5.6.09

Disputa Tucana

Passou um furacão, digo, um Tapiocão, hoje, na casa de Noca de Goianésia, km 230 da PA-170. Era o defectível senador tucano que só pensa naquilo: o governo do estado.
Frente um auditório lotado, abriu a bocarra e sapecou um rosário de bobagens e jactâncias, bem ao seu estilo.
Começou dizendo-se a favor do Estado de Carajás. Justificou que 70 % do eleitorado está no interior. Por causa disso que quer ser o governador do interior, e prometeu passar 70 % dos dias despachando fora da capital.
Daí derivou para os obstáculos de sua campanha, que começam dentro de seu próprio partido.
Disse que a disputa interna, por vezes, é desonesta, e desancou a bancada estadual tucana - onde não tem nenhum apoio - lembrando que na época em que presidiu a Assembléia Legislativa ( 2003-2006) toda a bancada de seu partido vivia em seu gabinete rastejando atrás de prebendas de toda a sorte e ele os atendia.
Reiterou o apoio do ex governador Almir Gabriel, cuja importância política, na visão tapioquística, não mereceria encerrar a carreira política sem uma vitória: Mário governador.
Não vê mais nenhuma possibilidade de união no ninho tucano e garantiu: "Eles estão me empurrando para o PMDB".
Se já não está no PMDB, pelo menos Tapiocouto anda muito bem informado sobre as estratégias do braço midiático do international que comanda a legenda, tanto que anunciou uma entrevista bombástica de Almir Gabriel ao jornalista Frank Siqueira, nas páginas sobrancelhudas da edição de domingo, que chega nas ruas no final da tarde de amanhã.
Nela, segundo o new peemedebista, Almir despeja toda a culpa de sua derrota na careca de Jatene, acusando-o de corpo mole, entre otras cositas mas.

----

Resta evidente que Jader Barbalho dá o alpiste para Tapiocouto. Ambos sabem que Jatene tem, hoje, a maioria do partido nas mãos. De acordo com uma fonte, elementos muito ligados a Almir - Paulo Chaves, Paulo Elcídio, Adelina Braglia ( é vero, queridona?), ex prefeitos e outros membros da velha guarda, chegaram-se a Jatene.
Toda a bancada estadual e pelo menos um federal, Zenaldo Coutinho, fecham com Jatene. O segundo federal, Wandenkolk Gonçaves, de certo modo é uma incógnita. Nilson Pinto, o terceiro da bancada em Brasília, parece ter atravessado o Rubicão e, via Tapiocouto, também passaria para o PMDB.
Se este cenário visualizado por Mário se concretizar, vai ser uma delícia ver Almir Gabriel agarradinho com Jader no palanque. Aos anos 80 voltarão, se é que algum dia de lá saíram verdadeiramente.
Jatene, que também contracenou naquele palco, inspira um receio em seus apoiadores: a proverbial baianidade, por assim dizer, que lhe recomenda não sair da rede com muita frequência.
O outro senador tucano e presidente regional do partido, Flexa Ribeiro, se segura no pincel.

----

Em tempo: o suplente de Tapiocouto é o mega predador e histriônico empresário marabaense Demétrio Ribeiro, outro absurdo da política paraoara.

34 comentários:

André Costa disse...

É por causa desses e de outros, que não acredito na emancipação. Até ele quer usar isso no palanque.

Por isso acredito que tudo isso não passa de um grande palanque eleitoral... vamos ver após essa eleição quantos falarão em emancipação.

Anônimo disse...

Muito boa a radiografia.

Com todo o respeito, mas pra mim, ter de escolher entre Couto ou Jatene é como ter de escolher entre levar um tiro na cara ou na palma da mão - RESPECTIVAMENTE.

Nerwton Pereira disse...

Juvêncio,

O Mário Couto indo para o PMDB, perde o mandato, essa eu quero ver.

Newton Pereira.

Anônimo disse...

Mário Couto deveria terminar o mandato de Senador, isso sim! A sensação é que não temos senadores atuando....

Juvencio de Arruda disse...

Ah...os tapiocoutistas não gostaram, é?
Mas não puderam desmentir o post, né marginais? Só tentaram vomitar em cima do Juquinha, né?
Sei...
Vem mais por aí...eheh
Aguardem, é só o começo.

Anônimo disse...

Estou com o comentário das 11:34. Couto deve continuar no senado, até porque nós os paraenses não merecemos ter Demetrius Ribeiro no senado. Se isso vier a acontecer vamos morrer de vergonha de suas porraloquices no planalto, em nosso nome. Aliás, é bom lembrar, e ouví isso do próprio, à época, foram cinco milhões a suplência e o compromisso de quatro anos de mandato. Daí a insitência de Couto. Também me preocupa a possibilidade de cairmos nos braços preguiçosos de Jatene. Aqui no sul e sudeste do Pará, posso afirmar, a rejeição a Jatene é muito grande. Por que então não azeitar uma 3ª via? com sangue novo? é bom pensar nisso, senão vamos continuar submissos aos imcomPTentes. Vou continuar anônimo por enquanto. Mas, conforme o andar da carruagem eu volto identificado prá contar tudo que sei. Com provas. Demétrius Ribeiro é um louco. Podem acreditar. O Pará não merece.

Anônimo disse...

Ás vezes a gente acha que a coisa não pode ficar pior do que está. Então aparece o mais tosco, safado, bandido e corrupto personagem da política paraora, o bicheiro Mário Couto, para tentar o governo. A sensação é que ainda não chegamos no fundo do poço. Quanto ao Almir, varrido da política local e ansioso para voltar com o seu cavaleiro do apocalipse, está ouvindo muito o seu filho mafioso envolvido até no assassinato dos Novelino, Marcelo Gabriel. Triste desfecho para um político gaga e insano, que até pouco tempo era respeitado por todos.

Anônimo disse...

A Vale, que não vale nada, é a maior articuladora para a criação do estado de Carajás. Pretende se transformar em Estado, fazer retornar para os seus cofres os impostos que paga e ser uma espécie de principado. O cretino do Mário Couto já tá de olho na bufunfa da Vale para sua campanha.

Nélio Aguiar disse...

Juvêncio,
O Mario volta com o mesmo discurso do interior. Em 2006 fui candidato a Dep estadual pelo PPS e pedi votos para o que seria o Senador do interior, juntamente com outros candidatos fizemos um excelente trabalho obtendo só em Santarém mais de 60 mil votos para o Senador Mario Couto,trabalho esse acompanhado de perto pelo Sr Navegantes.
O Navegantes está navegando não sei por onde, o Senador do interior sumiu, talvez eu o encontre na Capital Federal.Tenho visto aqui por Santarém mais vezes o Senador Artur Vigilio do Amazonas, do que o Senador Mario Couto.
Agora quer ser o Governador do interior? Acredite quem quiser.

Nélio Aguiar- PMN
Vereador

Juvencio de Arruda disse...

Bom dia, dr. Nélio e obrigado pela visita.
A discurseba de tapiocouto deu certo em 2006, e ele tenta repeti-la para 2010.
Mete-se um blogueiro - aliás mais de um - pelo meio e bota o dedo no suspiro, ou melhor, na farsa.
Resultado: agressões na madrugada, sempre anônimas, claro, e ameaças com processos e denúncias contra mim.
Podem fazê-lo.
Cá espero a marginália.
E diga aí em Santarém quem é a bisca.
Abs e bom final de semana.

Anônimo disse...

Não dá nem pra comparar. O Simão Jatene é muito mais preparado e já deu provas disso quando governou o Estado. No mais, o senador Mário Couto deve concluir o seu mandato, até porquê ninguém merece um Demétrius desses da vida.

Anônimo disse...

OS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS ESTÃO LEVANDO A CRER O QUE O FUTURO GOVERNADOR DESTE ESTADO SERÁ O "INIGUALÁVEL" JÁDER BARBALHO. É ESPERAR PARA VER ...

Anônimo disse...

Eu estava na dúvida se me mudaria para Manáus. Depois dos últimos acontecimentos e de ler essa "possibilidade", já marquei o meu voo. Vou assitir uns "joguinhos" da Copa e mandar meu endereço para alguns amigos. Fui!!!!!!!Só com a passagem de ida. Adeus, mundo cruel!!!!!

Prof. Alan disse...

Juvêncio, Mano Velho, estamos numa situação no Pará que já não temos condições para escolher entre o mal e o menos mal.

Agora as escolhas se limitam entre o desastre total e o prenúncio da calamidade...

Juvencio de Arruda disse...

Bom dia, Parente.
Pelo menos podemos escolher.. nenhum!
Foi o que fiz no segundo turno de 2008.

Mural disse...

Nós que moramos na cidade e que vivemos atrás de grades, com cercas elétricas e câmeras em nossa volta, quando é possível bancar essas parafernálias, sabemos como anda a segurança pública. Imaginemos como está quem não pode bancar isso!

Não é nenhum motivo de orgulho poder bancar algo que nos faz parecer criminosos cumprindo pena. Além disso, toda essa parafernália nos faz ainda mais reféns do medo.
Passamos também a reféns das mentiras, quando e somente no período eleitoral, políticos nos vendem a solução do problema. Querem nossos votos. Eles sabem de nossos anseios por dias mais seguros e exploram isso sem nenhum pudor.

Sabemos seus discursos de cor e salteado... e ainda assim nos deixamos enganar. Nos fazem sonhar que dessa vez será diferente, uma maravilha caso sejam eleitos. Quando passa a eleição, eles já eleitos e empossados, nada é cumprido. Até deixam a situação piorar para terem o que dizer nas próximas eleições.

No decorrer dos quatros anos, passamos a dizer "coisas" para justificar o erro cometido pelo voto dado: "É, mas qualquer um faria; eu também faria; se fosse você faria do mesmo jeito; se fosse o outro seria do mesmo jeito, seria pior".

Depois do engano comprovado, ficamos esperando e torcendo para que os quatro anos passem o mais rapidamente possível, para que possamos eleger outro com a expectativa de que ele seja “menos pior” que o atual. É verdade: não estamos votando no que acreditamos ser o melhor, mas sim no que acreditamos ser o menos nocivo, o menos perigoso, o menos comprometido.

Quando passada a eleição, não temos a sensação do dever cumprido, mas sim a de uma esperança perdida.

Professor Alan e Juvêncio, é preciso descobrir uma maneira de se conscientizar as pessoas o mais rapidamente, para que não votemos mais nesses tipos que nos aparecem de quatro em quatro anos.

Prof. Alan disse...

Caro Mural, começo a me convencer de que a saída (se há...) está ainda fora do alcance dos olhos.

Não me atrevo mais a falar em ignorância do eleitorado, depois de ver toupeiras como Bush e Berlusconi eleitos, e ver na França e na Áustria protonazistas chegando perto de retomar o Poder.

Há muito tempo que o povo tem acesso à informação. Elege quem elege porque quer.

Creio que o problema mesmo está na tolerância da maior parcela do eleitorado à corrupção. O povo ainda não tem uma boa noção de que o patrimonialismo é algo ruim para ele, povo.

Bia disse...

Bom dia,Juca querido:

é sim, a mais absoluta verdade o meu alinhamento à pré-candidatura de Simão Jatene a Governador pelo PSDB.

Se não houvesse outras boas razões para não apoiar a pretensão do senador, eu tenho três:

1-sua ”brilhante” trajetória parlamentar;

2 - seu comportamento desleal e desonesto na eleição do Dr.Almir no segundo turno;

3 - seu ”incrível” suplente, o homem que foi ”Do coco ao senado”, conforme seu recente cometimento literário.

Dr. Almir sabe exatamente que são estes meus principais motivos, pois os ouviu sem intermediários. Mas, o fundamental da minha escolha não se da pelo que eu não quero. Eu aprendi a escolher sempre o melhor e não o ”menos ruim”. E esse é o fundamento do meu apoio a Jatene.

Quanto ao senador, cabe-lhe bem o dito de que ” o hábito do cachimbo entorta a boca”, ou seja, a parece que acostumado a estratégias espúrias, vai apenas aprimorá-las nesta disputa.

A bancada estadual está mesmo alinhada à candidatura de Jatene e certamente não é pela sua bela voz. Quando Dr. Almir despediu-se de todos nós com pompa e algumas circunstâncias discutíveis (mágoas, rancores e uma compreensível dificuldade de avaliar a nossa derrota), eu lamentei profundamente sua decisão de sair do Pará. E lamento profundamente que hoje, pelas mesmas circunstâncias, arranhe sem pejo a própria biografia.

Em todo este período, enquanto o senador armava sua arapuca e Dr. Almir descansava de todos nós longe dqui, Jatene foi um dedicado companheiro de todos. E fez isto na derrota. Coisa não muito comum na política. Os deputados sabem disto e nós também.

No mais, a disputa revigora o PSDB, mal acostumado à genética de ter nascido no poder. A fila andou.

Beijão, querido.

Anônimo disse...

Se derem sopa o nosso international Jader Barbalho abocanha este Governo facilmente. Eu pago para ver!Ai sim veremos que é um GOverno que trabalha!

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado,queridona.
Todos os elementos desta postagem estão confirmados, e sua análise se deve ao conhecimento que tem dos personagens e dos fatos que cercam a questão.
Pra quem acompanhou as eleições de 2006, e sabe como Tapiocouto arrancou a vaga da legenda ao senado, o apoio de Almir é mais incompreensível ainda.
Bjão, queridona.

Anônimo disse...

Juca e Bia,
Permitam-me reproduzir um trecho do comentário da Bia: "Em todo este período, enquanto o senador armava sua arapuca e Dr. Almir descansava de todos nós longe daqui, Jatene foi um dedicado companheiro de todos. E fez isto na derrota. Coisa não muito comum na política. Os deputados sabem disto e nós também". Essa afirmação é o puro reflexo de uma verdade que os tapiocoutistas tentam, em vão, ignorar e desmentir.

Anônimo disse...

Que falsa maravilha esse tecnicologo que politicamente entregou o Estada para o PT e agora na sua pura ambição pode fazer o mesmo novamente, o resto é pele de cordeiro.

Anônimo disse...

Juvencio,
Demetrio, é o empresário, na época filiado ao DEM, comprou da Familia do Ex-Prefeito de Marabá, Geraldo Veloso(PSDB), um Hospital, pela importancia de Cinco Milhoes, e seis meses depois, vendeu para o Governo do ESTADO(governo JATENE), pela bagatela de quinze milhoes. poteriormente, o Governo Jatene, transformou o Hospital, em Hospital Regional de Marabá.
João Souza.

Anônimo disse...

Quem sabe muito bem dessa história é a ex deputada Elza Miranda.
Ela e o seu marido sabem direitinho ...

Quaradouro disse...

Professor, faz isso não com a gente, marabaenses encharcados,dinossauros perdidos nesses tempos de "diligentes pioneiros", predadores eméritos da natureza. Perdemos terra,espaço,originalidade, menos dignidade. Dizer que o Demétrios é marabaense, foi o diabo de um ponta-pé danado na Holanda,rainha dos peíses baixos.
Faz isso não,mestre. Ele é de Alto do Coco, cafundós do Maranhão, aqui chegado de tanga e cuia de casca de babaçu.
Se pelo menos fosse cumbuca de ouriço de castanha!
Demétrius, aliás, é objeto de livro encomendado a terceiro,chamado justamente de "Do Alto do Coco ao Senado", esse território entre o nada e coisa nenhuma, embora faça questão de ser chamado de "senador" pelos seus empregados.
Marabaense? Deus nos livre! Já basta o Maurino, que é capixaba de Itabaiana, e tem também um livro escrito por ghostwrite, onde se diz nordestino, livro chamado "De jegue à Câmara de Marabá"!

Anônimo disse...

João Souza, é ?

Anônimo disse...

Esses Deputados que apoiam o Jatene não tiveram peito de assumir a maioria que tinham na assembleia e disputar a presidencia. Agora, quero ver se são capazes de sozinhos bancarem o Jatene (porque é só eles, o partido não vai seguir esse caminho). Lembrem que a lealdade ou a falta dela será cobrada e que o jogo do Jatene/Orly e ilusório, localizado e passageiro. Ainda dá tempo...

Anônimo disse...

Juva,
Peço que você registre as seguintes observações sobre a visita do senador Mario Couto à Goianésia. Eu estava lá e informo que:
1. Mario Couto não fez qualquer declaração de apoio à criação do Estado de Carajás;
2. Foi o Itamar, prefeito de Goianésia, quem disse publicamente, em seu discurso, que o PMDB estava a disposição do senador, caso o PSDB não o quisesse como canditado. Mario simplesmente agradeceu a oferta.
De resto, a entrevista do Almir foi publicada, conforme anunciado. Saiu no Diário do Pará porque o Franca Siqueira aceitou o convite para almoçar com Almir no Mangal ds Garças enquanto o outro jonalista convidado não compareceu (é assim, pelo menos, que está registrado no blog do Espaço Aberto que, aliás, faz jornalismo de muio boa qualidade); isso nada tem a ver com o citado alinhamento entre Mario Couto e Jader Barbalho.
A propósito, vai aqui uma dica pra você. Quem está totalmente nas mãos do Jader é o Jatene e os deputados estaduais do PSDB; investigue e descubra por que. De repente, seu blog acaba ganhando o prêmio Esso de jornalismo.

Anônimo disse...

Esse pessoal que apoia o Jatene, não tem voto e muito menos dinheiro. Se ele for o candidato, é capaz de perder até para a Ana Júlia.

Anônimo disse...

Agora a reeleição parece mais garantida, faltando 12 meses para a desencompatilização. De um lado Ana (PT,PMDB,PTB,PRB, PV, PSC, PCdoB, PDT), do outro Jatene ou Couto (PSDB, DEM, PPS). Vence aquele que tiver o maior tempo na TV e Rádio. Nessa equação aí no Pará, deve dar Ana Júla.
Mestre dos blogues, o Couto é aquele parlamentar que apareceu em um grande jornal dando cotôco para nós eleitores ???

Anônimo disse...

Era só pra vc, vc não entendeu?

Anônimo disse...

JATENE, JATENEEEEEEEEEEEEEEEE, 45 45 45 45.

Anônimo disse...

Eu também estave em Goianésia. Quem defendeu a criação do Estado de Carajás foi o deputado João Salame. Mário Couto elogiou a fala dele e disse que concordava com tudo. E que esperava assinar a a criação do novo Estado na condição de governador. Disse até que no plebiscito a divisão ganha, pois a região de Carajás, Tapajós e Marajó votariam pela emancipação e o Nordeste paraense se dividiria. Disse que estavam empurrando ele pro PMDB provocou, dizendo que uma chapa dele como governador e o Jader como senador seria muito forte. Acho então que o anônimo das 11:02 não assistiu a mesma reunião que eu. Viva o estado de Carajás! Parabéns pro Mário Couto!

Anônimo disse...

Isso que o anônimo da 11:32 esta fazendo é fabricação de boatos, para confundir e atrapalhar o debate político.