17.1.09

O Bar Nosso de Cada Dia

Juvêncio de Arruda é a mais nova vítima da expansão imobiliária da capital. O boteco que frequenta há quase dez anos, escolhido Boteco do Ano pela Veja Nova Déli em 2005, vai fechar em março. O imóvel que ele locava foi comprado por uma construtora, e no local será erguida mais uma torre, no coração do Umarizal. Todas as locações possíveis no entorno estão fora da rentabilidade gerada por um empreendimento da sua escala.
Meu coração chora. Meu e de muitos outros apaixonados pelo sujinho que tem todas as marcas de cerveja, sempre estalando, Johnny red and black, ótimas comidas a preços populares, e comandado por uma das criaturas mais engraçadas que conheci.
Nem precisa dizer que, como todo boteco, é uma usina de informações e ponto de observação.
Ex soldado da Rota de São Paulo por oito anos, lotado no Roubo a Bancos, o marajoara Ranulfo Vital - carinhosamente apelidado por seus clientes antigos, e só por eles, de Ministro da Educação - é um búfalo pra trabalhar e manter a segurança e os limites, de seus frequentadores e do ambiente que recebe operários da construção civil, juízes, profissionais liberais, e até leões de chácara. Ou de quitanda. Encontrei várias vezes o nacional Sadam almoçando por lá, invariavelmente galinha com arroz.
Infelizmente não costuma ser frequentado por mulheres bonitas, salvo na época do Carnaval, quando as passistas do Quem São Eles, na calçada ao lado, encantam os clientes. Mas não é um boteco que desperte a ira das esposas, coisa rara.
Botafoguense e bicolor, Ranulfo provoca seus clientes e aceita ser provocado por eles.Um gozador nato. Ontem, por exemplo, dizia que estava apostando na megasena de 25 milhões que corre logo mais. Se ganhar, prometia, vai indenizar todos os clientes vip's. Calculava que os mais antigos receberiam algo em torno de 300 mil.
Nao há dinheiro que pague a perda.
Os mais antigos preparam a convocação de uma assembleia geral para decidir qual o outro bar que irá nos acolher. Estou pessimista. Vou esperar que ele inaugure uma versão reduzida do boteco no páteo de sua casa, na Sacramenta, que funcionaria aos sábados e domingos. Promete fazê-lo no segundo semestre, depois que descansar, ele e sua querida companheira Dulce, de mais de vinte anos de trabalho de segunda a segunda.
Enquanto isso, Ranulfo vai comprar uma cota na Coperdoca e virar motora de táxi.
Ao menos terei quem me traga de volta pra casa, fiado, como faço lá no boteco quando não tenho grana.
Hoje é dia.
Saúde, e um ótimo final de semana para todos.

38 comentários:

Chico Brito disse...

A BAND
A retransmissora da TV Bandeirantes em Parauapebas é da prefeitura municipal. Estúdios, equipamentos, imóvel onde se localiza, tudo comprado pela prefeitura. E funcionários, todos pagos pela municipalidade. Mas vende anúncios no comércio, cobra pela divulgação de eventos. O mistério é esse: como fatura, quem embolsa o que arrecada, já que na contabilidade da PMP não tem como dar entrada desse dinheiro no caixa? A pergunta é: será que além de afanar ainda sonegam? Trabalham sem emitir nota fiscal? Perguntar não ofende. O prefeito tem é que explicar.

Anônimo disse...

Que sacanagem, seu Juvêncio!

Carlos Mariguela disse...

Meu amigo Juca sem duvida a perda do estabelecimento será inrreparavel embora seu RANULFO nós console com uma possibilidade ainda distante de uma versão embora modesta do SUJINHO nada reporá esta perda...e digo sempre é tanta torre em bélem que se OZAMA BIN LADEM viesse por aqui ele concerteza babaria e ficaria lezinho sem saber o que derruba.....claro uma piada macabra para uma noticia muito triste.

Anônimo disse...

E agora quando eu for a Belem? Onde tomaremos aquela Brahma.

Abraços Joatan

Bia disse...

Bom dia, Juca querido:

viver a pós-modernidade é uma aterrorizante experiência. Na maioria dos casos.

Quando voltei à Vila Madalena,para morar, em 1991, revi meu bairro, a rua onde nasci, transformando-se na hoje decadente imitação do Quartier Latin. Mais do que os bares que fecharam - embora o bar do "seo" Humberto esteja ainda lá, na esquina da Girassol com a Wizard, tocado pelos seus filhos - o que mais me aterrorizou foi ter fechado a loja de tintas! Ali meu pai costumava comprar parafusos, lixas, e, principalmente, jogar conversa fora com o dono. Foi como se meu pai tivesse morrido de novo, quando dei de cara com uma horrorosa pastelaria instalada ali, naquele santuário!

Que o Ranulfo cumpra a promesa, se puder e quiser, para acolher seus remanescentes, é o meu mais carinhoso desejo pra você.

Beijão.

Anônimo disse...

Juvanosso de cada dia, sinto muito a sua chateacao e comocao ante a esse brutal ato de interferir nas tentativas e porres alheios ,deixando tantas geladas desabrigadas e orfas.Isso e cruel !
Quanto aos tira-gostos, so de pensar que nunca mais dorminaro em vosso ventre que tantas vezes os acolheu, realmente me comove.
Tras outra,Ranulfo!!

José Carlos Lima disse...

E com isso os prédios encostam, ameaçadores, no Quenzão, que não tarda para ser a próxima vítima.
Ainda sobre o assunto. Caminho diariamente pela Praça da República e observa a degradação dos imóveis testemunhas da nossa história. Precisamos de uma movimentação em favor de Belém.

JCF disse...

Pô, mestre...fiquei consternado também.
Conheci este boteco por suas mãos e voltei várias vezes quando me sentia só e desamparado (perdoe se foi sem a sua companhia). E lá se ouvia tudo de todos.
Pena mesmo!

Anônimo disse...

pô, ninguém diz ONDE É o boteco?!
assim não se pode armar uma reação!

Juvencio de Arruda disse...

"quando as passistas do Quem São Eles, na calçada ao lado, encantam os clientes".

Taí o endereço, distraído...rs

Anônimo disse...

Fale Juvencio,
Andava meio sumido em dar meus palpites aqui no seu blog, mas sempre continuei ligada e atento nos seus posts.
Tristes noticias: o fechamento do bar e esta escalada imobiliária louca, sem controle, em nossa cidade! Será que da próxima vez que for a Belém vou ter que ir de helicoptero por falta de lugar pro aviao pousar?
abs
Ricardo

Anônimo disse...

Juca,

o bar do Ranulfo some do mapa... safardagem!!!
Mais essa!

Fonte de responsa

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado aos já saudosos comentaristas. Aos "de fora" JCF e Joatan garanto: vou levá-los a outro boteco nas mais próximas condições.

Zé, parte dos beneméritos da escola que aproveitar a deixa e vender a sede. Eu, humildemente, não concordo.

Bia, reserve um fim de tarde pra nos no seo Humberto, ano que vem.

Chico Brito, passe lá no MP do Pebas e faça a mesma pergunta. Talvez adiante mais do que por aqui.


Abs a todos.

Juvencio de Arruda disse...

Olá, Alemão. Prazer em revê-lo por aqui e obrigado pela atenção.
Da próxima vez que vier à sua cidade vou providenciar até um carro forte pra vc, camarada.
Abs

Fonte de responsa, querida, vamos lá antes que seja tarde. Isto se vc não furar, é claro...rs
Bjs

Anônimo disse...

Juca!
Agora vejo o que eu estava perdendo. O escritório bem em frente ao ranulfo e, raríssimas vezes, pus os pés no sujinho (talvez por essa condição, apesar de frequentar sujos dos arredores).
Entendo ainda por que o Tio Elias sempre me convidava pra ir até lá: botafoguense e gozação, é com ele mesmo!
Bem, será uma pena!
Fica minha solidariedade aos papudinhos que, desde já, estão saudosos.
Um abraço,
O Vigiador.

p.s - vê o "parcial" de hoje, caderno poder, pág. 9, a matéria em destaque estampa "Braganga", ao invés de Bragança ... cadê o redator?

p.s2 - começou a roubalheira no parazão ... 4 a 3 pra coisa, com um penalti "mandrake"

Juvencio de Arruda disse...

Mundo pequeno, hein Fábio.
Vc, sobrinho do botafoguense mais elegante do boteco, passando na frente dele e nunca entrou, pô!
Ainda tá em tempo.

Lá na pocilga, essa bronca é com o revisor.

E deixe de se remista.

Abs

Anônimo disse...

Juca,

não vou furar. E tenho novidades

Fonte de responsa

Anônimo disse...

Liverpool fechou também. Os bealtemaníacos ficarão orfãos!

Juvencio de Arruda disse...

Não diga!
Então o ( Meus amigos da Cultura aqui fala o ) Edgar Agusto foi golpeado duplamente...rs

Lafayette disse...

O Ranulfo falou pra mim que vai até março, então rapaziada, vumbora todo mundo lá, consumir pra que ele possa comprar a cota da cooperdoca (uns 20 milecos), e um bom taxi.

adelaide disse...

meus sentimentos pelo luto etílico!que encontres logo paz e um boteco decente para comfortar a alma!!

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado, Adê. Vou encontrar sim.
s

Anônimo disse...

Ak diz:
Juca: primeiro, meus pêsames, sinceros mesmo como tu sabes quando são sinceros mesmo.
Sei que teu amor pela presença no Ranulfo chegava a ser maior do que a proximidade entre o coração e o fígado.
Fui lá poucas vezes levado por ti, claro, e além da boca que anunciava delícias, os teus olhos brilhavam.
Boteco, brilho nos olhos e paixão,a gente chora quando acaba.
Um brinde,
Afonso Klautau

Anônimo disse...

Juca ,
Essa foi a mais consternadora notícia que recebí nos últimos dias , já sabia via blog do grande irmão Pedro Nelito com quem troquei várias vezes informações sobre nosso Joel Santana de Belém e havíamos combinado por vezes uma cervejada lá pois tenho , perto de casa uma filial por assim dizer , do Ranulfo mas da última vez não tivemos tempo , eu e o Pedro.
No blog do Pedro tem comentários ótimos e tristes ; claro ;sobre a perda mas uma referencia , me chamou atenção , um dos apelidos do "homi" : "papel de embrulhar pregos" pra minha formação etílica encaro como falha de caráter nao ter tomado uma cerveja servida pelo portador de tão delicado e carinhosos apelido.
Lamentável , resta a esperança do final de semana na casa dele , que seja
Porque os clientes não o convencem ao invés de suar no transito infernal de Bel, não reabrir em outra parada , aí estaríamos todos salvos.
Abraços
Taeu

Juvencio de Arruda disse...

Ô, dotô, sei que são sinceros sim. Poucos como vc sabem o que é um bom boteco...rs.
Abs

Juvencio de Arruda disse...

Tadeu lindão...rs...ele está refratário a qualquer tentativa de abrir em outro lugar, e tem razão. Diz ele: aonde vou achar um imóvel, aqui no bairro, dentro das possibilidades do meu negócio? E se eu achar, quem me garante que em dois anos eu não vou ter que sair de novo?
Ele tem razão.
Melhor apostar nos finais de semana, na casa dele, muito agradável.
Reserve dois lugares no balcão de sua filial aí e Sampa. Na semana anterior ao Carnaval vamos tomar algumas. Telefono antes.
Abs

J.BOSCO disse...

Quando se perde um fabuloso boteco,vai metade de sua vida pro brejo, sua história,seus amigos.
Juvêncio,já perdi, milhares de botecos,barzão,barzinho,espeluncas,que marcaram meus melhores momentos de rebeldia,de tara,loucura,transgressões.
Qundo o "moinho holandês" fechou foi uma tristeza só.Depois o dono, meu amigo abriu o "café crise", na Campos Sales,outra tristeza depois do lacre.Perdemos o contato e os amigos.
Esse crescimento vertical de Belém está descaracterisando nossa cidade.
Só me resta ficar mais um pouquinho triste e puto da vida.
O jeito é beber todas antes do lacre de mais outro "pé sujo".
abraços etílicos

Juvencio de Arruda disse...

rsrs..certo, Mestre Bosco.
As perdas são irreperáveis e seguidas.
Pior quando o dono "é" o bar, o caso. Aí a gente chora...eheh
Qual é o seu "moinho holandes" hoje em dia?
Abs etílicos pra vc tb.

Anônimo disse...

Juca!
Podíamos então marcar uma despedida (de várias), extensivo a todos os comentaristas, lá no Ranulfo!
Podia ser a primeira biritada de carnaval hehehehe...
Que tal na quarta-feira, dia 21, a partir das 18h? Ou outra data e horário a combinar aqui? Talvez uma enquete resolva rsrsrs
Abs.,
O Vigiador.

p.s - aviso o Elias, que é avesso a internet, exceto por alguns emails "educativos" que lhe repasso.

Juvencio de Arruda disse...

Por mim, tá combinado!
Abs

Anônimo disse...

Juca ,
Venha mermão , o Sabe-Tudo tem cadeira reservada pra vc na mesa 1;e na parede flâmula do Papão (argh) e do Leão (oba)
Abraços
Tadeu

Anônimo disse...

Vou ficar também com saudades do PF adubado que é muito bem servido pelo Ranulfo e dona Dulce.

Jefferson Galvão disse...

Juca,

Lembras daquela costela de porco assada na brasa que tu me apresentaste lá no Ranulfo? Hummm! Por várias vezes vim de Ananindeua pra almoçar aquele peixe frito crocrante, aquela língua com batatas, aquele charque guisado. Pratos nada sofisticados ou requintados, mas inesquecíveis... Vou sentir saudades também! Grande abraço a ti, ao Ranulfo e à Dulce.

Direito & Esquerdo disse...

Jucão um abraço triste em ti irmão.
Tenho pensado no que está prestes a acontencer.
Um dos comentaristas (J. Bosco) afirma que ao ser lacrado um boteco, muitos amigos e contatos vão junto e esta é a minha tristeza, porque queiramos ou não, o Ranulfo já é uma extensão de nossas casas.
Precisamos conversar para que decidamos sobre algumas visitas em conjunto em outros pés sujos, ok!
O Nelito me disse que o nosso ministro quando leu teu post lagrimou, é verdade?
Um abraço
Bruno Vieira

Juvencio de Arruda disse...

Galvão, a costela dançou há uns dois anos, depois que o churrasqueiro se desentendeu com o Ministro da Educação,que tinha razão. O segredo dela estava no corte, que pegava a costela e a bisteca juntas, uma suculenta peça de 700 gramas.
Vou levar suas saudades ao casal de lá e abs pro casal dáí.

Juvencio de Arruda disse...

Bruno, faltou pouco...eheh
Mas ficou de coração mole e abriu fiado pra mais dois antigos clientes que nunca haviam pendurado.

Val-André Mutran disse...

Umas e outras não se toma em qualquer lugar.

Inda mais na concentração do Quenzão!

Tem preço que cobre não, mano velho.

Se faltar boteco ai não se aparrei.

Venha pras bandas de cá, que aqui, mestre, o que não falta é boteco.

Boteco, boneco, boneca, fofocagem monstra, comida fina ou caseira e, um detalhe: vários nacionais graduados ao passo de uma puxada de prosa.

Vem pra cá, vem! Vem logo.

Abraços e minhas recomendações ao nosso novo motora de fé. Passe o cel dele para que eu possa indicar.

Dudu Dourado disse...

Tive o prazer de ir uma vez levado pelas suas mãos, e lá provei a costela de porco na brasa, uma delicia. Mas volto a lhe dizer: O Mascote aqui em Santarém continua a sua espera, e caso queira um sujinho tem o bar do Juba, debaixo de uma frondosa mangueira.
abraços botafoguenses.
dudu dourado.