8.4.08

Fechado

Acaba de ser fechado o acordo, na Décima Vara do Trabalho, entre supermercadistas e comerciários.
Os supermercados continuarão abrindo aos domingos, mediante compensações aos trabalhadores.

6 comentários:

Anônimo disse...

Tudo bem o comentário anterior não ter sido publicado. Mas esse acordo é de uma indecência sem tamanho. Afinal de contas Nem mesmo aos domingos o trabalhor pode ter folga?

Cláudio

Juvencio de Arruda disse...

Claudio, meu caro.
Seu comentário foi publicado sim. Mas vc se enganou de post. Dê uma olhada na caixinha do post imediatamente abaixo e verá ( atente para o horário!)que ele foi publicado e respondido.
Aliás, não me lembro de ter recusado algum comentário seu, sempre crítico mas equilibrado.
E essa coisa de se enganar de caixinha acontece até com blogueiros experientes.

Anônimo disse...

Tá certo! Desculpe a minha gonorância (rsss.

Cláudio

Juvencio de Arruda disse...

Que isso! Como disse, é comum pra caramba.
Abs

Anônimo disse...

Interessante no roteiro da briga entre donos de supermercado e comerciários é que, depois de negar acordo, afirmar mentirosamente que cumpriam religiosamente a convenção trabalhista, os patrões ávidos por lucro fácil acabaram concordando em pagar ( o que já pagavam?). Ponto para os empregados, ponto para a justiça trabalhista, que enquadrou os espertalhões.

Anônimo disse...

Supermercado aberto aos domingos é uma boa pra quem rala de segunda a sábado.

O que o sindicato dos comerciários tem que garantir é o respeito às leis trabalhistas.

Tem que ver se o máximo de horas extras está sendo respeitado, idem o descanso semanal, idem o hiato de tempo entre o começo do descanso semanal e o fim da jornada de trabalho imediatamente antecedente, etc, etc.

Da observância desses preceitos pode resultar a melhoria da qualidade dos serviços prestados à clientela (pela maior disponibilidade das empresas), jornadas de trabalho decentes para as pessoas já empregadas e a geração de novos empregos no setor.

Na atualidade, o ideal é que o empregado trabalhe 6 horas por dia. Mas a empresa deve funcionar no mínimo 18 horas por dia, todos os dias.

Se o mercado for capaz de segurar a barra, não há nada demais nisso.