4.4.08

OAB Protesta na Posse

A presidente da OAB-PA, Ângela Salles, não se esquivou de criticar a decisão do TJ paroara no caso da adolescente de Abaetetuba, para desagrado de alguns desembargadores, na solenidade de pose do novo desembargador Leonan Cruz Jr, que preferiu declarar sua emoção com a posse.
O desembargador Leonardo Tavares deu as costas para a representante da OAB.
Por pouco alguns desembargadores não se retiraram do recinto, de acordo com a cobertura de O Liberal, edição de hoje, insatisfeitos com as palavras da presidente da OAB.

-----

Parabéns, Ângela.

-----

O Corregedor Nacional de Justiça, ministro Cesar Asfor Rocha, vai apresentar recurso da decisão do TJ ao CNJ.
Venha, CNJ, venha !

33 comentários:

Anônimo disse...

juva, o momento da manifestação da ilustre represnetante da Ordem foi equivocado, era a cerimônia de posse de um Membro do Tribunal, não cabia em tal ato, tal manifestação. Causou um grande desconforto, a manifestação e posterior pedido de desculpas do próprio empossado. Digo-lhe isso por estar presente a cerimônia e presenciar o clima pesado que levou a exasperação de alguns membros presentes.

Anônimo disse...

Como advogada presente à Sessão de Posse do novo desembargador, devo confessar que fiquei envergonhada com o pronunciamento fora de prumo da presidente da OAB-PA. Testemunhei que os(as) colegas advogados(as)presentes também compartilharam o mesmo sentimento constrangedor. Lamentável. Muito lamentável.

Anônimo disse...

A imprensa diária e os blogueiros estão se desacostomando com as ruas. Estão burocratas em demasia. Domingo passado (30 de Março), cerca de 23h, a casa da ex-secretária de segurança pública, Vera tavares, na Cidade Velha, foi invadida por quatro homens armados com revólveres, escopetas, fuzis e até os dentes. Agrediram o marido da ex-secretária a coronhadas e 'limparam' a casa. Além do roubo, desconfia-se de outras motivações. Quase uma semana depois, vais dar 'furo' com a informação. Antes tarde do que nunca.

Anônimo disse...

Caríssimo,
A respeito de tema, intimamente, ligado a este post, tenho tentado elaborar uma reflexão mais sistemática e menos passional sobre o quinto Constitucional, depois de ter participado, como candidato, no recente processo de seleção para desembargador do TJ-PA. Minhas primeiras impressões estão no blog: blog.direitosfundamentais.adv.br
Seria uma honra e um prazer receber você e seus leitores.
Em tempo: a Ângela mandou bem. Essa era a obrigação dela. É preciso reconhecer que a Presidente do TJ também cumpriu o dever, não achas?
Um grande abraço,
Paulinho Klautau
PS: como faço pra falar (e não digitar)com vc? Tenho um convite festeiro procê.
Meu e-mail: klautau@uol.com.br
Paulo Klautau Filho

Prof. Alan disse...

Valeu. Dra. Ângela! Senta o dedo nesses corporativos mesmo! A senhora tem o apoio de todos os advogados e da população em geral!

Bom, pelo menos de quem tem vergonha na cara...

Juvencio de Arruda disse...

Das 11:24, deixo o furo pra vc.Obrigado.

Juvencio de Arruda disse...

Paulinho, carísimo, muito obrigado por sua atençao ao blog e seus leitores.Vou lá e trazer um link para o Quinta.
Mando meus contatos para o seu mail, e antecipo que aceito o convite. Faz tempo que não nos encontramos!
Grande abs.

Juvencio de Arruda disse...

Das 10:18 e das 10:47, com todo o respeito, não acho que existam lugares e lugares para se clamar por Justiça.
Imagine o clima de expasperação e vergonha que tomou conta da sociedade com a decisão equivocada do TJ.
É lamentável qie o novo desembargador tenha se desulpado pela manifestação de seus representdos. Começa mal.
Que os incomodados aguentem.
Como nos aguentamos os incomodos.

Anônimo disse...

Lamentável, muito lamentável a postura submissa dos anônimos das 10:18 e 10:47. Parabéns, Ângela, meus pêsames, novo e enquadrado desembargador.

Anônimo disse...

Parabéns pra Angela. E para o Quinta, atento e também corajoso.
Fonte de responsa.

Anônimo disse...

A Angela Sales foi oportuníssima. Como lider da classe dos advogados o melhor momento era aquele para manifestar o descontentamento pela vergonhosa decisão do TJE/Pará.É bom lembrar que aquele evento é um ato público, não é uma cerimônia privada. A festa particular deve ficar por conta do novo desembargador, ai sim os seus convidados devem ter outro comportamento. Parabéns Angela.

Anônimo disse...

O papel da OAB tem de ser este mesmo! O TJE está descolado da sociedade e do sentimento popular. Encastelou-se em seu corporativismo e em suas mordomias e privilégios. Está cego para a realidade. Que estória é essa de "momento inoportuno" para a crítica? só porque posse de um desembargador (como se fosse um semi-deus)? Toda cerimônia é pública e deve ser assim considerada. Fez bem a presidente da OAB em se pronunciar, tendo em vista os interesses maiores da sociedade É isso que falta ao TJE: compromisso com os interesses da sociedade, e não os seus próprios, corporativos, entrópicos, ou das elites que protegem e governantes ou políticos que os conduziram ao cargo. Nosso togados não representam a república, mas o império! Pau neles, sim, que merecem!

Anônimo disse...

Não concordo com a afirmação de que o pronunciamento da Angela Sales tenha causado desconforto na solenidade de posse do novel desembargador. Na verdade os desembargadores é que provocaram com a sua triste decisão um enorme desconforto aos operadores de direito e aos cidadãos de vergonha deste Estado.E Ponha vergonha nisso!

Anônimo disse...

Juca,
Não poderia deixar de registrar que concordo com o Paulo Klautau, com o prof Alan e alguns anônimos quando dizem que parabenizam a Ângela por ter externado o repúdio da categoria.
Não imagino a Ordem submissa num momento tão delicado como esse. Era a hora dela honrar, mais uma vez, a história da Ordem que nos momentos mais difíceis do País, abraçou a luta pela cidadania. E ela o fez na casa do povo, pois diferente do que pensam alguns desembargadores, aquela casa não é somente deles, mas de toda a sociedade, que aliás, é quem paga a conta.
Estou orgulhosa da presidente Ângela, estou orgulhosa da OAB.

Anônimo disse...

Gostaria de saber se a anônima das 10:47 tb ficou com vergonha com o fato de uma adolescente ter sido estuprada e torturada numa delegacia; se tb ficou com vergonha qdo uma juíza manteve o flagrante dessa menina sem identificação e sabendo q não havia celas masculinas; se tb ficou com vergonha qdo a juíza, em rede nacional, disse que a culpa era do Estado, qdo todos sabemos que o Judiciário é o Estado Juiz e ela estava representando esse Estado; se tb ficou com vergonha quando o Pará foi notícia pela omissão de todos os responsáveis no caso da grave violação dos direitos humanos de uma adolescente; se tb ficou com vergonha qdo o TJE disse que não vai investigar uma magistrada, mesmo o Corregedor tendo apurado a falsificação de documentos, coação aos servidores para alterarem o sistema e assim livrar sua cara???
Qual é a vergonha maior, NOBRE advogada? A senhora devia, com todo o respeito, era engrossar o coro das pessoas de bem que estão apoiando a nova OAB, mais cidadã, mais perto do povo e dos advogados que trabalham em prol da dignidade da categoria.
Eu, da minha parte, fiquei muito envergonhado foi do novo desembargador, que lástima!
Que bom termos,atualmente, várias mulheres de fibra dentro da Ordem E QUE SE ENVERGONHAM NO MOMENTO CERTO.

Anônimo disse...

"Nem parece" que o conteúdo do discurso proferido pela presidente da OAB Pará, na sessão de posse do novo desembargador, foi feito por quem de fato manda na OAB:Ophir Jr.

Anônimo disse...

É por fatos lamentáveis protoganizados pela pte da OA B-P A como o ocorrido no posse do novo desembargador que DUDA KLAUTAU faz falta à OAB. Meu voto para presidente da OAB é DUDA.

Anônimo disse...

Inadequado. Falta de educação! Só aplaudido por advogados passionais tão corporativos quanto os que acusam.Pelo protocolo este foi momento de festa para o recém chegado. Gesto deselegante, feito para agradar ao eleitorado da OAB. Seria o mesmo que ser convidado para um aniversário chegar lá e desacatar o anfitrião. Isso dá um tédio...advogados de elite que só conhecem a vida de seus escritórios na capital. Não sabem a realidade de administrar com verbas limitadas o vasto território paraense esperando que o Executivo e o Legislativo façam suas partes. Jamais passariam anos a fio trabalhando nos distantes municípios do Estado.

Val-André Mutran disse...

Aos emburrados desembargadores que corporativistas apenas uma sentença: os incomodados que se aposentem.

Senhores, estamos no século XXI e a decisão de Vossas Senhorias é uma vergonha para o bravo povo do Pará.

Queria mesmo, como cidadão, estar vivo para ver a aplicação de uma Lei, a ser apresentada, para acabar com essa porcaria de vitaliciedade na magistratura. Outra vergonha brasileira.

Quem sabe um dia ainda não verei?

Val-André Mutran disse...

O das 10:18 ainda defende!

Pode Ronaldinho?

Anônimo disse...

Pior que dar as costas para a Ângela é dar as costas para a sociedade. Valeu, Ângela !!! Você falou na hora certa e no lugar certo.

Angela Sales disse...

Juvencio, estou perplexa com a celeuma que meu discurso causou. Naquelas circunstâncias - na véspera, a sessão do pleno que arquivou a representação contra a juíza; dia seguinte a sessão de posse de aum advogado pela vaga do quinto - haveria outro discurso possível? Para ser presidente da OAB não precisa ter coragem; só não pode é ser covarde! Forte abraço. Angela Sales

Juvencio de Arruda disse...

É, Ângela. O registro tinha que ser feito. A celeuma talvez tenha a ver com a falta de costume.
Parabéns de novo, obrigado pela honrosa visita, e um forte abraço pra vc também.

Angela Sales disse...

Juva, esqueci de uma coisa: para o anônimo das 10:16PM, quero dizer que está para nascer quem me bote canga - não estou falando de saída de praia,compreende?
Angela Sales

Juvencio de Arruda disse...

rsrs...sei disso, Ângela.
Essa é uma das razões pelas quais lhe admiro.

Ronaldo Barata disse...

Caro Juvêncio:
Virar as costas, ficar amuado é coisa de criança tola. So faltou bater os pés. Indelicada foi a postura do dezembargador (EM LETRAS MINÚSCULAS)que entorpecido pelo corporativismo mandou seus escrúpulos às favas e esqueceu que sua missão é a de aplicar a Justiça. Me entristeceu, sobre modo, o discurso piegas e emotivo do novo membro do Poder Judiciário, perdendo a mais extraordinária oportunidade de dizer que lá chegou na qualidade de advogado e que não compactua com posturas covardes. Por tais motivos, louve-se o pronunciamento da Angela. Ela resgatou a imagem da OAB de Raimundo Faoro,que foi a que me norteou pelos oitos anos em que fui Conselheiro da OAB-Pará.
Abraços do Ronaldo Barata

Juvencio de Arruda disse...

Olá Ronaldo, caríssimo.

A atitude do dembargador foi descortês - ao gênero, à pessoa da Ângela, e à OAB - e denotativa de quem tem problemas com a crítica.
Mas considero-a legítima. Ele tem o mesmo direito de Ângela de protestar, e acho saudável que o tenha feito.
O mesmo não se pode dizer, entretanto, das reações das duas desembargadoras, que não tinham direito de se pronunciar, e literalmente arrebataram a palavara da presidente da Corte.
O pedido de desculpas da dra. Alabanira - ao que me disse uma testemunha ocular, ajuizada e percuciente do evento - foi pela atitude das senhoras.
Sobre o discurso do novo desembargador, é o que se disse aí por cima. Pessoalmente, não esperava mais.
Mas o caso renderá. Muito.
Abraços.

Anônimo disse...

"A vaidade quer aplauso".Azeglio(político italiano)
"Vaidade de vaidades, e tudo é vaidade".Eclesiastes
"Não existe vaidade inteligente".Celene(escritor francês)
"O intenso desejo de honras perturba a mente humana e obscurece a visão".Esopo
"De todas as doenças do espirito humano, a fúria de dominar é a mais terrível".Voltaire
"Não há nada mais estúpido do que um sorriso estúpido".Catulo

Anônimo disse...

O fato vai provocar, se já não provocou, debandada geral na diretoria da entidade. Cerca de 19 conselheiros estão dispostos a renunciar em bloco.Pois,não se sentiram representados no discurso proferido. Por sinal,o discurso e sua autora ou autor é algo que não deve ser imitado,nem seguido, nem visto, nem ouvido.É vazio de representação institucional e rico de questão pessoal.

Angela Sales disse...

Anônimo das 10:33AM, você pode criticar o quanto quiser o discurso que proferi na posse do Leonan. Aprecio, com espírito democrático, e acolho as críticas com muita simpatia. Mas, por favor, não tente descredenciá-lo (seria descredenciar-me?)com ilações tais como "sua autora ou autor". A autora é minha consciência; o autor - caro anônimo - é meu espírito, que não se acovarda nem perante esse tipo DE PRECONCEITO DE GÊNERO.
Quanto à tal renúncia de 19 conselheiros, até agora não recebi nenhum contato de qualquer conselheiro da OAB manifestando insatisfação pelo discurso - dos que estiveram comigo ou ligaram só recebi apoio.

Val-André Mutran disse...

Não se curve Dr.a Ângela, a senhora é o meio, o corpo e o espírito dos setores decentes da sociedade nesse caso.
Parabéns!

angela sales disse...

Aos anônimos e nominados, que se manifestam no quinta sobre meu discurso, seja contra ou a favor, agradeço emocionada - estou segura de que, entre os papéis da Ordem, está o de sacudir consciências. Estou aqui, terminando de redigir a reclamação que a OAB apresentará esta semana - se conseguir amanhã as notas taquigráficas da sessão do arquivamento, amanhã mesmo vai.
Dei uma parada pra acompanhar as discussões no quinta.

Juvencio de Arruda disse...

Obrigado Ângela, pela atenção ao blog e seus leitores.
A repercussão de sua decisão - e, consequentemente, das notícias sobre ela - mostram que também este objetivo foi alcançado: sacudiu as consciências.
E boa sorte na lide.
Abs