26.4.07

Gang Organizada

Vamos combinar: a Terror Bicolor e a Remoçada, as ditas torcidas organizadas do futebol paroara, na realidade são duas gangs que reúnem perigosos marginais que já deveriam ter sido investigados e recolhidos à cana.
O assassinato do menino Felipe no domingo,22, não pode ficar impune.

5 comentários:

Fernando disse...

Ainda bem que "o deputado" aposentou-se. Um escárnio saber que o pau come fora do estádio, mesmo assim, "fazer o T", reverenciando aos marginais. Pelo menos nos gramados (pelo menos), não o fará mais. Outra tristeza é a institucionalização da selvageria: que história é essa de privatizar as vias públicas às gangs em dia de jogo? Terror por uma rua, Remoçada por outra... Enfim...
Abraço!!

hiroshi disse...

Juvencio, desgraçadamente pra mim é incompreensível como as autoridades (ó palavrinha que dói!) não enjaulam esses bandidos. Todos sabemos que a polícia conhece rostos, nomes e endereços dos fascínoras, brutamontes de vez em quando reverenciados em reuniões de dirigentes de clubes para discutir a violência nos estádios". E o Ministério Público também não poderia se coçar um pouquinho pedindo o indiciamento desses criminosos das arquibancadas?
Depois ficam aí pousando de guardiões dos direitos humanos quando uns doidos começam a fazer justiça com as próprias mãos- como vem ocorrendo aqui em Marabá.
Mê irmaozin, isso me dá uma revolta do cacete, do cacete, meu!

francisco rocha junior disse...

Tem razão o Fernando. E não é só o Robson, não. Todo e qualquer jogador que faz gol, hoje em dia, corre pra torcida organizada e faz o símbolo dos marginais. Um péssimo exemplo, com toda certeza.
Mas também, quem, do cartola ao jogador, ou ao treinador, dá bom exemplo no futebol, hoje em dia? Só mesmo o Bebeto de Freitas.

Luciane Fiuza de Mello disse...

Ju, espero que não caia no esquecimento. Se já não gostava de futebol, agora então...
Bjs!!!
Lu.

Anônimo disse...

Mas como Juvêncio?! Essa mesma gangue, em especial seus marginais dirigentes, orquestram uma considerável base eleitoreira e alienada, a serviço dos cartolas e até de jogadores "parlamentares". Não é a toa que na hora da comemoração do gol eles correm justamente à elas para comemorar. Não é a toa que a terror tem (ou tinha) sua sede no estádio do Paysandu. Não é a toa que eles têm lugar cativo no Mangueirão (olha que o presidente da FPF é um coronel PM da reserva. Por isso que, atualmente, o futebol paraense é uma vergonha nacional!Alô SEGUP! Alô MP! Alô Imprensa!