maneira de pensar.

A que se saiba, os delegados de Abaeté que colocaram a menor numa mesma cela com 2 dezenas de marginais o fizeram de moto próprio. Não estavam cumprindo ordem da governadora.

Esta, assim que foi informada do acontecimento, tomou imediatas providências para apurar o caso e punir os responsáveis.

Mas a Sra. Valéria e seu partido acham que a governadora é culpada, que há um "desgoverno", etc.

Que bom que a Sra. Valéria ficou, assim, tão rigorosa.

Há alguns meses ela pensava diferente. Bem diferente.

Tanto que não recusou seu apoio ao governador que determinou expressamente uma operação policial da qual resultaram 19 assassinatos.

Creio que, pelos valores que a Sra. Valéria hoje cultiva, por certo ela não se recusará em dar uma declaração afirmando que o ex-governador (não seria ex-desgovernador?) Almir Gabriel é diretamente responsável por aqueles 19 assassinatos.

Se ela der essa declaração, terá meu respeito.

Se ficar só nessa aí, continuarei achando que ela está, somente, aproveitando-se politicamente da desgraça daquela criança, com olho nas eleições municipais de 2008.

Ana Paula Ribeiro disse...

Considero que este fato é o Eldorado do Carajás da Ana Júlia, porém considero um agravante,´pois no Eldorado havia um conflito, e em uma ocasião como esta tudo pode acontecer, as coisas fogem do controle, já no caso em questão não havia pressão nenhuma, só muita incompetência de quem atua na área para deixar ocorrer fatos como estes. E quem nomeia incompetentes, incompetente é.

Anônimo disse...

é muita cara de pau da Demo...

Juvencio de Arruda disse...

Façam-me a gentileza de não enviar comentários mal educados e contendo expressões chulas.
Quem quiser criticar a nota da ex vice governadora, pode e deve fazê-lo, mas em termos civilizados.

Anônimo disse...

Obrigado por ser justo, Juvêncio.

Juvencio de Arruda disse...

Como diz um político muito conhecido, eu não faço nada mais que a minha obrigação.
Mas faço....rsrs
Obrigado, das 11:20.

Anônimo disse...

Das 9:54,

Demonstre sua competência, mostrando que conhece o que você comenta.

1 - Os delegados de polícia são selecionados em concurso público. No caso em questão, os delegados envolvidos não foram selecionados nem empossados pela atual governadora, mas por governos anteriores. Estão -- isto sim! -- na iminência de serem demitidos pela governadora, a bem do serviço público.

2 - Eles não cometeram as arbitrariedades cumprindo ordem da governadora, ao contrário dos assassinos de Eldorado dos Carajás.

3 - Os governantes são responsáveis por seus atos de gestão. Um governante não pode ser responsabilizado pelos desmandos cometidos por um sobordinado seu, por iniciativa própria. O governante só poderá ser responsabilizado se, tomando conhecimento dos desmandos, não providenciar a medidas punitivas, na forma da lei. O que não é o caso.

4 - Se formos aplicar a mesma medida de valores que você propõe, a Sra. Valéria deve ser considerada responsável direta pelas falcatruas cometidas, digamos, na SESPA, durante o governo passado, já que o autor das falcatruas era subordinado seu. Duplamente subordinado, aliás. Como vice-governadora, eventualmente substituindo o titular, e, principalmente, como secretária especial. A menos que ela reconheça que des-secretariava um desgoverno.

5 - É ou não é?

Anônimo disse...

É.

É Desgoverno de todo lado. Só um Estado do tamanho e com a riqueza do Pará pra aguentar tanto desmando. Outro já estaria estendido no chão, nocauteado.

Depois ainda reclamam que a imegem do Pará no Brasil e no mundo seja assim tão desfocada.

Janjão disse...

Juvêncio, sabe oque eu acho engraçado, os defensores da governadora não se identificam, ficam no anonimato porque será?

Bia disse...

Juca querido,

não me interessa comentar o que acha o DEM sobre assunto algum. Mas me interessa comentar a
frase..." 2 - Eles não cometeram as arbitrariedades cumprindo ordem da governadora, ao contrário dos assassinos de Eldorado dos Carajás."

Aos pios companheiros é importate esclarecer que pelo seu raciocínio, no limite da responsabilidade, se o comentarista acredita que o Dr. Almir deu a ordem para a matança, pode-se crer que a Governadora deu a ordem para a menina ser jogada na cela, coisa que não acredito, ainda que não a tenha em bom conceito. Para ela valem os concursos, etc. e tal. Para o ex-governador não valem a hierarquia militar, da qual nem Lula escapa!
O problema de moedas com a mesma face é que um lado acaba enferrujando de tanto usar dois pesos e duas medidas!

Quanto a Eldorado, os de boa fé - porque para os de má fé, azeite pra eles! - devem consultar o arquivo do Estadão on-line, do dia 19 de abril de 1996 e verão a notícia da intervenção do grande lider paraense, Jader Barbalho, aliado de primeira hora do grupo hoje no poder e a quem o Presidente fez questão de beijar a mão, atrocidade que nem FH cometeu, para que o então Superintendente do INCRA não saísse de Brasília, na manhã do dia 17, para desapropriar a fazenda Macacheira. Isso ão é ilação. É fato. Para completar o que a nota do estadão não diz, Raul Pont, o superintendente, estava dentro do avião e de lá foi retirado, para atender o senador que "não queria uma festa para o seu adversário no Pará."

E daí? O Jader mandou matar os dezenove de Eldorado? Não. Nem ele cometeria esta atrocidade. Menos ainda Almir Gabriel, com a sua história de militancia solidária inclusive exercendo a medicina a favor de perseguidos políticos.

Recomendo também aos bem intencionados que conversem com as antigas lideranças sindicais rurais naquela região - Marabá, Paraoapebas, São Domingos do Araguaia, Curionópolis e Eldorado - e tomem cnhecimento doque foi dia 17 na beira da estrada, do acordo com as "lideranças" dos garimpeiros, para engrossar a massa.

Isto justifica a barbaridade policial? Não. Mas todos os fatos compõem um quadro que resultou noconfronto e na morte de dezenove vítimas da truculência policial e da irresponsabilidade de setores do ovimento social.

Assim como o elenco de justificativas que tão primorosamente isentam a Governadora da responsabilidade direta pela tortura da menina de Abaetetuba.

Beijão, Juca.

Anônimo disse...

Bia,
Com todo o respeito, bem que você poderia se interessar pelos assuntos que dizem respeito ao DEMOCRATAS.
Pelo menos para fazer as suas justas críticas.
Seria mais coerente com o que sempre leio nos seus comentários aqui no Quinta.
Ao invés de preconceito, críticas.
Combinam mais com os dias de hoje.
Combina mais com você.

Bia disse...

Desculpe, anônimo das 2:43.

Aceito a crítica. Recebo-a envergonhada.

Obrigada. Um abraço.

Lafayette disse...

Juva, essa galera deveria ter lido, estudado e matutado o post "Gsetão Pública e Controle Social", do leitor Policarpo (aliás, acerta lá que o Gestão tá errado).

E, as vezes não concordo com ela, em algumas coisas, mas essa Sra. Bia é duca mesmo!

Ela, e alguns outros, aumentam nível do debate, né mesmo?

Blog do Paraense disse...

Recebi hoje pela manhã em meu email a nota do DEM sobre o acontecimento da prisão da menina J. em uma cela com mais 30 homens. Nada podia me deixar mais enojado.

A prática de fazer política com a desgraça dos outros é corriqueira no Brasil. Aliás, segundo alguns analistas de nossa sociedade, a miséria é mantida em níveis estáveis pelas elites, pois nela se legitimam as ações clientelistas como uma preocupação com o social.

Leia mais no meu blog...

Desculpe, Juvêncio, pelo "merchan".

Antônio Paraense

Juvencio de Arruda disse...

Voilá, Paraense, o Quinta é todo seu...rs

Anônimo disse...

Eu não nutro simpatia pela Ana Júlia. Ao contrário, acho que ela é incompetente, até na escolha da grande maioria de seus assessores. Acho, também, que ela não pode se eximir de responsabilidades pelo caso.

Agora, me enoja ouvir e ler comentários, ou notas, de pessoas que são tão, ou mais, responsáveis quanto a atual governadora, responsabilizando-a por tudo.

Menores (meninos ou meninas) e mulheres só passaram a cometer infrações e a serem presos agora, na atual gestão do Estado?

Ora faça-me um favor, dona Valéria.

A sra. tem razão quando diz que "...Não é de hoje que o povo paraense está sendo submetido a uma inaceitável escalada demagógica e de desrespeito às leis...".

É, não é de hoje, infelizmente, pois, se o fosse, seria até mais fácil resolver.

A sra. também tem razão ao afirmar que "...o Estado, infelizmente, está sendo conduzido no rumo da barbárie...". É, infelizmente. Apenas um reparo: o Estado não ESTÁ sendo, ele CONTINUA sendo. E muita gente (aliás, a maioria do povo Paraense) acreditava que esse rumo mudaria.

Eu só espero que a sra., dona Valéria, passe, a partir de agora, a lutar contra os desmandos do governo estadual, pois, até o início do atual governo, e mesmo quando detinha poder para tal (sendo vice governadora e responsável pela pasta que tinha a obrigação de solucionar esses problemas), não o fez. Ou a sra. também não sabia que isso acontecia?

Que suas palavras não tenham como alvo apenas as eleições que se aproximam...

Anônimo disse...

Cara senhora Bia,

Em nenhum momento afirmei que o Sr. Almir Gabriel é culpado pelo assassinato de 19 pessoas em Eldorado dos Carajás.

Apenas disse que, se, como diz a Sra. Valéria, a atual governadora é responsável pelo que ocorreu em Abaetetuba, então responsável tanto quanto -- ou mais -- será o Sr. Almir Gabriel pelo acontecido em Eldorado dos Carajás.

Se ela atribui à governadora, a responsabilidade por uma arbitrariedade não decorrente de ato de gestão da atual Chefe do Executivo, muito mais deverá considerar, como responsabilidade do ex-governador Almir Gabriel, a arbitrariedade que derivou diretamente de um ato de gestão deste último.

Se vale pra uma, vale pros dois. Se não vale pra ele, não vale pra ninguém.

A Sra. não concorda?

Anônimo disse...

Valeria?! Ora me compre um bode...

Bia disse...

Prezado Anônimo das 8:07:

se é você o Anônimo das 11:23, releia o que escreveu. Não faça como FHC, de triste memória. E eu não comentei a nota do DEM. Comentei o comentário do Anônimo das 11:23, especialmente o ítem 2.


Abraço. Sem ironia.

Anônimo disse...

Imagina. Como esta situação é tão antiga no Pará, como em outros cinco estados da federação, a ex-vice governadora usa do mesmo expediente: se havia no governo que eu participava, eu não sabia. Talvez nem soubesse mesmo. Seria exigir demais.

Anônimo disse...

Cara Bia,

Sou o anônimo das 11:23 e das 6:10. Mas não o das 8:07. Parece sopa de números. Ou de horas.

No mais, gostaria de registrar: você e eu sempre estaremos em campos opostos, mas...

... mas eu gosto de você um bocado. Tipo assim, um bocadãozão bem grandão.

Um beijão.

Juvencio de Arruda disse...

Gente!?.....rsrs