20.5.08

Tum Tum Tum

No Repórter Diário, o Seventy da folha indisponibilizada, edição de ontem, 19. (excerto)

O delegado Carlos Alberto Antunes Lima, diretor da Seccional do Guamá, começa hoje uma série de reuniões com os donos de aparelhagem que atuam no bairro. Deixará claro que não aceitará mais a prática de apologia ao crime, bastante comum nesse tipo de evento, não apenas aqui, mas nacionalmente.

O blog vai mandar um ursinho de pelúcia pro delegado, pra ver se ele se toca, e na próxima vez que for visitar uma dessas aparelhagens do crime, torcer pra ver se ele encontra os baldes de ecstasy servidos em algumas orgias dessas pocilgas.
Seria bom se ele aproveitasse o embalo e levasse junto aquele delegado que recebeu, na semana passada, o deputado Arnaldo Jordy (PPS) fazendo as unhas, placidamente, em pleno expediente, feito madame no salão.

8 comentários:

Oliver disse...

No expediente, com as unhas de molho no sabão - e sabe lá se eram as dos pés ou das mãos, ou ambas!
Enquanto isso o sangue espirra do caderno-açougue Diário de Polícia da folha barbalheira.

Blog do Alan Wantuir disse...

Só falta voçê me dizer que era o delegado P.E.T que estava fazendo as unhas?

Juvencio de Arruda disse...

Oliver, caríssimo, a cena dantesca parece ter sido tirada das novelas da Globo dos anos 70.

----

Wantuir, acho que o nome dele saiu nos jornais. Nao me recordo, mas isso não faz diferença.
É o quadro da puliça paroara.

Anônimo disse...

Nem todos fazem as unhas no expediente, alguns têm até namoradas tipo "Ronaldetes". Um dia vai mudar, quando o TJ funcionar, quando a Murreita for pra cadeia, quando Nardoni sair, quando nevar na praça da república. Um abraço de São Domingos do Araguaia.

Juvencio de Arruda disse...

Tum tum tum.
Abraço de Nova Déli.

Anônimo disse...

Essas aparelhagens, no geral, estão associadas a tudo o que não presta: poluição sonora, reunião de bandidos, apologia ao crime, ameaças contra quem reclama e clama por silêncio... No entanto, estranhamente, a Secretaria de Trabalho e Emprego (Seter) convocou justo as aparelhagens para fazer festa e barulho na entrega de bolsas trabalho, no Hangar, semana passada. No mesmo gover, existe a Operação Zumbido, que tenta, sem recursos, coibir o abuso das aparelhagens e de outras fontes de barulho.

Anônimo disse...

não entrou aparelhagem no Hangar,na verdade foi usado o equipamneto da áudio-eletrônica,o Dj Dinho levou somente a mesa de mixagem para participar da festa.

Anônimo disse...

A atuação da PC não vai obter qualquer resultado, pois não há necessidade de reuniões, porém, de aplicar as normas regentes,precisamos parar de reuniões idiotas, pois é mister aplicar a Lei, e ponto final, o que se vai discutir? Diminuição do som? é brincadeira? E digo mais ninguém neste Estado vai acabar com as aparelhagens e seus acessórios. PARÁ TERRA DE DIREITOS.
DE QUEM? DOS SERES HUMANOS QUE SÃO OBRIGADOS A SE SUBMETER AOS RUÍDOS FORA DOS PADRÕES HUMANOS? E ENQUANTO ISSO.......