2.4.08

Caso UEPA Repercute no Interior

A edição do DOE de amanhã deverá trazer a nomeação do reitor(a) e do vice reitor(a) pro tempores da UEPA. Digo deve, porque até o momento em que este post foi escrito a Secom, contatada pelo blog, não havia recebido oficialmente nenhuma informação.
Seja como for, o caso segue mais complicado ainda depois que o Consum resolveu encarar a governadora.
Ela sentiu ontem, em Marabá, mais uma vez, o tamanho do problema que seus grabens lhe colocaram no colo ao receber uma sonora vaia de manifestantes locais pro-Silvio, o candidato que ganhou a eleição, mas pode não levar.
A vaia alterou levemente a programação da governadora, que saiu rapidamente da linha de tiro, delegando ao secretário de Integração Regional, André Farias, a missão de receber alguns prefeitos da região sudeste.
André adorou. Sonha, de acordo com uma fonte palaciana do blog, em ser candidato a deputado federal em 2010.
Méritos tem. Votos, sabe-se lá...

-----

Atualizada às 20:15.

Ao tempo em que o poster escrevia esta nota, a Agência Pará publicou despacho, às 19:29, dando conta do encaminhamento, pelo Consun da UEPA à governadora, da indicação dos professores Ana Kelly ( reitora) e Napoleão Braum ( vice ), que os blogs já haviam adiantado no início da tarde.
O despacho não garante que a governadora acatará as indicações do Consun, mas Napoleão é assim assim com Mr. Johnson, o chefe da Casa Civil.

8 comentários:

Anônimo disse...

que é isso, ela não aguentou as vaias, é mal de todo petista?
eta marabá terra bendita!!
aposto que ela não volta mais aqui
carajaense roxo

Renato disse...

Em tempo, vale recordar que Ana Kelly apesar de ter sido Diretora de Pesquisa da PROPESP de Sylvio, apoiou abertamente a candidata Ana Claudia.

Anônimo disse...

É mais uma vez o interior fazendo a diferença na universidade. A manifestação de ontem em Marabá só demonstra o descontentamento institucional. A partir das próximas eleições, os candidatos com certeza se preocuparão mais com o interior pois, embora sejamos considerados desconhecedores da realidade institucional e até mesmo de seu regimento (como dizem alguns), estamos fazendo a diferença mais uma vez! Lembramos nas eleições que foi o interior que reverteu o quadro da capital onde Bira vencia e Sílvio era o segundo.
Já foi tempo em que os candidatos vinham fazer lobby cheios de promessas. Já estamos ressabiados! Abram o olho, pois nós, estamos organizados e ficamos espertos rapidinhos!
Acadêmico e Membro de Diretório Acadêmico no Interior

Anônimo disse...

É isto aí, foi a candidata que foi escolhida pelos dos dois grupos do Silvio e da Ana Cláudia, que se uniram no consun para dar mais este golpe na instituição. tudo foi previamente acertado entre os dois grupos que concorreram na eleição em chapas diferentes, mas na verdade pertencem ao mesmo grupo político que manteve o apoio a atula gestão em seus dois mandatos. Juntos estes grupos tem maioria no Consun, e votam o ue quiserem, inclusive uma proposição que fere o próprio regimento da instituição, uma vez que não cabe ao consun realizar uma eleição indireta para reitor e vice-reitor no próprio conselho, tendo como candidatos os próprios conselheiros. Isto fere o Regimento no seu tópico de autonomia administrativa que diz que eleições para reitor e vice-reitor devem ser diretas e não indiretas como foi realizada através desta armação. Tal ato também foi totalmente ilegal pelo fato de que o Regimento do consun diz em seu artigo 25, que em Reuniões extraordinárias como esta realizada, exigirse-á, na aprovação da matéria, a votação favorável da maioria absoluta de seus membros. A votação inicial de que esta eleição deveria ou não acontecer,inicialmente empatou em 11 a 11, e depois que todos votaram foi desempatado pelo voto "minerva" da presidente do consun no momento da reunião. Isto também é totalmente ilegal uma vez que não é previsto no regimento da uepa, a prerrogativa do presidente do consun votar após todos os conselheiros e desempatar uma votação. Os "eleitos" no consun são professores que não tem mérito como conselheiros. Ana Kelly acabou de assumir o seu mandato neste conselho, sendo esta a segunda reunião que participa e Napoleão Braun é um dos conselheiros mais faltosos, aparecendo praticamente apenas em reuniões extraordinárias para votar coisas de seu próprio interesse. Assistimos mais uma vez um "circo de horrores" no consun, onde os conselheiros esqueceram de sua grandiosa função de legislar sobre as políticas universitárias visando o bem de toda a instituição e resolveram votar em si próprios, em função de interesses escusos e promessas de cargo de quem está no poder. É necessário um ato governamental que se quebre este ciclo de autoritarismo e desmandos em nossa universidade.

Anônimo disse...

O comentarista das 12:45 deve ser um "democrático" adepto da chapa do professor Bira, daqueles que só aceitam o autoritarismo da governadora. Pela aética desqualificação dos professores indicados pelo Consun, nota-se o "interesse apenas nos destinos da UEPA". A briga entre grupos na instituição e a sede pelo poder das diversas facções deixa bem claro que o que menos conta é a autonomia e o destino da universidade estadual.

Anônimo disse...

Juvencio, quais os méritos de André Farias, até agora a SEIR, da qual é titular não disse a que veio.
O que ele sabe fazer muito bem é colar na Governadora. Encaminhamento das políticas públicas não vejo nada, ao contrário, acho ele moroso demais para dar conta da integração regional.

Juvencio de Arruda disse...

Renato,obrigado por seu comentário, pela visita e pelo seu excelente blog.
Agradeço também pelo link.
Um abs.

Juvencio de Arruda disse...

Com sua licença, e à falta de maiores informações de minha parte, relembro que André acaba de defender sua tese de doutorado perante uma respeitável banca no NAEA/UFPA.
Se ele não lhe agrada na função, como não agrada a mim, é uma outra história.
E a História está cheia de casos onde cidadãos obtém melhores performances no Legislativo do que no Executivo