30.1.09

Embalando Mateus

Lucia Douro, a fada que quinzenalmente prepara o rango na casa do poster, é quem conta que lá em Ananindeua, particularmente na área do Stélio Maroja e 40 Horas, é mais quem procura pelo prefeito Helder Barbalho, o Sobrancelhudinho.
"Seu Juca", diz ela, "depois das eleições as máquinas sumiram. Faltaram as ligações dos tubulões até as casas e o acabamento asfáltico".
Falta o Sobrancelhudinho dar um pulo por lá e dizer para a população que a obra é da Cosanpa, e os recursos são do PAC.
Há demissões nesta obra.

3 comentários:

Anônimo disse...

É sempre assim depois da vitória nas urnas e na posse. Sumiram também as máquinas em Belém. As obras da Augusto Montenegro estão paradas e a rodovia é um desastre na expressão da palavra. As obras incabadas causam perigo, que antes de existiam. Isso é uma baita irresponsabiliade do tal prefeito.

Prof. Alan disse...

No caso do Barbalhinho, ele só posou de carachué, assumindo a paternidade de obra que não lhe pertencia. Isso é feio, muito feio, mas não é crime.

Mas no caso do Falsário, se acontecer algo de ruim, que Deus nos livre, por conta das condições da rodovia, ele deve ser responsabilizado.

Aliás, Mano Velho, por onde anda e o que faz o Ministério Público Estadual, que não copia o que há de bom em seus congêneres de outros estados? Em alguns estados o MP está indo a juízo obrigar prefeitos a tocar obras necessárias para as cidades...

Juvencio de Arruda disse...

Aqui tb. O MPE já entrou com algumas ações obrigando o falsário a trabalhar, mas não tem jeito.
Ele é especialista em desdobros.