23.10.08

Unanimidade

A jornalista Úrsula Vidal foi a vencedora do debate, ontem, no SBT. Com todo o respeito, é claro.

13 comentários:

Anônimo disse...

Juvêncio, gostaria que falasses a respeito dessa postagem do Bemerguy, já leste?

A íntegra:


Jader a Puty: “O governo está investindo no Duciomar”
Estava até demorando, mas aconteceu.
Estava até demorando o PMDB e o seio, o núcleo do poder petista mostrarem, digamos, como andam seus ânimos e suas disposições por conta da disputa eleitoral em Belém.
Estava até demorando, mas aconteceu.
E ainda vai acontecer muito mais, certamente.
Aconteceu no último final de semana.
O deputado federal Jader Barbalho, presidente regional do PMDB, encontrou-se com o todo-poderoso, Cláudio Puty, chefe da Casa Civil do governo Ana Júlia.
Frente a frente, portanto, Jader e Ana Júlia.
Sim, os dois.

Jader a Puty: “O governo está investindo no Duciomar”
Estava até demorando, mas aconteceu.
Estava até demorando o PMDB e o seio, o núcleo do poder petista mostrarem, digamos, como andam seus ânimos e suas disposições por conta da disputa eleitoral em Belém.
Estava até demorando, mas aconteceu.
E ainda vai acontecer muito mais, certamente.
Aconteceu no último final de semana.
O deputado federal Jader Barbalho, presidente regional do PMDB, encontrou-se com o todo-poderoso, Cláudio Puty, chefe da Casa Civil do governo Ana Júlia.
Frente a frente, portanto, Jader e Ana Júlia.
Sim, os dois.
Porque, no encontro, Jader era Jader, mas Puty era Ana Júlia - ele representava a governadora, era o seu alter ego, aquele que fala por ela.

“Não subestime minha experiência”
Puty, segundo informação que o blog obteve, preparava o terreno para os cargos que serão ocupados por integrantes da Democracia Socialista (DS) – a maior do PT e à qual pertence a governadora Ana Júlia - num hipotético governo Priante, caso o candidato peemedebista seja eleito prefeito de Belém no próximo domingo.
Puty discorria sobre o engajamento da DS na campanha de Priante, quando ouviu de Jader, ipsis literis, o seguinte:
- Olha, rapaz, sei que tu és inteligente, tens até universidade, mas não subestime minha experiência. Sei que o comando do governo está investindo no Duciomar.
Duciomar você sabe quem é, não?
Pois é.
Nem seria nem necessário Jader Barbalho ter a experiência que tem na política para perceber, pressentir e constatar o óbvio: que o governo Ana Júlia – no seu seio, no seu âmago, no seu centro, no seu núcleo - jamais iria para as esquinas de Belém desfraldar bandeiras e bandeirolas da campanha de Priante, em obediência à deliberação formal do PT em apoio ao candidato peemedebista.

O PT é uma coisa, o governo é outra
Porque, para um petista, vale o sábio, sapientíssimo ensinamento daquele filósofo: uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.
Converse com um petista. Lá pelas tantas, ele vai dizer a você o seguinte: o governo é uma coisa, o PT é outra. O partido é uma coisa, o governo é outra.
Nem sempre é. Mas muitas vezes é mesmo.
Ana Júlia, ao anunciar-se neutra– supostamente neutra – neste segundo turno que está chegando ao fim, não pretendeu manter uma postura de magistrada coisíssima nenhuma. Não pretendeu respeitas aliados da base coisíssima nenhuma.
Isso é conversa fiada, na qual não acreditam nem o experiente deputado Jader Barbalho, nem os que não são experiente na política como ele é.
Ana Júlia, ao anunciar-se neutra, pretende ser apenas Ana Júlia.
Ela é governadora do Pará. Eleita, portanto.
Governadora como é, quer eleger-se de novo, em 2010.
Sabe que, atirando-se de corpo, alma, coração e discurso nos braços do PMDB de Jader, terá dificuldades mais à frente, num horizonte muito próximo.
Sabe a governadora que empenhar-se para a eleição de Priante significará fortalecer ainda mais o próprio Jader e, por extensão, o PMDB, partido que fez o maior número de prefeitos no Pará, nas eleições de 5 de outubro passado.

O cacife do PMDB para 2010
O PMDB, com a Prefeitura de Belém sob o comando de Priante, com a Prefeitura de Ananindeua sob o comando do reeleito Jader Barbalho e com o próprio Jader na condição de timoneiro, de liderança maior da agremiação no Pará, dificilmente irá se acomodar ao papel de coadjuvante do PT na eleição de 2010.
E ninguém esqueça que, em 2010, o próprio PMDB, nacionalmente, dificilmente abrirá mão de candidatura própria a presidente da República, porque em todo o País também foi o partido que mais elegeu prefeitos.
Esse cenário favoreceria uma candidatura de Jader ou ao Senado, ou ao governo do Estado.
Não espere, evidentemente, que o dr. Puty convoque uma rede regional de rádio e televisão para fazer uma declaração do tipo:
- Senhoras e senhores, o governo do Estado apóia a candidatura do prefeito Duciomar Costa à reeleição a prefeito de Belém.
Não espere, evidentemente, que Sua Excelência, a governadora, convoque uma entrevista coletiva para anunciar:
- Digam ao povo que eu apoiarei Duciomar Costa.
Não espere isso, não.
Mas, tenha certeza: Ana Júlia, Puty e todos os que estão no seio, no núcleo, no centro, no âmago do poder estadual são amarelinhos desde criancinhas. Podem até não mover uma palha para reelegê-lo, mas torcem todo dia, o dia todo, para que Duciomar vença Priante no próximo domingo.
Se disserem que não, estarão mentindo.
Além disso, estarão subestimando.
Estarão subestimando a experiência do deputado Jader Barbalho e a inteligência dos eleitores.
E estarão, além disso, ofendendo o bom senso e a lógica.
Ou não?

Anônimo disse...

Luluquefala:
Mas que diabo de orientação que o Walter deu pro Priante, que ele não parava de repetir que quando ele está triste, ele está triste, que quando ele está alegre, ele está alegre ? Por acaso, alguém é diferente ?
Cruz credo... certo ?

Juvencio de Arruda disse...

rsrs...já li sim, claro. O PB é um de meus blogs prediletos.
Bem, a onda pé braba e não é recente. Outro dia uma fonte me disse que o Sobrancelhudo, ao sair de uma reunião, bateu nas costas de Puty e disse:
- Se vcs estão pensando que vão enganar este diabo velho, podem tirar o cavalinho da chuva.
Puty riu.
Mas a "chuva", neste segundo turno, molhou o Sobrancelhudo.
Também soube que a entrevista de Puty na semana que passou, dizendo que a gov não apoiaria nenhum candidato teria sido motivada por pressões, feitas pelo falsário sobre o Planalto, através do petebista José Múcio.Lula teria recomendado a entrevista.
Difícil a apuração dessas paradas.
Mas eles vão se entender.
O PMDB sai bem cacifado desta eleição, muito mais do que imaginaria o assumido diabo velho, embora menos do que desejariam seus coligados.

Anônimo disse...

Realmente a Úrsula deu um show ontem. Úrsula para o governo em 2010!!!

Anônimo disse...

sei não juca...
mediadora em debate tem que ser igual árbitro de futebol..quanto menos aparece melhor
ursula andou se equivocando ontem, trocando perguntas por tréplicas e vice-versa
mas...

Juvencio de Arruda disse...

Ah..coisa insignificante...rs
Impossível a Úrsula não aparecer, minha cara...eheh

Anônimo disse...

Ela vence sempre. Ela é maravilhosa! hehe

p.s.: Esse blog, além da beleza que já é, anda trazendo dividendos econômicos. Obrigado pela edição eletrônoca 0800 do Schumpeter, de terça e pela indicação do Freakonomics, de ontem. Show de bola!

Fernando Bernardo
Fernando

Anônimo disse...

Vigilante diz - o que vocês queriam que o comando do governo fizesse, apenas a neutralidade do governo diante de uma base aliada controversa. Na Assembléia o PTB com seus 4 deputados votando em prol do governo e o PMDB com 7 deputados (3 deles não confiáveis)votando com o governo. Nessa matemática dão 4 X 4. Portanto, empate. Daí o governo ficar neutro nessa disputa em Belém.... assim caminha a humanidade. Mas quando chegar 2010, LULA chamará para sí à responsabilidade e tudo caminhará como dantes, quem for vivo verá.

Anônimo disse...

Ds, "maior tendência do PT", é piada. Se fosse, o candidato a prefeito de Belém não teria sido o Mário Cardoso, mas sim o Edilson Moura, Cláudio Puty ou mesmo o então prestigiadíssimo Charles Alcântara. A DS é, sim, a tendência do PT mais dividida. São cinco grupos: Ana Julia, vereador Marquinhos, vereadora Lauandi, Puty, Fábio Castro, Ana Cláudia e mais meia dúzia de secretários obedientes, formam um bloco; o segundo bloco é comandado pelo arqui-inimigo do Puty, André Farias, que saiu do terceiro escalão do governo Edmilson direto para a linha de frente do poder no governo Ana Júlia; o terceiro bloco agrupo Suely Oliveira e Edilson Moura. Este grupo é uma "frente", porque agrupa dois grupos conformados e bem estruturados, mas que se protegem mutuamente contra o canibalismo interno. O quarto bloco é formado pelos irmãos Monteiro (Maurilio e Marcilio) e Joana Pessoa. O quinto bloco é capitaneado pela ex-esposa de Raul Meireles, e agrupa a própria professora Edilza e o assessor jurídico Carlos Botelho. Ninguém se entende. Por enquanto, a hegemonia está nas mãos de Puty, como já esteve com Charles. Mas o mundo continua a girar...

Anônimo disse...

Alguém realmente achar que Walter Júnior dá ordens ao Priante é de uma ingenuidade que beira a leseira...

Anônimo disse...

Luluquefala:
Pô, anônimo das 2:34, deixa o Walter se achar.
É só até domingo...

Juvencio de Arruda disse...

Fernando Bernardo, obrigado. Valeu!
Abs

Cristina disse...

A Úrsula é uma jornalista mara, nota 10, sou fãzona dela..... só tive dó porque ela teve que aturar essas duas malas sem alça... são os percalços da profissão, n~e?