20.10.08

Salame Intacto

O governo do Pará está demitindo os assessores dos deputados do G-10 a conta gotas. Tem parlamentares, como a tucana Ana Cunha, onde o rapa pegou geral.
Outros, como o pepessista João Salame, ainda não tiveram sua assessoria, digamos, cortada em rodelas.

11 comentários:

Anônimo disse...

A faca está sendo amolada.

Juvencio de Arruda disse...

Oh!

João Salame disse...

Meu caro Juca

De volta à ribalta após um pleito desgastante, mas de resultados animadores. Gostei do cortada em rodelas. Só retificando a informação. As pessoas que foram contratadas a partir de minha indicação foram demitidas. E se não tivessem eu pediria. Foram indicados a mim por dois vereadores do PMDB e por dois suplentes de vereadores do PP, que fizeram a campanha da Ana Júlia. Me pediram e encaminhei as reivindicações, que foram atendidas.
É bom que isso esteja acontecendo. Fica claro que não tinha nada de excepcional no atendimento aos pleitos do G 10. Não demitiram nenhum ocupante de cargo, porque não temos nenhum cargo. A situação de nossas emendas parlamentares é a mesma dos demais deputados, que foram atendidos em parte.
Nunca colocamos a "faca no pescoço" do governo. É um grupo de auto-proteção, que ajudou a construir uma boa amizade entre seus membros, a nos fortalecer dentro da Assembléia. Sempre dissemos que ajudaríamos o governo toda vez que isso fosse importante para o Estado. E o fizemos. E nos resguardaríamos o direito de criticar, sugerir e até mesmo votar contra quando fosse o caso. E o fizemos.
Foi de um membro do G 10 (minha) a iniciativa de levar o debate sobre o TCM para o Plenário; sobre a crise do setor florestal; sobre segurança pública; sobre saúde pública; sobre a ampliação da licença-maternidade; sobre a ampliação dos benefícios para os trabalhadores da recém-criada Secom e outros temas delicados para o governo, mas importantes para a sociedade. Nos resguardamos o direito de indicar um candidato ao TCM (Cesar Colares) por entendermos que esta era uma vaga da Assembléia Legislatica e não do governo. Um direito dos deputados e não do Executivo definir quem a ocuparia. Nada contra o Luiz Cunha, a quem prezo muito. Mas já que tínhamos um candidato do grupo tínhamos que nos unir para elegê-lo. Uma postura independente, como nos propunhamos.
Se essas exonerações são uma reação à escolha do Cesar é uma pena, até porque ele sempre se revelou um bom e competente parceiro, inclusive do governo. Revela amadorismo e mesquinharia. Ao invés de humildade para reconhecer os erros que levaram à derrota do Luiz, mais arrogância. Uma leitura às avessas de O Príncipe. O poder, diz uma das raposas da Alepa, é para afagar, não o contrário.
Um deputado da base aliada diz na Assembléia que o governo está cometendo um grande erro: fazer com que a grande maioria dos deputados cheguem à conclusão que não precisam dele. Não sei se chegamos a este ponto, mas a desilusão é grande, inclusive nos partidos da chamada base aliada. Já há quem fale dentro do próprio PT em exigir prévias para decidir quem será o candidato a governador em 2010, questionando assim a legitimidade da recandidatura natural de nossa governadora.
Vamos continuar unidos. Essas exonerações são insignificantes. Diria um cabloco da beira do Tocantins: "um p. n' água".
Estaremos unidos na votação da LDO, da LOA, da Mesa Diretora da Alepa, da vaga do TCE e em todos os outros projetos importantes.
O resto é folcore e preconceito dos que enxergam defeito em todo mundo que não os agrada, mas "inventam" mil e uma teorias e escapismos para disfarçar suas incoerências.
O mundo da política é assim. Cheio de contradições. Eu assumo as minhas com uma certa angústia, mas sem problemas de consciência. Procurando caminhar sobre o fio tênue do que considero coerente.
Forte Abraço

João Salame

Juvencio de Arruda disse...

Olá, deputado, há quanto tempo!
E o G volta à ribalta novamente, depois da temporada eleitoral e na esteira da derrota do deputado Luís Cunha para o TCM.
Recebi a informação que os cortes de assessores estariam sendo feitos de maneira não linear, a modo de tentar dividir o G, segundo minha fonte.
Mas sáudo seu retorno, trazendo a velha e boa polêmica.
Ribalta e chamada, claro.
Forte abraço

Anônimo disse...

Caro Juvêncio,

O Pensamento do colega e amigo João Salame,exteriorizado ao norte, reflete, em síntese, a opinião do G-10.Não estamos na Assembléia para ser capacho de ninguém.Nossa visão Política impede que a subserviência pretendida por chefe ou chefetes seja a nódoa que manchará nossa passagem no Legislativo Estadual.Devo dizer, de mais a mais, que equivoca-se aquele que trama contra a unidade do G-10. A nossa frente é sólida e unida e continua, como já visto e provado, sendo o equilibrio de forças na ALEPA.
Um forte abraço

Deputado ADAMOR AIRES
Líder do PR

Juvencio de Arruda disse...

Olá, deputado Adamor, também retornando ao blog depois de longa ausência.
Não tenho conhecimento das diferenças entre o G e o governo, que são anteriores à eleição de Colares ao TCM mas, ao que parece, foram por ela agravados novamente.
O discurso do G todo mundo conhece, está nos blogs e jornais, mercê da presença do deputado Salame, do senhor e do deputado Hage, salvo engano os mais próximos da mídia.
Mas o governo não se pronuncia sobre o G. Que coisa!
Um forte abraço, deputado.

JCF disse...

É provável, caro Juca, que ainda não tenham encontrado o "ponto".
E isso demonstra que a arte e a prática estão distantes do Palácio.

Juvencio de Arruda disse...

Jubalino, camarada, apareça pra contar sobre a "tromba d'água" que inundou Jacaré...eheh
Mas apareça logo, enquanto o Vasco ainda está na série A.
Abs

Anônimo disse...

Sobre o que o dep. Salame disse, que há correntes no PT que querem lançar um nome alternativo ao da governadora para 2010, nas prévias, devem ser as mesmas pessoas que empurraram a candidatura do ar-Mário Cardoso, que tirou um terceiro lugar só porque a governadora carregava ele nas costas. Se o PT quiser perder mais uma eleição, coloque um outro candidato e não Ana Julia, que tenha a mesma densidade eleitoral de torcida da Tuna e o carisma de seminarista virgem, como vimos no último resultado das prévias do PT com M. Cardoso. Ana Julia é o nosso Lula de saia! Quando o PT faz prévias nunca dá certo. Já pensou se fosse o Suplicy e não o Lula, em 2002?! Espere sentado deputado! E vá amolando a faca para enfiar no pescoço do governo, que é o que o G10 mais sabe fazer

Anônimo disse...

O deputado tá certo. Pergunte pro Paulo Rocha e pro Miriquinho, que estão defendendo as prévias. Aliás, se continuar assim ninguém vai querer segurar na mão da Ana Júlia "tragédia" Carepa.

Anônimo disse...

Esse negócio de prévias no PT é choro de insatisfeitos. É bem provável que isso esteja sendo comentado por Paulo Rocha e companhia. Mas na hora da onça beber água vão ver que o melhor é a candidatura de Ana Júlia. É natural que a oposição (G-10 incluso) alimente essa querela. Faz parte do jogo político.