21.1.09

Bamba

Diligente e discreto, o jornalista e compositor Avelino do Valle colhe depoimentos raros sobre a história do carnaval paraense. Ontem, no Quenzão, ouvia a porta-bandeira Margarida, lenda viva da escola do Umarizal.

8 comentários:

doda disse...

Grande Margarida, trabalhava no consultório do meu tio Luís Guilherme, que na época era o presidente da escola.

Passei muitas tardes da minha infância enchendo a paciência dela.

Dá-lhe, Quenzão!

Juvencio de Arruda disse...

Pois continua doce e linda, falando baixinho e contando histórias.
Luís também tambémtem lugar destacado na história da escola.
Sorte sua, Doda.

Cássio disse...

Avelino também estará no debate de sexta, 23, na EGPA sobre Dalcídio Jurandir.

Juvencio de Arruda disse...

Eu vou estar lá, na bateria do Quenzão.
Disfarçado de Pedro Paulo, o negão cracaço que dirige a bateria... rs

Cássio de Andrade disse...

Então, há um negão dentro de ti? Rsrsrs...

Juvencio de Arruda disse...

O Nelito já me avisou que a verve é de família...rs

Cássio de Andrade disse...

É história do cabeção...

Anônimo disse...

E Juve o tão falado diretor do renato chaves resistiu e ainda não caiu.Além disso ta caaaçando quem escreveu em seu blog coisas sobre ele.É amigo seu blog pode ser motivo o motivo de um PAD.heheh

abração