28.10.08

Com Quem Será?

No blog do Cjk.

Dona Flor

A noiva de 2010, o PMDB pode ter 'dois maridos': o governador de São Paulo, José Serra e o presidente Lula.
O PMDB terá a opção de manter a coligação com o PT ou nacionalizar a união com o PSDB. Provavelmente ocorrerão divisões ditadas pelos interesses regionais. Por exemplo, o PMDB de São Paulo deverá estar com o Serra. Mas não dá para dizer o mesmo para Roberto Requião no Paraná e Sérgio Cabral no Rio.
No Pará, vai depender...

9 comentários:

Anônimo disse...

Se depender de mim, o PMDB do Pará vem com Priante/Simão Jatene, não é mesmo Ana Julia, pois se voce esta onde está deves a eles e podes ter certeza, que a tua traição e falta de compromisso teu pessoal e não tendencias disso ou aquilo te condenou nesta ultima eleição a prefeito de belém, PT pode ir arrumando as gavetas porque sai em 2010.

Lafayette disse...

Juva, essa nova "entrada" para os comentários é melhor para o poster?

Na forma antiga, dava para gente navegar na página principal e ir clicando nas postagens, enquanto a caixa de comentários ia alternando, mas agora não dá.

E, a leitura dos comentários em acesso por celular (o meio de acesso que mais cresce) fica prejudicado pois tem que alterar o modo de exibição toda vez, e ainda a caixa de comentário fica maior do que a tela.

Em suma, acho que antes era melhor.

Você voltaria ao modo anterior?

Anônimo disse...

O PT TINHA TUDO JUNTO COM PMDB DE FAZER UM LONGO CAMINHO DE VITORIAS E DIRECIONAMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO PARÁ, MAS NÃO FIZERAM, CULPA DE PESSOAS DESPREPARADAS A TER CALMA, A CUMPRIR ACORDOS, PORTANTO PT, AO COMETER VARIOS EQUIVOCOS SE PREPARE PARA NUVENS TURBULENTAS QUE PODERIAM TER CEU DE BRIGADEIRO E A REELEIÇÃO AO GOVERNO DO ESTADO ESTA A CADA DIA MAIS DIFICIL.

Anônimo disse...

Quércia (SP), Luiz Henrique e Dário Berguer (SC), Pedro Simon e Fogaça (RS), Jarbas Vasconcelos (PE) e Wilson Martins (MS) são alguns exemplos de peemedebistas que apostam em Serra. Não é pouca coisa. Sem falar no barbalhovsky magoado e um governo de Ana Júlia que não disse a que veio. O PT, pós-crise econômica, que se cuide.

Lafayette disse...

Tanquiu, seu Juva.

Mais dinâmico e mais "mordenoso". rsrsrs

Juvencio de Arruda disse...

Certo, Lafayette...rs

Anônimo disse...

Não esqueçam do posicionamento do Dudu em 2010.
Mas, de fato, foi notório o não envolvimento da DS da Ana, Puty e da dupla Mar-Mau Guerreiro em prol do Priante, que, abdicando de sua eleição certa a Federal deu a vitória a ela, ao contrário da turma do Paulo Rocha que andou telefonando o dia inteiro para os correligionários irem votar no PMDB (eu fui um que recebi).
Ingratidão é coisa inaceitável para Jáder.
E as miuçalhas que o governo da DS vem fazendo descredenciam o seu partido para 2010.
Quem viver verá.

Anônimo disse...

Juvêncio, mas quando a Ana Júlia se aliou ao Jáder em 2006, ela devia saber que seria cobrada mais adiante, não?

Juvencio de Arruda disse...

Sim, das 4:17, vc tem razão.
Mas cobrada de que?
Alguma vez vc viu a governadora vir a público dizer quais eram as condições da coalizão de governo em relação à Pirante?
Neste blog, no inícío de janeiro de 2007, quando AJ anunciou a composição do secretariado, comentei o silêncio.
Posso estar enganado, mas não me lembro de ter visto a governadora dizer: em 2008 eu vou apoiar Pirante.
Vc acha que ficou implícito?
Vc viu Lula pedir à governadora que apoiasse Pirante? Ou vc viu a pressão de Duciomar sobre José Múcio, e este sobre Lula, que fez com que Puty desse aquela entrevista engraçadíssima dizendo que ela não tinha candidato?
Qual foi a estratégia de Pirante depois desse anúncio?
Dançou! Acertou as contas com Botelho e acreditou na militância...rs.
Lembra daquela máxima: pagamento só no ato da compra: em 2006!
Pois foi mais ou menos assim que eu acho que rolou.