23.4.08

Promoção Imperdível

Por apenas R$ 600,00 urubu pode ver seu time apanhar no próximo domingo. Nas asas da TAM.

26 comentários:

Alailson Muniz disse...

Vamos esperar senhor ministro o seu estrela solitária neste domingo.
Aliás, rola uma fofoca aqui na Pérola de que o senhor já estaria contratado para uma campanha a prefeito daqui. Tomará, estou esperando, há tempos, por aquele bate-papo, regado a cerveja.

Um abraço!

CJK disse...

Cuidado, vocês são os favoritos, estão embalados, mas desde 1962 o Botafogo não consegue mais "gastar na véspera do jogo o bicho da partida, quando enfrenta o Flamengo".
A frase é do imortal Garrincha.

Janjão disse...

Juvêncio, converso contigo na segunda depois da "peia" do teu foguinho, depois não me venhas com chororo rsrsrsr
Abs

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado, flamengistas queridos, pelo atendimento ao chamado do post...rs
Cjk nem precisa voltar para Nova Déli no próximo final de semana.
E no outro domingo, no derradeiro encontro, se rolar um convite para um chopinho na praia, eu vou!
Nas asas da TAM.
Abs Alaílson, Janjão e Cjk.

Anônimo disse...

Cjk , correção de um botafoguense (suprimo o doente porque seria redundância)
A frase sobre gastar o bicho de vespera era do Manga que obviamente era subscrita pelos imortais de plantão Garrincha , Nilton etc.Manga carteador inveterado e jogava o bicho nas cartas e nos matava de medo pois havia sempre o risco dele estar "comprado" pra pagar dívidas de jogo.Há episódios memoráveis com tiros inclusive na sede de General Severiano por conta dessas aprontadas do grande Manga.O livro João sem medo retrata bem essas histórias.
Abraços
Tadeu.
Favorito é o mengo , tem melhor time e está descansado e completo

Lafayette disse...

Juca, por muito menos, assistirei a peia do Mengão no Botinha.

"Tu és, time de tradição..."

É de arrepiar:

http://www.youtube.com/watch?v=dLsCUh9QsFI&feature=related

CJK disse...

Tadeu, o Sandro Moreira é que conta esta sua versão, que reconheço, deve ser a correta.
Na final de 1962 o Garrincha fez dois gols e deu um baile na defesa rubro-negra (ainda não era urubu, tá bem, Juvêncio). O trauma ainda persiste imortal no DNA das novas gerações urubulinas. O consolo, que aliás muito nos honra, é que esta foi a última grande atuação do Garrincha com a camisa alvi-negra. Ninguém poderia prever, mas por problemas diversos ele nunca mais voltou a jogar no Botafogo com o antigo brilho.
Em 64 o pó-de-arroz foi campeão, em 65 o Flamengo ganhou, e em 66 o Bangu venceu o Mengão numa final célebre. Até hoje os rubro-negros juram que o goleiro Claudomiro foi "comprado" pelos Irmãos Silveira. Coitado, este goleiro se queimou e nunca mais jogou em outro clube de expressão. Lembro bem deste jogo, havíamos acabado de nos mudar para o Rio, fiquei muito chateado.
Égua, estou ficando velho...
Juvêncio, domingo é véspera de segunda...

CJK disse...

No meu comentário anterior pulei o campeonato de 1963: Flamengo campeão, jogo final 0x0 contra o Vasco, mais de 180.000 pessoas no Maracanã.

Juvencio de Arruda disse...

Cjk, vc está impossível...rs
Se vc me "arrumar" um armador de rede naquele apartamento curiosamente localizado no limiar entre Botafogo e Flamengo, eu vou ver o jogo com vc.
Na cadeira, de preferência...rs
Abs

CJK disse...

Juvênci, a tenda árabe localizada na tríplice fronteira entre Botafogo, Flamengo e Laranjeiras está as ordens, é só me avisar.
Estou ainda me organizando, vai depender de uns "conformes" para eu poder assistir o segundo jogo.

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado, Cjk. É muito bom ter amigos como vc. Mas se vc for assistir o segundo jogo, iremos juntos.
Ficamos em contato.
Abs

Anônimo disse...

Podemos até combinar de ir juntos e comer no Lamas depois pois estarei no Rio já que "Mama cumple 80 anos" dia 02.Tinha 7 anos e ouví em 62 ; em São Lourenço MG onde nascí ; ao lado do meu pai , cearense , ex-atleta fundista do glorioso ; encantado com aquela que segundo os amantes , os críticos talvez tenha sido a maior exibição individual de um solista na arte do violento esporte bretão.Ali se formou um alvinegro de todos os costados capaz até de sobreviver orgulhosos a estiagem cremilsoniana que nos abateu nos 70-80.
Abraços
Tadeu

Juvencio de Arruda disse...

Grande Tadeu, salvo engano o Lamas fechou.
Comi muito aquele filé alto da casa, sempre cheia na madrugada.Conheci os dois lugares onde ele funcionou.
Mas olha...cada dia fica mais forte a possibilidade do nosso encontro por lá.
Abs

CJK disse...

Juvêncio, o Lamas continua aberto na Marquês de Abrantes, um pouco descaracterizado, tem até delivery. Não quero entregar mais ainda a minha idade, mas conheci também o antigo, no Largo do Machado, com as mesas de sinuca no salão ao fundo.

Juvencio de Arruda disse...

Que boa notícia! Mas não se preocupe com a idade, Cjk. Diga que vc começou cedo na, digamos, gastronomia...rs

Anônimo disse...

Isso continua o da Marquies de Abrantes . E foi do file alto que me lembrei senão comemos um bolinho de bacalhau na tasca do lgo do machado ; imperdível.
Devo ser o garotinho da turma tenho só 53 rsrsrsrs
Tadeu.

Juvencio de Arruda disse...

Negativo, Tadeu. Eu tenho 52 e o Cjk mal passou dos 40. É o caçula.
Realmente aquele bacalhau do Largo do Machado é o seguinte. Haviam dois: um na galeria, onde também pontificava um quibe famoso, e o do outro lado da praça.
Aliás, no Rio come-se o melhor bacalhau do Brasil.
Come-se urubus também...rs

Anônimo disse...

O bom mesmo é da Tasca que é o do outro lado que vc fala onde tomei muito porre de vinho de garrafão perdendo irrediavelmente o 206 buzum que nos levava pra Sta Tereza aí não tinha remédio me juntava com Gondim ( o jose Carlos ) que fechava o "Cadernos Terceiro Mundo " na Glória e bebados rachávamos um taxi com outros dois "bebuns sem relógio" e acabávamos na birosquinha do portuga em frente o castelinho aquele predio art-noveau na Almte Alexandrino que é um charme só.
Abs
Tadeu , o vovô da turma.

Juvencio de Arruda disse...

Porra Tadeu, não é possível...rs
Passei a frequentar a Tasca exatamente para esperar o 206, que parava em frente a Igreja.
Tem mais: descia exatamente em frente ao castelinho que vc se refere, e tomava a última no clipper ao lado, na parada do Largo do Curvêlo.
Ficava em frente a rua em que eu morava, a Dias de Barros. Morava no 42, bem na frente do pédio em que morava o Amir Haddad.
A rua serpenteava, fazia um U bem fechado e terminava no Museu da Chácara do Céu.
É isso vovô?
Abs

Anônimo disse...

O comentário de segunda com certeza não será este.
Abraços.
Joatan

CJK disse...

Muito obrigado pelo "o cjk mal passou dos quarenta", rsrsrs, já tenho mais um tantinho que isso...
Tadeu, quer dizer que vc. trabalhou com o Neiva Moreira? Distribui muita edição dos Cadernos do 3° Mundo, em outros tempos. O Salame, o deputado batriça, sabe de algumas destas histórias.

Anônimo disse...

Não trabalhei com o Neiva , não. Morei um tempo com o Gonda ,um ano na Equitativa um condominio lindo e maluco que ficava no ponto final do 206 o Gonda é que era o editor da revista.Conhecí o Neiva Moreira de reunião do PDT assim de longe , de escutar.A Publicação era forte e uma cunha na midioticracia que nos assolava e que mais que nunca nos assola.Costumo dizer o mundo caga e anda pra Africa e o grande sonho dos "urubús" brancos europeus e americanos é que um dia o mundo acorde e os negrinhos tenham se matado ou tenham morrido todos de fome lá e então se possa possa ir lá arrancar a riqueza mineral sem a "negrada" para encher o saco.
Acertou tudo Juva , eu que errei o numero do buzum , o 206 saía do Terminal Meneses Cortes e subia Curvelo Almte Alexandrino etc , o que saia do Lgo machado era quatrocentos e alguma coisa mas tá tudo certo.Em que época vc morou no Rio??
Abraços
Tadeu

Juvencio de Arruda disse...

Era o Cosme Velho-Sta Teresa?
Morei por lá entre janeiro de 84 a março de 86.
Abs

Anônimo disse...

juvencio, por conta de viagem a trabalho não acessava o blog a dias, mas esse teu sapato alto vai te causar problemas, mengo é time de chegada
jc

Juvencio de Arruda disse...

Jc, o que vc andava fazendo nessa viagem de trabalho, hein?
Mas vc está convidado para ir ao Rio.
Na partida final.

Anônimo disse...

j.a., fui em maceió, a trabalho, mas aproveitei e passei no piauí pra ver o menguinho de lá - rapaz, o pessoal tá tinindo, imagine o MENGÃO. Tu pagas o R$ 600 paus pro Rio, já que és freguês em jogo de decisão...
jc