8.4.08

Tudo Para Não Pagar

Ultrapassa os limites do razoável a estratégia jurídica dos réus da querela envolvendo a ação coletiva sobre a jornada extraordinária dos trabalhadores das minas de Carajás (horas in itinere). Na audiência realizada no dia 26 de março a empreiteira Norberto Odebrecht arguiu a suspeição/impedimento de todos os sete juízes federais trabalhistas de Parauapebas.
Seguiram a notória construtora todas as demais reclamadas, inclusive a Vale.
Tomada como medida procrastinatória, a exceção foi imediatamente rejeitada e superada.
Amanhã, 9, às 9:00 hs, no auditório do CDC, será realizada audiência pública com a participação de sindicatos e dos trabalhadores para discussão da questão.
Também seguem decisões em mandados de segurança em que a OAB quer ver as reclamações individuais julgadas normalmente, bem como as informações prestadas pela 1ª Vara Trabalhista ( juiz Jônatas dos Santos Andrade, que também é o diretor do Forum Trabalhista da capital do minério) em que justifica o privilégio dado à ação coletiva.

-----

Neste final de semana o blog vai abordar os desdobros que as empresas do pólo Carajás tentam aplicar na Justiça do Trabalho.

3 comentários:

Lafayette disse...

Juva, conheço o Jonatas, e com ele não lero-lero não.

A peia vai correr por lá, mas, infelismente, depois, por cá, as coisas podem dar em... nada!

Juvencio de Arruda disse...

Salve, Lafa!
E domingo, tem lero lero?...rsrs
Abs

Lafayette disse...

...num tem nem vem cá que também quero!

O Fla vai dar peia no Bota!