28.2.08

Censura da Malandragem

No Blogue do Colunão.

Deu no iMirante que O Imparcial mutilou a coluna de Cláudio Humberto numa edição recente, removendo uma nota desagradável aos correligionários do jornal.
Cláudio Humberto sofre no Maranhão, e não é de hoje. Quando publicado no Jornal Pequeno, até os primeiros meses de 2002, quem pagava a assinatura da coluna era o deputado Ricardo Murad (PSB, hoje PMDB), na época em franca oposição ao governo Roseana Sarney.
Foi no tempo JP do que Cláudio Humberto publicou uma nota violenta e até criminosa sobre a vida particular de Alexandra e do então vice-governador José Reinaldo Tavares. Vice-governador sem prestígio (Roseana vivia a esnobá-lo) e sem a liquidez financeira que adiante lhe abriria o coração sincero dos donos do jornal.
Quando Ricardo retornou ao sarneísmo e suspendeu o repasse, Cláudio Humberto imigrou para o Imparcial, após um calote trimestral.

Antecedentes

Não é a primeira vez que Imparcial amputa de seções assinadas o que não lhe convém. Eu próprio tirei de lá minha coluna política, em 1992, porque meteram a mão numa nota que poderia desagradar o senador José Sarney, naqueles tempos intocável na casa. E o sistema de comunicação da família Sarney? Faz do mesmo jeito que se permite denunciar no concorrente. Entre outras colunas, já mexeu na de Teresa Cruvinel e na de Elio Gaspari. Com devido registro em nosso Colunão.

--------

Entre o final de 2005 e início de 2006 o Quinta Emenda flagrou O Liberal em várias ações de censura safardana na coluna do Claudio Humberto. Aqui, aqui, aqui, e aqui.
Até que o Diário do Pará percebeu a malandragem da pocilga concorrente e passou a reproduzir as tesouradas, no que O liberal se mancou e nunca mais censurou a coluna de CH.
O Diário do Pará já usou desse expediente em outras oportunidades...mas o Quinta ainda não estava no ar, uma pena!

4 comentários:

Anônimo disse...

Égua Juca, eu não acompanhava nessa época o Quinta: que pena!
Malinastes um bocado, né. rsrsrs

ab,

Antonio Fernando

Juvencio de Arruda disse...

rsrs... só pro gasto.
Abs

Anônimo disse...

Oi Juca, lembro de várias do Diário Sobrancelhudo do Pará. Toda vez que o José Simão, da Folha de S.Paulo, falava do Ahanga, a coluna não era publicada no Caderno D e só havia um aviso: "a coluna de José Simão não é publicada hoje, excepcionalmente". Até que alguém avisou ao Macaco Simão e ele passou a fazer piada na própria coluna; "ih, lá no Pará, o jornal do Jader não vai publicar essa coluna". Foi principalmente na época da briga de foice do Sobrancelhudo com o finado Toninho Malvadeza (que o diabo o tenha!)

Juvencio de Arruda disse...

Oi, das 5:00.
Não lembrava das tesouradas no Zé Simão...rs