28.5.07

Logo a Marca?

Decorridas 48 horas da divulgação da vencedora do concurso do governo do Pará - o prazo de contestação - e nada da apresentação da logomarca.
É que mais um imbroglio se apresenta na entrada da grande área.
A Vanguarda, eliminada antes da abertura da proposta técnica, entrou na justiça e conseguiu sobrestar o concurso.
Vem mais marola por aí, como se já não bastassem as que já tem.

48 comentários:

Lafayette disse...

Juvêncio, fala para Maria Alice passar no Ver-o-Peso pra pegr uns banhos.

Junto com aqueles outros "métodos" que ela citou, será um bom reforço protecional. rsrsrs

Lá vai o meu, o teu, o nosso...

Juvencio de Arruda disse...

Bom dia, empatado.
Com certeza ela vai passar por aqui.

Lafayette disse...

Empatamos... empatamos...

Mas, jogamos beeeem melhor!

Maria Alice disse...

Eheheh, eita ziquizira, né? Ai, que meda! Meninos, eu nem sabia de nada...kkkkkk! Eita belemzito doido!

Maria Alice disse...

Como disse o Fabio Castro, na ocasião do falatório sobre a entrade dele na CCS: - Muito barulho por nada!

Anônimo disse...

Quantos presidios serão necessários construir, para que os acorrentamentos em cadeiras, corrimãos e motos cessem essa pratica ,que está virando MARCA.
.Com

Anônimo disse...

Existe um princípio que rege todo o espírito da Lei de Licitações: a isonomia. E a isonomia decorre, sobretudo, do interesse em ser isonômico, do equilíbrio de quem está à frente do processo. Eu estava na abertura da licitação e vi o que aconteceu: a certidão que o governo usou para limar a Vanguarda estava em vigor no dia que a licitação foi marcada, dia 07 e vencera menos de 12 horas antes da abertura do envelopes no dia 16. A representante da Vanguarda, que suponho ser funcionária da agência, pediu que o representante conferisse, no site da Receita, a adimplência da agência, o que teria resolvido o problema, mas ele disse que não faria isso. Ela perguntou a razão e ele disse "porque eu não quero". Juca, vc conhece o dono da Vanguarda? Imagine isso na cara do Cavalcanti. Só podia dar nisso. Agravo, questionamento judicial. Quem conhece o cara já sabia que ia dar merda. É melhor, muito melhor, fazer o que o governo da Bahia irá fazer em sua licitação de publicidade: começar pela proposta técnica e pontuar. Apenas dos vencedores se abre os envelopes de certidões. Se faltar alguma de alguém, passa-se para o próximo. Aqui, essa novela não acaba tão cedo. Se eu pudesse dar um conselho aos que querem resolver isso logo eu diria: aceita o instrumento legal, não recorre, abre a proposta técnica da Vanguarda e dê zero. Pronto. Tá resolvido. A merda é se a logomarca da Vanguarda for melhor (o que não é difícil) do que esse arremedo de bobo da corte que a Mendes apresentou como logomarca.

Anônimo disse...

Juvêncio, não acho que seja muito barulho por nada. Considero que tem muito aqui a ser ponderado e se for preciso fazer barulho, faremos. Uma das coisas que está a ser questionada nesse processo é a nossa competência legal para concorrer. Para que não pareça que é birra ou pirraça "do Cavalcante", como disse alguém, estamos recorrendo por considerarmos que a eliminação nesse processo provocou dano à marca da agência, uma vez que levantou a falsa impressão de estarmos em desacordo com a Lei no que diz respeito às certidões exigidas pelo certame. A Vanguarda está adimplente com todos os órgãos arrecadadores, de todas as instâncias. Não estamos recorrendo por pré-julgarmos o trabalho das demais agências, posto que, afinal, não tivemos acesso a proposta de qualquer concorrente. Queremos apenas ter o direito de que se comprove nossa adimplência, se abram os envelopes da proposta técnica e se pontue nosso trabalho, restaurando nosso direito de competir. Parece pouco, mas não é.

Alcindo Cavalcante, sócio-diretor de operações/Vanguarda Propaganda

Anônimo disse...

Era só o que faltava, comissão de licitação ser obrigada a tirar certidão de licitamnte relapso ! Afinal de contas, pelo comentário do espectador da licitação, a certidão da Vanguarda venceu na véspera. Ora, se este documento pode ser emitido via internet, por que a empresa não o fez ? Aceitar a sugestão de emitir a certidão na hora, é que seria rompimento da isonomia com os outros licitantes que diligentemente trouxeram sua documentação em ordem.

Anônimo disse...

A governadora deveria ter inovado e promovido um concurso para estudantes de publicidade. O prêmio seria em dinheiro, é claro.

Anônimo disse...

O governo não precisava passar por mais essa na área da Comunicação. Bastava aplicar o contrato com as cinco agências, ainda em vigor por prrorgação, e pedir para todas elas as propostas de marca. E escolheria a melhor.
Porém, como estão entando reinventar a roda da Comunicação desde a primeira hora do governo, acabaram criando mais um contencioso de comunicação.
Quanto custa para o Estado, em hora de trabalho, material, telefone, energia eletrica (e desgaste de imqgem), esse tipo de demanda?

Anônimo disse...

B. me disse que está entrando no mercado. Em breve inaugura empresa de comunicação, para fazer faixas, santinhos e outros reclames para maior audiência.
Tem até nome - B.UP, que eu brinco ser a Bottons Up Propaganda. Tem tudo a ver com o instrumento e o atual momento de seleção.

Oscar Wilde disse...

A diversidade de opiniões sobre uma obra de arte mostra que a obra é nova, complexa e vital.
Quando os críticos divergem, o artista está de acordo consigo mesmo.

Oscar Wilde disse...

Toda a arte é ao mesmo tempo superfície e símbolo.
Aqueles que descem além da superfície fazem-no por seu próprio risco.
O mesmo sucede àqueles que lêem o símbolo.

Oscar Wilde disse...

O crítico é aquele que sabe traduzir de outra maneira ou com material diferente a sua impressão das coisas belas.
A mais alta, assim como a mais baixa, forma de crítica é uma autobiografia.

Maria Alice disse...

esperar pelos dias, pela serpente dos dias. esperar que no cimo do tempo, no veneno do tempo, se transfigure o mundo.
(Hyeronimus Bosch)

Anônimo disse...

Bem mais fácil seria simplesmente acabar com essa prática ridícula de ter uma marca para a gestão. A marca é do Estado do Pará, que aliás já tem a sua, que é o Brasão.
Isso pouparia gastos com mudanças de papelaria e programação visual a cada vez que fosse trocado o ocupante do palácio dos Despachos.
Lembro que essa prático já foi realizada em outros Governos e Prefeituras, como exemplo o Ceará e Rio de Janeiro.

Anônimo disse...

Mais uma vez, a comunicação de Ana Júlia se engasga com mosquito. Lembra-te que em Cem Anos de Solidão os habitantes de Macondo eram obrigados a pintar a frente de suas casas de acordo com o "partido" que estivesse no poder? Casas vermelhas ou azuis.
Pois bem, essa prática que para nós pode até parecer caricata, acaba sendo a mesma das gestões públicas que, tão logo assumem, querem ter uma marca, para carimbar o que fazem e o que não fazem. O Governo não deve ser de Ana Júlia, mas sim o Governo do Pará. E nosso estado já tem nome e tem marca, que é o seu brasão. Ao invés da tempestade criada nessa "escolha democrática" da marca, o realmente correto seria adotar o brasão como marca do GOVERNO DO PARÁ. O que não é novidade alguma, outros governos e prefeituras já o fazem, como no Ceará, e na cidade e Estado do Rio de Janeiro (basta dar uma olhada nos respectivos portais na internet). Haveria uma demonstração de impessoalidade, de seriedade, sem falar da enorme economia com mudança de programação visual de tudo que se possa imaginar, a cada mudança do ocupantes do palácio dos despachos.

Anônimo disse...

A última vez que aconteceu algo assim a licitação teve que ser cancelada e outra licitação foi aberta. Foi no Basa, no começo do governo Lula. A agência Sim Comunicação foi "limada" porque estava com uma certidão vencida. Entrou com liminar e a licitação travou. Esta, está travada. E o governo ainda corre o risco, se insistir em seguir com isso adiante, de mandar colar por aí uma logomarca que depois a justiça mande tirar. Quanto ao cara que disse que "tirar a certidão na internet é que seria quebrar a isonomia", um lembrete: a licitação foi marcada para o dia 07 de maio. No dia 07, apenas três agências compareceram ao local. Isso levou ao adiamento, que não foi publicado em jornal de grande circulação e, portanto, pode ser questionada, com base no princípio da publicidade. Além disso, após a abertura dos envelopes, a comissão deveria ter dado, como reza a Lei, cinco dias para recursos. Mas optou pelo rito sumário, impedindo o direito de defesa da litigante. Em outras palavras, há erros e mais erros de procedimento da comissão de licitação e eles se sobrepõem quando listados, a qualquer falha das concorrentes. Concretamente, essa licitação já era.

Anônimo disse...

Ao amigo "republicano" que leu Cem Anos de Solidão: esse país que você quer não existe em lugar algum. Em todo lugar, há marcas de gestão. Arnold, o governador da Califórnia, tem a sua. É sempre uma releitura do brasão ou da bandeira, mas é uma logomarca que dá o tom da administração. As cores não mudam (como fez o tucanato, que introduziu o amarelo como cor oficial quando as cores de nossa bandeira são o vermelho, o branco e o azul), mas os simbolos sim. É fácil para essa tucanagem vir agora pregar que é gasto de dinheiro ter logomarca, ter identidade de governo, mas se calaram durante os 12 anos de almirismo desenfreado. Agora, no que diz respeito ao processo de escolha da marca, porque simplesmente não fizeram um concurso aberto a todos, com valor simbólico como pagamento? Por que gerar esse desgaste? Por que não habilitar a todos ou simplesmente dar direito de defesa a quem se sentiu prejudicado? Erros, amigo, chamam erros. E esse governo parece sem um ímã gigante a atrair problemas.

Anônimo disse...

Ceará e Rio usam o brasão, é verdade. São Luis também. Mas o brasão está arrumado de um certo modo, com cverta tipologia a escrever o nome do estado e do município e essa "arrumação", que chamamos design, foi desenvolvida por uma agência de publicidade. No Ceará, foi a Mota; no Rio, a Loducca; em São Luis, a Imagine. Ou seja, não dá para fugir da agência. Elas existem, trabalham, prestam serviço. E querer correr delas é incongruente. Sugiro que se volte ao zero, que a governadora abra um concurso livre para envio das propostas, que reúnam-se doutos e publicitários do Clube de Criação para avaliar os trabalhos e dêem o resultado. Seria melhor, mais salutar. Ou então, chame uma agência e mande arrumar o Brasão. Vai dar no mesmo.

Anônimo disse...

Eu estava lá no dia 07 e no dia 16, quando aconteceu o fato; virei e disse ao amigo que estava ao lado: "isso vai dar uma grande merda". Ele retrucou: "Vai mesmo". Deu.

Anônimo disse...

Quente:

O recurso da Vanguarda foi negado pelo TJE.

Podem checar no site no tje.

beijins!

Anônimo disse...

Li e vivi cem anos de solidão e sempre achei e continuo achando que toda e qualquer propaganda de governo deveria ser terminantemente proibida, por emenda constitucional. A comunicação do governo deveria existir unica e exclusivamente para informações de interesse da população, ações e campanhas idem e para a prestação de conta transparente, com acompanhamento de auditores isentos. O resto é imoral, por se tratar de propaganda de governantes, que não são eleitos para se perpetuarem no poder às custas do dinheiro do contribuinte.
Claro que as empresas de propaganda e todos aqueles que ganham milhões às custas do eleitorado otário vão dizer que isso é bobagem, que em todo o mundo é assim, que ninguém vive sem propaganda, mas isso tudo não passa de defesa de interesses pessoais, que não dizem respeito à política.
Logomarcas, cadernos especiais, encartes,etc, tudo isso não passa de grossa indecência, que deveria ser banida da vida pública

Anônimo disse...

Não acho que se deva correr das agências. E é verdade que os referidos brasões sofreram uma "arrumação". O principal motivo disso foi que não havia uma unidade nos poucos casos em que eram utilizados. Em São Luiz e no Ceará, o brasão renovado foi inclusive enviado ao poder legislativo para que fosse aprovado como símbolo oficial do município e Estado, respectivamente. Não foram tratados como marca da gestão.
Concordo plenamente com a sugestão: chama uma agência, das que já tem contrato, e manda arrumar o brasão, fazendo um resgate histórico desse nosso símbolo. Não acho, de maneira alguma, que as agências não são necessárias, desnecessária é a marca e esse concurso.

Anônimo disse...

Logo a marca, Juca? Me explique o que está acontecendo que eu não estou entendo nada. Afinal, para quê essa macaquice de fazer concurso de logomarca? Ninguém fez isso em lugar nenhum e por uma razão, apenas: porque é uma idéia ruim. Você expõe o governo, escancara-se e fica sujeito a situações como a que se apresenta. Seja lá de quem for, essa é a pior idéia que alguém já teve: criar um problema para obter uma logomarca. É incrível. Se o Chiquinho tem razão ou não tem não importa. Só o fato de ter questionado a decisão paralisa todo processo e leva a mais uma exposição excessiva das fragilidade de uma área para lá de estratégica, que é a comunicação. No tempo do Orly ele apresentava a logomarca ao governador e estava aprovada. No tempo do Galvão, também. No tempo do Mendes, em plena ditadura, ele se acertava com o Passarinho e com os milicos e estava tudo certo. Agora é essa cagada. Já não chega de fazer idiotices em série? Cancelem essa merda e usem o Brasão do Estado como marca. Pronto! Assim não há vencedores nem derrotados e a paz volta a reinar.

Anônimo disse...

Vi agora. O recurso da Vanguarda foi negado por decurso de tempo mas a Juíza mandou citar o Procurador do Estado e o Ministério Público "para instruir o processo". Com isso a Vanguarda tem até o dia 06 de junho para recorrer. Se for negado de novo, pode recorrer a instâncias superiores sucessivas até que se chegue ao supremo. Ou seja, isso não vai acabar nunca.

Anônimo disse...

Para a anônima apressadinha das 3:22 PM: cabe recurso. E depois desse, mais dois. Sabe quando isso vai acabar? Nunca. E o desgaste será tão intenso (como está sendo) que o melhor seria voltar atrás. Mesmo que não voltem, ficará a mancha eterna sobre um processo de escolha torto que jamais deveria ser experimentado. Aliás, jamais foi. Agora sabe-se porque.

Anônimo disse...

O FHC usava, em seu primeiro mandato, o Brasão da República como logomarca. Ana Júlia deveria fazer o mesmo com o Brasão do Estado, que aliás é lindo. Daria um grande exemplo e inauguraria uma nova era: a da impessoalidade administrativa, como pede a Lei. Quanto ao recurso da Vanguarda negado em primeira instância, isso não quer dizer que a encrenca encerrou, mas está apenas começando. Se eles quiserem brigar, vão até o Supremo. E aí vá estaremos em 2008, brincando.

Anônimo disse...

Um apelo ao Chico Cavalcanti e ao seu passado vermelho: retire essa ação. Não recorra. Se você recorrer o nosso governo, o governo que o povo elegeu para varrer a corrupção e a velhacaria do Pará, estará sem identidade por muito tempo. Se você for até o Supremo, vamos varar o ano sem identidade visual. Ponha a mão na consciência. O que você ganha com essa birra sem propósito?

Anônimo disse...

Recurso negado em primeira instância é sinal de continuidade da encrenca e não do seu fim. Quem dera que todo mundo que tivesse o pedido negado em primeira instância fosse para casa, chorar as mágoas. Ao contrário. O sujeito fica mais puto ainda e vai à segunda instância e, depois, ao Supremo. E com isso, lá se vai o precioso tempo.

Anônimo disse...

O anônimo das 3:03 escreveu: "No dia 07, apenas três agências compareceram ao local. Isso levou ao adiamento, que não foi publicado em jornal de grande circulação e, portanto, pode ser questionada, com base no princípio da publicidade. Além disso, após a abertura dos envelopes, a comissão deveria ter dado, como reza a Lei, cinco dias para recursos. Mas optou pelo rito sumário, impedindo o direito de defesa da litigante." Ou seja, além do problema da certidão ainda existe para questionar judicialmente tudo isso, como não permissão de defesa, rito sumário de julgamento, quebra do princípio da publicidade... Isso, sem dúvida, tem combustível para ir à lua e voltar. A apressada anônima que noticiou feliz a derrota em primeira instância da litigante pode tirar seu cavalinho da chuva. Isso ainda vai dar muito "pano pras mangas".

Lafayette disse...

Ééé... li todos os comentários...

Juva... eu disse e quase apanhei na cara... rsrsrs

...o meu... o teu... o nosso...

buáááá...

Anônimo disse...

Numa licitação deve prevalecer a boa fé e razoabilidade.No caso presente,como ocoreu o adiamento da data de abertura do envelope do dia 07 para 12, o certo seria que a comissão de licitação,baixasse em diligência toda documentação da Vangurada.Assim teria a confirmação de sua adimplência com fisco federal e a administração teria maior número de interessados participando da licitação,o que deve ser, imagino eu , o desejo desse novo governo: DEMOCRATIZAÇÃO dos serviços públicos.

Anônimo disse...

Se eu vivesse em outro planeta, tivesse acabado de chegar no planeta Terra, aqui no Pará, ao ler essas notícias, iria pensar que o Pará é o melhor estado do universo. Aqui não existe pobreza, miséria, problemas com saúde, educação, infraestrutura, enfim, problema nenhum. Só pode ser isso. A governadora e sua equipe passam dias e noites inventando problemas, porque precisam fazer alguma coisa; têm que justificar os salários que o povo paga para eles.
Nomeiam um secretário para a SEPOF, que aceita o cargo imaginando que irá desenvolver um trabalho com 4 letras e, agora, informam que duas letras vão ser retirada. "Isso já estava decidido antes mesmo da eleição", dizem. Só "esqueceram"de informar o interessado. Antes, algo semelhante já havia ocorrido com a CCS. E por falar em CCS (Criadora de Crises Semnecessidade), o que a respeitável equipe de doutores e mestres, da academia, que está dirigindo esse órgão deveria entender é que as pesquisas e experimentos têm que ser feitas nas instituições apropriadas (institutos, universidades, etc.existem para isso). Vocês não têm o direito de desperdiçar o dinheiro público dessa forma. Se não sabem como fazer, tenham a humildade de pedir orientação a quem sabe. Se vocês, que são da academia não compreendem isso, que tipo de orientadores são?

Anônimo disse...

Em que Estado mora o anônimo das 3:40 PM ?
Ele fala em varrer corrupção. Coitado, vai ter um trabalho danado, afinal nem começou o governo da Ana e todo dia, toda semana, tentam limpar a barra, varrendo pra debaixo dos panos os sinais explícitos de corrupção.
Vejamos a contratação de parentes, cabeleireira, enfermeira e do namorado da gov.
Vejamos o caso Aeroclube.
Vejamos esse post sobre Imprensa Oficial.
Mais: a publicidade criada por agência que não é licitada e que tem na OMG a barriga de aluguel.
Ora, ora! O petista falando de currupção...
Em que país tu vives, o anônimo das 3:40 PM ?

Anônimo disse...

A síntese qualitativa desse debate: o governo se meteu em mais um pântano. Pode reagir de duas formas: atropelar os tempos jurídicos e expor a logomarca em tudo, dando o fato por consumado (o que em caso de derrota judicial poderia virar uma multa arquimilionária); voltar atrás. Até Hummer, aquele veículo de guerra traçado, tem marcha ré. Tá na hora de usá-la. Cancelem o certame (o que pode ser feito a qualquer hora sem que caiba indenização ou reparação a quem quer que seja) e abram outro. E aí, cumpram os ritos. Aceitem o trabalho de todo mundo e, pra se vingar, dêem zero para a logomarca da Vanguarda.

Anônimo disse...

Luluquefala:
Vi a logomarca vencedora e fiquei horrorizado. Mais parecia uma chamada para o carnaval 2008 de tão espalhafatosa e colorida.
Seria perfeita para uma nova marca do Paráfolia.

Anônimo disse...

Ju, coloca aqui a logo vitoriosa. Vamos ver se ela tem mesmo cara de carnaval.

Anônimo disse...

Hoje, o Procurador do Estado recebeu a citação do TJE sobre o recurso da Vanguarda. Conta prazo para a defesa. Como ninguém disse anteriormente, ressalte-se que essa merda ainda vai feder muito. Cara! Por que esse amontoados de mulas da CCS não recua e cancela essa armadilha auto-imposta que foi um concurso de logomarca? No julgamento, teve gente que passou mal diante do baixo nível dos trabalhos apresentados. Então, por que escolher um deles? Foi o preço que contou? Sem o cancelamento da licitação esse governo, que já não tem identidade, ficará sem marca por um longo e tenebroso ano.

Anônimo disse...

Simon diz: Já vi e ficou horrível!!! Parece com bandeirinhas de São João e tem a bandeira do Pará estilizada. Será que essa é só pra ser usada nessa época de São João??? Depois farão outra licitação??? Até rimou rsrsrsrsrs!!!

Anônimo disse...

Ilari lari ê ô ô ô.
É a turma da Ana se preparando pro carná !
Lulu já esperando o seu abadá com a nova logomarca carnavalesca.
Só faltou um aviãozinho colorido para dar mais um ar romântico para a marca.

Anônimo disse...

Ei Lulu, não passe nem perto da governadora, que você corre um sério risco de levar uma bengalada.

Anônimo disse...

Essa atitude da Vanguarda não foi acertada, o mais certo era demitir os funcionários inteligados ao processo e que não perceberam a data errada. Qual outro processo a Vanguarda vai boicotar? A concorrência do Banco da Amazônia? e como será a recepção da agência na entrega do novo processo licitatório do governo? Esse tipo de atitude que não é bom pro mercado, mas como o mercado da Vanguarda é governo de "esquerda" ela não quer ficar atrás, talvez poderá ficar atrás da DoubleM, que já deu como certa a sua contratação e continua a contratar, mesmo sendo pessoas ou a tal Maria Fulana Pessoa,inexperientes (como o governo) por um salário de 1/3 do mercado. Na concorrÊncia da Petrobras a Mccann entrou na justiça pra poder praticipar da fase final, ganhou. A Petrobras não questionou, são 15 agências. Como avaliar o material de uma agência descontente com o processo licitário? E concorrendo com mais 14 agências com a mesma capacidade de idéias? Como a Vanguarda avaliará essa atitude não sei, apenas sei se eu fisesse parte da próxima mesa jugadora do governo, com mais 16 agências - média que entregaram propostas ao Banco da Amazônia e logomarca do Governo - capacitadas, tendo uma proposta da Vanguarda daria 0 (ZERO) não pelo material, pela atitude.

Eu... disse...

Com certeza o que não deve faltar aqui é publicitário derrotado na licitação metendo o pau na logomarca vencedora...

De fato, a da Mendes não é das mais lindas, mas, putz, porque será que foi justo essa a escolhida? Será que ninguém olha o próprio umbigo e se auto-questiona "o que eu apresentei foi melhor?"

Pra mim, essa avacalhação da logomarca vencedora só enfraquece o mercado publicitário paraense...

Faltou criatividade? Talento? Não sei... Mas com certeza, agora, tá sobrando dor de cotovelo e até uma dose de mesquinharia.

Lamentável!

Eu disse...

Ah, e fica aqui outro questionamento:

POR QUE NENHUM SLOGAN FOI ESCOLHIDO???

Mais uma vez: Faltou criatividade? talento? O mercado responda...

Avaliem seus trabalhos, senhores anônimos.

Anônimo disse...

Luluquefala escolhe o slogan para o governo:

"GOVERNO DA MUDANÇA. DO ICUÍ PARA O CRISTALVILLE"

Anônimo disse...

VOCÊS COM COTOVELOS DOLORIDOS SÃO DEMAIS...ESSA LULUQUEFALANEMSEIOQUE DEVE SER DAS MAIORES DESIGNERS DO NOSSO TEMPO...QUERO DEIXAR CLARO QUE NÓS AQUI DA MENDES FIZEMOS O NOSSO TRABALHO E APRESENTAMOS AQUILO QUE PARA NÓS MAIS SE ADEQUAVA À ESSA NOVA VISÃO DE GOVERNO...E ENTRAMOS PRA CONCORRER...SE GANHAMOS E OS INCOMODADOS ENCONTRARAM O QUESITO "LOGO CARNAVALESCA" OU O QUE MAIS QUISEREM FALAR, IMAGINA ENTÃO AS OUTRAS QUE FORAM APRESENTADAS...DEVIAM ESTAR DE UMA BRUTALIDADE SÓ...NÃO SOMOS OS MELHORES E NEM OS PIORES...MAS CONCORRÊNCIA É ISSO MESMO...ALGUÉM TEM QUE LEVAR...E GERALMENTE QUEM LEVA É QUEM TEM A MELHOR PROPOSTA AOS OLHOS DO CLIENTE, NESSE CASO O GOVERNO...TAMBÉM ACHO RIDÍCULA A ATITUDE DA VANGUARDA DE FICAR NESSA DE EMPATAR O FECHAMENTO DO PROCESSO LICITATÓRIO...O QUE HÁ...NÃO SABEM PERDER...ACHAM QUE A LOGO DELES ESTÁ MELHOR OU MAIS ADEQUADA...SEI LÁ...MAS SÓ ACHO QUE OS VANGUARDISTAS CONTINUARÃO COM ESSA CABECINHA DE QUE ELES SEMPRE TEM QUE SEREM OS PTISTAS OU COMUNISTAS DA PUBLICIDADE PARAENSE PRA SEMPRE E CONTINUARÃO A NÃO ACEITAR QUE POSSUEM UMA PUBLICIDADEZINHA DE 5º MUNDO E UMA CARTA DE CLIENTES BEM SIMPLEZINHA...SOU DIRETOR DE ARTE DA MENDES, NÃO FUI EU QUEM FIZ A LOGO, NÃO ACHO ELA A MELHOR COISA DO MUNDO, MAS FOI A QUE GANHOU...ENTÃO, CREIO QUE A JUSTIÇA DEVERIA SER FEITA...ISSO E OUTROS TIPOS DE COISAS EU SÓ COMECEI A VER EM MINHA VIDA PROFISSIONAL DEPOIS QUE CHEGUEI AO PARÁ...ABERRAÇÕES COMO A DA D/M FAZER PUBLICIDADE NÃO LICITADA VIA OMG...FAZER NÃO, TENTAR...PORQUE AQUELA CAMPANHA DO HANGAR, ONDE SE MOSTRA UMA PERSPECTIVA DA OBRA, NUM ÂNGULO DOS PIORES (O TETO) ESTÁ DEMASIADAMENTE AMADORA...COISA DE AGÊNCIA E PROFISSIONAIS QUE NÃO TÊM O MENOR GABARITO PARA CUIDAR DE CONTA E IMAGEM DE GOVERNO...FELICIDADES AO JUVÊNCIO PELO BLOG...MARCELO AMORIM