6.6.09

Agenda Democrática e Popular

A entrada em operação da linha do Marajó do catamarã Álamo, que reduzirá pela metade o tempo de travessia Nova Déli-Camará, prevista para a próxima terça, vai atrasar, segundo o Seventy. Problemas de agenda da governadora, dizem a coluna e membros do trade.
Os usuários estão há mais de mês esperando, o último feriadão do semestre chegando e os passageiros permanecerão reféns das velhas banheiras.
É inacreditável a falta de respeito.

16 comentários:

Anônimo disse...

nossa maior obra é cuidar das pessoas......imagina esse novo slogan do governo, é reconhecimento que o pará nao é terra de direitos e que essa desgovernadora não fez uma obra se quer, 2010 te aguarda chapeuzinho vermelho e lobos maus.

Anônimo disse...

Prezado Juvêncio Arruda, peço que divulgue em seu prestigiado blog o que segue abaixo:

FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ FARÃO ATO PARA INSTALAR A CAMPANHA PELO PCS.
SERÁ DIA 8/9, SEGUNDA-FEIRA, ÀS 9h.
NA FRENTE DO POSTÃO SENADOR LEMOS.


Nós, funcionários do BANPARÁ, sempre defendemos nossa empresa. Em 1998 chegamos a doar 20% de nosso salário mensal para salvar o banco. Nosso primeiro lema sempre é a DEFESA DO BANPARÁ.
Somos o principal patrimônio do banco e temos enfrentado muitas dificuldades: baixos salários, sobrecarga de trabalho, adoecimentos, insegurança e a ausência de um Plano de Cargos e Salários e de um Plano de Saúde que realmente atenda às nossas necessidades.

SÃO 15 ANOS DE LUTA PELO NOSSO PCS...
São 15 anos de congelamento. As perdas que acumulamos neste período impactam violentamente em nossa qualidade de vida. Ano passado, após uma greve vitoriosa, por reivindicação direta dos funcionários, nosso PCS foi garantido no Acordo Coletivo de Trabalho assinado pelo presidente do BANPARÁ. E com data marcada para ser implantado: 18 de maio de 2009. Certamente, a direção do banco se planejou para cumprir o acordado, no entanto, mesmo após o trabalho competente da comissão paritária - AFBEPA, Sindicato dos Bancários, Banco e DIEESE - que já concluiu o reenquadramento funcional, ainda não temos nosso PCS garantido e nem perspectiva alguma de implantação. Com as mudanças em curso no BANPARÁ, o que nos aguarda? Mais 15 anos de angustiante espera? A direção do banco argumenta queda de receita, no entanto, de acordo com entrevistas e outras informações públicas, o BANPARÁ registrou, no primeiro semestre de 2008, lucro líquido de mais de 15 milhões, o que equivale a 251% a mais que no mesmo período do ano anterior (http://www.banparanet.com.br/i_midia_not58.asp).

TRANSPARÊNCIA
O prazo já expirou. Por que não implantar o PCS agora? Há seis meses atrás, quando acordo foi assinado, o banco provisinou os valores para cumprir a cláusula 12ª e implantar o PCS? Cadê os dados que justificam a posição do banco para adiar a implantação? O adiamento é para quando? A comissão paritária vai apresentar aos funcionários o que foi concluído? Por que estão acontecendo mudanças estratégicas no banco, exatamente no momento da implantação do PCS?

PCS OU PCS JÁ!
É hora de unidade, é hora de darmos as mãos em defesa de um direito garantido no Acordo Coletivo de Trabalho. Nosso PCS deve ser implantado já, para corrigir injustiças, valorizar e garantir perspectivas justas ao funcionalismo.

Queremos o cumprimento da cláusula 12ª do ACT!
Queremos nosso Plano de Cargos e Salários já!

ATO PELO PCS.
DIA 8/9, SEGUNDA-FEIRA, ÀS 9h.
POSTÃO DA SENADOR LEMOS.

KÁTIA FURTADO
PRESIDENTA AFBEPA
Associação dos Funcionários do BANPARÁ


Muito grata,
Kátia.

Anônimo disse...

Pará, terra de direitos.
De quem?

André Costa disse...

Presidenta Kátia Furtado,

Embora discorde da forma como as privatizações foram feitas, e o meu discordar não conta em nada e não mudará nada, uma coisa ficou provado: banco público BOM é banco privatizado.

O Banpará é tão ruim, que ninguém se interessou pela compra.

Yúdice Andrade disse...

Corre a boca pequena por aí que, desesperada com a avaliação de seu governo, Ana Júlia resolveu inaugurar até lâmpada nova em poste de rua. Pelo visto, é verdade. Por que diabos o navio só pode operar depois que ela der a bênção?
Por favor, ninguém responda. Não é uma pergunta, e sim um protesto.

Anônimo disse...

Enfim,mais uma obra do governo Ana Júlia:a cozinha do hangar.

Anônimo disse...

se estão pensando que aqui (pará) é casa da mãe joana...???? então estão certos podem pensar. como diria boris ISTO É UMA VERGONHA

Anônimo disse...

Não falta agenda pra inaugurar uma cozinha, mas se deixa uma prioridade como a travessia do Marajó, que mexe com milhares de pessoas, a espera, por conta da agenda da madame.
Um governo que não tem identidade, e , ao que parece , não quer se identificar com o povo.
Manda fazer uma festa com música, de preferência o filho do Tim Maia, que ela vem logo correndo etstar esse transporte.

Anônimo disse...

Sra. Katia, não se desesperem ainda, vão virar funcionários do Banco do Brasil e tudo será ouro OK.

Prof. Alan disse...

Caro Yúdice, me permita pegar uma carona no protesto, e complementar: este governo estadual é um mistério. Quer tentar melhorar a imagem inaugurando qualquer coisa - mas não inaugura coisa alguma porque a governadora não tem agenda...

Quem não acha uma brecha na agenda pra inaugurar algo importante assim não merece mesmo ser reeleita...

Anônimo disse...

Ela ( a gov.) tá indo até em abertura de congresso sem expressão nenhuma e não perdendo a oportunidade de fazer palanque.

Anônimo disse...

No Rio Grande do Sul, o Datafolha, em pesquisa eleitoral recente, mostra Ieda Cruzyus “credo” em terceiro lugar, com apenas 7% de intenção de votos e reprovação que chega a 51%, em queda livre de tão ruim que é o seu inepto e corrupto governo.
Aqui no Pará? Há tempos não se tem notícia de pesquisas, o que levanta a seguinte hipótese: como o atual governo dá cada vez mais sinais de debilidade em seu desempenho, fazendo água em várias áreas de atuação, quem sabe esteja segurando resultados de possíveis pesquisas (inclusive encomendadas), ou não queiram fazê-las com receio de um resultado desastroso, ou esperar iniciarem as obras de véspera de eleição. Vale lembrar o resultado da Voxpopuli de junho de 2008 que já apontava significativa queda de popularidade da Governadora.

Anônimo disse...

Amigos, não se desesperem. É que falta uma hélice com diâmetro maior para que o barco consiga fazer a travessia com 80 nós e não 40, como o que ocorreu na semana passada. Resta saber se a solda vai funcionar para a inauguração daembarcação.Abs, até Camará. Ops, até lá...

Juvencio de Arruda disse...

Essa informação tem um mês. E foi substituída.
Mas com hélice alguma o Álamo vai fazer 40 nos.
Até lá.

Anônimo disse...

Katia, não é só os funcionários do Banpará, mas a grande maioria dos barnabés estaduais, que até hoje estão no aguardo de seus PCCR, que desde a campanha eleitoral foi objeto de promessas e de intermináveis debates e até agora, nada. Pelo acordo firmado entre intersindical o prazo para implementação será até setembro de 2009 ( o que duvido muito). Ano passado constituíram uma tal de comissão para rever os projetos, estabelecer diretrizes e outros caqueados... Praticamente nada foi feito e no meio desse cipoal de incertezas ainda tem a pesadíssima burocracia da SEAD e a SEPOF, que pouco resolvem e só fazem cair no descrédito. Até agora só migalhas de reposição inflacionária e penduricalhos de gratificações, numa enorme colcha de retalhos que é a (des)politica salarial do governo estado. Ainda paira o risco de culminar num estelionato político.
Ah! Bem que vocês poderiam exigir que o banco reduzisse a usura escorchante cobrada dos lascados servidores.

Anônimo disse...

Juca,
Poderia informar qual o poder que os donos das banheiras infectas que fazem a linha para o Marajó possuem, que têm conseguido, até agora, frear uma saudável competição9 com embarcações razoáveois? Muitos amigos meus, da Alemanha e da Suíça, aqui procuram o Marajó e depois declaram que jamais voltarão porque as embarcações são horrorosas e não lá pousadas decentes. Agora, a governadora há meses adia a viagem inaugural da nova lancha. Por que? Que poder é esse que desafia a inútil ARCOM e paralisa as atividades turísticas para o Marajó?