14.5.08

Histórias de Maldades

Fonte generosa do blog manda por e.mail a descrição das cenas que presenciou na reunião da última segunda feira,12, na sede do PSDB paroara.
Jatene chegou com a cara amarrada e um livro na cutica: A Assustadora História da Maldade, de Oliver Thomson, um texto que mostra como a ética muda de acordo com o momento histórico, seus contextos sócio-econômicos e com a cultura dos povos, além de relatar fatos e histórias onde muitos crimes foram cometidos em nome da virtude.
Foi logo dizendo que não adiantava pressão para que saísse candidato este ano.
Disse que, como única opção para 2010, deveria se resguardar e não ficar preso na prefeitura, um recado para o senador Mário Tapiocouto, notório aspirante ao governo a ponto de, em visita recente à Santarém, dizer pra quem quisesse ouvir - e as fontes orelhudas do blog ouviram - que virá candidato em 2010 nem que seja preciso passar por cima de Jatene. O blog desconfia que não será necessário tanto.
Seguiu-se uma uma discussão com o outro senador da legenda, Flexa "Devastação" Ribeiro, logo abafada pelos deputados. Jatene anunciou, mas pediu reserva por enquanto, que não seria candidato a prefeito de Nova Déli de jeito nenhum, e insistiu na união de todos os partidos em torno do prefeito falsário.
Os deputados federais sartaram longe, e responderam que Duciomar não merecia apoio do PSDB, até porque nunca honrou seus compromissos com o partido.
Aí foi a vez do deputado estadual José Megale, que afirmou que este também era o caso do DEM, que nunca havia feito nada pelo PSDB e pelos deputados, e que a Valéria comandou a secretaria de Proteção Social sem dar espaço aos tucanos.
Houve quem visualizasse Jatene falando pelo deputado.
Mas a prosa continuou e Jatene garantiu que não tinha nada a ver com a participação de seus familiares na prefeitura. A fonte não pode afirmar se alguém acreditou.
Jatene, então, levantou a idéia de uma outra candidatura do PSDB, qualquer nome, e pediu que alguém se apresentasse, não sem antes mostrar as dificuldades de uma candidatura própria, principalmente as dificuldades nos alforjes tucanos.
Aí o deputado federal Zenaldo Coutinho disse que topava. Corajoso o Zenaldo, pois sabe que corre o risco de passar pelo que passou em 2000, quando foi candidato e muitos tucanos apoiaram o prefeito falsário por baixo dos panos.
Depois de muita conversa, adiaram a decisão para a próxima semana.
Mas neste exato momento, em Brasília, começa uma reunião.
Lá estão os senadores e deputados federais do partido.

-------

Bem, essa é a versão da fonte do blog. Amanhã, bem cedinho, postarei as minhas considerações sobre a reunião.

15 comentários:

Anônimo disse...

Ô gajo do Quinta, vai ser bem informado no raio que parta o Jatene !

Juvencio de Arruda disse...

Na política muitos gostam de histórias de maldades, mas não deseje que algum raio parta o Jatene...rs

Anônimo disse...

São exatamente estas atitudes, ou melhor, a conduta de alguns dos tucanos, como os citados no post, que colocam o PSDB numa situação de total fragilidade.
Tenho lido constantemente, aqui e em outros blog’s, comentários que julgam e condenam o ex-governador Simão Jatene pela indefinição do PSDB em relação ao posicionamento do partido nas eleições 2008, em Belém.
Será que é ele mesmo o culpado? Será?
Se o ex-governador Simão Jatene é tido como a única opção do PSDB, pra não dizer do estado, para 2010, capaz de derrotar a atual governadora como se fala dentro do próprio partido [e todos sabemos que é, ou alguém tem outra opção consistente???], nada mais justo e coerente que ele não venha candidato a prefeito. Geeeeeeeente, não precisa ser político pra entender isso!
Parece que o único que consegui alcançar o raciocínio foi o deputado José Megale.
Agora, de repente, pode ser que os interesses do partido não estejam sendo compartilhados pela unanimidade dos tucanos. Aí a história é outra!
O senador “Devastação” abomina irremediavelmente um apoio do PSDB ao prefeito “Falsário” e quer porque quer ver Jatene candidato. Mas porque? Seria pelo fato dele [o “Falsário”.] nunca ter honrado seus compromissos com o partido? Ou porque uma possível aliança com o atual prefeito inviabilizaria sua pretensa reeleição para o senado?
O “Tapiocouto”... Bom, esse já mostrou a que veio. É claro que a não candidatura de Jatene a prefeitura de Belém vai de encontro a suas pretensões políticas pessoais, não está nem aí para o PSDB.
Já o deputado federal “Corajoso”, está surpreendendo. Até bem pouco tempo atrás andava de bico com o senador “Devastação” por conta da presidência do PSDB e agora já anda fazendo coro às idéias “devastadoras” do senador. Qual será o conchavo?
É, desse jeito tá difícil pros tucanos retomar o poder, em 2008, 2010...

Anônimo disse...

O SAPO DO PSDB

O PSDB depende de um líder só: Simão Jatene. Quem duvidar disso precisará estar vivo em 2010.
A ser verdade essa versão da reunião do partido, Jatene está mexendo suas pedras no tabuleiro de 2010. Sabe o que está fazendo para além das pescarias. Os tucanos que querem dar vôos mais altos, como os dois senadores, só chegaram onde chegaram (principalmente o Tapiocouto) porque contaram com Jatene. E Zenaldo... é apenas um Zé Naldo. Ou Zé Nada. Não tem voto suficiente. É um pretensioso. Já foi testado. Um desastre! Se teimar, vai acabar agravando a imagem e a história do partido.
Paulo Chaves é outra aventura, nesta altura do campeonato. Teve 12 anos para construir sua imagem como político. Não fez essa lição de casa. Ainda bem. Compensou-nos com muita coisa boa que idealizou e geriu para Belém, principalmente. Com mão de ferro e estoicismo de um lutador, inteligência e criatividade, tocou projetos maravilhosos. Infelizmente, tudo o que ele fez não é suficiente para elegê-lo, concorrendo com as máquinas que estão montadas. Seria um esforço de marketing descomunal. Daria muito trabalho ao Orly Bezerra. O Paulo terá que tomar muito açaí no Porto da Palha, NE mesmo, Orly Bezerra? Mas é um nome que a classe média gosta. Mais do que o do Zenaldo. Além do açaí, o Paulo vai ter que entrar na Diretoria da Festa e na Guarda de Nossa Senhora de Nazaré (é lá que o Zé Naldo montou parte do seu capital eleitoral. O bispo que o diga). A Igreja é fundamental, mas o Paulo teria que rezar muito para contar com essa representação porque foi pro pau com parte do clero por causa de muitos projetos. Felizmente venceu todos os embates.
Enfim, o PSDB está numa encruzilhada. Não sabe se vai (sem Jatene na cabeça), ou se fica (para apoiar Valéria ou Duciomar - ops...!). Jatene está pensando no futuro para retomar a história do partido. Tarefa é pesada. Mas, se Jatene não retomar o pulso do partido, valendo-se da história de três mandatos, o Pará corre o risco de se desfazer, tal as loucuras desse governo do PT. É tanta reunião, tanta câmara setorial, tanta co missão (para não negar a história do partido) que quando Ana se espantar, acabou o mandato. E o Estado.
Jatene era contra reeleição desde a primeira hora do seu mandato. Mas essa percepção sobre continuísmo levou todos os tucanos para o buraco. Deu no que deu. Não foi líder capaz de impor suas leituras, percepções e projetos. Por isso falhou. Rendeu-se ao Almir Gabriel e acabou ajudando a consagrar o que se já desenhara na própria eleição dele. Qual foi a margem de voto que deu vitória a Jatene? Mínima. Puts! Todos se conformaram com a vitória e, como tudo vitorioso faz depois da batalha, acabaram esquecendo os números irrisórios. Era morte de crônica anunciada. Faltava estratégia de longo prazo. O marketing do partido era imediatista. A rigor, com uma comunicação claudicante.
Almir Gabriel, quando assumiu o primeiro mandato, fez um vaticínio: se não montasse uma estratégia de Estado que tirasse o Pará da pobreza africana em que se encontrava em 1994, sofreria as conseqüências por 50 anos. Uma africanização mais grave. Peguem os indicadores sociais: o vaticínio do tucano está visível. Todos são responsáveis – inclusive eles. Embora ele e Jatene tenham tirado o Pará do marasmo (tomara que o PT não fique mais dois mandatos consecutivos no poder porque aí que viraremos áfrica).
O PSB teve tudo nas mãos. Mas acabou vivendo sua fábula do sapo na panela de água que ferve sem o bicho perceber – isto é, acomoda-se na sua zona de conforto, na sua panela de água que vai confortavelmente aquecendo, e que de repente ferve. E mata o bicho. Agora, o PSDB corre atrás de outra panela de água morna. Está difícil. Mas na política nada é impossível.
Bem, se o PT continuar nas suas insanidades gerenciais, que está enterrando a economia e a própria gestão do Estado, é bem capaz que o sapo do PSDB pule novamente na panela. Tomara!

Anônimo disse...

Luluquefala:
Queridinhos tucanos, escrevam menos.
Ler esse motão de coisa, cansa. Dá estafa.
Até parece apostila de cursinho vestibular.
A gente já sabe que o Jatene é bonzinho, que o Almir não presta, que só o Jatene vence em 2010.
Que o jatene é o bom, é o bom é o bom... É um tremendão !

Anônimo disse...

Luluquefala, essa tua inveja faz a fama do Jatene! Eita dor de cotovelo... Hahahahaha!!!

Anônimo disse...

Inveja, eu, queridinho ?
Fama, do Jatene, queridinho ?
É verdade, queridinho, o Jatene traiu o Almir.
Tá na boca do povo !
Ô fama, hein, queridinho ...
Beijinhos,
Lulu

Anônimo disse...

Ops Lulu! Calma aí, não precisa ficar afetado.
Se vc disfarçar melhor sua dor de cotovelo, juro que não pra perceber.

CJK disse...

Não ocorreu nada neste convescote que já não estivesse previsto ou que surpreendesse. Ninguém apresentou uma posição nova, ou uma proposta de solução para o furdunço penoso.
Assim sendo, pergunto, prá que reuniram???
Enquanto isso, nas pesquisas...

Anônimo disse...

Jatene, pede pra sair !
Não precisa pagar.

Nélio disse...

Nada como um dia atrás do outro! Lulu tá cansado do PSDB é...? E por isso tem estafa só de ler os comentários sobre o partido em cujas asas cresceu Valéria Pires Franco?

Anônimo disse...

SEM AMBIENTE
A Assustadora História da Maldade.
Inocêcio III, o Papa que inventou a Inquisição, no século XII, dizia que sem a Maldade, a Virtude não existiria. Dêem um palaque eletrônico para o Paulo Chaves para que ele fale o que pensa com imagens só necessárias para mostrar o que ele fez que ele ganha a eleição municipal. Cara, voz, idéias, principalmene idéias, e alguns recursos midiáticos.

Anônimo disse...

Não gostaria de me meter no assunto do post, mas como vi um comentário que fala da Valéria de forma imbecíl, lá vou eu.
Esse Nélio daí de cima, é o Palheta ?
Sendo ou não sendo, vou responder do mesmo jeito:
A Valéria cresceu pelo seu trabalho , pela sua dedicação , e amor pelo que faz. Ela não cresceu nas asas de ninguém. Nunca precisou ser carregada.
Finalmente, a Valéria cresceu também, porque teve e tem ao seu lado um grande professor, que se chama Almir Gabriel.
Vic Pires Franco

Anônimo disse...

Hahahahahaha
Fala sério, Vic!!!

Anônimo disse...

Cheguei atrasado, mas vou comentar:
"Ei Lulu, digo, Vic, ou sei lá quem ... se fosse ele, realmente, precisaria de banquinho para alcançar o cpu" rsrsrs
O Vigiador