21.1.09

Sinal Vermelho

O governo do Pará falou sobre a questão dos valores das diárias e passagens. À Folha de SP, pois nenhum veículo local se dispôs a publicar o levantamento da jornalista Ana Célia Pinheiro.
A matéria, do correspondente João Carlos Magalhães, compara os gastos paroaras nesta rubrica aos verificados em São Paulo e Minas Gerais.
O Detran, como esperado, escafedeu-se da Folha.

----

Atualizada às 14:43.

O jornalista Levi Menezes, da secretaria de Comunicação do governo do Pará, faz considerações à matéria do correspondente da Folha.

...em 2005 (penúltimo ano dos governo tucanos), o governo do estado gastou, entre diárias e passagens, o valor nominal de cerca de 82,5 milhões de reais. Corrigidos pelo IPCA, estes valores equivalem a 94 milhões de reais, aproximadamente o mesmo gasto hoje, com o agravante do aumento do valor das diárias. Neste ano de 2005, o estado gastou 50,9 milhões de reais apenas com passagens. Para a alegria dos donos de agências de viagens licitadas pelo governo. Em 2008, o governo do estado gastou 39,3 milhões. Outra questão debatida com o jornalista são as comparações de gastos do Governo do Pará com outros entes da federação e outras esferas de governo. Como comparar o Pará aos estados de São Paulo e Minas Gerais? Estes estados, além de serem bastante menores, em dimensões territoriais, apresentam ainda maior cobertura dos serviços públicos.

Leia na íntegra na caixinha de comentários.

31 comentários:

Anônimo disse...

Com essa bolada daria para cosntruir dois hospitais regionais igual ao que não funciona plenamene em Santarém.

Anônimo disse...

Juca.

A coisa tá feia mesmo para o Governo do Estado. É melhor Ana Júlia se benzer.

Agora pela manhã, cai uma parte do telhado da recepção do CIG e atingiu um servidor que está hospitalizado. Apure melhor o fato, para nos informar!

Abraço,

Max
P.S: Já tá inscrito no Fórum? Te espero em nossa programação!

Anônimo disse...

Gostaria de dispor deste espaço para acrescentar algumas informações que foram omitidas pelo repórter da FSP.

O reajuste do valor das diárias ocorreu no ano de 2007, mais precisamente em julho, e foi da ordem da 50%. Este informação foi repassada ao repórter, que esqueceu de citá-la em seu texto. Portanto, nada mais natural do que o aumento dos valores brutos das diárias.

Os órgãos/autarquias que apresentaram maior aumento em despesas com passagens e diárias foram Iterpa, Sema, Polícias Civil e Militar, Emater e Adepará. Os motivos são óbvios e não precisam ser explicitados aqui, haja vista serem noticiados frequentemente pela Agência Pará e repercutirem, ainda que timidamente, nas manchetes do jornais locais.

Outras informações, apresentadas na "matéria" da jornalista Ana Célia Pinheiro, deixaram de ser mais bem exploradas. Por exemplo: em 2005 (penúltimo ano dos governo tucanos), o governo do estado gastou, entre diárias e passagens, o valor nominal de cerca de 82,5 milhões de reais. Corrigidos pelo IPCA, estes valores equivalem a 94 milhões de reais, aproximadamente o mesmo gasto hoje, com o agravante do aumento do valor das diárias. Neste ano de 2005, o estado gastou 50,9 milhões de reais apenas com passagens. Para a alegria dos donos de agências de viagens licitadas pelo governo. Em 2008, o governo do estado gastou 39,3 milhões.

Outra questão debatida com o jornalista são as comparações de gastos do Governo do Pará com outros entes da federação e outras esferas de governo. Como comparar o Pará aos estados de São Paulo e Minas Gerais? Estes estados, além de serem bastante menores, em dimensões territoriais, apresentam ainda maior cobertura dos serviços públicos. Lembremos ainda a precariedade dos serviços de telefonia e internet (apenas a capital dispõe de serviço de banda larga), que demandam o deslocamento de servidores para regiões onde os serviços estão ausentes.

Estes argumentos não foram levados em consideração pelo jornalista da folha, que prefeiru acompanhar o raciocínio tacanho da jornalista Ana Célia Pinheiro, fazendo comparações esdrúxulas, que qualquer ser pensante que tenha um mínino de conhecimento lógico sabe ser impossível comparar coisas e realidades distintas.

Infelizmente nossa região ainda está carente de uma cobertura jornalística mais preocupada com a busca de interpretações mais apegadas a realidade. O que vemos é apenas o casuísmo de alguns, agarrados a sua impressões pré-concebidas (grafa-se assim mesmo ou este hífen foi abolido na reforma ortográfica?), enquanto outros correm atrás do prejuízo, escrevendo apressadamente as suas matérias para caber ainda na edição de amanhã do jornal.

abs

Levi Menezes

Levi disse...

PS: Esqueci de comentar ainda que as despesas com passagens e diárias continua na ordem de 1,2 % das despesas correntes líquidas. Sua maior participação foi no ano de 2005, onde chegou a 1,6%, salvo engano.

abs novamente

Levi Menezes

Juvencio de Arruda disse...

Disponha sempre, Levi.
Abs

Anônimo disse...

ak diz
Juca:
Acho engraçada essa história das comparações de quem meteu mais ou menos a mão no dinheiro público.
Quem é mocinho,quem é o bandido. O que meteu menos seria o mocinho, o que meteu mais seria o bandido?
afonso klautau

Anônimo disse...

Quer dizer, então, que a culpa desse governo gastar tantro dinheiro em diárias é , também, do governo passado?
Santa paciência.

Leila Queiroz

Anônimo disse...

Os petistas erram quando "tentam" justificar suas, falhas, incompetências e inoperâncias na administração pública comparando-se a governos passados. Erram pq não olham para frente. Erram pq, ao se comparar com adminsitrações passadas,fazem as mesmas coisitas, a maior ou a menor, como se refere o AK, dane-se o público, não é mesmo? E erram mais pela incapacidade de, a partir do conhecimento de distorções de governos passados, dar exemplos de como administrar corretamente o que é público. E por fim erram ao destilar sua ira sobre profissionais de imprensa no pais para mais uma vez justificar o injustificavel. Grato, Juca.

Bia disse...

Boa tarde, de novo, Juca querido:

O IPCA garante a lisura das despesas do atual governo. Perfeito.

Nadica sobre as diárias fixas pagas acintosamente como complementação de salário?

Quanto á comparação geográfica, Sergipe deve ser bastantíssimo menor e a Austrália bem maior. Como os pagamentos de diárias nos dois?

Afinal, comparar sempre ajuda a entender.

Beijão, querido.

Cássio de Andrade disse...

Está cada vez mais evidente que o atual objetivo da jornalista Ana Célia Pinheiro é o de tomar o atual governo como alvo. É uma pretensão justa, diante de sua opção política. Nada mais democrático. O que se torna ruim é que, em torno dessa posição assumida a jornalista venha intensificando confusas relações entre o profissionalismo e a militância (rancores represados?) com matérias pirotécnicas dignas das montanhas que pariram ratos. Não conseguiu fundamentar suas acusações em relação ao Hangar e agora parte para as ilações das diárias. O comentário postado por Levi Menezes já é suficiente, porém, é mister destacar que a partir de 2007, o atual governo vem efetivando ações de integração e regionalização no enorme teritório do Estado cuja pressa e desejo por escândalos, alguns jornalistas e missivistas parecem não querer enxergar. Um exemplo é que a jornalista publica para o achincalhe público nome de servidor do PTP como uma das 80 maiores diárias recebidas pelo governo em 2008, sem considerar que este mesmo servidor não reside em Belém e desempenha praticamente só nas regiões de Carajás, Baixo Amazonas e Xingu, missões de integração de importância estratégica para o Estado, fazendo visitas técnicas de obras e articulando ações institucionais, em regiões longínquas, à mercê de assaltos e acidentes, cujo único "seguro" são as diárias que recebe. Na SEIR há agentes regionais que somente passam uma semana em suas residências durante o mês. O resto é dedicado a ações institucionais, pela própria natureza desta secretaria. Querem o quê? Servidores sacerdotes e mártires do poder público? Trabalho gratuito? Jornalismo sério também faz parte do jogo democrático.

Francisco Almeida disse...

Cássio, você como sempre, querendo defender o indefensável. E sempre usando o mesmo artifício ideológico retórico, recorrente e ultrapassado.
Nós sabemos de sua umbilical ligação com a esquerda, (Edmilson, Ana Júlia,etc) o que diga-se de passagem, é uma opção e direito seu. Mas, seus argumentos, são eles sim, cheios de ranço.
Tente ser menos parcial e procure ver a verdade com os olhos e não com o fígado.
É só uma opinião, espero que o Juca, publique.

Anônimo disse...

Prezado Juca,
A competente jornalista Ana Célia Pinheiro novamente levanta a tampa de mais uma caixa de podridão com o uso do dinheiro público estadual pelo (des)governo da Donana. A situação é mais séria quando alguém buscar investigar que tem gente do governo que faz plano de viagem só para receber as diárias (que por sinal sí meses depois, mas que nem saiu de Belém).É só conferir para verificar que o fenômeno acontece em quase todas as repartições estaduais.É uma vergonha o que está acontecendo. O PT quando na oposição condenava o uso do dinheiro público por certos servidores verdadeiros cabos eleitorais que faziam campanha eleitoral dos tucanos. Os petistas aprenderam rápido,fizeram e estão fazendo a mesma coisa com maiores custos. É só verificar nas repartições do estado quais são os autoindicados futuros candidatos a deputados (Edilza fontes, André Farias, Cássio da SAgri e outros).

Bia disse...

Boa noite, Juca querido:

Prezado Cássio:

ainda que discordantes, somos cordiais visitantes do Quinta. Você, eu e outros que por aqui vêm comentar, e, às vezes, desabafar nesta quinta democrática (quinta, dos sítios portuguêses).


Você é um dos comentaristas que leio com respeito. Por isso, sua justificativa não me satisfez,embora não seja sua obrigação contemplar minahs insatisfações.

O PTP, segundo o próprio governo, na apresentação do PPA 2008-2011 (já reformulado, aliás) declara que ouviu 0,57% da população paraense. Isso não é representativo,embora seja respitável como exercício democrático.

Assim, um dedicado servidor que percorre as regiões - esse solitário Dom Quixote não conseguiu convencer sequer as prefeituras ou organizações civis para apoiar sua tarefa? - não explica diárias de tão elevado valor.

Falo por experiência própria. Mantinhamos no programa Raízes uma equipe de 9 técnicos que viajavam regularmente pelo interior, avaliando com as comunidades indígenas e quilombolas as suas demandas. E se tivéssemos mantido os 9 técnicos viajando durante os seis anos de existência do programa - o que não aconteceu - jamais teríamos o acompanhamento necessário das atividades, sem a participação e o apoio das comunidades, estas sim, capazes, e decididas a fiscalizar as ações.

Falta ao governo - ou ao seus porta-vozes - caráter para reconhecer seus erros, corrigir suas rotas - rôtas?- e aceitar críticas. Sem precisar sempre comparar-se ao que ele chama de Leviatã: o governo anterior.

Um abraço.

Beijão, Juca.

Anônimo disse...

Quando a jornalista Ana Célia Pinheiro fazia matérias contra o governo tucano, e não foram poucas, era uma grande profissional e tudo era verdade. Agora, querem desqualificá-la profissionalmente e ainda vem com essa acusação de ser contra o governo do PT por ideologia.
Arruma outra desculpa para explicar o inexplicável: o trem da alegria com as diárias pagas com o nosso pobre dinheirinho.
É verdade que tem gente que recebeu trabalhando. Mas também é verdade que tem muita gente fazendo salário extra indevido. O Detran que o diga.

Leila Queiroz

Anônimo disse...

Esse Desgoverno é o mais CORRUPTO E CORRUPTOR do Brasil

Anônimo disse...

João Maria
Primeiro essa posição de a jornalista Ana Célia Pinheiro está fazendo oposição ao governo petista porque é tucana, não cabe muito bem porque esta moça serviu ao gabinete do então Deputado Mario Cardoso, aquele que foi candidato derrotado a prefeitura de Belém no ano passado, no de 2005, e muita dos pronunciamento contra os governos tucanos feitos pela ex-deputado da tribuna da ALEPA foi da lavra da jornalista e ninguém do PT questionou na época a presença da profissional no gabinete de uma das cabeças coroada petista na época.
Segundo que as diárias no governo do Estado virou caso de policia ninguém pode negar, e pior elas são distribuídas em muitas secretarias e autarquias de acordo com o grau de amizade com superior imediato, e passaram a ser sim um salário extra dos funcionalismo público já que este é mal remunerado, no entanto se for fazer raio x completo a maioria das diárias são destinadas a DAS para fazer turismo e pagar contas como prestação de carro novo.

Anônimo disse...

Escândalo, eswcândalo mesmo, é só pegar as diárias das viagens internacionais. Nunca, em todos os tempos, se viajou tanto para o exterior como nesses dois anaos de governo anajulista.
É só conferir.

Anônimo disse...

O Cássio perdeu uma grande oportunidade de ficar calado. Tentou desqualificar uma profissional com a parcialidade de quem faz parte do governo, por isso, no mínimo, suspeita. Ele mesmo que acabou parindo uma ratazana.

Anônimo disse...

O Quinta é a melhor expressão do debate político paraense. Quem acredita no governo do PT, defende o governo, claro. Quem é oposição e quer voltar ao poder, vai usar todos os artifícios pra desgastar e derrotar o governo, óbvio. Levi e Cássio estão certíssimos em suas defesas. Da mesma forma que Ana Célia, Bia & Cia também estão cobertas de razão em emprestar seus talentos aos intereses tucanos e demos. O que não cola é a hipocrisia das acusações sobre quem gasta mais ou menos, quem mata mais ou menos, quem rouba mais ou menos.

Anônimo disse...

Calma, gente. Deixando o ódio político de lado, os números do Levy dizem que na média, os gastos não variaram tanto do governo passado para o anterior. O que há é um grupo político tentando passar a rasteira no outro, tentando convencer que é melhor que o outro, e apontamentos de chifres em cabeças de cavalos.

Anônimo disse...

"Eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um
museu de grandes novidades..."(Cazuza, mais atual que nunca!)

Bia disse...

Bom dia, Juca querido:

Bom dia, anônimo das 10:30:

daqui do meu quintal,lamentei profundamente a vitória deste grupo - o Partido, não sei se governa - e jamais fiz segredo disso. Esperei um ano inteiro para começar a "opinar". O tempo de arrumarem a casa, de acusarem os governos anteriores, tudo o que eles tinham direito. Mas, foi em vão. Daí em diante, exerço meu papel de cidadã.

Não sou, assim, oposição por princípio ou fé. E nesta condição, é que critico, comento, divirjo, concordo.

Reduzir nossas discussões aqui - especialmente neste tema - aos que querem ou não voltar ao poder é desfocar tudo para o território da mágoa, pois não? E não há mágoas na política.

No mais, tanquilize-se, no que me diz respeito: quando Simão Jatene for governador em 2010, estarei placidamente aposentada, em São Paulo, minha terra natal, que troco no final deste ano pela minha terra de escolha. Sem mágoas. Apenas porque acredito que quando se envelhece, busca-se o lugar onde o umbigo foi enterrado.

Um abraço.

Beijão, Juca querido.

Diógenes Brandão disse...

A defesa do "pão nosso de cada dia" fica mais ávida quando está em pauta a manutenção dos grupos que revezam-se no poder e comentarios sobre epsódios que permeiam a trajetória de um Estado que historicamente foi assaltado com a anuência de todas as instituições e não distantes desta realidade estão - ou sempre estiveram - os jornalistas enganjado em defender que os remuneram, torna-se portanto, salutar.

Bom mesmo seria que tirassemos todos as máscaras que omitem nossos interesses, tanto pessoais, profissionais, economicos e políticos, assim gozariamos um a democracia - e seus espaços de afirmação e execução - bem mais autênticos.

Por fim, há quem não tenha independente dos lados, interesses em afirmar ou desgastar esse ou aquele governo quando expressa opinião sobre o mesmo?

Sou cético numa questão: não há comunicação imparcial, nem nunca haverá. Quem afirma tal absurdo ou é maluco ou faz-se de doido para sobreviver!

Cássio de Andrade disse...

Em nenhum momento do comentário postado por mim, há qualquer comparação de Diárias entre governos. A resposta do Levi foi suficiente. O resto é questão de interpretação de quem quer que seja, mesmo dos que enxergam chifres em cabeças de cavalo. Quanto ao objetivo da jornalista, somente reproduzo o que a mesma posta em seu blog. Sem tirar nem por(dependendo da perereca), a não ser que não se queira enxergar o óbvio. Se provarem que servidores fazem turismo com as diárias, ótimo, recorram a quem de direito fiscalizar. Caso contrário, não percam a oportunidade de um necessário silêncio meditativo para recarregar baterias. E novos confrontos, e novos debates, e assim se faz a vida. E assim jogam os atores no grande tabuleiro de Bourdieu. Bia, deixa o exercício de futurologia para a "Mãe Delamare". Finitus Solutus...

Bia disse...

Boa tarde, Juca querido:

Ave, Cassio!

a etnolgia de Bordieu tratava de heresias. Nós, aqui, talvez tratemos apenas de heréticos, aqueles que cultuam suas seitas. Não me parece a mesma coisa. Mãe Delamare, esta sim, talvez se encaixe no seu comentário.

Abraços.

Beijão, Juca querido.

Juvencio de Arruda disse...

rsrs...
Bjão queridona.

Anônimo disse...

É! Eu acho que nem a "Mãe de Delamare" dá jeito nesse governo. Quem sabe em uma próxima encarnação?
"Fraus omnia corrumpit".

Ana Célia Pinheiro disse...

Juva e queridos companheiros, eu queria dizer, apenas, o seguinte:

Em primeiro lugar, creio que o PT tem de parar com essa coisa fascista de ficar perseguindo e tentando desqualificar quem lhe faz a mínima crítica.
E eu repito: é coisa de fascista, sim!
Se o PT quer ser uma agremiação política, um ente com ação na sociedade tem de saber que está sujeito a críticas.
E tem de se habituar a isso - se sonha, ao menos, vir a ser um partido democrático.
Em segundo lugar: mais ainda que os partidos, os governos democráticos têm, sim, de saber lidar com as críticas dos cidadãos.
Porque não são estruturas “fantasmagóricas” que simplesmente caíram do céu.
Nasceram de um acumulado histórico, do nosso anseio de gerir o nosso viver coletivo; nasceram da nossa luta, do nosso voto e pelo nosso suor são sustentados.
Nunca neguei a minha opção política, a minha enorme simpatia pelos tucanos – isso está posto de forma claríssima, com todas as letras, em meu blog.
Mas isso nunca influiu no meu trabalho – tanto assim que já assessorei, sim, não apenas o grande Mário Cardoso, mas, também, o Ademir Andrade e até, em determinada época, a bancada do PT na Assembléia Legislativa.
E em todas essas ocasiões, tanto com o Mário, quanto com o Ademir, todos sabiam da minha opção pelo PSDB. Mas, nunca vi neles nem sombra de desconfiança em relação a mim, até porque sabiam do cuidado ético com que trato tudo isso.
Por isso, também fiz inúmeras matérias criticando o meu partido do coração, o PSDB.
Fui eu quem trouxe a lume, para o conhecimento da sociedade, os negócios escusos da dupla Chico Ferreira e Marcelo Gabriel, o escândalo da PrevSaúde, os indícios de superfaturamento na Sespa e na construção do Hangar – Centro de Convenções, os descalabros do projeto Alvorada, o nepotismo desenfreado do Jatene. Só para ficar em alguns dos casos cabeludos que investiguei...
Foram páginas e páginas de jornal – e quem quiser comprovar tudo isso é só consultar os arquivos de A Província do Pará e do Diário do Pará, em alguma biblioteca.
Para mim, não existe essa coisa de dar refresco a governos – de qualquer coloração que seja.
Porque entendo que, se a gente não ficar em cima, eles irão se sentir livres, leves e soltos para cometer toda sorte de patifaria com o nosso suado dinheirinho de impostos.
Dinheiro, vale sempre repetir, que é para construir escola, estrada, hospital; dinheiro para melhorar a vida do nosso povo, especialmente, a vida da dona Maria e do seu José.
Por isso, o PT pode chiar, rolar, se descabelar, tentar me desqualificar, me perseguir – exatamente como fizeram os tucanos...
Esse filme eu já vi. E, sinceramente, não me mete medo algum.
Embora, é verdade, tudo isso provoque uns rombos desgraçados no meu orçamento e me roube preciosas noites de sono.
Mas, é preciso fazer isto: não deixar o governo – qualquer governo que seja – jogar solto.
As pessoas têm de saber; a sociedade tem o direito de saber.
Por isso, vou seguir investigando o governo, xeretando, revirando pilhas de documentos, cobrando seriedade no trato da coisa pública.
E quem não gostar, que gostasse!...
Afinal de contas, não ando aqui a disputar nenhum concurso de miss simpatia.
Nem tenho, aliás, circunferência para tal...
Beijinhos,

Ana Célia

Anônimo disse...

tsc, tsc ...

Anônimo disse...

É isso aí, Ana Célia. Esperem sempre o pior do PT. São falsos até o tutano.

Cássio de Andrade disse...

Também comem crianças, velhinhos e pererecas.