16.4.08

Inabilidade

Na Folha online.

A governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), afirmou à Folha nesta terça-feira que estranhou a maneira "inábil" com que a mineradora Vale vem tratando uma possível manifestação em Parauapebas (PA), no próximo dia 17, para marcar os 12 anos do massacre de Eldorado do Carajás --quando 19 sem-terra foram mortos em confronto com a Polícia Militar.
"Vínhamos conversando, dialogando. E então eles [a Vale] subiram o tom. Foi como um surto", afirmou Ana Júlia, em relação a uma ação que a empresa moveu para obrigar o Estado a proteger suas propriedades na região, onde cerca de 600 trabalhadores rurais estão acampados, e à nota que a Vale soltou na último dia 11, na qual diz haver "uma invasão anunciada e iminente à Estrada de Ferro Carajás". Segundo essa nota, a possível ação seria "um desrespeito ao Estado de direito e uma ameaça à segurança pública que afeta não apenas o setor produtivo do Pará, mas toda a população do Estado".
Antes, em fevereiro, a mineradora já havia pedido e conseguido, na Justiça Federal, uma ordem judicial que impedia integrantes de movimentos sociais de invadir ou ameaçar o funcionamento da ferrovia.
"A atitude deles é, no mínimo, inábil", afirmou a governadora petista, que disse já ter colocado 500 policiais militares em Parauapebas.
A imagem usada por ela para ilustrar a atitude da Vale durante esse episódio é a de "um elefante dentro de uma loja de cristais", para indicar que um escorregão no tom do discurso em relação aos movimentos sociais pode gerar graves conseqüências.
Em nota publicada na noite de ontem, a mineradora afirmou que ação movida contra o governo paraense 'não tem caráter pessoal para qualquer governante e seu objetivo é exclusivo de obter do Estado aquilo que é, constitucionalmente, sua obrigação: prover segurança pública para todos'. Segundo a nota, o primeiro requerimento ao governo do Pará para que providenciasse 'a manutenção da garantia da ordem pública no local' é de 31 de março.
Como não houve "qualquer resposta ao seu requerimento", a empresa "ingressou com uma ação de obrigação de fazer no dia 7 de abril". Somente depois de receber a notificação é que o governo adotou "medidas para a manutenção da ordem pública e segurança da população", afirmou a nota.


-------

Almoçando com um procurador do estado (PGE) no sábado, 12, o poster dele ouviu a mesma opinião da governadora quanto a ação que a Vale move contra o governo do Pará.

17 comentários:

Anônimo disse...

Luluquefala, de volta:
Com todo respeito, mas esse exemplo de elefante entrando numa loja de cristais, cabe muito bem para a nossa querida governadora, a frente desse (des)governo.
Por favor, hein, nada a ver com a sua silhueta...

Bia disse...

Bom dia, querido:

susto levo eu - na verdade, não tão grande - ao ler que a governadora do Pará esperava "sensibilidade", "generosidade", "solidariedade" ou qualquer coisa que justifique seu "susto". A CVRD - esse é o nome dela: Cia. Vale do Rio Doce, empresa construída com capital público (Fixo e Móvel, Juca?...rsrsrs...) -demonstra sem vacilações que seu interesse é unicamente empresarial, o que é óbvio, agravado pela truculência e desrespeito que a empresa tem pelo Pará, pelos seus representantes e pelo povo.

O que não é óbvio é que a governadora parece querer crer na propaganda da responsabilidade social da CVRD. Ou, o que me parece mais real, é que a arrogância desse grupo que acredita que tomou o Palácio de Inverno tenha levado à ilusão de que "dominavam" o jogo. É possível. Assim como acham que aliança é rendição, devem crer que são supimpas em negociação.

Nada mudou em 30 anos: a CVRD trata o Pará como um acidente geográfico no trajeto das suas minas e da sua ferrovia. Falta o quê pra saber disso?

Falta saber que para reagir a isso com autoridade e responsabilidade não pressupõe pelo menos sustos inexplicáveis.

Beijão, Juca.

Marky disse...

Vale ou não o estado deve defender os direitos de todos.

Mas, neste caso também sou a favor do governo sugar até a última gota no que diz respeito a pagamentos pela exploração mineral da Vale.

Vamos fazer a conta certa pelo uso e impacto da exploração e aí teremos como medir a importância desses pagamentos. Quando o minério acabar o que será deixado para quem viver ali?

Ser colônia da China e EUA é foda. Ainda por cima com um representante deles latindo pra cima do governo.

Abração Juca.

Anônimo disse...

Quanta grosseria, deputado luluqueagride! Elefante em loja de cristal é o deminho, antes pefelê, que nasceu e cresceu mamando nas tetas da ditadura, engordou apoiando todos os governos, elegeu o pior prefeito que Belém jamais teve e agora faz oposição à base do porrete.

Nucleo13 disse...

mais uma vitima de Puty. Ele que tirar Suely Oliveira da Sedurb para colocar lá a sua protegida Ana claudia cardoso, secretária de governo, a area de atuação dela é justamente a de desenvolvimento urbano, e olha que a Ana Claudia ta de olho faz tempo na Sedurb, em contra partida, Puty que criar uma nova secretaria de estado, que se chamaria, secretaria de estado de participação popular ou secretaria de estado de controle social, para substituir o PTP, essa secretaria ficaria sobre o comando da Suely oliveira, ela teria a funçao de aglutinar os movimentos sociais do estado, e articular todas as grandes ações do governo, para que pareça que foi fruto de participação popular.
é so aguardar pra ver...

William Bayerl disse...

Isso me lembra um antigo sucesso do cinema:

"Olha quem está falando"...

Abraços Juca,

Anônimo disse...

Esta Vale nã vale nada, ela ingresou com a ação no 07/04, no dia 09 as ordens de missão da PM e Pc foram expedidas pelo secretário de segurança pública, o Estado só foi notificado no dia 11 de abril. Empresa mentirosa, não valem nada mesmo, querem que Estado faça a segurança privada deles...que absurdo

Anônimo disse...

"Querem que Estado faça a segurança privada deles...que absurdo", ô das 12:33h, absurdo é vc. então defender que cada cidadão (pessoa física ou jurídica) se vire por conta própria, arme-se por conta própria, ou contrate a sua própria milícia (se puder) para se defender dos bandidos. Enquanto isso, o Estado, tão bonzinho, usa os impostos pagos para "dialogar" ou "agir responsavelmente" prá cima da bandidagem. Este, penhoradamente agradecem. Faça-me o favor, não gosto da Vale, mas o Estado se omitir ou criticar quem se defende é o cúmulo!

Anônimo disse...

juve,
que sociedade secreta é essa que estampa nos jornais uma página inteira de baboseiras e se diz interessado em defender a liberdade? de quem? queremos é que nos defendam dos grileiros e guseiros escravocratas e bandidos mais que comprovados. Ninguém assina forum do quê? sindicato de que trabalhadores? Nomes, queremos nomes. O MP não vê nada, não escuta e não fala nada...

Anônimo disse...

Esse é o Brasil.
Empresa privada entra na justiça para proteger seu patrimônio , de ação coordenada e noticiada de invasão rssss.
Governo ataves de decrerto ordena que o sol nasça mais cedo no oeste do Pará ( Santarém ) , e aumenta em uma hora o fuso .
Infelismente não da pra ficar sério , tem que GARGALHAR kkkkkkk

Anônimo disse...

Das 2:16, o dever do Estado é fazer segurança pública, o que a vale quer é que a PM monte guarda em suas instalações. Se é esse o direito que a vale diz que tem vão passar a ter...e aídiante do enorme conflito social que o nosso Estado vive hoje, a PM e PC vão sair das ruas (que já não tem lá este contingente), para ir para dentro das fazendas, das empresas etc.
O próprio estado é vítima desta situação, hoje mesmo teve uma área destinada para obras do PAC invadida. A operação que sercetaria de segurança pública montou foi para levar segurança para região sul do Pará e não para a Vale do Rio Doce, e não é isso que eles querem.

Anônimo disse...

...continuo, a vale deixou de recolher aos cofres estaduais 4 bi, desde a lei candir, certamente o aparato policial seria outro se ela recolhesse estes recursos. Olha se a fale tem direto que a policia faça a segurança privada deles, eu também quero pm e pc protegendo a minha casa 24 horas por dia, em turno ininterrupto de revezamento, que nem a Norsegel faz, que beleza, hein?

Anônimo disse...

A BILIONÁRIA VALE E A MISÉRIA PARAENSE.
A Vale não gera riqueza nem benefício social para o Pará e os paraenses no curto,médio e longo prazos, ainda que esteja a sugar 24horas por dia a riqueza mineral da nossa região. Se alguém defende o contrário, só se for na propaganda onde tudo cabe. A sociedade civil, o cidadão e o governo Estadual precisam demonstrar uma posição mais firme em relação a Vale. Nós não somos quintal. Nossa região é fonte de riqueza que precisa ser traduzida em bem-estar social, econômico, educacional, tecnológico e cultural para nós, e de forma expressiva, a abranger o máximo da população e ser comprovado pelo IBGE que a presença da Vale aumentou na região o índice de desenvolvimento humano(IDH).Chega de colonialismo disfarçado em propaganda que não é capaz de esconder o rastro de miséria e dano ao meio ambiente natural e social que tem se perpetrado por décadas, nutrida pela passividade ou outra coisa, dos governos que se sucederam até a presente data. Não são os sem-terras apenas que de alguma forma expressam a insatisfação com a Vale, toda a população paraense está insatisfeita com a maneira predatória e desumana com que a Vale trata as gerações presentes e futuras da Amazônia. Ela extrai nossas riquezas minerais como se o homem amazônida não existisse.

Anônimo disse...

A AÇÃO MOVIDA CONTRA O GOVERNO DO ESTADO PELA VALE É CONTRA A POPULAÇÃO PARAENSE PRESENTE E FUTURA.

Anônimo disse...

Das 3:16, se a bandidagem vier invadir a minha casa, e ainda anunciar no jornal e na TV que vai fazer isso, eu quero e tenho direito que a PM e a PC venham me defender. Só porque a Vale pode pagar segurança privada, o Estado deve lavar as mãos? Assim incentiva a bandidagem a invadir a sua ou a minha casa ou o negócio e a empresa de todo mundo, sob o argumento que se podemos pagar segurança nós temos que nos virar. A lei vale para proteger o grande e o pequeno. Para defender tanto a Vale ou a padaria da esquina. Ou não??? Se deixamos alguém decidir quem merece ou não a proteção a lei, ficaremos ao sabor das simpatias ou antipatias dos governantes.

Anônimo disse...

Menos pessoal, que a Vale faz de nosso estado mero provedor de matéria-prima, é verdade. Mas por favor, sem paixões... é inadmissível o clima de desordem em que estamos vivendo:
1. Camelos invedem calcadas e se acham no direito de interomper o fluxo ddo pedestres em uma economia informal em que não recolhem os impostos sobre as mercadorias que vendem - isso quando não são contrabando ou pirateadas;
2. Motoboys interditam vias exigindo o recomecimento de sua categoria quando a mesma é proíbida pelo CONTRAN;
3. Os "MS qualquer coisa" se acham no direito de fazer o que bem entendem, invadem hidreétrica, fazendas produtivas, queimam casas, matam animais, interditam rodovias e mais outros delitos, cerceando nossos direitos garantidos pela constituição...
Enquanto isso, nossos governates se mostram reféns de todos esses desmandos... e os organizações de direitos humanos, considera que apenas essas categorias têm direitos... o resto da população - só tem os deveres de pagar seus impostos, se comportar respeitando as leis e as regra do bom conviver é diariamente sendo subjugada por aqueles que resgaram a Constituição de maneira vergonhosa, e nessa ação incluo nossos governantes, uma vez que nada fazem para manter a ordem.

Anônimo disse...

A Vale não passa de um grande parasita que sunga nossas riquezas, Fora Vale!!!!!!