26.10.08

Nos Pampas

A fotógrafa e professora (FAP/FEAPA) Flavya Mutran se prepara para uma longa temporada fora de Nova Déli. Fora e longe. Aprovada em terceiro lugar na seleção do mestrado da UFRGS, Flavynha vai armar a tenda em PA.

18 comentários:

Alan Lemos disse...

Ei Juvêncio, tu sabias que votar no Gabeira é muito fácil? Basta seguir um procedimento com sete passos:

* 1. pegar um papel
(cartaz do Gabeira)

* 2. jogar o produto verde em cima
(santinhos do PV)

* 3. bolar
(bater uma pelada antes de ir votar)

* 4. passar a língua
(convencer as pessoas a te darem um lugar privilegiado na fila eleitoral)

* 5. "apertar"
(tecla 4, tecla 3 e confirma, claro)

* 6. acender
(para gerar ascensão do candidato)

* 7. boa tragada
(do verbo "trazer": traga algo de uma quitanda para casa)


É possível compartilhar a prática, mas para que o candidato seja eleito, é necessário que todos "apertem". Talvez muita gente não goste, já que o procedimento só poderá ser repetido em 2010...

morenocris disse...

Caramba, isso é maravilhoso. O Val deve estar feliz. Eu também fico. Adoro as imagens desta meninazinha.

Beijos.

Anônimo disse...

Não é PA, é POA.

Juvencio de Arruda disse...

Cris, a Flavycha vai armar uma tenda legal por lá.
Bos sorte pra ela.
E bjs pra vc.

[bina jares] disse...

Ei, Ju. A Flavya é de primeira.
Possivelmente mais um talento que não volta. Belém está parecendo Remo ou Paysandu. Os "bons de bola" parecem não ganhar as devidas condições por aqui. Nem de público nem de renda. Será que a gente (Belém) vai ficar, também, pobre de neurônios?

Juvencio de Arruda disse...

Bina Jares, grande criatura!...rs
Este poster está em falta com vc, amigo...rs.
Abs

jbibas disse...

Oi Juvêncio, que bom que a Flavya é da gente.

Parabéns pelo 5ª Emenda.

[jb]
----

EITA GURÍA PAI D’ÉGUA!
(A verdadeira história da menina
que viajou do Tocantins ao Guaíba)

autor: Jaime de Oliveira Bibas

Foi numa segunda-feira
que, de folga, estava em casa
mesmo sem eira, nem beira
a imaginação cria asa
para escrever num folheto
sobre um post do Juvêncio,
a novidade estupenda,
que saiu no “quinta emenda”.

Essa nota lá do "quinta"
da nossa Flavya "a" Mutran...
cansada do tucupi,
quem sabe do tacacá
se preparou pra voar
em busca do chimarrão
vai pra bem longe estudar
tem pra isso distinção.

Nada de tão merecido
aconteceu pro rio grande
que em priscas eras foi
Colônia do Sacramento...
Pois a menina, bem sei,
conhece tudo e algo mais
dessa tal fotografia
seja do clique a teoria.

É filha de Marabá
que tem clima tropical
no sudeste do Pará.
Com praia de rios, sem sal
como é o Tocantins
colado no Itacaíunas,
desenho feito forquilha
do antigo ipsilone...

Esteve em Caruaru
fotografou lá na feira
andou em rios, de canoa
para cumprir seu trajeto
de poetisa da imagem...
Fez da luz, a forma, o som
desde os tangos de Gardel
ao pianinho do Tom.

Abre as pálpebras pra aurora
finca os olhos no amanhã
ele é teu, no velho pampa
de quechuas em coxilhas
e campos que não tem fim,
nos ventos de cada ano
que sopram secos e frios
chamados de Minuano.

Mas não te esquece de nós
da chuva, desse mormaço
que do sol tira um pedaço,
expõe nos finais de tarde
marcando o ciclo do dia
uma luz indescritível
e faz crer que ser feliz
aqui também é possível.

No final, a reverência
parecendo despedida
mas é por obrigação
respeito e admiração
de quem deseja teu bem
e vê a cor da esperança
que brilha no cintilar
dos teus olhos de criança.


{Santa Maria de Belém do Grão Pará, em 27.outubro.2008)

Juvencio de Arruda disse...

Dom Jaime, que prazer a sua visita!
E que bela homenagem à Flavynha.
O Quinta é sempre seu.
Abs, camarada.

Val-André Mutran disse...

Vocês nem imaginam o quanto esse pequena e adorável criatura me é caro.
É minha ídola! Hehhe.
Valeu Juvêncio, a Marize tem responsabilidade nessa conquista.
Obrigado Bibas, sempre uma cavalheiro de primeiro mundo.
Amo todos vocês e morro de saudades.

Flavya Mutran disse...

Caríssimo Juvêncio,
Fiquei feliz com os posts e as palavras carinhosas, mas apavorada porque ainda não é o momento de comemorar. Ainda estou em pleno processo seletivo. Meu projeto foi sim aprovado com boa pontuação na primeira etapa de seleção para o Mestrado em Artes Visuias na UFRGS, mas ainda é apenas o primeiro degrau. Na ultima sexta-feira, 24.10 os 17 selecionados desta etapa fizeram prova escrita e depois do resultado da 2a etapa ainda tem uma 3a parte final, de entrevistas. Difícil, caríssimos, mas como tudo que é projeto de vida e sonho é feito passo a passo. Aos demais amogos que postaram palavras de apoio, prometo que assim que os resultados forem divulgados pela UFRGS aviso a todos. Tomara tenhamos motivos para comemorar...

P.S.Numa coisa o Val tem razão, Juvêncio, A Marise indiretamente tem uma boa parcela no meu interesse em correr atrás do Mestrado, pois foi a primeira a acreditar em mim para dar aulas e ela mesma é um exemplo na docência.

Juvencio de Arruda disse...

Blz, Flavynha, torcemos por vc, e a companheira agradece a carinhosa menção.
Bjs

Flavya Mutran disse...

Agora sim, Juvêncio, é oficial, passei na seleção do Mestrado em Artes Visuias na UFRGS e me mudo pra POA em fevereiro. Já tô desarrumando casa e arrumando novos rumos. O projeto chama-se 'Pretérito Imperfeito de territórios móveis' e vai ser desenvolvido em Poética para tratar de coleções fotográficas digitais e as relações entre matéria e conceitos de lembrar e esquecer. Aliás, duas das coisas mais importantes da vida, não?
Super obrigada pela força e pelo espaço da notícia. Teu blog é muuuuuito lido e por onde ando sempre encontro alguém da área que me dá os parabéns e diz 'eu já sabia, Li no Juvêncio'...hehehe, muito bom.
Bjão

Val-André Mutran disse...

E o fará com poesia! Demais não é mesmo mestre?

Não disse que ela é danada e conseguiria?

Juvencio de Arruda disse...

Mas que bom, hein Val-André?
Ela merece tudo de bom, e vai dar show de bola no Prorama.
E nos já temos com quem comer um churrasco por lá, hein?

Flavynha, dez pra vc e muito obrigado.

Lauro Barbosa disse...

E eu farei de tudo para que ela não saia daqui tão cedo. Enfim vamos conseguir juntar nossas vidas aqui no sul. O churrasco deixa por minha conta que sou expert. Grande abraço e obrigado pelas palavras carinhosa.

Juvencio de Arruda disse...

Oi, Lauro. Prazer em recebê-lo por aqui. Suas palavras só referendam o que meus conhecidos dizem de vc.
E não deixe mesmo ela sair tão cedo daí.
Mas olhe, ela me disse que vai dar duro em vc...rs
Deixe...eheh.
Tomara que em breve comamos este churrasco, amigo.
Abs

Val-André Mutran disse...

Eu levo a birita!

Anônimo disse...

Flavya,

Eu sempre soube que esse Pretérito Imperfeito era cheio de futuro...Se nas passagens quiser encostar em BH, o quarto de hóspedes está preparado.

Beijos,

Paulo Almeida